Publicidade
Publicidade
A torta de Dionísio
PublishNews, Luciana Pinsky, 12/11/2018
Em sua segunda coluna, Luciana Pinsky conta a experiência de um personagem numa confeitaria e conclui 'Se for transgredir, fuja dos intolerantes'

© Thomás Camargo Coutinho
© Thomás Camargo Coutinho
Aspecto delicioso. Recheio de amêndoa, com cor de perdição. Massa brilhante, convidativa. Confesso, fiquei balançada pela trufa que se insinuava logo ao lado. Afinal, no Olimpo dos doces, chocolate é Zeus. Mas desta vez optei pela dionisíaca torta de amêndoas.

– Boa pedida. Ela é a especialidade da casa.

Na primeira mordida admirei a textura do recheio. Foi a massa, porém, que me surpreendeu.

– Vai uma dose de pinga que faz toda a diferença. – me confidenciou a moça enquanto me servia água.

E segui para a segunda mordida, certa que aquela tortinha faria a minha tarde mais feliz. O sabor inicial explodiu até o céu da boca. Mas bateu certa culpa: há tempos não comia doce à luz do dia, ainda queria expurgar dois intrusos quilos que se instalaram em meus quadris desde um feriado gastronômico na casa de um amigo cozinheiro.

A terceira mordida foi com vontade: “primeiro o prazer, depois a culpa.”, lembrei do conselho nada ortodoxo de meu pai. E minha boca entorpecida pelo doce agradeceu meu progenitor.

A quarta mordida, afobada, não teve gosto, só hábito. Tal qual cigarro com café depois do almoço para aqueles que fumam e tomam café.

Água. Boca limpa. Com a derradeira mordida veio um amargor imprevisível. Mas como amêndoa, açúcar, manteiga, farinha podem amargar uma boca? Pois foi o que aconteceu. O prazer inicial deu lugar a sensações desagradavelmente familiares. Estômago um tanto embrulhado. Leve inchaço. Esôfago afogueado e boca, putz, boca inerte.

E, assim, me deparo com uma intolerância que jamais imaginei me atingir.

Amêndoa nunca mais. Se for transgredir, fuja dos intolerantes.

© Marcos IssaLuciana Pinsky é editora da Contexto, escritora e jornalista. Publicou o romance Sujeito oculto e demais graças do amor (Record) e mantém seu blog de crônicas. Há dois anos publica uma coluna sobre livros infantis no site Boraí.

Publicidade

BR75

A BR75 desenvolve soluções personalizadas de criação e edição de texto, design gráfico para publicações impressas e em outras mídias e coordena sua produção editorial. Cuidamos de todas as etapas, conforme as necessidades e características de seu projeto, e sua empresa ganha em eficiência e qualidade. Quer saber mais? Fale com a gente ou agende uma visita!

Leia também
Em sua coluna de novembro, Luciana Pinsky fala sobre 'o que se vai e o que resiste'
Em sua crônica, Luciana Pinksy lembra que nunca se sabe o que um congresso pode trazer
Na crônica desse mês, Luciana Pinsky narra o efêmero relacionamento de duas pessoas que mantiveram um relacionamento virtual, com raros, "mas sempre muito desejados" encontros presenciais
Uma amiga encomendou a nossa colunista Luciana Pinsky uma crônica feliz, sobre o casamento... Ela fez...
Na coluna de Luciana Pinsky, sua segunda crônica com o tema ‘portas’
Publicidade

Mais de 13 mil pessoas recebem todos os dias a newsletter do PublishNews em suas caixas postais. Desta forma, elas estão sempre atualizadas com as últimas notícias do mercado editorial. Disparamos o informativo sempre antes do meio-dia e, graças ao nosso trabalho de edição e curadoria, você não precisa mais do que 10 minutos para ficar por dentro das novidades. E o melhor: É gratuito! Não perca tempo, clique aqui e assine agora mesmo a newsletter do PublishNews.

Outras colunas
O Podcast do PublishNews recebeu Bruno Tenan, responsável pelo marketing da Edusp para falar sobre a Festa do Livro da USP
Em sua coluna de novembro, Luciana Pinsky fala sobre 'o que se vai e o que resiste'
Toda semana você confere uma nova tira dos passarinhos Hector e Afonso
O editor é o entrevistado da PublishNewsTV dessa semana. Na entrevista que teve com André Argolo, ele falou da infância, do seu projeto Esqueça um Livro e fez reflexões sobre a sua profissão.
O homem por trás da PublishNewsTV é o entrevistado do Podcast dessa semana. No programa, ele faz reflexões sobre o jornalismo, a poesia e a literatura.
Para que serve a literatura? Para nada. E num mundo onde todos querem tudo o tempo todo, talvez o nada seja a coisa mais importante
Cesar Cardoso
Escritor brasileiro
Publicidade
Publicidade

Você está buscando um emprego no mercado editorial? O PublishNews oferece um banco de vagas abertas em diversas empresas da cadeia do livro. E se você quiser anunciar uma vaga em sua empresa, entre em contato.

Procurar

Precisando de um capista, de um diagramador ou de uma gráfica? Ou de um conversor de e-books? Seja o que for, você poderá encontrar no nosso Guia de Fornecedores. E para anunciar sua empresa, entre em contato.

Procurar

O PublishNews nasceu como uma newsletter. E esta continua sendo nossa principal ferramenta de comunicação. Quer receber diariamente todas as notícias do mundo do livro resumidas em um parágrafo?

Assinar