Publicidade
Publicidade
A simplicidade do preto no branco
PublishNews, Paulo Tedesco, 21/06/2023
Em novo artigo, Paulo Tedesco fala sobre o poder da palavra e da escrita

A escrita é resultado de um longo processo de evolução cultural. Não somente pela sua complexidade e diversidade, mas por avançar no que há de mais precioso na raça humana: a imaginação. Porque é ela, a escrita, que nos faz ler em silêncio, a exercitar a memória e preparar o terreno para a criatividade, para o lúdico e para os projetos mais íntimos.

Sócrates, o filósofo grego, desdenhava a escrita, dizia que roubava a alma das palavras, e que estas deveriam ser sempre oralizadas, em aberto, e passando boca a boca ao longo das gerações. Foi, porém, e para seu provável desgosto, através de um de seus discípulos, Platão, que tudo o que temos sobre Sócrates foi anotado e preservado na escrita. Sim, Platão, passados alguns anos da morte do grande filósofo, compilou os debates socráticos.

Nascia, neste instante, o ruminar mental. O exercício do silêncio frente à leitura paciente e interminável de letras e sinais como códigos dos tempos e de povos. Dos diferentes povos na história.

E foi tão imperiosa a evolução que não há melhor método de se preservar conhecimento do que através de textos escritos. Ainda que nunca dispensemos as imagens em nossos pensamentos, como bem apontava Aristóteles, a palavra termina, inusualmente, como ponto de chegada de um pensamento, de qualquer pensamento.

E hoje temos alfabetos resistindo e se mesclando a outros, traduzindo dialetos e idioletos, e preservando raízes orais e outras literárias, pois, sabe-se, há diferentes níveis de linguagem dentro de uma mesma comunidade. E quando mais complexa a sociedade, mais complexas e estratificadas podem ser suas linguagens.

Se algum estudante de letras ou comunicação pensa na sociedade futura sem o uso da palavra, como se retornássemos ao mundo ágrafo das cavernas, recomendo abandonar a distopia, porque tudo leva para um universo maior e muito mais interessante de letras e grafias.

E está ficando muito curioso por conta dessa virada que, politicamente, se deu dos 1990 para cá, com a tal globalização econômica, e, agora, com a globalização dos contatos e trocas culturais por mensagens, vídeos e áudios.

Vejamos os tradutores automáticos de fala, desses aplicativos impressionantes. Também temos o ensino de línguas sem fronteiras, diretamente de seus falantes. E temos os curiosos debates e brincadeiras sobre o falar de distintas regiões de um mesmo país e as idiossincrasias estrangeiras e nacionais. E se Borges algum dia sonhou, de fato, com a biblioteca mundial, aqui está ela, em voz, imagem e texto, e de forma simultânea e aberta.

Este é o encantamento. Viajar a outro país em poucas horas ou até sem sair da sua cadeira, estudar nova língua falada de uma nação que outrora chamava-se de remota, e que não dá mais, porque não existem mais nações remotas. Todos e todas, e mais um pouco se conhecem, e são 24 horas por dia vistos do espaço e ouvidos pelas antenas.

E a palavra, e o texto preto no papel ou na tela? Ora, sem esses, não estaria aqui, narrando na simplicidade da letra sob fundo branco e anotando essa explosão sem fronteiras no alvorecer do novo milênio.

Paulo Tedesco é escritor, editor e consultor em projetos editoriais. Desenvolveu o primeiro curso em EAD de Processos Editorais na PUCRS. Coordena o www.editoraconsultoreditorial.com (livraria, editora e cursos). É autor, entre outros, do Livros Um Guia para Autores pelo Consultor Editorial, prêmio AGES2015, categoria especial. Pode ser acompanhado pelo Facebook, Twitter, Instagram e LinkedIn.

** Os textos trazidos nessa coluna não refletem, necessariamente, a opinião do PublishNews.

Publicidade

A Alta Novel é um selo novo que transita entre vários segmentos e busca unir diferentes gêneros com publicações que inspirem leitores de diferentes idades, mostrando um compromisso com qualidade e diversidade. Conheça nossos livros clicando aqui!

Leia também
Tivemos o prazer de ler um livro carnavalizado e carnavalizando! E há quem diga que a literatura nacional naufragou...
Paulo Tedesco escreve sobre a valorização do trabalho manual versus o trabalho intelectual e criativo
Em novo artigo, Paulo Tedesco lembra que 'nunca é tarde para reagir' e que ainda há muito a ser feito em 2024
As distantes galáxias separadas da Terra pelo vácuo parecem muito com as críticas, por exemplo, sobre o preço do livro
Em novo artigo, Paulo Tedesco faz um paralelo entre homens e livros e a sociedade como uma grande biblioteca e sobre como ela merece ser lida com maior profundidade e nas entrelinhas
Publicidade

Mais de 13 mil pessoas recebem todos os dias a newsletter do PublishNews em suas caixas postais. Desta forma, elas estão sempre atualizadas com as últimas notícias do mercado editorial. Disparamos o informativo sempre antes do meio-dia e, graças ao nosso trabalho de edição e curadoria, você não precisa mais do que 10 minutos para ficar por dentro das novidades. E o melhor: É gratuito! Não perca tempo, clique aqui e assine agora mesmo a newsletter do PublishNews.

Outras colunas
Todas as sextas-feiras você confere uma tira dos passarinhos Hector e Afonso
As ruas foram tomadas por um público leitor majoritariamente jovem que me deu esperança de um futuro urgente
Publicado pela Giostri, 'Brancos não sabem pedalar', de Vanderson Castilho Munhoz, se passa em 2035, em um Brasil governador por um ditador que apoia o domínio no futebol brasileiro do Clube de Regatas Flamengo
Obra escrita por Paula Carminatti faz parte da duologia 'Ária de Yu'
Escrita por Juily Manghirmalani, 'Vivências asiático-brasileiras: raça, identidade e gênero' aborda questões como identidade cultural, autorreconhecimento, conflitos geracionais e construção de mitos sobre os povos asiáticos
Às vezes, tenho vontade de deixar de escrever, sinceramente. A coisa que mais me motiva a deixar de escrever é o gosto de ser apenas leitor.
Ronaldo Correia de Brito
Escritor brasileiro
Publicidade

Você está buscando um emprego no mercado editorial? O PublishNews oferece um banco de vagas abertas em diversas empresas da cadeia do livro. E se você quiser anunciar uma vaga em sua empresa, entre em contato.

Procurar

Precisando de um capista, de um diagramador ou de uma gráfica? Ou de um conversor de e-books? Seja o que for, você poderá encontrar no nosso Guia de Fornecedores. E para anunciar sua empresa, entre em contato.

Procurar

O PublishNews nasceu como uma newsletter. E esta continua sendo nossa principal ferramenta de comunicação. Quer receber diariamente todas as notícias do mundo do livro resumidas em um parágrafo?

Assinar