Publicidade
Publicidade
As definições de ‘Profissionais do livro’ foram atualizadas
PublishNews, Camila Cabete, 13/07/2016
Para Camila Cabete, o profissional hoje precisa manter a mente aberta e o coração tranquilo para absorver mudanças

Estava eu na análise diária que faço de mim mesma e de minha rotina e tive um insight interessante. Compartilho com vocês como uma pergunta, será que concordam comigo ou estou viajando demais? Esclareço desde já: não uso narcóticos, nem mesmo tomo álcool (pasmem!). Então não se trata de uma dessas viagens ou coisa parecida (nada contra!). Acho que as minhas "subscriptions do YouTube" foram as grandes responsáveis pela "revelação".

Foi analisando esta polêmica de livros de youtubers e discutindo sobre o grande lixo das TVs abertas, e no que se transformaram, que me dei conta de que os (antigos conhecidos como) profissionais do livro hoje são profissionais de conteúdo. A saída dos conteúdos contratados pela editora pode ser diversa: digital, impresso, filme, podcast, site, Twitter, Wattpadd, blog, canal no YouTube...

Então, fui num dicionário e busquei a palavra "editor" que me retornou num resultado gigantesco que tanto falava de textos quanto de vídeos, matérias, organização.... Amplo, mas errado.

Que pretensão a minha dizer que algo está errado, mas está. Outro dia, estava conversando com amigos e observei que, na minha época de faculdade, minha profissão nem existia. Nunca poderia falar: "quero ser publisher relations manager de uma livraria digital" quando eu crescer. Já pararam para pensar nisso?

Momento de reflexão e mudança: os diferentes campos de conhecimento e produção cultural, de conteúdo, estão se fundindo e se tornarão quase a mesma coisa. O profissional hoje precisa manter a mente aberta e o coração tranquilo para absorver estas mudanças. Se apegar ao passado, vai te deixar no fim da fila. O profissional que acha um conteúdo interessante, deve estar apto a enxergar no que aquilo poderá se transformar. Prendê-lo exclusivamente no formato texto é um preciosismo antigo e já ultrapassado. No modelo atual, pode ser que as editoras sejam um limitador para que deem vazão a tudo o que pode sair de um determinado conteúdo, de um projeto.

Agora te pergunto: por que não transformar as editoras em ambientes mais criativos e abertos a novos projetos? Acho que isso resolveria tantos problemas... e também a evasão de profissionais criativos, que estão buscando novos caminhos que deixem as ideias mais livres.

Será que estamos prestes a uma nova era editorial? Será que as editoras sobreviverão a isso e se reinventarão? Será que as editoras gigantes teriam ginga para dançar este samba? Será?

Bom, vamos "chupar esta manga" juntos e discutir nossas ideias mirabolantes. Nada é impossível, nada é errado... vamos aproveitar este novo tempo, de novas possibilidades e nos ater menos aos editais governamentais (que para mim não é sustentável e um dia vai acabar). O medinho que estas perguntas me trazem, me deixam ainda mais animada e me fazem lembrar quando, em 2009, senti algo parecido quando deixei de ser editora de livros tradicionais e descobri o e-book. Pavor que deu lugar a uma grande paixão.

Camila Cabete (@camilacabete no Twitter e Instagram) tem formação clássica em História e foi responsável pelo setor editorial de uma editora técnica por alguns anos. Entrou de cabeça no mundo digital (em 2009) ao se tornar responsável pelos setores editorial e comercial da primeira livraria digital do Brasil, além de ter feito pós-venda e suporte às editoras e livrarias da primeira distribuidora de conteúdo digital do Brasil. Hoje é a senior country manager da Kobo Brasil e é a podcaster e idealizadora do Disfarces Podcast.

Link para o linkedin

** Os textos trazidos nessa coluna não refletem, necessariamente, a opinião do PublishNews.

Publicidade

BR75

A BR75 desenvolve soluções personalizadas de criação e edição de texto, design gráfico para publicações impressas e em outras mídias e coordena sua produção editorial. Cuidamos de todas as etapas, conforme as necessidades e características de seu projeto, e sua empresa ganha em eficiência e qualidade. Quer saber mais? Fale com a gente ou agende uma visita!

Leia também
Pra quem pensa que e-book e audiobook são iguais ao livro impresso, Camila Cabete recomenda: 'o livro digital não é pra você, incentive as livrarias independentes'
Desvalorização do real frente ao dólar pode ser uma oportunidade para editores brasileiros, vendendo no exterior, mas tem que saber fazer. Camila Cabete ensina.
Na sua primeira coluna de 2021, Camila Cabete fala da importância dos algoritmos na divulgação de livros e apresenta uma entrevista que fez com uma especialista no assunto
Camila Cabete usa a sua coluna para apontar como a crise elegeu novos arautos do negócio digital no Brasil: ‘me surpreendo com pessoas que renegavam o formato e negócio digital surgirem como os grandes palestrantes do ramo’
A partir de um caso de K-popers no TikTok, Camila Cabete fala sobre letramento digital e discussão da ética nos meios digitais em salas de aula
Publicidade

Mais de 13 mil pessoas recebem todos os dias a newsletter do PublishNews em suas caixas postais. Desta forma, elas estão sempre atualizadas com as últimas notícias do mercado editorial. Disparamos o informativo sempre antes do meio-dia e, graças ao nosso trabalho de edição e curadoria, você não precisa mais do que 10 minutos para ficar por dentro das novidades. E o melhor: É gratuito! Não perca tempo, clique aqui e assine agora mesmo a newsletter do PublishNews.

Outras colunas
Marisa Moura dá continuidade à saga da funcionária misteriosa que dessa vez parece preocupada com as mudanças no mercado do agenciamento literário
Episódio de número 175 recebe Elisa Von Randow, do estúdio Alles Blau, e Alceu Nunes, diretor de arte da Companhia das Letras
Em nova coluna, Paulo Tedesco celebra a pós-modernidade, simbolizada, na sua opinião, pela impressão por demanda
Todas as sextas-feiras você confere uma tira dos passarinhos Hector e Afonso
Ricardo Costa e Cassia Carrenho, ex-colaboradores do PN, e Luciana Sousa, a funcionária mais antiga, são recebidos para relembrar histórias dos 20 anos do PublishNews
A relação entre livro e leitor não precisa ser exclusivamente objetiva, mas pode também ser sensorial.
Maurício de Almeida
Escritor brasileiro
Publicidade
Publicidade

Você está buscando um emprego no mercado editorial? O PublishNews oferece um banco de vagas abertas em diversas empresas da cadeia do livro. E se você quiser anunciar uma vaga em sua empresa, entre em contato.

Procurar

Precisando de um capista, de um diagramador ou de uma gráfica? Ou de um conversor de e-books? Seja o que for, você poderá encontrar no nosso Guia de Fornecedores. E para anunciar sua empresa, entre em contato.

Procurar

O PublishNews nasceu como uma newsletter. E esta continua sendo nossa principal ferramenta de comunicação. Quer receber diariamente todas as notícias do mundo do livro resumidas em um parágrafo?

Assinar