Caso não consiga visualizar corretamente esta mensagem, clique aqui.
PublishNews 07/12/2018
Aldeia dos Livros oferece serviços que vão desde a revisão de textos em geral; tradução do inglês e espanhol; copydesk; pareceres; contatos com editoras; eventos nacionais e internacionais; criação de capas de livros, branding e coaching criativo para autores.
HiDesign Estúdio é um estúdio editorial focado em design. Entre os trabalhos oferecidos pelo estúdio estão: capas, projetos gráficos, diagramação e ilustração para projetos de editoras e autores independentes.
A Beluga Editorial presta diversos serviços de produção do livro, incluindo revisão, copidesque, diagramação, capa e projeto gráfico. Atendemos tanto editoras quanto autores.
PublishNews, Leonardo Neto, 07/12/2018

'Prisioneiros da mente' é 49º livro de Augusto Cury a conquistar a lista dos mais vendidos do PN | © Lima AndruškaQue Augusto Cury é um grande vendedor de livros, ninguém duvida. Ao longo de toda a história da Lista dos Mais Vendidos do PublishNews, ele emplacou 49 diferentes ISBNs. Só de janeiro até agora, ele emplacou três livros na Lista Anual de 2018, cujas vendas totalizam mais de 181 mil exemplares. Nessa semana, ele vem com uma novidade. Seu livro Prisioneiros da mente (HarperCollins) fechou o período ocupando a 3ª posição da Lista de Ficção, com 1.494 exemplares vendidos, número suficiente para colocá-lo na 17ª posição a Lista Geral. Cury, a propósito, foi um dos destaques da lista na semana passada, que refletiu os números da Black Friday. Foram sete livros dele na semana de promoções. E, por falar em Black Friday e na comparação com ela, os números caíram 38% nessa semana, com destaque para Ficção (-53%) e Infantojuvenil (-39%). O Ranking Geral continua liderado por A sutil arte de ligar o foda-se (Intrínseca), com 6.573 exemplares vendidos e tendo O milagre da manhã (BestSeller / Record) na segunda posição, com 3.978. Quem ganhou terreno na semana foi Me poupe! (Sextante), com 3.838 e ocupando a terceira posição da Lista Geral. Clique no Leia Mais e confira outros destaques da Lista dos Mais Vendidos dessa semana.

PublishNews, Redação, 07/12/2018

A Câmara Brasileira do Livro (CBL) realizou na noite desta quinta-feira (06) uma confraternização para homenagear o Amigo do Livro e os Profissionais do Livro de 25 e 50 anos completados em 2017 e 2018. Em seu discurso, Luís Antonio Torelli, presidente da entidade, afirmou que a união do mercado e das entidades é que será determinante para a recuperação da crise atual e que é preciso garantir que a oferta de toda produção literária seja acessível ao grande público. “O livro precisa ser valorizado como instrumento que é na consolidação da educação, da informação e da cultura no país”, disse Torelli em seu último discurso oficial como presidente da CBL. Ele aproveitou o momento para anunciar uma parceria entre CBL e TV Cultura para a divulgação de uma campanha que começa a ser veiculada nesta sexta-feira nos intervalos da emissora e que tem como objetivo valorizar o livro. Além disso, os participantes programas da TV Cultura irão todos os dias fazer indicações de livros que já leram ou estejam lendo para disseminar ainda mais os livros. A homenagem Amigo do Livro foi dada ao Instituto Ecofuturo Futuro para o desenvolvimento sustentável por conta da campanha Formando Leitores de Mundo, que investe na formação de leitores e na conservação de áreas naturais, integrando livros, pessoas e natureza. Já os Profissionais do Livro homenageados pelos seus 25 anos de trabalho no mercado foram Rosália Meirelles (V&R), Elaine Nunes e Mara Regina Xavier Cortez, da Cortez Editora e Paulo Alexandre de Oliveira e Paulo Victor de Carvalho Oliveira da Distribuidora Inovação. Pelos 50 anos de contribuição ao mercado livreiro, José Xavier Cortez, da Cortez Editora e Alfredo Weiszflog, da Melhoramentos foram os homenageados da noite.

