Publicidade
Publicidade
É preciso ouvir!
PublishNews, André Palme, 07/12/2021
André Palme, country maganer da Storytel no Brasil, retoma sua coluna no PN se perguntando: 'por que tem se falado tanto de áudio, conteúdos em áudio e audiobooks nos últimos anos na indústria editorial e cultural?'

Acho que a frase que usei no título deste artigo pode ser colocada em tantos contextos hoje em dia...na vida pessoal, no coletivo, na sociedade...mas ela aqui tem como objetivo chamar atenção para um formato de conteúdo que tem ganhado cada vez mais espaço no mercado e também na rotina de todo mundo: o áudio.

E como estamos falando de áudio, essa coluna pode ser lida ou ouvida. Se você preferir ouvir é só dar o play aqui.

Quero recomeçar essa coluna antes de mais nada dizendo sobre o que ela se propõe a ser: um espaço para falar sobre áudio, sobre histórias para ouvir, sobre audiobooks, podcasts, audiodramas e tudo o mais que faça parte do mundo do entretenimento em áudio.

Então a gente precisa rapidamente lembrar que o áudio - ou a voz - como forma de transmissão de conhecimento não tem nada de novo. A voz foi a primeira forma de transmitir conhecimento, pelos anciões que atuavam como guardiões da cultura dos povos; povos estes que por sua vez ouviam, guardavam isso na memória - talvez o maior patrimônio cultural da época - e recontavam para outros grupos...isso muito antes dos primeiros livros, por volta de 3.000 a.C.

Muito tempo depois o rádio surgiu. O primeiro aparelho doméstico de entretenimento e comunicação em massa. No Brasil, a primeira transmissão ocorreu em 1923, por Edgard Roquete Pinto e Henry Morize e a partir de 1927 começou a era de ouro do rádio, com as radionovelas. Estas histórias dramatizadas, encenadas e com uma parafernália de efeitos sonoros e trilhas musicais foram um sucesso gigantesco, até o surgimento das primeiras telenovelas na década de 1960. Se você nunca ouviu uma radionovela, vale aqui ouvir um trecho:

Aqui um outro vídeo que mostra os bastidores da gravação de uma radionovela:

Para falar mais um pouco do rádio, segundo o Inside Radio 2021, da Kantar IBOPE Media, 80% da população brasileira ouve rádio e, três a cada cinco ouvintes consome rádio todos os dias. Um veículo extremamente resiliente mesmo competindo muitas vezes com a TV e a internet.

Já o audiobook também não é nenhum bebê. O formato de um livro narrado surgiu comercialmente nos EUA na década de 1970 em mídias como o K7 e o CD. Diferente da radionovela, que é dividida em episódios, tem várias vozes, efeitos sonoros e trilha, o audiobook surgiu como uma versão narrada de um livro, com uma única voz, um único conteúdo (não seriado) e com poucos efeitos sonoros na maioria das vezes.

Mas se então não estamos falando de nada novo, por que tem se falado tanto de áudio, conteúdos em áudio e audiobooks nos últimos anos na indústria editorial e cultural?

Porque duas coisas mudaram fundamentalmente: a capacidade de distribuição e de consumo.

Explico: se antes as histórias em áudio eram disseminadas via rádio ou mais recentemente em mídias físicas que tinha que ser carregadas pra lá e pra cá, hoje você tem milhares de conteúdos em um app, no celular que você usa todos os dias, o que significa uma capacidade de distribuição imediata, ininterrupta e global. Ao mesmo tempo, se antes o consumo era complicado (imagine começar a ouvir o CD no carro e ter que continuar em casa, achando o trecho onde você parou), hoje você pode consumir com fones de ouvido sem fio, pausando onde quiser, retomando do mesmo ponto e com a praticidade com que manda mensagem pra alguém.

Alguns dados rápidos sobre esta indústria que só cresce:

  • 30% dos usuários de internet no Brasil consomem áudio
  • Brasil é o maior consumidor de podcasts segundo o Spotify
  • Brasil já é o maior mercado de consumo de streaming
  • 4 dos 5 maiores faturamentos de app vem do streaming
  • +13 apps só de áudio (sem considerar música)

Então é sobre esse novo universo do áudio que vamos tratar aqui!

