Caso não consiga visualizar corretamente esta mensagem, clique aqui.
PublishNews 18/11/2020
Há 49 anos servindo a cultura e educação, é uma das maiores distribuidoras de livros para o ensino de idiomas, técnicos e científicos.
A Transpo Express é uma transportadora que já atua há 10 anos focada completamente no segmento editorial. Faz entregas e coletas em editoras, distribuidoras, livrarias, gráficas e grandes redes. A área de atuação atualmente engloba São Paulo (Capital), grande São Paulo, Jundiaí, Campinas e todo o estado do Rio de Janeiro.
A área de Soluções em Acessibilidade é uma divisão da Fundação Dorina Nowill para Cegos criada para oferecer o mais amplo portfólio de produtos e serviços acessíveis a empresas que desejam não apenas se adequar à lei, mas atender a todos os seus clientes com a mesma atenção e respeito!
PublishNews, Leonardo Neto, 18/11/2020

Em abril passado, no auge da crise provocada pelo novo coronavírus, o Painel do Varejo de Livros no Brasil registrou queda de 47,6% no faturamento apurado com a venda de livros nos estabelecimentos monitorados pela Nielsen. No mês seguinte, o acumulado do ano já registrava queda de 13,1%, quando comparado com 2019. Nos meses seguintes, o varejo foi se readequando e o livro encontrando seu caminho. Em outubro, o Painel registrou a venda de 3,6 milhões de exemplares e faturamento de R$ 136,85 milhões. Na comparação com igual período de 2019, esses números representam crescimento de 25,87% em volume e de 22,38% em valor. A Nielsen chega a falar, com razão, em “boom”. Os números graúdos de outubro ajudaram a diminuir a distância com os apurados em 2019. No acumulado do ano, já foram vendidos pela apuração da Nielsen 32,8 milhões de cópias, 688,7 mil exemplares ou 2,06% a menos do que o apurado em 2019. Os estabelecimentos monitorados pelo instituto de pesquisa registraram faturamento de janeiro a outubro de R$ 1,38 bilhão. Na mesma base de comparação, a queda é de 3,10% ou, em números absolutos, R$ 44,3 milhões a menos no caixa das varejistas. Clique no Leia Mais para ter acesso à íntegra desta nota.

PublishNews, Redação, 18/11/2020

Ao longo de 57 edições já realizadas, a Feira do Livro de Bolonha se consolidou como um dos principais palcos do negócio do livro infantil e juvenil no mundo. A Feira que, em situações normais, reúne mais de mil expositores e 30 mil visitantes, foi o primeiro grande evento do calendário anual a ser cancelado por conta da pandemia do novo coronavírus. Nesta quarta-feira (18), os organizadores do evento anunciaram que, em 2021, excepcionalmente, o evento acontecerá em junho. Além da nova data do evento (14 a 17 de junho), a feira fez um anúncio ainda mais importante: em 2021, além da programação voltada aos livros infantis e juvenis, Bolonha será palco do BolognaBookPlus, braço voltado para livros adultos. A novidade será capitaneada por Jacks Tomas, que acumulou vasta experiência como diretora da Feira de Londres por sete anos. A BolognaBookPlus terá uma conferência de um dia e espaço para expositores ao longo de três dias. Jacks Tomas cuidará pessoalmente do projeto junto com uma equipe baseada no Reino Unido. Com o anúncio de Bolonha, o calendário de eventos internacionais de 2021 começa a se desenhar: Londres está marcada para 29 de junho a 1º de julho e Frankfurt, de 20 a 24 de outubro. Vale incluir no calendário também a Bienal do Livro Rio, agendada para os dias 3 a 12 de setembro. Clique no Leia Mais e confira a íntegra desta nota.

PublishNews, Marcio Coelho, 18/11/2020

Experimente perguntar a alguém quais são os planos para o feriado. Viajar, ficar em casa, descansar, beber, maratonar séries, ir ao cinema (sim, alguns em São Paulo já funcionam), correr, andar de bicicleta, academia, família, filhos, amigos, namorar. Claro, há muito mais coisas que podemos fazer, mas o ponto aqui é: quantas pessoas que você conhece responderão ler? Não há aqui um julgamento se poucas ou muitas, o que há é o fato de o hábito de leitura se tornar realmente um hábito. O cardápio é amplo e as possibilidades são muitas. Como colocar a leitura na sua vida e na vida de pessoas de quem você gosta e quer que se tornem leitores? Passa por muitas variáveis, mas é preciso estar atento a algumas delas. Lembro que quando eu dava aula de literatura pra uma turma do 9º ano do fundamental, eles precisavam ler Dom Casmurro. Quando eu disse isso na sala, os narizes torceram e os bufos foram altos. Não ler o Bruxo não era uma opção. Montei um esquema de leitura dos contos do Machado em sala de aula, de um jeito um tanto teatral. Cada personagem era lido por um aluno e por mim. Lemos muitos contos. Eles nunca tinham lido nada do nosso maior autor e adoraram, depois disso ler Dom Casmurro foi mais interessante, porque líamos na sala alguns trechos também. É preciso conhecer. É preciso oferecer de maneira leve e mostrar que ler pode ser muito prazeroso. Clique no Leia Mais para ter acesso à íntegra desta coluna.

