Publicidade
Publicidade
Voto consciente e maduro
PublishNews, Paulo Tedesco, 21/10/2022
Em sua coluna, Tedesco fala sobre a importância do voto consciente e pela democracia

A maturidade tem a questão central de que o hoje não é necessariamente o amanhã, de que o hoje precisa da reflexão e da sabedoria, porque os limites estão logo quando se acorda, quando se medica naquela lista cada vez maior de remédios nas primeiras horas do dia.

Apesar dessa urgência de se revalorizar o que se vive e dessa busca entre as raízes e rastros das vivências (não à toa o sucesso de redes sociais ao procurarmos amigos de escola e parentes distantes), apesar disso tudo, a maturidade logo nos diz que o amanhã pertence aos jovens, à sua energia e capacidade, ainda que errática, de dar novo rumo às coisas.

Ganha, portanto, relevo, destaque, pensar num amanhã com seriedade e preocupação. Um amanhã em que a alegria e a felicidade possam vir a ser fruto das melhores decisões do hoje. E sim, falo de assuntos que nos são caros, a exemplo da cultura e da arte, da saúde e do corpo, da liberdade e da democracia.

Somos reféns de um sistema que, na sua maioria, não permite que exerçamos a saúde preventiva, antevendo doenças e prevenindo dores. Os planos médicos são proibitivos para uma gigantesca maioria da população, e têm limitações para muito tratamento. Enquanto à saúde pública, embora reconhecidamente presente e atuante, vide o maravilhoso trabalho na pandemia do Covid-19 – nadando contra a corrente do poder central, essa não consegue nos atender nessa saúde comprometida com a prevenção.

Mas o assunto aqui é sim dos livros e da cultura também, e nessa janela entra a capacidade física e mental de se poder ler, de se poder enxergar e manter a concentração. E a maturidade nos rouba um pouco, às vezes muito, da visão e do foco. Tivéssemos óculos gratuitos e uma economia que permitisse a maturidade comprar mais livros, tivéssemos programas universais e permanentes em todas as escolas públicas de erradicação do analfabetismo, de promoção da leitura em todas as idades, a leitura no Brasil, seus índices, seria outra.

E isso serve de recado para a campanha presidencial que se encerra breve e definirá os rumos pelos próximos e longos anos. A escolha correta de quem opta pela cultura e pela liberdade, pela democracia e respeito a todas as idades, pela saúde pública e pela educação gratuita e universal, por verbas para a educação superior e suas imprescindíveis pesquisas, e, no nosso caso, pelo indispensável incentivo à educação através de compras de livros e da reaproximação dos autores das escolas, do incentivo à bibliodiversidade, às feiras do livro e a pressão pública nos preços dos insumos do livro, tudo isso e principalmente a recuperação do Ministério da Cultura com verbas e infraestrutura robusta, seria, e é, o essencial para o compromisso com o amanhã.

Votemos conscientes e pela democracia, por menos remédios e mais saúde em qualquer idade.

Paulo Tedesco é escritor, editor e consultor em projetos editoriais. Desenvolveu o primeiro curso em EAD de Processos Editorais na PUCRS. Coordena o www.editoraconsultoreditorial.com (livraria, editora e cursos). É autor, entre outros, do Livros Um Guia para Autores pelo Consultor Editorial, prêmio AGES2015, categoria especial. Pode ser acompanhado pelo Facebook, Twitter, Instagram e LinkedIn.

** Os textos trazidos nessa coluna não refletem, necessariamente, a opinião do PublishNews.

Publicidade

A Alta Novel é um selo novo que transita entre vários segmentos e busca unir diferentes gêneros com publicações que inspirem leitores de diferentes idades, mostrando um compromisso com qualidade e diversidade. Conheça nossos livros clicando aqui!

Leia também
Tivemos o prazer de ler um livro carnavalizado e carnavalizando! E há quem diga que a literatura nacional naufragou...
Paulo Tedesco escreve sobre a valorização do trabalho manual versus o trabalho intelectual e criativo
Em novo artigo, Paulo Tedesco lembra que 'nunca é tarde para reagir' e que ainda há muito a ser feito em 2024
As distantes galáxias separadas da Terra pelo vácuo parecem muito com as críticas, por exemplo, sobre o preço do livro
Em novo artigo, Paulo Tedesco faz um paralelo entre homens e livros e a sociedade como uma grande biblioteca e sobre como ela merece ser lida com maior profundidade e nas entrelinhas
Publicidade

Mais de 13 mil pessoas recebem todos os dias a newsletter do PublishNews em suas caixas postais. Desta forma, elas estão sempre atualizadas com as últimas notícias do mercado editorial. Disparamos o informativo sempre antes do meio-dia e, graças ao nosso trabalho de edição e curadoria, você não precisa mais do que 10 minutos para ficar por dentro das novidades. E o melhor: É gratuito! Não perca tempo, clique aqui e assine agora mesmo a newsletter do PublishNews.

Outras colunas
Todas as sextas-feiras você confere uma tira dos passarinhos Hector e Afonso
As ruas foram tomadas por um público leitor majoritariamente jovem que me deu esperança de um futuro urgente
Publicado pela Giostri, 'Brancos não sabem pedalar', de Vanderson Castilho Munhoz, se passa em 2035, em um Brasil governador por um ditador que apoia o domínio no futebol brasileiro do Clube de Regatas Flamengo
Obra escrita por Paula Carminatti faz parte da duologia 'Ária de Yu'
Escrita por Juily Manghirmalani, 'Vivências asiático-brasileiras: raça, identidade e gênero' aborda questões como identidade cultural, autorreconhecimento, conflitos geracionais e construção de mitos sobre os povos asiáticos
Você não conta uma história apenas para si mesma. Sempre existe alguma outra pessoa. Mesmo quando não há ninguém.
Margaret Atwood
Escritora canadense
Publicidade

Você está buscando um emprego no mercado editorial? O PublishNews oferece um banco de vagas abertas em diversas empresas da cadeia do livro. E se você quiser anunciar uma vaga em sua empresa, entre em contato.

Procurar

Precisando de um capista, de um diagramador ou de uma gráfica? Ou de um conversor de e-books? Seja o que for, você poderá encontrar no nosso Guia de Fornecedores. E para anunciar sua empresa, entre em contato.

Procurar

O PublishNews nasceu como uma newsletter. E esta continua sendo nossa principal ferramenta de comunicação. Quer receber diariamente todas as notícias do mundo do livro resumidas em um parágrafo?

Assinar