Vida além da Cultura: Kobo avalia expansão dos negócios no Brasil
PublishNews, Redação, 17/12/2018
Camila Cabete, gerente de relacionamento da Kobo no Brasil, fala no Podcast do PN como fica a plataforma de venda e leitura de e-books diante do cenário de incertezas da sua principal parceira no país

A Kobo, primeira plataforma internacional de venda e leitura de e-books a aportar oficialmente no Brasil, é parceira da Livraria Cultura desde o seu primeiro dia de operação. Como fica essa relação agora com a Cultura em recuperação judicial, com o futuro incerto? Para falar sobre isso, Camila Cabete, responsável pelas relações da Kobo com editores no Brasil, foi a convidada do Podcast do PublishNews dessa semana. Ela lembrou que a Cultura foi parceira exclusiva da Kobo só no primeiro ano de operação da plataforma no Brasil, mas, que, apesar disso, são parceiras “na saúde e na doença” e, portanto, estão fazendo que for possível para apoiar a rede a sair dessa crise. “A Kobo é uma empresa separada da Livraria Cultura. As vendas de e-books na Livraria Cultura são ‘powered by Kobo’, então, a gente tem uma integração com o site da Livraria Cultura e ela é conectada ao nosso sistema. Durante toda essa crise de falta de pagamento e tudo mais, a Kobo não sentiu. Estamos pagando normalmente os editores. A nossa vida continua. Quem tem contrato com a Kobo não ficou esperando pagamento atrasado. A gente faz a loja da Cultura, mas somos [acima disso] a Kobo Livros do Brasil”, disse no programa.

Camila falou ainda sobre a expansão dos negócios da empresa no País: “A gente cresceu menos do que esperava por conta da crise e por conta da Copa do Mundo. Mas nada disso foi crítico porque a gente tem uma estrutura muito enxuta no Brasil. A gente não está num desespero. Estamos vendo como podemos expandir nossos negócios no Brasil. É um momento de crise, mas é um momento muitas expectativas e oportunidades”, completou. Perguntada se essa expansão poderia se dar por meio de novas parcerias, Camila fez mistério, mas disse que talvez sim. “A gente tem mil coisas que a gente pode fazer”, disse.

Camila deixou escapar que a Kobo deve aportar em breve no Brasil com a sua loja de audiobooks. A plataforma já está em operação no Canadá, EUA, Holanda e Inglaterra. Seria mais uma plataforma internacional a engrossar o mercado de audiolivros no país, depois de Google e Storytel (sem contar na Audible, da Amazon, que ensaia a sua chegada já há bastante tempo).

No programa, Camila, que também é colunista do PublishNews deu seus pitacos sobre o andamento do livro digital no Brasil e de como imagina o futuro da profissão Editor. Ela participou ainda do giro de notícias ao lado da nossa equipe.

[17/12/2018 11:00:00]