PublishNews, Redação, 18/11/2020

O Prêmio Kindle de Literatura recebeu 2,4 mil inscrições para a sua quinta edição. Isso representa crescimento de 30% em relação a ano passado. Junto com esse primeiro balanço, a Amazon, realizadora do certame, anunciou que os escritores Adriana Carranca e João Carrascoza e a editora Vanessa Ferrari comporão o júri que avaliará as cinco obras finalistas e definirá o ganhador que fechará um contrato de publicação para a versão impressa pelo Grupo Editorial Record. Os jurados avaliarão os cinco finalistas selecionados em diversos critérios como criatividade, originalidade, qualidade de escrita e viabilidade comercial, escolhendo o título vencedor que receberá R$ 40 mil, metade em um prêmio em dinheiro dado pela Amazon.com.br e outros R$ 20 mil como adiantamento por um contrato de publicação para a versão impressa. O livro vencedor receberá ainda uma edição especial pela TAG - Experiências Literárias. Todos os livros dos finalistas receberão versão em audiobook, que estará disponível no Audible, plataforma de audiolivros da Amazon.

PublishNews, Redação, 18/11/2020

A Feira Virtual do Livro do Flipoços encerrou sua primeira edição no último dia 15 com alguns números importantes. Segundo levantamento feito pelas agências GSC e Nubbi, empresas que organizaram o evento, pessoas de mais de 45 países visualizaram as mesas do evento e a permanência e frequência dentro da plataforma bateu cinco mil pessoas em média por dia. Sobre vendas e atendimentos, as editoras estão finalizando os levantamentos para passarem para a organização. A feira pode ter acabado, mas a plataforma que abriga o evento ficará disponível até janeiro de 2021, para que as editoras ainda possam trocar informações sobre seus livros e manter descontos e promoções especiais nos seus lançamentos. O público também pode continuar acessando o site e assistindo as mesas que estão disponíveis sem a necessidade de login.

PublishNews, Redação, 17/11/2020

O Museu Casa Guilherme de Almeida está com as inscrições abertas para a sexta edição do encontro Tradução dos Clássicos no Brasil. O evento acontece nos dias 27 e 28 de novembro e dará destaque para trabalhos que propiciem aos participantes o contato com diferentes métodos empregados por tradutores a fim de recriar em língua portuguesa, para o público contemporâneo, características próprias dos gêneros literários do mundo clássico, como o drama, a lírica e a épica. No dia 27, João Angelo Oliva Neto irá discutir e aprofundar a tradução de poemas de gênero da poesia antiga grega e romana na problemática da poética contemporânea. A palestra Marcas de gênero na poesia antiga: problemas de tradução será às 14h. No dia seguinte, depois de mesas focando nos inúmeros aspectos da tradução, Guilherme Gontijo Flores e Leonardo Antunes compõem a mesa das 16h, intitulada Entre tempos e amores: sobre a linguagem tradutória para Safo e poemas anônimos do Antigo Egito. Para conferir a programação completa e se inscrever no evento, clique aqui.

PublishNews, Redação, 18/11/2020

Há 50 anos, o escritor norte-americano de origem italiana Mário Puzo escreveu uma das obras mais célebres da literatura: O poderoso chefão (Record, 496 pp, R$ 89,90). Em comemoração ao centenário do autor, a editora publica edição de luxo, em capa dura da obra e com tradução de Denise Bottmann. O clássico, que inspirou o filme estrelado por diversos artistas de Hollywood, revela um contundente submundo do crime dos anos 1940. Tirano, chantagista e assassino, mas amigável, justo e coerente. Esse é Don Corleone, o capo mais mortal da Máfia, o padrinho, o poderoso chefão. Era a ele que todos recorriam quando precisavam de ajuda, e nunca saíam decepcionados. A sua recompensa era a amizade do devedor. Mas poderia ser também a prestação de algum pequeno favor para saldar a dívida. Porém nenhum homem se mantém no topo para sempre, não quando ele tem inimigos dos dois lados da lei. À medida que o já idoso Vito Corleone se aproxima do fim de uma longa vida no crime, seus filhos precisam se preparar para administrar os negócios da família. Tanto a polícia como os implacáveis chefes do crime rivais sentem o cheiro de sangue e para que a família Corleone sobreviva, ela precisa de um novo Don.

