Publicidade
Publicidade
Impressão por demanda: já passou da hora
PublishNews, Carlo Carrenho, 28/03/2017
Resultado de uma parceria entre a distribuidora BookPartners e a gráfica Docuprint, a OnDBooks já opera impressão um a um no Brasil

Estoque da BookPartners por onde já passam livros impressos em POD | © Chico Audi / Divulgação
Estoque da BookPartners por onde já passam livros impressos em POD | © Chico Audi / Divulgação

Quem me conhece sabe da minha paixão por Print On Demand (POD), também conhecida em terras lusotupiniquins por impressão por demanda. Desde que me envolvi com POD, ao gerenciar a Singular Digital em 2011, tenho acompanhado de perto este nicho muito particular da impressão de livros. A Singular Digital, aliás, era um belo projeto que não vingou não pela falta de mercado e demanda, mas talvez pelo mesmo motivo que outras tentativas de impressão por demanda no Brasil falharam: é preciso um longo período de aprendizado e de investimentos para se chegar a um processo minimamente ótimo e lucrativo de impressão um a um.

(Ah! E já ia me esquecendo... quando digo POD, estou falando de impressão comercialmente viável de um único exemplar, feita após a compra em alguma livraria virtual por um cliente final. Tiragens digitais menores, de 10 a 50 cópias, por exemplo, eu chamo de baixa tiragem).

Mas, voltando, quem já teve a oportunidade de visitar uma das gráficas da Lightning Source, empresa da megadistribuidora norte-americana Ingram, tem noção do desafio de engenharia de produção que é uma linha de impressão de livros um a um. Na planta do Tennessee, há mais de dez rotativas digitais cuspindo livros diferentes e padronizados apenas pelo papel e formato. Se isso não é complicado o suficiente, lembre-se que a Lightning Source atende os pedidos dos grandes varejistas, como Amazon e outros, e muitas vezes um mesmo pedido possui livros de linhas diferentes que têm de ser juntados no mesmo pacote no final. E vamos complicar mais? Imagine que um desses livros seja refugado e ele tenha que voltar para o início da produção. Não é à toa que a Ingram, que foi quem praticamente inovou e desenvolveu o modelo de POD de livros, demorou muitos anos para otimizar sua produção e ficar ficar no azul.

Ou seja, POD exige investimento e tempo para que a curva de aprendizado aconteça. Certa vez, conversei com um executivo da Repro, maior gráfica da Índia e parceira da Ingram. Perguntei quantos livros eles tinham que imprimir para entregar apenas um no início da produção em POD. “Trinta”, ele me respondeu. Perguntei então quanto tempo demorou para se imprimir certo um exemplar na primeira tentativa. “Um pouco mais de um ano”, ele disse.

Desenvolver uma solução de POD, portanto, é um grande desafio. E talvez por isso este modelo me atrai. Tanto que fiquei muito feliz quando a BookPartners me chamou para participar como consultor de seu projeto de impressão por demanda, a OnDBooks. Eu sempre admirei o trabalho da BookPartners como uma das melhores distribuidoras do Brasil, e agora mais ao decidirem entrar no negócio de impressão um a um. Como o POD é um negócio de distribuição de livros, e não de gráfica, só o fato de um distribuidor estar por trás já me animou. Depois, fui conhecer a Docuprint, a gráfica digital parceria da BookPartners que grande presença na América Latina e experiência em impressão de segurança. Aí ficou melhor ainda. E explico: do ponto de vista gráfico, eu sempre desconfiei que era mais fácil ensinar uma gráfica de impressão variável (cheques, contas, passaportes etc.) a imprimir livros do que ensinar uma gráfica offset de livros a imprimir um a um.

Ainda um tanto cético, assim que comecei meu trabalho, entrei no site da Cia dos Livros, portal de e-commerce da BookPartners, e comprei um exemplar de um livro impresso por demanda. Alguns dias depois, ele chegou em casa. E isto era um momento histórico, pois eu havia comprado um livro em uma livraria virtual, gerando um pedido de impressão, que foi atendido pela gráfica, e depois o livro chegou até mim. Claro que ainda falta muito para se chegar ao que Ingram faz, muito mesmo. Mas o fato é que o básico estava funcionando. Já havia o chassi para montar o carro de corrida em cima.

Desde o início do ano, a OnDBooks vem crescendo sua equipe e fazendo o trabalho de formiguinha de buscar conteúdo. Ao mesmo tempo, a Docuprint vem planejando sua expansão para receber em breve novas máquinas de impressão digital e encadernação. Já há até algumas histórias de sucesso, como uma editora de porte médio que colocou seus livros fora de catálogo na plataforma e vendeu mais de 200 exemplares em uma semana.