PublishNews, Henrique Rodrigues, 07/12/2018

Certa vez, esbarrei com o saudoso Bartolomeu Campos de Queirós no aeroporto, poucas semanas antes de ele nos deixar. Como estivesse diante de um mestre, pedi alguns conselhos sobre ler, escrever e publicar. Do nosso papo, o querido Bartô deu um grande ensinamento de que nunca me esqueci: “Tirando algumas exceções, como aqueles autores que ganham muito em contratos de exclusividade, não vale a pena publicar só por uma editora. Pequenas, grandes, médias, todas vão ter alguma lacuna. Uma não paga direitos autorais, outra não distribui nem divulga, outra não atende o autor etc. Mas o problema de uma não existe na outra e, no geral, ficam elas por elas”. Depois desses anos, e tendo publicado por diferentes editoras, confirmo que é por aí mesmo. E tentamos ser felizes com o que há de positivo. Mesmo porque a justificativa que circula é sempre aquela: a crise. Caramba, desde que me entendo por gente escuto que estamos em crise, e em todos os setores. Mesmo levando em conta que ela é mais acirrada em alguns momentos, como parece ser agora, sempre fiquei com a sensação de que se trata de algo relativo, não absoluto. E de fato, parando para olhar com calma, realmente a situação não é de terra arrasada. Observando apenas alguns fatos e notícias das últimas semanas, durante uns pulos aqui e ali, concluo algumas coisas. Clique no Leia Mais e confira a íntegra da coluna.

PublishNews, Paulo Tedesco, 07/12/2018

Não há crise de leitura, definitivamente. A crise do livro é sim pela saída das compras governamentais do cenário econômico e isso não é nada novo há anos. Quase 50% do total de exemplares vendidos em todo o Brasil era parte das ações governamentais, e isso acabou já vem tempo. O que está em crise é o modelo das tais “megastores” para a venda de livros. As grandes lojas com aluguéis e cotas condominiais absurdas escoradas pela venda de livros com atendentes que não entendiam patavinas de livros, finalmente se esgotaram. E porque finalmente? Porque para sustentar essa aventura financeira era preciso sacrificar o preço do livro, como se livro fosse papel higiênico que volta e meia pedia queima de estoque para salvar faturamentos, quer dizer, no caso das grandes lojas de redes, se sacrificavam excelentes livros para salvar as ações de acionistas que nada sabiam de livros. Vamos falar de outra forma, o que afundou foi a farra de capital bancário a juros simpáticos para gerar números (e não necessariamente boas vendas de bons livros) que agradassem ao mercado e ganhassem manchetes nos espaços destinados à economia. Era isso, nada mais. Clique no Leia Mais para ter acesso à íntegra dessa coluna.

PublishNews, Redação, 07/12/2018

Neste sábado (8), a editora Todavia irá abrir sua sede (Rua Luís Anhaia, 44) para receber autores, leitores e colaboradores para tomar uma cerveja. A ideia é brindar o final do ano e a parceria de todo mundo que de algum modo esteve com a editora durante 2018. A Todavia estará de portas abertas das 11h às 18h e os livros serão vendidos com descontos a partir de 25% e até segunda-feira (10) o bazar continua no site da editora. Na compra de dois ou mais livros o leitor ganha 25% de desconto no valor final e uma bolsa da Todavia.

PublishNews, Redação, 07/12/2018

Após um ano de apresentações em outras dez cidades brasileiras, visto por mais de 30 mil pessoas, o espetáculo Grande Sertão: Veredas volta a São Paulo. Bia Lessa conhece profundamente o Sertão de Guimarães Rosa, com o espetáculo-instalação, ela convida a plateia a um mergulho na epopeia narrada pelo jagunço Riobaldo (Caio Blat), que atravessa o sertão para combater seu maior inimigo, Hermógenes (José Maria Rodrigues), faz um pacto com o diabo e descobre seu amor por Diadorim (Luiza Lemmertz). Cada espectador usará fones de ouvido que permitirão escutar separadamente a música de Egberto Gismonti, a trilha sonora de Dany Roland, as vozes dos atores, os efeitos sonoros e sons ambientes, levando-o a um nível inédito de interação com a dimensão sonora do espetáculo. O espetáculo terá sessões no Sesc Pompeia (Rua Clélia, 93 – São Paulo / SP), aos sábados, às 20h30, e domingos e feriados, às 18h30, até 24 de fevereiro de 2019. Ingressos a partir de R$ 20.

PublishNews, Redação, 07/12/2018

Após finalizar a publicação completa das tiras de Calvin e Haroldo, criadas por Bill Watterson, a Conrad continua a publicação das antologias coloridas (que reúnem histórias de dois ou mais volumes e sempre trazem as tiras de domingo coloridas) com O Essencial de Calvin e Haroldo (256 pp, R$ 59,90 – Trad.: Alexandre Boide). O livro traz as tiras de E foi assim que tudo começou e Tem alguma coisa babando embaixo da cama, além de uma história inédita de 12 páginas, totalmente colorida. O prefácio é assinado por Charles M. Schulz, criador do Snoopy. O leitor irá se deleitar com momentos engraçadíssimos do garoto e seu tigre de pelúcia, além de se emocionar com momentos tocantes que refletem fases do aprendizado infantil. Um título indispensável para os fãs de Calvin e Haroldo. Segundo Schulz, “em resumo, é uma coisa divertida de se ver, e é isso que faz do trabalho de Bill um sucesso tão admirável”.

