Publicidade
Publicidade
Snack pra matar a fome!
PublishNews, André Palme, 17/08/2016
Colaborador do PN desde julho de 2015, André Palme assume coluna questionando: 'será que estamos querendo servir uma feijoada, quando um snack mataria a fome de leitura?'

Como você tem usado as 150 pausas de até dois minutos que você tem todos os dias? Será que nós, produtores de conteúdo, estamos aproveitando estas cinco horas diárias para atrair novos leitores no mundo digital? Será que estamos querendo servir uma feijoada, quando um snack mataria a fome de leitura?

Antes de começar a contar esta história, que uma coisa fique bem clara: o que vou falar aqui não é – pelos menos pra mim - a solução ou a única maneira de pensar livros ou conteúdos de leitura, mas sim – na minha visão, insisto – a maneira mais eficiente de conquistar e manter leitores no mundo digital, com conteúdos pensados para o consumo na tela, principalmente a do seu celular, que está com você o tempo todo.

Então vamos lá! Você, que usa um smartphone, pega ele pelo menos 150 vezes todos os dias. Em cada uma destas vezes, faz em média uma sessão de uso de até dois minutos, que pode ser pra mensagens, redes sociais, notícias e, se nós tivermos sorte, pra consumir leitura digital. Trocamos em média 10 mil mensagens todos os dias, a maioria em texto. Estas pequenas pausas são chamadas de micromomentos: aqueles pequenos intervalos que todos nós temos durante o dia, desde que a rotina deixou de ser algo linear. Porque o trabalho não é mais só no escritório e a vida acontece o tempo todo!

Nestes pequenos intervalos, na maioria das vezes, pra não ser tendencioso e dizer todas, a primeira coisa que vem à mão é o smartphone: sua tela mais acessível e seu acesso a conteúdo mais prático e rápido.

Ou seja, você tem muitas oportunidades por dia pra impactar um consumidor / leitor. Mas a concorrência é grande. Então, como fazer com que você tenha espaço dentro destes micromomentos, ou melhor, que conquiste alguns deles durante o dia? Porque, ok, você não precisa de todas as cinco horas diárias que eles somam!

A solução digital pra isso: as micronarrativas. Você precisa produzir um conteúdo que seja consumido e o mais importante: CONCLUÍDO nestes poucos minutos. Porque ler um livro digital de 400 páginas em pausas de poucos minutos não parece muito animador.

Claro, este conteúdo não precisa estar somente em texto, mas precisa ter três características essenciais:

1. ter começo, meio e fim em não mais do que dois minutos;

2. precisa ser de fácil acesso (um conteúdo que demore mais do que três clicks pra ser acessado já representa uma eternidade no mundo digital);

3. ser pensado para a tela (porque um texto diagramado em A4, em um PDF não responsivo vai demorar alguns dias pra ser lido).

Os conteúdos em vídeo têm se adaptado bem a este tipo de empacotamento. Sabemos por exemplo, que no Facebook se um vídeo não engajar a audiência nos primeiros 10 segundos, dificilmente será visto até o final; e que esse final não passe de três minutos.

Dito isto, o quanto sua estratégia digital tem levado em consideração o tempo com que seu potencial leitor gasta por sessão digital em frente à tela? Será que, entre uma sessão e outra de micromomentos que serão passados lendo, ele se lembrará do que leu anteriormente, se for em um capítulo de 20 páginas, de um livro que tem mais de 200?

Não é questão de entrar na discussão se este formato de leitura é boa ou ruim, ou como disse recentemente Robert Darnton: “a leitura está se tornando mais superficial com a disseminação do e-book? Bem, talvez sim, talvez não. Alguns dos argumentos não me convencem, sobretudo o que finge ser baseado em artigos científicos sobre como o cérebro funciona”. A oportunidade de expandir sua audiência e seus leitores está aí. O mundo digital mudou os hábitos de consumo pra sempre, gostemos ou não. Por que não aproveitar?