É apenas o início do projeto, e ainda há inúmeros acertos e desenvolvimentos a serem feitos, seja nos contratos, nos modelos de negócio, na precificação, na linha de produção, na logística ou na integração com varejistas. O catálogo também está em seu começo, mas a OnDBooks quer em pouco tempo vê-lo crescer rapidamente. De certa forma, ainda estamos em fase beta, mas é a primeira vez que vejo um projeto de POD no Brasil com tanta chance de dar certo, seja pelo timing, pela demanda ou pela capacidade da Bookpartners e da Docuprint, cada uma em sua área de expertise.

E termino com um convite: não deixe de experimentar a OnDBooks e aproveitar para ressuscitar seu catálogo ou mesmo criar produtos novos que aproveitem os recursos da impressão variável.

Carlo Carrenho é o fundador do PublishNews. Formado em Economia pela FEA-USP, especializou-se em Edição de Livros e Revistas no Radcliffe Publishing Course, em Cambridge (EUA). Atualmente é advisor da Ubook, Meta Brasil e da BR75. Como especialista no mercado de livros, já foi convidado para dar palestras e participar de mesas em países como EUA, Alemanha, China, África do Sul, Inglaterra e Emirados Árabes, entre outros.

É co-coordenador do curso MBA Book Publishing, da Casa Educação em São Paulo, depois de coordenar por diversos anos o curso de pós-graduação da FGV-RJ sobre o negócio do livro. Sempre atento aos novos modelos de negócio e às mudanças tecnológicas, Carlo possui um de seus focos na questão dos livros digitais e segue com afinco o que acontece no setor digital no Brasil, tanto que é autor do capítulo brasileiro do livro Global eBook: a report on market trends and developments.

Carlo é paulista, morou no Rio, e atualmente vive em Estocolmo. É cristão, mas estudou em escola judaica. É brasileiro, mas ama a Suécia. Enfim, sua vida tende à contradição. Talvez por isso ele torça para o Flamengo e adore o seriado Blue Bloods.

Publicidade

BR75

A BR75 desenvolve soluções personalizadas de criação e edição de texto, design gráfico para publicações impressas e em outras mídias e coordena sua produção editorial. Cuidamos de todas as etapas, conforme as necessidades e características de seu projeto, e sua empresa ganha em eficiência e qualidade. Quer saber mais? Fale com a gente ou agende uma visita!

Leia também
Carlo Carrenho compara a crise do mercado com o dia mais curto do ano na Suécia
Carlo Carrenho estreia no maior evento do livro da Escandinávia e relata o que sentiu
Carlo Carrenho faz três microanálises sobre a mais recente aquisição da rede de livrarias paulista
Carlo Carrenho defende que a liberdade de se publicar tranquilamente livros contra a legalização do aborto ou de Marx para crianças continue existindo no Brasil
Carlo Carrenho analisa os dois maiores mercados editoriais da América do Sul
Publicidade

Mais de 13 mil pessoas recebem todos os dias a newsletter do PublishNews em suas caixas postais. Desta forma, elas estão sempre atualizadas com as últimas notícias do mercado editorial. Disparamos o informativo sempre antes do meio-dia e, graças ao nosso trabalho de edição e curadoria, você não precisa mais do que 10 minutos para ficar por dentro das novidades. E o melhor: É gratuito! Não perca tempo, clique aqui e assine agora mesmo a newsletter do PublishNews.

Outras colunas
Toda semana você confere uma nova tira dos passarinhos Hector e Afonso
Em nova crônica, Luciana Pinsky conta a história de uma mulher que vivia atrasada até que esbarrou num ciclista em pleno trânsito de SP
Toda semana você confere uma nova tira dos passarinhos Hector e Afonso
A partir de Monteiro Lobato que, além de escritor, era um empreendedor do livro, Marcio Coelho faz, em sua coluna, uma reflexão sobre a gestão dos pontos de vendas de livros no país
Toda semana você confere uma tira dos passarinhos Hector e Afonso
Não se aprende a escrever sem ler. Não conheço nenhum bom autor que não seja um leitor voraz.
Fernando Morais
Escritor brasileiro
Publicidade
Publicidade

Você está buscando um emprego no mercado editorial? O PublishNews oferece um banco de vagas abertas em diversas empresas da cadeia do livro. E se você quiser anunciar uma vaga em sua empresa, entre em contato.

Procurar

Precisando de um capista, de um diagramador ou de uma gráfica? Ou de um conversor de e-books? Seja o que for, você poderá encontrar no nosso Guia de Fornecedores. E para anunciar sua empresa, entre em contato.

Procurar

O PublishNews nasceu como uma newsletter. E esta continua sendo nossa principal ferramenta de comunicação. Quer receber diariamente todas as notícias do mundo do livro resumidas em um parágrafo?

Assinar