Publicidade
Publicidade
O Brasil Voltou
PublishNews, Paulo Tedesco, 21/11/2022
Em sua coluna, Paulo Tedesco fala sobre o que esperar depois do resultado das eleições

O Brasil voltou, para felicidade geral da nação e para esperança de todos. E voltou num degrau maior, agora como exemplo de democracia, resistência, e principalmente com maturidade, sem estardalhaço ou pirotecnia. O mundo todo nos olha e as cabeças progressistas se perguntam, afinal, como a democracia exemplar, que era a estadunidense, modelo a ponto de influenciar globalmente outras nações, de repente cede para uma nação tão contraditória como o Brasil?

A resposta é que o povo elegeu diretamente, voto a voto, e numa nação continental, recheada de desigualdades, seja em tecnologia, seja com suas sociais e econômicas, um novo presidente do executivo, renovou suas câmaras federais, trocou para novos governadores e suas câmaras estaduais, e trouxe vida nova pelos próximos quatro anos. Enfim, fizemos o dever de casa após as ditaduras militares e ao militarismo tão comum no século XX.

E não é pouco, não mesmo. Mas também renovamos ELETRONICAMENTE, de forma segura, transparente e até com acessibilidade, ou seja, tinha imagem colorida do candidato e candidata e ainda audiodescrição na tela da urna! Portanto, de forma inovadora e sem sequer uma vírgula a ser contestada, demos um espetáculo de vida política.

Não há, no mundo, uma nação como a nossa e com essa capacidade. Não há. E isso nos enche de orgulho. Muito. Afinal derrotar os inimigos da democracia, da cultura e da arte, gente aliada ao nazismo e ao fascismo, à violência e à estupidez, aliados ao poder econômico estatal e privado, não é bem assim. Não foi uma vitória qualquer.

Mas vamos falar de livros, de editoras, da esperança renovada no coração de cada escritor e editor brasileiro pelos programas de incentivo ao mundo do livro e da leitura. Vamos falar da esperança da retomada da economia que solapou o dinheiro do povo. Ora, falam em recessão de 10%, que mentira. Pois se os principais insumos da economia, os alimentos, o material de construção e tudo o mais subiram 100%, alguns 200% ou 300%, como é que podemos ter inflação de 10%? Alguém está mentindo aqui para não reajustar salários e não dar poder ao povo de comprar livros...

E é disso que precisamos, comprar livros. Precisamos mais tradutores e mais peso para financiar a língua portuguesa brasileira fora do país. Precisamos retomar nossa língua, massacrada pelos jargões empresariais e pela indústria digital. Precisamos ensinar inglês, espanhol, chinês nas escolas, mas precisamos salvar o português desse mundo de grandes companhias do mercado digital. Temos, por lógica, que saber ler e escrever em português, antes do inglês.

Só o estado pode proporcionar a retomada. Não há compreensão outra diante da crise profunda, do desemprego e violência, ao que se somam nuvens escuras na economia externa e uma guerra europeia de alcances atômicos. Viva o Brasil, via a democracia e o livro brasileiro.

Paulo Tedesco é escritor, editor e consultor em projetos editoriais. Desenvolveu o primeiro curso em EAD de Processos Editorais na PUCRS. Coordena o www.editoraconsultoreditorial.com (livraria, editora e cursos). É autor, entre outros, do Livros Um Guia para Autores pelo Consultor Editorial, prêmio AGES2015, categoria especial. Pode ser acompanhado pelo Facebook, Twitter, Instagram e LinkedIn.

** Os textos trazidos nessa coluna não refletem, necessariamente, a opinião do PublishNews.

Publicidade

A Alta Novel é um selo novo que transita entre vários segmentos e busca unir diferentes gêneros com publicações que inspirem leitores de diferentes idades, mostrando um compromisso com qualidade e diversidade. Conheça nossos livros clicando aqui!

Leia também
Tivemos o prazer de ler um livro carnavalizado e carnavalizando! E há quem diga que a literatura nacional naufragou...
Paulo Tedesco escreve sobre a valorização do trabalho manual versus o trabalho intelectual e criativo
Em novo artigo, Paulo Tedesco lembra que 'nunca é tarde para reagir' e que ainda há muito a ser feito em 2024
As distantes galáxias separadas da Terra pelo vácuo parecem muito com as críticas, por exemplo, sobre o preço do livro
Em novo artigo, Paulo Tedesco faz um paralelo entre homens e livros e a sociedade como uma grande biblioteca e sobre como ela merece ser lida com maior profundidade e nas entrelinhas
Publicidade

Mais de 13 mil pessoas recebem todos os dias a newsletter do PublishNews em suas caixas postais. Desta forma, elas estão sempre atualizadas com as últimas notícias do mercado editorial. Disparamos o informativo sempre antes do meio-dia e, graças ao nosso trabalho de edição e curadoria, você não precisa mais do que 10 minutos para ficar por dentro das novidades. E o melhor: É gratuito! Não perca tempo, clique aqui e assine agora mesmo a newsletter do PublishNews.

Outras colunas
Todas as sextas-feiras você confere uma tira dos passarinhos Hector e Afonso
As ruas foram tomadas por um público leitor majoritariamente jovem que me deu esperança de um futuro urgente
Publicado pela Giostri, 'Brancos não sabem pedalar', de Vanderson Castilho Munhoz, se passa em 2035, em um Brasil governador por um ditador que apoia o domínio no futebol brasileiro do Clube de Regatas Flamengo
Obra escrita por Paula Carminatti faz parte da duologia 'Ária de Yu'
Escrita por Juily Manghirmalani, 'Vivências asiático-brasileiras: raça, identidade e gênero' aborda questões como identidade cultural, autorreconhecimento, conflitos geracionais e construção de mitos sobre os povos asiáticos
Vivo e crio aventuras que eu gostaria de viver.
Ignácio de Loyola Brandão
Escritor brasileiro
Publicidade

Você está buscando um emprego no mercado editorial? O PublishNews oferece um banco de vagas abertas em diversas empresas da cadeia do livro. E se você quiser anunciar uma vaga em sua empresa, entre em contato.

Procurar

Precisando de um capista, de um diagramador ou de uma gráfica? Ou de um conversor de e-books? Seja o que for, você poderá encontrar no nosso Guia de Fornecedores. E para anunciar sua empresa, entre em contato.

Procurar

O PublishNews nasceu como uma newsletter. E esta continua sendo nossa principal ferramenta de comunicação. Quer receber diariamente todas as notícias do mundo do livro resumidas em um parágrafo?

Assinar