Publicidade
Publicidade
A livraria de bairro e a covid-19
PublishNews, Gustavo Martins de Almeida, 06/10/2020
Em sua coluna, Gustavo Martins fala sobre a importância das livrarias de bairro

Mais do que nunca, no séc. XXI os movimentos dos grupos sociais passam a ser mais rápidos: é a aceleração vertiginosa do tempo histórico. Os modismos surgem e desaparecem rapidamente: cupcakes, livros de colorir, lives. O home office aumentou o número de empresas de entrega e esvaziou restaurantes, abarrotou os correios com encomendas - inclusive de livros.

Mas, aos poucos, as livrarias do bairro vão desabrochando, aqui e ali. Como atrair um público específico? Marcus Gasparian, da Livraria Argumento, entrega pessoalmente os livros que vende. Martha Ribas e Rui Campos (Janela e Travessa) adoraram a ideia que dei (copiada da Bertrand de Lisboa) de carimbar no frontispício do exemplar, se o cliente quiser, “Este livro foi comprado na Livraria...”.

Passeando em Paris uma fachada me chama a atenção. Chegando mais perto, o cartaz anuncia “Para manter as características comerciais culturais do bairro e por determinação da Prefeitura essa loja está destinada a locação com a finalidade de estabelecimento de uma livraria” (tradução livre do teor).

Livrarias Cultura e Saraiva, lamentavelmente, em recuperação judicial com grave risco de falência. O estoque não pode ficar parado e cria um impasse, pois sem vendas não há faturamento.

Já se discutiu no Brasil a determinação de preço mínimo para os livros - preço que vigoraria por um ano para evitar concorrência predatória de descontos abusivos.

Mas volto à livraria do bairro. O ponto de encontro, de conversa, o prazer de olhar novidades, de descobrir a obra que faltava para fechar o conceito de um trabalho ou para arrematar o raciocínio ousado, que demandava argumento original.

A lei de direito autoral fala basicamente da relação autor-editora. Praticamente nada fala da ponta do comércio, que, no século XX, no Brasil, se limitava a livrarias esparsas, focadas no faro aguçado de seus donos. Hoje as livrarias formam relevantíssima barragem, que acumula oceano de informações dos clientes (faca de dois gumes pela vigência da LGPD) tem poder de fogo para negociar descontos e diversificar seu comércio.

Mais tempo em casa, mais tempo para leitura. Se não dá para concorrer com as séries de televisão, as editoras podem aproveitar o embalo e publicar livros temáticos correlatos.

A ideia de se instalar estante de livros no programa Big Brother, e estabelecer prêmios com base em respostas a gincanas literárias fica para depois da aplicação da vacina.

Quem sabe um carioca descobre a cura e pinga a fórmula no Rio Guandu e demais rios da cidade para imunizar a população.

Até lá, folheio meu livro na estante, tomo um café e vou suportando a Covid, que ao menos permite maior interação familiar.

Gustavo Martins de Almeida é carioca, advogado e professor. Tem mestrado em Direito pela UGF. Atua na área cível e de direito autoral. É também advogado do Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL) e conselheiro do MAM-RIO. Em sua coluna, Gustavo Martins de Almeida aborda os reflexos jurídicos das novas formas e hábitos de transmissão de informações e de conhecimento. De forma coloquial, pretende esclarecer o mercado editorial acerca dos direitos que o afetam e expor a repercussão decorrente das sucessivas e relevantes inovações tecnológicas e de comportamento. Seu e-mail é gmapublish@gmail.com.

** Os textos trazidos nessa coluna não refletem, necessariamente, a opinião do PublishNews.

Publicidade

BR75

A BR75 desenvolve soluções personalizadas de criação e edição de texto, design gráfico para publicações impressas e em outras mídias e coordena sua produção editorial. Cuidamos de todas as etapas, conforme as necessidades e características de seu projeto, e sua empresa ganha em eficiência e qualidade. Quer saber mais? Fale com a gente ou agende uma visita!

Leia também
A partir da canção de Gilberto Gil que dá título (reduzido um século) a este artigo Gustavo Martins de Almeida correlaciona o tempo e as novas tecnologias: do NFT ao metaverso e à inteligência artificial
Em sua coluna, Gustavo Martins de Almeida faz um resgaste histórico da importante data
Em sua coluna, Gustavo Martins de Almeida discorre sobre o surgimento de novas tecnologias no mercado editorial e as preocupações que as envolvem
Em sua coluna, Gustavo Martins de Almeida analisa, sob a ótica do Direito, os contratos de edição de audiolivros e faz perguntas como O livro pode ser narrado com qualquer voz? Como é o contrato do narrador com a editora?
Gustavo Martins de Almeida acordou numa segunda-feira passada e resolveu passar os olhos pelo caderno de leilões do jornal. O resultado é uma crônica daquelas boas de ler.
Publicidade

Mais de 13 mil pessoas recebem todos os dias a newsletter do PublishNews em suas caixas postais. Desta forma, elas estão sempre atualizadas com as últimas notícias do mercado editorial. Disparamos o informativo sempre antes do meio-dia e, graças ao nosso trabalho de edição e curadoria, você não precisa mais do que 10 minutos para ficar por dentro das novidades. E o melhor: É gratuito! Não perca tempo, clique aqui e assine agora mesmo a newsletter do PublishNews.

Outras colunas
Expandindo o debate do episódio 184, podcast do PublishNews aborda agora a relação entre os clubes de leitura e as livrarias independentes
Todas as sextas-feiras você confere uma tira dos passarinhos Hector e Afonso
Em sua coluna, Suzana Vargas relata o seu primeiro encontro com Manoel de Barros e a amizade que teve com o poeta
Podcast do PublishNews conversou com Dianne Melo, coordenadora de Engajamento Social e Leitura do Itaú Social que contou todas as especificações dessa edição do projeto. Inscrições estão abertas até 29/10.
Todas as sextas-feiras você confere uma tira dos passarinhos Hector e Afonso
O que a nossa população precisa é de educação para fazer suas próprias escolhas. Essa é a bandeira da Bienal.
Marcos da Veiga Pereira
Presidente do SNEL
Publicidade
Publicidade

Você está buscando um emprego no mercado editorial? O PublishNews oferece um banco de vagas abertas em diversas empresas da cadeia do livro. E se você quiser anunciar uma vaga em sua empresa, entre em contato.

Procurar

Precisando de um capista, de um diagramador ou de uma gráfica? Ou de um conversor de e-books? Seja o que for, você poderá encontrar no nosso Guia de Fornecedores. E para anunciar sua empresa, entre em contato.

Procurar

O PublishNews nasceu como uma newsletter. E esta continua sendo nossa principal ferramenta de comunicação. Quer receber diariamente todas as notícias do mundo do livro resumidas em um parágrafo?

Assinar