Publicidade
Publicidade
Afinal, o que (e quem) são os influenciadores?
PublishNews, André Palme, 03/05/2018
Em seu quinto artigo da série 'Marketing Digital e Outras Coisitas Mais', André Palme fala sobre a importância dos influenciadores e como nem sempre o volume de seguidores é o que mais importa

Já falamos de alguns conceitos de marketing, de redes sociais, sites e apps nesta série Marketing Digital e Outras Coisitas Mais.

Chegou a hora de falar deles, os influenciadores \o/

Influenciador não é um conceito novo. Estamos falando de alguém que consegue influenciar – óbvio – uma ou mais pessoas a respeito de determinado assunto. Celebridades são influenciadores em certos assuntos, jornalistas, autores e professores também, e claro...você! Com certeza você tem um grupo social ou familiar em que você influencia sobre algum assunto ou alguma área.

Os primeiros produtores de conteúdo que receberam o nome de influenciadores apareceram no Brasil por volta de 2010, como por exemplo o PC Siqueira. Se considerarmos o mercado publicitário, este fenômeno vem dobrando de tamanho a cada ano, desde então.

O impacto destes produtores de conteúdo se expande para além da internet. Segundo a GFK, eles por exemplo, aumentam a audiência jovem em programas como o Fantástico em 26%. Além disso, segundo pesquisa da Geometry, 33% dos jovens considera estes influenciadores digitais como a principal influência de compra.

O termo Youtuber ficou tão conhecido – produtores de conteúdo que tem o YouTube como principal plataforma de distribuição de seu conteúdo – que foi adicionado ao dicionário Oxford.

Mas é preciso que a gente não use só o termo influenciador, mas também o termo criador de conteúdo. Por que? Porque influência é consequência e não o ponto de partida desta conversa.

Primeiro a pessoa precisa produzir conteúdo, se tornar uma referência, para então poder ser um influenciador, e de fato, influenciar alguém.

Além disso, precisamos fazer uma distinção importante aqui entre influenciador e webcelebridade. Quando falamos de nomes como Felipe Neto, Gabriela Pugliesi e Whindersson Nunes estamos falando de uma webcelebridade, ou seja, alguém que se tornou conhecido e famoso na internet e que tem uma grande audiência (na casa dos milhões de usuários). Estas pessoas são sim, influenciadores para alguns assuntos. Para dar um exemplo bem básico, a Pugliesi influencia sua audiência para questões relacionadas a bem-estar e exercícios, mas não consegue – provavelmente - influenciar sua audiência se falar sobre livros, porque não é isso que as pessoas buscam em seu conteúdo.

Já quando falamos de influenciadores, podem ser pessoas como eu e você, que não são famosas, mas tem autoridade sobre determinado assunto e influenciam uma certa audiência que tem interesse ou consome aquele tipo de conteúdo. Então quando falamos de influenciadores, nem sempre o volume de seguidores é o mais importa. Comunidade é mais importante do que número.

Pode ser muito mais efetivo, se você tiver uma estratégia com pequenos (ou micro) influenciadores, que segundo a Hello Society tem 60% mais engajamento e que realmente tem autoridade sobre o assunto que você quer trabalhar, do que contratar uma webcelebridade. Segundo a AirStrip (plataforma brasileira de busca de influenciadores), quanto maior a base, maior a dispersão.

Webcelebridades hoje se assemelham muito a grandes mídias: uma audiência gigante, não tão segmentada, que cobra caro e não necessariamente vai entregar o conteúdo para o nicho que você procura atingir.

O PRINCIPAL PAPEL DO INFLUENCIADOR ESTÁ EM “EMPRESTAR” A RELEVÂNCIA QUE TEM COM SUA AUDIÊNCIA, PARA A MARCA.

Outra coisa importante: influenciador NÃO é mídia! Influenciador é um criador de conteúdo, que entrega valor para sua audiência, através de confiança, credibilidade e autenticidade.

Uma coisa importante para entender a cadeia de valor do influenciador. Quando você quer montar uma campanha de vídeo por exemplo, normalmente existem todas estas contratações ou tarefas:

- agência / criação;

- produção;

- um garoto(a) propaganda;

- compra da mídia (o canal onde vai ser veiculada a campanha);

- mensuração da publicação e dos resultados.

Quando você contrata um produtor de conteúdo / influenciador, você contrata tudo isso em uma única pessoa! Esta é a cadeia de valor!

Por isso não é justo que esta relação entre – por exemplo – editoras e influenciadores, seja na base do “te dou um livro de presente e você cria uma campanha, produz, faz o papel de garoto propaganda, edita, veicula em seu canal, reforça nas redes sociais, interage e responde aos comentários, me entrega um relatório de mensuração e eu não te pago nada”.

Produzir conteúdo é um trabalho...deveria ser fácil explicar isso para uma indústria que vive de vender conteúdo.

