Publicidade
Publicidade
A ameaça do self publishing
PublishNews, 10/03/2011
A ameaça do self publishing

Bom, começando a escrever carnavalescamente sobre self publishing, vamos começar didaticamente por definição:

Self Publishing é o ato de se autopublicar, como a própria tradução diz. Surgiu com força no aparecimento das lojas de e-books onde o autor, que não conseguia editora, passou a ter um canal de distribuição, por sua própria conta sem precisar da editora como intermediária. Alguns autores importantes, depois de anos de brigas com suas editoras, passaram a distribuir seus livros desta forma.

Mas a questão aqui, que pretendo discutir, é sobre o impacto que este sistema pode trazer para as editoras. Será que isso pode significar o fim das editoras? (escrevo isso dramaticamente à moda dos vários dramáticos que discutem “o fim do livro”) hahahahahaha (risada sinistra)

Existem várias plataformas que possibilitam a autopublicação: Smashwords, Perse, Singular Digital, Publit, Amazon e em breve a Gato Sabido estreará sua plataforma!

O sistema consiste em você enviar os arquivos de seu livro para serem comercializados com ou sem DRM (depende da plataforma) e em cima das vendas o autor ganha cerca de 70% do valor de capa. Olhando rapidamente este esquema, você chega a se perguntar se isso realmente não atrapalhará as editoras. Pois eu digo que não!

O Self Publishing só abrirá as portas para os autores que até hoje foram vistos como “não-comerciais” pelas editoras. O self publishing será uma grande vitrine onde as editoras “espertas e abertas” usarão como pesquisa de novos talentos. O self publishing não faz o marketing do livro do autor, não presta contas e controla as finanças, não distribui como uma editora faria, não produz a arte, não converte, não ajuda no metadado, não registra no ISBN, não cadastra nas livrarias públicas, não o inclui em prêmios literários, não o inclui em feiras de livros. Um livro publicado numa destas plataformas pode ser uma gota no oceano.

Se o autor tem tempo e vontade de estudar ao ponto de se gerenciar, e colocar o tempo de produção literária e criatividade nestas coisas burocráticas, ele deve ir em frente. Se está insatisfeito com suas editoras, deve experimentar. Mas acredito demais no trabalho editorial. E duvido que um autor de grande capacidade de produção literária queira perder tempo com metadados, arquivos, conversões, cobranças e outras chatices deste tipo, que nós editores já colocamos no processo diário... e já nem sentimos...

Portanto, mais uma vez vejo as coisas pelo prisma positivo, e só vejo a autopublicação como algo a somar no meu trabalho como editora, e também como livreira. Não consigo ver este conflito que alguns veem, não consigo ver o FIM de nada, na verdade. Será que estou sendo especialmente otimista e enxergando tudo com uma lente rosa?

Bom, embaso demais minhas opiniões com a minha experiência diária. Todos os pessimistas, que venho lendo não têm uma opinião embasada na experiência prática, e sim na ideológica... Muitos não consomem nada digital e não trabalham com isso. Vejo o fim sim, de coisas não adaptáveis, que se negam a fazer manobras de acordo com as mudanças mercadológicas. Mas não é o caso da maioria das empresas e profissionais brasileiros.

Tem alguma opinião divergente da minha ou dúvidas a respeito deste assunto? Compartilhe comigo no twitter no @EnsaiosDigitais ou por email camila.cabete@gmail.com.

Observação sobre a última coluna sobre Distribuição Digital: comentei que a Saraiva não possuía em seu sistema de cadastro de livros (RDS) um botão que pudesse indisponibilizar a obra. Eles entraram em contato comigo e me informaram que sim, já possuem este mecanismo. Entrei no sistema como Caki e o testei. Não é possível deletá-lo, mas a indisponibilização se dá em algumas horas, assim como a disponibilização. Veja o case da Caki #aqui#. Obrigada Saraiva pelo feedback.

Camila Cabete (@camilacabete no Twitter e instagram) tem formação clássica em História e foi responsável pelo setor editorial de uma editora técnica por alguns anos. Entrou de cabeça no mundo digital ao se tornar responsável pelos setores editorial e comercial da primeira livraria digital do Brasil, a Gato Sabido, além de ser a responsável pelo pós-venda e suporte às editoras e livrarias da Xeriph, a primeira distribuidora de conteúdo digital do Brasil. Hoje é a Brazil Senior Publisher Relations Manager da Kobo Inc. e é a parceira da Beatriz Alves no podcast As Desqualificadas pela Central 3.

O LinkedIn da Camila pode ser acessado aqui.

Publicidade

BR75

A BR75 desenvolve soluções personalizadas de criação e edição de texto, design gráfico para publicações impressas e em outras mídias e coordena sua produção editorial. Cuidamos de todas as etapas, conforme as necessidades e características de seu projeto, e sua empresa ganha em eficiência e qualidade. Quer saber mais? Fale com a gente ou agende uma visita!

Leia também
Em sua coluna, Camila conta como deixou de ser só 'publishers relations da Kobo' para ser também 'especialista em inovação no mercado editorial'
'Onde encaixaríamos o material didático na realidade que os alunos vivem hoje? O material didático deveria ser fluido, mutável.... como a web', defende Camila Cabete na sua coluna de hoje
Camila Cabete é curta e grossa na sua coluna de hoje: colocar seus e-books numa única loja é 'uma atitude limitante e nada sustentável'
Nessa semana, Camila Cabete, a nossa colunista judoca, fala sobre competição: 'se alguma livraria digital vender muito, a gente vai acabar dividindo este mercado. É só fazer a lição de casa'.
Camila Cabete faz o seu balanço da Flip, que acabou no último domingo
Publicidade



O MBA em Book Publishing é uma pós-graduação Lato Sensu, reconhecida pelo MEC. Com realização da Casa Educação e apoio oficial do Publishnews, o curso tem a coordenação pedagógica do Instituto Singularidades. O programa foi elaborado para contemplar as profundas transformações que o mercado editorial vem passando nos últimos anos, sempre com o objetivo de preparar profissionais de forma completa e eclética para atuarem na indústria do livro. O curso já se encontra na terceira turma.

Outras colunas
Toda semana você confere uma nova tira dos passarinhos Hector e Afonso
Em sua coluna, Marcio Coelho fala sobre algumas incoerências do mercado editorial
Em sua coluna, Lindoso fala sobre a lei aprovada na Colômbia que coloca o país no pelotão de vanguarda na atualização da legislação de direitos autorais não apenas na América Latina
Toda semana você confere uma nova tira dos passarinhos Hector e Afonso
Em sua coluna, Julio Silveira faz sua análise da atual crise do mercado editorial e conclui: 'Se é forte a crise, mais forte é o livro'
Os poetas são como pássaros: a menor coisa os faz cantar
François Chateaubriand
Escritor francês (1768-1848)
Publicidade
Publicidade

Você está buscando um emprego no mercado editorial? O PublishNews oferece um banco de vagas abertas em diversas empresas da cadeia do livro. E se você quiser anunciar uma vaga em sua empresa, entre em contato.

Procurar

Precisando de um capista, de um diagramador ou de uma gráfica? Ou de um conversor de e-books? Seja o que for, você poderá encontrar no nosso Guia de Fornecedores. E para anunciar sua empresa, entre em contato.

Procurar

O PublishNews nasceu como uma newsletter. E esta continua sendo nossa principal ferramenta de comunicação. Quer receber diariamente todas as notícias do mundo do livro resumidas em um parágrafo?

Assinar