Publicidade
Publicidade
A crise dos aventureiros do livro
PublishNews, Paulo Tedesco, 07/12/2018
Em sua coluna, Paulo Tedesco dá sua opinião sobre os reais motivos para a crise do mercado editorial: 'Não há crise de leitura, definitivamente'

Não há crise de leitura, definitivamente. A crise do livro é sim pela saída das compras governamentais do cenário econômico e isso não é nada novo há anos. Quase 50% do total de exemplares vendidos em todo o Brasil era parte das ações governamentais, e isso acabou já vem tempo. O que está em crise é o modelo das tais “megastores” para a venda de livros.

As grandes lojas com aluguéis e cotas condominiais absurdas escoradas pela venda de livros com atendentes que não entendiam patavinas de livros, finalmente se esgotaram. E por que finalmente? Porque para sustentar essa aventura financeira era preciso sacrificar o preço do livro, como se livro fosse papel higiênico que volta e meia pedia queima de estoque para salvar faturamentos, quer dizer, no caso das grandes lojas de redes, se sacrificavam excelentes livros para salvar as ações de acionistas que nada sabiam de livros.

Vamos falar de outra forma, o que afundou foi a farra de capital bancário a juros simpáticos para gerar números (e não necessariamente boas vendas de bons livros) que agradassem ao mercado e ganhassem manchetes nos espaços destinados à economia. Era isso, nada mais.

Essa fórmula caça-níquel sacrificava toda uma cadeia de produção de um bem cultural da importância do livro, no que obviamente só poderia terminar em desastre, tão feio que a própria produção nacional de livros encontra-se, agora, ameaçada. Breve, podemos voltar ao Brasil colônia ou pré-Getúlio, importando e contrabandeando livros estrangeiros na calada da noite.

Vender celular e impressora de mesa com livros ou ter livros consignados, como alguns andaram a dizer nada teve a ver com essa crise. O que fez o barco embicar foi a história de vender livro que valia quarenta reais por dez reais com sacolinha bonita e brinde mais pontos de desconto para a próxima compra. As grandes lojas em suas estratégias camicases foram o mata-mata das vendas de livros no Brasil, queimaram até a raiz de muita editora e autor e pouco deixaram para trás.

Mas, óbvio, temos que complementar que a virada em direção à compra em lojas virtuais também influenciou, mas jamais de forma definitiva. Aliás, veja só, por que pagar estacionamento ou tomar ônibus, se pelo mesmo custo o leitor pode receber o livro na porta de casa e por vezes com descontos interessantes? Ora, isso sim é evolução do setor, e posso apostar que hoje se vende mais livros sem compras governamentais, e com remuneração decente de autores e editores, que nunca antes na história, e graças à venda a distância.

A Amazon não revela números por medo do fisco. As vendas porta-a-porta e de autopublicação, como as pela internet, também não aparecem nas pesquisas, e geralmente não são citadas em avaliações mercadológicas. Pois é hora de reavaliar preconceitos, a crise na verdade está é nas costas dos aventureiros que levaram ao buraco editoras, autores e muito emprego e não do mundo da leitura e do leitor. 

Paulo Tedesco é escritor e consultor em projetos editoriais. É autor dos livros Quem tem medo do Tio Sam? Fumprocultura de Caxias do Sul, 2004); Contos da mais-valia & outras taxas (Dublinense, 2010) e Livros: um guia para autores (Buqui, 2015). Desenvolveu e ministra o curso de Processos Editorais na PUCRS e coordena o www.consultoreditorial.com.br atendendo autores e editores. Pode ser acompanhado pelo seu site, pelo Facebook ou pelo Twitter.

Publicidade

BR75

A BR75 desenvolve soluções personalizadas de criação e edição de texto, design gráfico para publicações impressas e em outras mídias e coordena sua produção editorial. Cuidamos de todas as etapas, conforme as necessidades e características de seu projeto, e sua empresa ganha em eficiência e qualidade. Quer saber mais? Fale com a gente ou agende uma visita!

Leia também
Em artigo, Paulo Tedesco faz reflexão sobre o atual cenário eleitoral: 'Nossa democracia, ou melhor, nossa forma de tentar exercer a democracia vem sendo ameaçada abertamente'
Em sua coluna, Paulo Tedesco fala sobre a importância de se investir na educação e, claro, nos livros
Em sua coluna, Paulo Tedesco fala sobre a importância de se preservar o legado literário
Em sua coluna, Paulo Tedesco recomenda a editores e a autores que não tenham medo de assumir posições e publicar sem medo
Em seu artigo, Paulo Tedesco fala sobre doar livros ou não pagar autores. "Paguem pelos livros e deem cachês decentes aos autores",
Publicidade

Mais de 13 mil pessoas recebem todos os dias a newsletter do PublishNews em suas caixas postais. Desta forma, elas estão sempre atualizadas com as últimas notícias do mercado editorial. Disparamos o informativo sempre antes do meio-dia e, graças ao nosso trabalho de edição e curadoria, você não precisa mais do que 10 minutos para ficar por dentro das novidades. E o melhor: É gratuito! Não perca tempo, clique aqui e assine agora mesmo a newsletter do PublishNews.

Outras colunas
Em sua nova crônica, Luciana Pinsky conta a história de uma mulher que recebe um livro misterioso que acaba tirando o seu sono
Em sua coluna, Paulo Tedesco dá sua opinião sobre os reais motivos para a crise do mercado editorial: 'Não há crise de leitura, definitivamente'
Toda semana você confere uma nova tira dos passarinhos Hector e Afonso
Em sua coluna, Henrique Rodrigues analisa outros lados da cadeia produtiva da literatura
Em sua coluna, Cassius fala sobre a importância da presença dos quadrinhos no Prêmio Jabuti e na Comic Con Experience
Quando eu era jovem, quase sempre lia para aprender. Hoje, às vezes, leio para esquecer.
Giovanni Papini
Escritor italiano (1881-1956)
Publicidade
Publicidade

Você está buscando um emprego no mercado editorial? O PublishNews oferece um banco de vagas abertas em diversas empresas da cadeia do livro. E se você quiser anunciar uma vaga em sua empresa, entre em contato.

Procurar

Precisando de um capista, de um diagramador ou de uma gráfica? Ou de um conversor de e-books? Seja o que for, você poderá encontrar no nosso Guia de Fornecedores. E para anunciar sua empresa, entre em contato.

Procurar

O PublishNews nasceu como uma newsletter. E esta continua sendo nossa principal ferramenta de comunicação. Quer receber diariamente todas as notícias do mundo do livro resumidas em um parágrafo?

Assinar