Claro que existem ações que em que o influenciador pode ser remunerado com recompensas não financeiras, como por exemplo ter acesso antecipado e exclusivo algum livro. Mas não faça SÓ esse tipo de ação.

E, para terminar nosso artigo com algo prático, coloco abaixo os passos importantes que aprendi com a YOUPIX, para considerar em uma campanha com influenciadores:

1/ DEFINA OBJETIVOS CLAROS

2/ DEFINA SEU TARGET

3/ DEFINA SEU BUDGET

4/ DEFINA OBJETIVOS MENSURÁVEIS

5/ DEFINA AS REDES SOCIAIS

6/ ESTUDE O TARGET

7/ DEFINA SUA NARRATIVA

8/ PARTA PRA CRIAÇÃO E CO-CRIAÇÃO!

9/ MAPEIE INFLUENCIADORES

10/ ESTUDE OS INFLUENCIADORES

11/ DEFINA E CONTRATE-OS

12/ PREPARE O BRIEFING

13/ COMECE A PRODUÇÃO

14/ PUBLIQUE

15/ AMPLIFIQUE E OTIMIZE

16/ MENSURE E ANALISE

17/ RETROALIMENTE

Até semana que vem!

Palme é um executivo da cultura e do entretenimento com +10 anos de experiência na liderança de projetos que envolvem conteúdos multi formatos, tecnologia e streaming; além de empreendedor, professor, mentor e colunista. Nos últimos anos liderou projetos que somam mais de 10 mil horas de conteúdo em áudio, entre audiobooks, podcasts e audioseries.

Atualmente é CMCO (Chief Marketing & Content Officer) no Skeelo e atua também como empreendedor, consultor, professor e podcaster, além de colunista e palestrante.

** Os textos trazidos nessa coluna não refletem, necessariamente, a opinião do PublishNews

Publicidade

A Alta Novel é um selo novo que transita entre vários segmentos e busca unir diferentes gêneros com publicações que inspirem leitores de diferentes idades, mostrando um compromisso com qualidade e diversidade. Conheça nossos livros clicando aqui!

Leia também
É importante adotar sempre uma postura de estar em cena e não ficar só como alguém na plateia vendo a banda passar, parafraseando o Chico
Em novo artigo, André Palme fala sobre o poder e a importância da comunidade e como ter pessoas engajadas com seu conteúdo pode fazer a diferença
Em novo artigo, Palme explica que o acesso global não significa automaticamente consumo global e que é preciso mais do que isso para que um conteúdo faça sucesso em diversos lugares do mundo
Em novo artigo, Palme lembra que o digital não exclui o físico e que o melhor cenário, no fim das contas, é a combinação de ambos
Em novo artigo, André Palme fala sobre as desvantagens que enxerga na nomeação de conteúdos em áudio de maneira tão rígida e das divisões que acabam sendo criadas entre audiolivros e podcasts
Publicidade

Mais de 13 mil pessoas recebem todos os dias a newsletter do PublishNews em suas caixas postais. Desta forma, elas estão sempre atualizadas com as últimas notícias do mercado editorial. Disparamos o informativo sempre antes do meio-dia e, graças ao nosso trabalho de edição e curadoria, você não precisa mais do que 10 minutos para ficar por dentro das novidades. E o melhor: É gratuito! Não perca tempo, clique aqui e assine agora mesmo a newsletter do PublishNews.

Outras colunas
Editoras dos selos Verus e Harlequin conversaram sobre as mudanças nas editoras, as características dos gêneros literários, sobre a negociação com os autores e autoras e outros assuntos
Todas as sextas-feiras você confere uma tira dos passarinhos Hector e Afonso
Tivemos o prazer de ler um livro carnavalizado e carnavalizando! E há quem diga que a literatura nacional naufragou...
Seção publieditorial do PublishNews traz lançamentos da Editora Vista Chinesa, Uiclap e um livro independente
Escrito por Marina Hadlich, 'Até essa comédia se tornar romântica' é uma história divertida e com uma personagem que ultrapassa as páginas e conversa diretamente com o leitor
O leitor nunca deve perceber, mas um parágrafo pode levar muito bem três horas para soar como se tivesse estado na ponta da língua.
Alain de Botton
Escritor e filõsofo suiço
Publicidade

Você está buscando um emprego no mercado editorial? O PublishNews oferece um banco de vagas abertas em diversas empresas da cadeia do livro. E se você quiser anunciar uma vaga em sua empresa, entre em contato.

Procurar

Precisando de um capista, de um diagramador ou de uma gráfica? Ou de um conversor de e-books? Seja o que for, você poderá encontrar no nosso Guia de Fornecedores. E para anunciar sua empresa, entre em contato.

Procurar

O PublishNews nasceu como uma newsletter. E esta continua sendo nossa principal ferramenta de comunicação. Quer receber diariamente todas as notícias do mundo do livro resumidas em um parágrafo?

Assinar