Vamos falar sobre assuntos como:

  • modelos de negócio: as assinaturas, os apps, a criação de conteúdos direto para o áudio, a adaptação de histórias para serem narradas;
  • formatos: audiobooks, séries em áudio (no mesmo modelo das séries audiovisuais), audiodramas (uma derivação das radionovelas) e podcasts (o fenômeno do mundo do audiotainment);
  • o áudio como profissão: quais são hoje as oportunidades para os profissionais do mercado editorial neste formato?! Editores, narradores, revisores, profissionais de marketing e comunicação.

A ideia dessa coluna é trazer o que já está sendo feito, o que ainda pode amadurecer e começar conversas sobre tudo relacionado ao mundo do áudio. Mostrar que o áudio é entretenimento, informação e também, cada vez mais, profissão!

Até a próxima!

Palme é um executivo da cultura e do entretenimento com +10 anos de experiência na liderança de projetos que envolvem conteúdos multi formatos, tecnologia e streaming; além de empreendedor, professor, mentor e colunista. Nos últimos anos liderou projetos que somam mais de 10 mil horas de conteúdo em áudio, entre audiobooks, podcasts e audioseries.

Atualmente é CMCO (Chief Marketing & Content Officer) no Skeelo e atua também como empreendedor, consultor, professor e podcaster, além de colunista e palestrante.

** Os textos trazidos nessa coluna não refletem, necessariamente, a opinião do PublishNews

Publicidade

A Alta Novel é um selo novo que transita entre vários segmentos e busca unir diferentes gêneros com publicações que inspirem leitores de diferentes idades, mostrando um compromisso com qualidade e diversidade. Conheça nossos livros clicando aqui!

Leia também
É importante adotar sempre uma postura de estar em cena e não ficar só como alguém na plateia vendo a banda passar, parafraseando o Chico
Em novo artigo, André Palme fala sobre o poder e a importância da comunidade e como ter pessoas engajadas com seu conteúdo pode fazer a diferença
Em novo artigo, Palme explica que o acesso global não significa automaticamente consumo global e que é preciso mais do que isso para que um conteúdo faça sucesso em diversos lugares do mundo
Em novo artigo, Palme lembra que o digital não exclui o físico e que o melhor cenário, no fim das contas, é a combinação de ambos
Em novo artigo, André Palme fala sobre as desvantagens que enxerga na nomeação de conteúdos em áudio de maneira tão rígida e das divisões que acabam sendo criadas entre audiolivros e podcasts
Publicidade

Mais de 13 mil pessoas recebem todos os dias a newsletter do PublishNews em suas caixas postais. Desta forma, elas estão sempre atualizadas com as últimas notícias do mercado editorial. Disparamos o informativo sempre antes do meio-dia e, graças ao nosso trabalho de edição e curadoria, você não precisa mais do que 10 minutos para ficar por dentro das novidades. E o melhor: É gratuito! Não perca tempo, clique aqui e assine agora mesmo a newsletter do PublishNews.

Outras colunas
Editoras dos selos Verus e Harlequin conversaram sobre as mudanças nas editoras, as características dos gêneros literários, sobre a negociação com os autores e autoras e outros assuntos
Todas as sextas-feiras você confere uma tira dos passarinhos Hector e Afonso
Tivemos o prazer de ler um livro carnavalizado e carnavalizando! E há quem diga que a literatura nacional naufragou...
Seção publieditorial do PublishNews traz lançamentos da Editora Vista Chinesa, Uiclap e um livro independente
Escrito por Marina Hadlich, 'Até essa comédia se tornar romântica' é uma história divertida e com uma personagem que ultrapassa as páginas e conversa diretamente com o leitor
Talvez mulheres sejam mais confessionais na escrita porque somos assim na vida real.
Martha Medeiros
Escritora brasileira
Publicidade

Você está buscando um emprego no mercado editorial? O PublishNews oferece um banco de vagas abertas em diversas empresas da cadeia do livro. E se você quiser anunciar uma vaga em sua empresa, entre em contato.

Procurar

Precisando de um capista, de um diagramador ou de uma gráfica? Ou de um conversor de e-books? Seja o que for, você poderá encontrar no nosso Guia de Fornecedores. E para anunciar sua empresa, entre em contato.

Procurar

O PublishNews nasceu como uma newsletter. E esta continua sendo nossa principal ferramenta de comunicação. Quer receber diariamente todas as notícias do mundo do livro resumidas em um parágrafo?

Assinar