PublishNews, Redação, 07/12/2018

Um dos mais cultuados quadrinhos de todos os tempos, Bone foi publicado em 25 países, vendeu milhões de exemplares e ganhou dezenas de prêmios. Expulsos da cidade de Boneville, os primos Fone, Phoney e Smiley se veem perdidos num enorme deserto. Eles acabam chegando ao Vale, uma região misteriosa e repleta de criaturas fantásticas. Ao lado da garota Espinho, da vovó Ben e do Grande Dragão Vermelho, os primos se verão embrenhados em um conflito entre os cidadãos de Vale e um exército de ratazanas liderado pelo temível Kingdok. Ao mesmo tempo, forças infinitamente mais tenebrosas parecem ressurgir das sombras e uma grande guerra se anuncia no horizonte. Esta edição de Bone: O Vale ou Equinócio invernal (Todavia, 448 pp, R$ 79,90) reúne os três primeiros volumes da saga vencedora de dez prêmios Eisner e 11 prêmios Harvey.

“O livro precisa ser valorizado como instrumento que é na consolidação da educação, da informação e da cultura do país.”
Luis Antonio Torelli
Presidente da CBL
1.
A sutil arte de ligar o foda-se
2.
O milagre da manhã
3.
Me poupe!
4.
As aventuras na Netoland com Luccas Neto
5.
O poder da ação
6.
Seja foda!
7.
Pai rico, pai pobre - Edição de 20 anos
8.
Aprendizados
9.
21 lições para o século 21
10.
Textos cruéis demais para serem lidos rapidamente
 
PublishNews, Redação, 07/12/2018

Na cidade portuária francesa de Calais, surgiu uma cidade dentro de uma cidade. Conhecida como “Selva”, essa esquálida favela de contêineres e barracas foi lar de milhares de refugiados, principalmente do Oriente Médio e da África, todos esperando, de alguma forma, chegar ao Reino Unido. Rodeadas por ratos e lixo, e privadas de qualquer saneamento básico ou segurança, essas pessoas são o retrato de uma crise humanitária refletida em diversos cantos do mundo. E é com maestria que a quadrinista Kate Evans lança uma luz sobre essa história na premiada história em quadrinhos Refugiados: A última fronteira (DarkSide, 176 pp, R$ 69,90 - Trad.: Letícia Ribeiro Carvalho). Combinando as técnicas de reportagem de testemunhas oculares com a arte sequencial, Kate Evans criou uma obra cheia de imagens pungentes, chocantes, irônicas e comoventes. Voluntária no campo de refugiados de Calais, a quadrinista viu de perto o horror e sofrimento de milhares de pessoas que precisaram abandonar tudo aquilo que conheciam para buscar um novo lar e dignidade. Ao mesmo tempo, ela também entremeia na narrativa suas próprias convicções sobre a crise de refugiados.

PublishNews, Redação, 07/12/2018

Black Hammer é uma obra há muito idealizada por Jeff Lemire, um dos maiores nomes dos quadrinhos da atualidade. Além de uma homenagem a grandes clássicos do gênero, as histórias dos cinco ex-heróis que vivem isolados do mundo numa fazendinha pacata, alimentando-se das lembranças de seus êxitos, traz também a marca do autor: as questões típicas de relacionamentos familiares conturbados e a recordação de traumas do passado. No primeiro volume da história, fomos apresentados aos cinco ex-heróis e suas trajetórias pessoais. Depois de salvar o mundo numa batalha épica, eles se viram presos numa cidade que mais parece uma realidade paralela, e agora, em Black Hammer – O evento (Intrínseca, 176 pp, R$ 39,90 – Trad.: Fernando Scheibe) acumulam dez anos de frustrações, pois são obrigados a se passarem por pessoas comuns. Uma visita inesperada consegue romper com as barreiras invisíveis que levam até a fazenda, e com ela pode ter chegado também a chance de esses heróis finalmente saírem do purgatório.

PublishNews, Estevão Ribeiro, 07/12/2018
 
©2001-2019 por Carrenho Editorial Ltda. Todos os direitos reservados.
Rua Fidalga 471, Conjunto 3 | Vila Madalena | São Paulo | SP | Brasil | 05432-070
O conteúdo deste site não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.