Publicidade
Publicidade
E no feriado?
PublishNews, Marcio Coelho, 18/11/2020
Em sua coluna, Marcio Coelho fala sobre como colocar a leitura na vida das pessoas de maneira leve e prazerosa

Experimente perguntar a alguém quais são os planos para o feriado. Viajar, ficar em casa, descansar, beber, maratonar séries, ir ao cinema (sim, alguns em São Paulo já funcionam), correr, andar de bicicleta, academia, família, filhos, amigos, namorar. Claro, há muito mais coisas que podemos fazer, mas o ponto aqui é: quantas pessoas que você conhece responderão ler? Não há aqui um julgamento se poucas ou muitas, o que há é o fato de o hábito de leitura se tornar realmente um hábito. O cardápio é amplo e as possibilidades são muitas. Como colocar a leitura na sua vida e na vida de pessoas de quem você gosta e quer que se tornem leitores? Passa por muitas variáveis, mas é preciso estar atento a algumas delas.

Lembro que quando eu dava aula de literatura pra uma turma do 9º ano do fundamental, eles precisavam ler Dom Casmurro. Quando eu disse isso na sala, os narizes torceram e os bufos foram altos. Não ler o Bruxo não era uma opção. Montei um esquema de leitura dos contos do Machado em sala de aula, de um jeito um tanto teatral. Cada personagem era lido por um aluno e por mim. Lemos muitos contos. Eles nunca tinham lido nada do nosso maior autor e adoraram, depois disso ler Dom Casmurro foi mais interessante, porque líamos na sala alguns trechos também. É preciso conhecer. É preciso oferecer de maneira leve e mostrar que ler pode ser muito prazeroso.

Outro exemplo que me lembro ocorreu quando eu trabalhava na editora Saraiva e precisávamos treinar os atendentes da livraria Saraiva para eles venderem nossos livros de administração e negócios. Eles entravam na sala de treinamento com cara de entediados. Claro, ver um editor falar dos seus livros com o intuito de treiná-los a vender? Poxa, que coisa mais chata. Eu preparava o material antes de todas as reuniões. Separava trechos com as maiores curiosidades e com casos de empresas de sucesso. Contava histórias dos personagens do livro (claro que eu inventava um pouco) e os fazia entender por conta dessas histórias.

São exemplos que eu usei para tentar incutir o livro na vida das pessoas. Claro, um deles tinha um fundamento comercial, mas o importante aqui é a maneira em como faremos pra mostrar o livro. Mostrar no sentido de revelar, abrir e ler para as pessoas. Contar histórias, pegar na mão e dizer “venha comigo”. Funciona, pode ter certeza de que funciona. Não pode haver pressão por prazo nem por tempo de leitura. Não precisa estipular número de páginas diárias nem “leia até o capítulo tal”. Não pressione, só mostre o quão interessante pode ser ler a leitura.

Na primavera de 1998, Bluma Lennon, professora de Cambridge, está lendo um livro de poemas de Emily Dickinson quando é atropelada. Depois que ela morre, um colega recebe um exemplar de A linha da sombra, de Joseph Conrad, em que Bluma escreve uma misteriosa dedicatória. Intrigado, ele parte numa busca que o leva a Buenos Aires. Bom, aí... Mas me diz, e no feriado? ;)

Marcio Coelho começou sua carreira como revisor na antiga editora Siciliano, passou por muitas editoras como Saraiva, Nova Fronteira e Ediouro. Trabalhou na TAG – Experiências Literárias, prestou consultoria para clubes de assinaturas de livros, é professor de cursos voltados ao mercado editorial e gerente de projetos especiais do Grupo Editorial Pensamento. Além de viver de livros há mais de duas décadas, é apaixonado por eles.

** Os textos trazidos nessa coluna não refletem, necessariamente, a opinião do PublishNews.

Publicidade

BR75

A BR75 desenvolve soluções personalizadas de criação e edição de texto, design gráfico para publicações impressas e em outras mídias e coordena sua produção editorial. Cuidamos de todas as etapas, conforme as necessidades e características de seu projeto, e sua empresa ganha em eficiência e qualidade. Quer saber mais? Fale com a gente ou agende uma visita!

Leia também
Em sua coluna, Marcio compartilha o seu sonho com Mike Shatzkin e reflete sobre o reconhecimento aos profissionais do livro
Em sua crônica desse mês, Marcio Coelho faz analogias entre o construtor de um edifício e um editor de livros
Em sua coluna, Marcio Coelho faz uma reflexão sobre o que é estar 'no livro' nesse momento de crise. Vale a pena?
Em sua coluna, Marcio Coelho fala sobre os leitores, o mercado editorial brasileiro e como muitas vezes, não enxergamos a verdade dos fatos e achamos que a situação é ainda pior do que parece
A partir de Monteiro Lobato que, além de escritor, era um empreendedor do livro, Marcio Coelho faz, em sua coluna, uma reflexão sobre a gestão dos pontos de vendas de livros no país
Publicidade

Mais de 13 mil pessoas recebem todos os dias a newsletter do PublishNews em suas caixas postais. Desta forma, elas estão sempre atualizadas com as últimas notícias do mercado editorial. Disparamos o informativo sempre antes do meio-dia e, graças ao nosso trabalho de edição e curadoria, você não precisa mais do que 10 minutos para ficar por dentro das novidades. E o melhor: É gratuito! Não perca tempo, clique aqui e assine agora mesmo a newsletter do PublishNews.

Outras colunas
Todas as sextas-feiras você confere uma nova tira dos passarinhos Hector e Afonso. Hoje, excepcionalmente, o posto foi ocupado por Rê Tinta
Idealizadora do Festival Literário de Poços de Caldas é a convidada dessa semana do PublishNews Entrevista
Em sua coluna, Gustavo Martins fala sobre as reações e ideias de algumas livrarias ao redor do mundo para se manterem abertas e atrativas para o público
Nova livraria do centro de SP abre as portas nesta segunda (23/11). Irene de Hollanda, codiretora, e Rita Palmeira, responsável pela curadoria, contatam os detalhes da Megafauna no Podcast do PN
Livreiro participa do PublishNews Entrevista, programa que quer formar um arquivo da memória editorial brasileira
Quando o governo faz cortes na educação e na cultura, que geram cidadãos conscientes para a construção da democracia, está investindo em um estado autoritário.
Luiz Ruffato
Escritor brasileiro
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Você está buscando um emprego no mercado editorial? O PublishNews oferece um banco de vagas abertas em diversas empresas da cadeia do livro. E se você quiser anunciar uma vaga em sua empresa, entre em contato.

Procurar

Precisando de um capista, de um diagramador ou de uma gráfica? Ou de um conversor de e-books? Seja o que for, você poderá encontrar no nosso Guia de Fornecedores. E para anunciar sua empresa, entre em contato.

Procurar

O PublishNews nasceu como uma newsletter. E esta continua sendo nossa principal ferramenta de comunicação. Quer receber diariamente todas as notícias do mundo do livro resumidas em um parágrafo?

Assinar