Ainda não está convencido! Ok, meu micromomento está acabando, mas aqui vão mais alguns números que podem te convencer de que vale a pena planejar o conteúdo que você vai colocar no digital:

  • 96% dos millenials (os jovens nascidos entre 1980-1999 e que hoje representam 30% da população brasileira) acessam conteúdo e informações online;
  • 80% do acesso à internet no Brasil é mobile;
  • 72% dos brasileiros tem o mundo digital como principal fonte de conteúdo;
  • 57% foi o aumento no consumo de conteúdos digitais entre maio de 2013 – maio 2016;
  • 10 vezes é o quanto cresceu o número de celulares no Brasil nos últimos 10 anos; eram 10 milhões em 2006, agora são mais de 100 milhões.

A questão não é mais estar dentro ou fora do mundo digital, até porque não existe fora. Tudo é integrado, tudo está aqui, o tempo todo, agora!

O mais importante é saber: você está oferecendo snacks todos os dias?

Palme é um executivo da cultura e do entretenimento com +10 anos de experiência na liderança de projetos que envolvem conteúdos multi formatos, tecnologia e streaming; além de empreendedor, professor, mentor e colunista. Nos últimos anos liderou projetos que somam mais de 10 mil horas de conteúdo em áudio, entre audiobooks, podcasts e audioseries.

Atualmente é CMCO (Chief Marketing & Content Officer) no Skeelo e atua também como empreendedor, consultor, professor e podcaster, além de colunista e palestrante.

** Os textos trazidos nessa coluna não refletem, necessariamente, a opinião do PublishNews

Publicidade

A Alta Novel é um selo novo que transita entre vários segmentos e busca unir diferentes gêneros com publicações que inspirem leitores de diferentes idades, mostrando um compromisso com qualidade e diversidade. Conheça nossos livros clicando aqui!

Leia também
A gente tem alguns bons exemplos do poder da comunidade e das interações e todos os aspectos sociais dentro do mundo do livro
É importante adotar sempre uma postura de estar em cena e não ficar só como alguém na plateia vendo a banda passar, parafraseando o Chico
Em novo artigo, André Palme fala sobre o poder e a importância da comunidade e como ter pessoas engajadas com seu conteúdo pode fazer a diferença
Em novo artigo, Palme explica que o acesso global não significa automaticamente consumo global e que é preciso mais do que isso para que um conteúdo faça sucesso em diversos lugares do mundo
Em novo artigo, Palme lembra que o digital não exclui o físico e que o melhor cenário, no fim das contas, é a combinação de ambos
Publicidade

Mais de 13 mil pessoas recebem todos os dias a newsletter do PublishNews em suas caixas postais. Desta forma, elas estão sempre atualizadas com as últimas notícias do mercado editorial. Disparamos o informativo sempre antes do meio-dia e, graças ao nosso trabalho de edição e curadoria, você não precisa mais do que 10 minutos para ficar por dentro das novidades. E o melhor: É gratuito! Não perca tempo, clique aqui e assine agora mesmo a newsletter do PublishNews.

Outras colunas
Todas as sextas-feiras você confere uma tira dos passarinhos Hector e Afonso
Obras publicadas pela Editora Asinha e pela Giostri Editora compõem a seção de autores independentes
'Trilogia cínica – rural' (Giostri Editora), de Ney Dieguez, traz histórias de ambições, traições, astúcias e dissimulações
Uma história reflexiva de uma menina sonhadora que nos convida a sentir e pensar de forma diferente, publicada pela Editora Asinha
Em sua coluna, Henrique Rodrigues apresenta sugestões de ações práticas contra o cerceamento à literatura
Os poetas são como pássaros: a menor coisa os faz cantar
François Chateaubriand
Escritor francês (1768-1848)
Publicidade

Você está buscando um emprego no mercado editorial? O PublishNews oferece um banco de vagas abertas em diversas empresas da cadeia do livro. E se você quiser anunciar uma vaga em sua empresa, entre em contato.

Procurar

Precisando de um capista, de um diagramador ou de uma gráfica? Ou de um conversor de e-books? Seja o que for, você poderá encontrar no nosso Guia de Fornecedores. E para anunciar sua empresa, entre em contato.

Procurar

O PublishNews nasceu como uma newsletter. E esta continua sendo nossa principal ferramenta de comunicação. Quer receber diariamente todas as notícias do mundo do livro resumidas em um parágrafo?

Assinar