Publicidade
Publicidade
Fábula livreira
PublishNews, Marcio Coelho, 25/07/2018
Em sua coluna, Marcio Coelho escreve uma fábula sobre o mercado livreiro onde ficção e realidade parecem se misturar

Há muito tempo, num lugar próximo daqui, foi anunciada uma tragédia. Pelas notícias que chegaram, pessoas foram vistas desesperadas nos celulares, redes sociais, nas ruas, nos boletos. O consumo de álcool aumentou, ateus rezaram, fiéis ficaram de olhos vermelhos, estatísticos foram engolidos pelos dados. Caos.

Parece que as pessoas não ficavam daquele jeito desde a farsa do homem na Lua. E olha que depois disso ainda houve um sete-a-um. O centro da tragédia foi na maior cidade de lá, mas reverberou ao redor do país. Pelos sismógrafos, a cabeça dos comerciais vibrou em 8.4 na Escala Fodeu, que vai de 0 a 7.

Um escritor de lá dizia que um país se fazia com homens e livros. É uma frase bem machista, mas fazia sentido no que dizia respeito ao conhecimento, à aquisição do saber, ao desenvolvimento do ser humano. Não era isso, no entanto, que importava por lá. O movimento desesperado do povo com a tragédia só tinha um motivo: sobrevivência.

País desgovernado, crise em vários setores, educação sem dinheiro, saúde morrendo, presos políticos e as pessoas tentando sobreviver. Quem vivia do livro por lá estava realmente assustado, e não era pra menos. Pelos números, o faturamento do setor de livros não crescia havia mais de dez anos, e aí veio a tragédia.

O mais estranho é que alguns dias depois veio a Flip, uma festa literária. Isso, faziam festa mesmo assim. Logo em seguida aconteceu um evento chamado Bienal do Livro, que parecia um shopping de compras de livros. Depois houve feiras internacionais, mais festas, mais feiras, mais demissões, festas, festas, demifestas.

Lá no fundo dos motivos, minguando, estava o livro. Não se interessavam pelo livro, o interesse era mesmo a sobrevivência. Ao vencedor, a lista. Esse foi o erro daquelas pessoas. A sobrevivência os cegou para os caminhos que poderiam ter trilhado. Eram tantas as alternativas, as chances, as possibilidades. Mas a lista era o único caminho que enxergavam.

Sempre que me lembro dessa história, agradeço à deusa que a nossa realidade é outra. Que bom, né?

Marcio Coelho começou a sua carreira como revisor na antiga editora Siciliano e alcançou o cargo de gerente editorial da Saraiva até abrir a hoo, editora especializada na publicação de livros de temática LGBT vendida recentemente à Universo dos Livros. Marcio também passou pela TAG – Experiências Literárias onde exerceu até agosto o cargo de gestor de produtos.

** Os textos trazidos nessa coluna não refletem, necessariamente, a opinião do PublishNews.

Publicidade

BR75

A BR75 desenvolve soluções personalizadas de criação e edição de texto, design gráfico para publicações impressas e em outras mídias e coordena sua produção editorial. Cuidamos de todas as etapas, conforme as necessidades e características de seu projeto, e sua empresa ganha em eficiência e qualidade. Quer saber mais? Fale com a gente ou agende uma visita!

Leia também
Em sua crônica desse mês, Marcio Coelho faz analogias entre o construtor de um edifício e um editor de livros
Em sua coluna, Marcio Coelho faz uma reflexão sobre o que é estar 'no livro' nesse momento de crise. Vale a pena?
Em sua coluna, Marcio Coelho fala sobre os leitores, o mercado editorial brasileiro e como muitas vezes, não enxergamos a verdade dos fatos e achamos que a situação é ainda pior do que parece
A partir de Monteiro Lobato que, além de escritor, era um empreendedor do livro, Marcio Coelho faz, em sua coluna, uma reflexão sobre a gestão dos pontos de vendas de livros no país
Nosso colunista Marcio Coelho foi ao Jabuti depois de algumas edições ausente. Ele gostou e conta como foi.
Publicidade

Mais de 13 mil pessoas recebem todos os dias a newsletter do PublishNews em suas caixas postais. Desta forma, elas estão sempre atualizadas com as últimas notícias do mercado editorial. Disparamos o informativo sempre antes do meio-dia e, graças ao nosso trabalho de edição e curadoria, você não precisa mais do que 10 minutos para ficar por dentro das novidades. E o melhor: É gratuito! Não perca tempo, clique aqui e assine agora mesmo a newsletter do PublishNews.

Outras colunas
Tomaz Adour, atual presidente da Liga Brasileira de Editores, está no PublishNews Entrevista desta semana
Em sua coluna, Julio Silveira fala sobre sua experiência na Feira do Livro de Lisboa que aconteceu mesmo com a pandemia do novo coronavírus
Podcast do PublishNews conversou com Juliana Borges, da Banca HG, e João Varella, da Livraria Gráfica, novos espaços para os livros na capital paulista
Todas as sextas-feiras você confere uma nova tira dos passarinhos Hector e Afonso
Waldir da Silveira, diretor do Banco de Livros do Rio Grande do Sul, está no PublishNews Entrevista dessa semana
Um texto bem escrito se aprende na prática, na troca entre os que editam e os que escrevem.
Hans Ulrich Gumbrecht
Crítico literário alemão
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Você está buscando um emprego no mercado editorial? O PublishNews oferece um banco de vagas abertas em diversas empresas da cadeia do livro. E se você quiser anunciar uma vaga em sua empresa, entre em contato.

Procurar

Precisando de um capista, de um diagramador ou de uma gráfica? Ou de um conversor de e-books? Seja o que for, você poderá encontrar no nosso Guia de Fornecedores. E para anunciar sua empresa, entre em contato.

Procurar

O PublishNews nasceu como uma newsletter. E esta continua sendo nossa principal ferramenta de comunicação. Quer receber diariamente todas as notícias do mundo do livro resumidas em um parágrafo?

Assinar