Publicidade
Publicidade
A primeira morte
PublishNews, Luciana Pinsky, 25/08/2020
Na crônica deste mês, Luciana Pinsky ​relata o primeiro contato de uma criança com a morte

Estávamos no café da manhã, olhos ainda semiabertos, pão e manteiga. Barulho. Um confronto. O pássaro não percebeu o vidro, caiu, agonizante.

Mas como, se poucos segundos antes ele estava animadíssimo cantando na amoreira?

- Ele vai ficar bom? – Perguntou o menino, já temendo a resposta.

- Não, meu querido.

- Vamos chamar um médico de passarinhos – foi sua tentativa de nos mostrar errados, de nos fazer ver outra possibilidade, de nos dizer que nós tínhamos de salvá-lo. Afinal, se o pássaro não enxergou o vidro a culpa é nossa e dos nossos tantos obstáculos invisíveis.

- O veterinário não consegue salvá-lo, meu amor. Ele se machucou muito.

O sanhaço foi transportado para a terra, sofreu um tanto antes de estirar de vez. O menino foi chorar no sofá. Largou dominó, não quis mais tapioca. O pássaro não comia, não brincava, por que ele o faria?

- E agora? – perguntou, com a cabeça ainda debaixo da almofada.

- Agora vamos enterrá-lo.

Ele se levantou, decidido. Nunca participara de um ritual de despedida. Nunca a morte estivera tão perto. Sim, sabia de sua existência, de sua inevitabilidade até. Mais do que isso: já ouviu sobre familiares que tivera, que chegara a conhecer, mas que não estavam mais, a não ser na mesa da sala, em fotos e na memória. Memória dos pais, porque para ele eram abstrações de parentes. Também sabe que todos estamos presos em casa para fugir de uma doença que vem matando no mundo inteiro. Mas até agora ninguém de seu convívio.

O sanhaço, ao contrário, era real. Estava lá um minuto antes, tão vivo quanto ele. Voando, cantando, dividindo as amoras pretas.

Cantinho do quintal. Buraco na terra. Busca o pássaro. Terra por cima.

Agora a música. Tentamos Bach, tranquilo e bonito. E desde quando a morte é bonita e tranquila?

- Não. Quero música que conheço e gosto.

Não creio que tenha havido outro enterro no planeta ao som de Dancin’ Days.

© Marcos IssaLuciana Pinsky é editora da Contexto, escritora e jornalista. Publicou o romance Sujeito oculto e demais graças do amor (Record) e mantém seu blog de crônicas. Há dois anos publica uma coluna sobre livros infantis no site Boraí.

** Os textos trazidos nessa coluna não refletem, necessariamente, a opinião do PublishNews.

Publicidade

BR75

A BR75 desenvolve soluções personalizadas de criação e edição de texto, design gráfico para publicações impressas e em outras mídias e coordena sua produção editorial. Cuidamos de todas as etapas, conforme as necessidades e características de seu projeto, e sua empresa ganha em eficiência e qualidade. Quer saber mais? Fale com a gente ou agende uma visita!

Leia também
Na crônica do mês, Luciana Pinsky imagina um futuro incerto: um diálogo entre mãe e filho
Em sua crônica do mês, Luciana pergunta: A luta diária pelo fim do pó terá final feliz?
O que nos mantém vivos? Qual é a receita? Em tempos de álcool gel, uma crônica que foge do coronavírus.
Em sua crônica do mês, Luciana Pinsky fala sobre o que é inevitável, que acontece sem anúncio. Ou será que não é bem assim?
Fim de ano convida a balanços. Crônica do mês de Luciana Pinsky traz um balanço peculiar e a dois.
Publicidade

Mais de 13 mil pessoas recebem todos os dias a newsletter do PublishNews em suas caixas postais. Desta forma, elas estão sempre atualizadas com as últimas notícias do mercado editorial. Disparamos o informativo sempre antes do meio-dia e, graças ao nosso trabalho de edição e curadoria, você não precisa mais do que 10 minutos para ficar por dentro das novidades. E o melhor: É gratuito! Não perca tempo, clique aqui e assine agora mesmo a newsletter do PublishNews.

Outras colunas
Todas as sextas-feiras você confere uma nova tira dos passarinhos Hector e Afonso. Hoje, excepcionalmente, o posto foi ocupado por Rê Tinta
Idealizadora do Festival Literário de Poços de Caldas é a convidada dessa semana do PublishNews Entrevista
Em sua coluna, Gustavo Martins fala sobre as reações e ideias de algumas livrarias ao redor do mundo para se manterem abertas e atrativas para o público
Nova livraria do centro de SP abre as portas nesta segunda (23/11). Irene de Hollanda, codiretora, e Rita Palmeira, responsável pela curadoria, contatam os detalhes da Megafauna no Podcast do PN
Livreiro participa do PublishNews Entrevista, programa que quer formar um arquivo da memória editorial brasileira
O leitor é que é um potencial agente de transformação.
Patrícia Melo
Escritora brasileira
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Você está buscando um emprego no mercado editorial? O PublishNews oferece um banco de vagas abertas em diversas empresas da cadeia do livro. E se você quiser anunciar uma vaga em sua empresa, entre em contato.

Procurar

Precisando de um capista, de um diagramador ou de uma gráfica? Ou de um conversor de e-books? Seja o que for, você poderá encontrar no nosso Guia de Fornecedores. E para anunciar sua empresa, entre em contato.

Procurar

O PublishNews nasceu como uma newsletter. E esta continua sendo nossa principal ferramenta de comunicação. Quer receber diariamente todas as notícias do mundo do livro resumidas em um parágrafo?

Assinar