PublishNews, Redação, 18/11/2020

Em 1849, Dostoiévski, então com 28 anos, foi preso e condenado à morte por sua participação no Círculo de Pietrachévski, um grupo de intelectuais críticos ao regime tsarista. Instantes antes do fuzilamento, sua pena foi comutada para quatro anos de trabalhos forçados no presídio de Omsk, seguidos de mais quatro anos servindo como soldado raso em Semipalátinsk. O período passado na Sibéria foi marcante para o escritor, que viu cair por terra sua imagem idealizada do povo russo, ao conviver com a dura realidade dos prisioneiros comuns vindos de todas as regiões da Rússia. Um dos resultados dessa experiência-limite foi o livro Escritos da casa morta (408 pp, R$ 79 – Trad.: Paulo Bezerra) - também conhecido como Recordações da casa dos mortos. Publicado entre 1860 e 1862, a obra parte de um registro antropológico da vida e dos costumes dos presos comuns, encarcerados com ele na fortaleza de Omsk, para empreender um mergulho profundo na psicologia do ser humano. O livro encerra o esforço da Editora 34 para publicar a obra completa de ficção de Dostoiévski. Ao todo são 23 volumes escritos ao longo de 20 anos que, juntos, formam um verdadeiro monumento da literatura russa e universal. Os títulos foram vertidos diretamente do idioma original para o português por um time consagrado de tradutores de diferentes gerações.

“A esperança no combate ao ódio está nos livros.”
José Eduardo Agualusa
Escritor angolano
1.
Escolha sua vida
2.
Decida vencer
3.
A sutil arte de ligar o foda-se
4.
Mais esperto que o diabo
5.
Eu sou, eu posso!
6.
Do mil ao milhão
7.
Pai rico, pai pobre - Edição de 20 anos
8.
Box Harry Potter
9.
O poder da autorresponsabilidade
10.
O milagre da manhã
 
PublishNews, Redação, 18/11/2020

Conto ou novela? Realismo ou alegoria? Razão ou insensatez? O Alienista (Cobogó, 120 pp, R$ 69), de Machado de Assis, é antes de tudo um texto clássico, que trata de questões atemporais e, agora, chega em uma edição ilustrada pelas obras da artista mineira Rivane Neuenschwander. Na obra, um médico estudioso do juízo humano inaugura um hospício em Itaguaí, a infame Casa Verde, “bastilha da razão humana”. Após internar compulsoriamente quase todos os cidadãos da pacata cidade, o médico decide, por fim, liberá-los e internar-se a si mesmo. Publicado originalmente em 1882, o texto trata dos limites entre sanidade e loucura, com a ironia machadiana e seu olhar aguçado sobre os personagens curiosamente reconhecíveis na sociedade brasileira. O Alienista reflete e escancara a fragilidade inerente ao conceito de normalidade. Afinal, nem um gênio conseguiria definir o que é normal.

PublishNews, Redação, 18/11/2020

Felipe e Iquela são dois jovens amigos que residem em Santiago e vivem o legado da ditadura do Chile. Felipe anda pelas ruas contando corpos reais e imaginários, aspirando a um número perfeito que possa oferecer algum "encerramento" para si. Em paralela a essa amizade, temos a de Iquela e Paloma, que são velhas conhecidas da infância, e que buscam uma maneira de conciliar suas vidas frágeis com o violento passado militante de seus pais. A trama de A subtração (Moinhos, 204 pp, R$ 60 – Trad.: Silvia Massimini Félix) gira em torno do corpo da mãe de Paloma, que acaba por se perder na viagem que faz da Europa para o Chile. O corpo acaba indo parar na Argentina. Os três, então, seguem numa roadtrip pela cordilheira, enquanto enfrentam a dor que se estende por gerações. O livro de Alia Trabucco Zerán, foi um dos finalistas do Man Booker International Prize em 2019.

 
©2001-2020 por Carrenho Editorial Ltda. Todos os direitos reservados.
Rua Fidalga 471, Conjunto 3 | Vila Madalena | São Paulo | SP | Brasil | 05432-070
O conteúdo deste site não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.