Publicidade
Publicidade
Você não está à disposição
PublishNews, 20/04/2011
Trabalho em casa, não sou “dono de casa”

Citei este assunto (e muitos outros) na minha primeira coluna e agora volto a ele com mais calma, pois é uma das dificuldades de se trabalhar em casa. Por você estar o dia todo lá, as pessoas terão sempre a tendência de achar que está o tempo todo a disposição para resolver as mais variadas coisas.

Meu texto hoje é muito mais para o seu marido (esposa), namorado (a), pai, mãe, irmãos ou qualquer um que peça para um freela resolver coisas pessoais bem no fim daquele seu prazo apertado. Se conhecer alguém que se encaixe nesse perfil, não deixe de mandar este texto como quem não quer nada.

Ir ao banco? Claro. Reforma em casa? Tudo bem, você está lá mesmo e pode cuidar. Ir ao mercado? Beleza, é só uma saída rápida aqui pertinho. Contar coisas e mais coisas? Quem é freela já ouviu essas e muitas outras frases parecidas e vai dizer que não pode pra ver a cara feia e as reclamações que virão pela frente.

Tenho um amigo que teve um problema com a geladeira de casa (simplesmente pegou fogo) e precisava sair para comprar uma. Queria fazer isso à noite, mas como estava em casa acabou convencido a ir à tarde mesmo e depois teve que ficar até as quatro da manhã terminando um trabalho com prazo apertado.

É claro que uma vez ou outra você pode e deve ajudar. Ou em emergências. Mas desde que seja mesmo necessário e que isso não vá atrapalhar seu prazo. Esse tipo de coisa não pode virar rotina senão você poderá começar a ter problemas com seus prazos, que é a primeira regra do freela e vou repetir mais uma vez: PRAZO É SAGRADO.

Minha sugestão é que se tenha uma conversa séria sobre isso, explicando que o seu trabalho é igual a outro qualquer, com prazos e responsabilidades, e que eventualmente pode resolver alguns problemas, mas isso não pode ser a regra. Outras coisas que podem ajudar também são ter um horário mais ou menos fixo de trabalho e um lugar na casa onde você possa ficar mais isolado.

Não se distrair o tempo todo também faz parte da disciplina necessária para se trabalhar em casa e não basta que apenas você seja disciplinado, as pessoas com quem convive também precisam entender e ajudar (ou pelo menos não atrapalhar).

Paro por aqui porque agora preciso ir levar minha mulher ao metro...

Cassius Medauar (@cassiusmedauar) é formado em Jornalismo pela Cásper Líbero e está no mercado editorial há vinte anos, tendo trabalhado como editor (Conrad, Pixel/Ediouro e JBC), tradutor e jornalista freelancer. Fanático por quadrinhos, cultura pop em geral e esportes, traduziu coisas como Beber, Jogar e F@#er, O vendedor de armas, a série Dexter, as biografias de Michael J. Fox, Tim Burton e Lily Allen, Cicatrizes (HQ), entre outros. Nos sete anos como Gerente de Conteúdo da Editora JBC, foi responsável pela mudança de qualidade da linha de mangás e HQs da editora e a implantação de seu modelo digital (publicações em e-book e mídias sociais). Sua coluna aborda especialmente o mercado de quadrinhos e geek, mas digital, trabalho freelancer, surfe e futebol podem marcar presença.

Publicidade

BR75

A BR75 desenvolve soluções personalizadas de criação e edição de texto, design gráfico para publicações impressas e em outras mídias e coordena sua produção editorial. Cuidamos de todas as etapas, conforme as necessidades e características de seu projeto, e sua empresa ganha em eficiência e qualidade. Quer saber mais? Fale com a gente ou agende uma visita!

Leia também
Em sua coluna, Cassius fala sobre os conteúdos digitais ligados ao mercado do livro e como eles podem ajudar a atrair mais leitores e divulgar novos produtos
Em sua coluna, Cassius Medauar dá início a uma nova série de artigos nos quais vai esmiuçar o universo das HQs digitais
Em sua coluna, Cassius Medauar fala sobre a importância de se estreitar os laços entre o mercado livreiro e de HQs
Em sua coluna, Cassius fala sobre a importância da presença dos quadrinhos no Prêmio Jabuti e na Comic Con Experience
Nosso colunista Cassius Medauar esteve na exposição 'Quadrinhos', no MIS-SP, e conta o que viu por lá
Publicidade

Mais de 13 mil pessoas recebem todos os dias a newsletter do PublishNews em suas caixas postais. Desta forma, elas estão sempre atualizadas com as últimas notícias do mercado editorial. Disparamos o informativo sempre antes do meio-dia e, graças ao nosso trabalho de edição e curadoria, você não precisa mais do que 10 minutos para ficar por dentro das novidades. E o melhor: É gratuito! Não perca tempo, clique aqui e assine agora mesmo a newsletter do PublishNews.

Outras colunas
A PublishNewsTV dessa semana conversou com Hendenson Fürst, ​editor jurídico, advogado, presidente da Comissão Especial de Bioética/OAB, professor e pesquisador universitário
Em sua crônica desse mês, Marcio Coelho faz analogias entre o construtor de um edifício e um editor de livros
O Podcast do PublishNews recebeu a drag queen dona do canal Tempero Drag, para falar sobre seu novo livro e de outros temas atuais e relevantes
Carlo Carrenho seleciona o melhor da programação da maior feira de livros do mundo
Toda semana você confere uma nova tira dos passarinhos Hector e Afonso
Quando a pele arrepia, pode ter certeza que aquilo é poesia, é um poema bem feito.
Francisco Alvim
Escritor brasileiro
Publicidade
Publicidade

Você está buscando um emprego no mercado editorial? O PublishNews oferece um banco de vagas abertas em diversas empresas da cadeia do livro. E se você quiser anunciar uma vaga em sua empresa, entre em contato.

Procurar

Precisando de um capista, de um diagramador ou de uma gráfica? Ou de um conversor de e-books? Seja o que for, você poderá encontrar no nosso Guia de Fornecedores. E para anunciar sua empresa, entre em contato.

Procurar

O PublishNews nasceu como uma newsletter. E esta continua sendo nossa principal ferramenta de comunicação. Quer receber diariamente todas as notícias do mundo do livro resumidas em um parágrafo?

Assinar