Notícias d’Além Mar: Biblioteca ao domicílio
PublishNews+, Jaime Mendes, 25/02/2021
Em novo artigo para a sua seção 'Notícias d'Além Mar', Jaime Mendes fala de como Portugal tem se organizado para levar as bibliotecas até as casas dos cidadãos

Furgão da Fundação Calouste Gulbenkian levavam livros até as casas dos portugueses
Furgão da Fundação Calouste Gulbenkian levavam livros até as casas dos portugueses
Portugal tem 308 municípios. Somente em cinco deles (1,62%) – Alzejur, Marvão, Terras de Bouro, Vila Viçosa e Calheta (São Jorge, Açores) – não existe um serviço de biblioteca. A existência da biblioteca traz intrinsicamente a ideia de um serviço a que a população tem direito. Em 1997, essa rede tinha somente 164 bibliotecas. Esta realidade começou a ser desenvolvida em 1958 com a criação e manutenção, por parte da Fundação Calouste Gulbenkian, das Bibliotecas Itinerantes, que circularam por Portugal até 2002. No dia 11 de janeiro desse ano, a Associação Portuguesa de Bibliotecários, enviou uma carta aberta à ministra da Cultura Graça Fonseca, pedindo a continuidade dos serviços, ainda que de forma reduzida. Não houve retorno por parte da ministra. Dois dias depois, foi publicado um decreto em que estipulava o fechamento das bibliotecas. A entidade insistiu mais uma vez. Deu resultado e o serviço iniciado durante o confinamento de 2020, quando várias bibliotecas criaram serviços de empréstimo domiciliário, voltou a ser disponibilizado. [Nota do editor: esta é a segunda contribuição de Jaime Mendes com o PublishNews+, área exclusiva para assinantes do PN. Clique aqui para ter acesso à íntegra do artigo].

[25/02/2021 09:30:00]