Caso não consiga visualizar corretamente esta mensagem, clique aqui.
PublishNews 06/04/2020
Somos especialistas em criação de projeto gráficos, diagramação de grandes materiais, tratamento de imagens e tradução e revisão de laudas.
Voltada ao segmento de bibliotecas, atende Bibliotecas de Instituições Públicas e Privadas, Colégios, e Empresas, buscando a satisfação das necessidades de seus clientes.
A FMZ está há 17 anos no mercado livreiro/editorial desenvolvendo o HORUS, sistema de gestão específico do segmento
PublishNews, Redação, 06/04/2020

Desde sexta-feira passada, o mercado acompanha com apreensão o desenrolar de mais um capítulo da recuperação judicial da Saraiva. Luis Mario Bilenky, CEO contratado pela varejista em janeiro, enviou e-mail a alguns dos seus credores pedindo uma revisão do plano de recuperação judicial aprovado – a duras penas – em agosto passado. Na sequência do envio do e-mail, Bilenky pediu demissão. No seu lugar, assumiu interinamente Deric Degasperi Guilhen, diretor comercial da empresa. Ao mesmo tempo, foi criado no Conselho de Administração da empresa um comitê extraordinário que irá acompanhar Deric nesse momento de transição. Clique no Leia Mais para ter acesso à íntegra desta nota.

PublishNews, Leonardo Neto, 06/04/2020

Entre os dias 3 de fevereiro e 1º de março – portanto, período pré-recomendações de isolamento social –, as livrarias, supermercados e lojas de autoatendimento monitorados pela GfK registraram a venda de 3,5 milhões de livros, o que redundou em faturamento de R$ 170 milhões. Na comparação com igual período de 2019, esses números apresentaram queda de 3,1% em volume e de 8,8% em valor. De janeiro a fevereiro, os estabelecimentos venderam 8,8 milhões de exemplares, queda de 2,6% em relação a 2019. O faturamento, manteve-se estável, com discreta queda de 0,4%, fechando o acumulado do ano em R$ 447 milhões. O preço médio do livro sofreu variação negativa de 2,6% na mesma base de comparação, fechando os dois primeiros meses do ano em R$ 50,92. Clique no Leia Mais para ter acesso à íntegra desta nota.

PublishNews, Redação, 06/04/2020

A partir desta segunda-feira (06), a Câmara Brasileira do Livro (CBL), em parceria com o PublishNews e com o projeto Vá Ler um Livro, dá início a uma série de “encontros” cujo objetivo é falar sobre o livro e a literatura. Para a “Arena Virtual” – uma referência a um dos espaços de debate da Bienal Internacional do Livro de São Paulo --, serão convidados autores e personalidades e a ideia é que eles contem histórias, deem dicas de leitura e debatam ideias sobre o mundo dos livros. O primeiro convidado é o ator Antonio Fagundes. Na pauta da conversa com Leonardo Neto, editor do PublishNews, estarão as suas influências, os eventos que o formaram leitor e os livros que o artista está lendo nesse período de isolamento social. As conversas da Arena Virtual serão transmitidas pelo perfil da CBL no Instagram (@cbloficial). O episódio desta segunda-feira entra ao vivo às 16h. Clique no Leia Mais e tenha acesso à íntegra desta nota.

PublishNews, Talita Facchini, 06/04/2020

O país tem cerca de cinco milhões de empresas varejistas, a maioria delas com faturamento de até cinco milhões de reais. No entanto, estima-se que apenas cerca de cinquenta mil atuam no comercio digital, ferramenta que se tornou indispensável nesse momento em que a pandemia de covid-19 nos obriga a estar em isolamento social. Com as lojas fechadas, as varejistas precisam achar alternativas para sobreviver e pensando nisso, o Magalu lançou duas plataformas digitais de vendas para colocar esses micro e pequenos empreendedores no mundo digital e permitir que eles vendam seus produtos na internet. Por isso, o Podcast do PublishNews recebeu nesta edição Mariana Castriota, gerente do Parceiro Magalu Empresa, e Cristiane Carvalho Davison, gerente de produtos da Magalu. Lançado no último dia 31, o projeto do Parceiro Magalu Empresa já estava em andamento, mas foi colocado no ar em 10 dias, por conta da urgência do momento. Mariana explicou que a ideia é justamente auxiliar o lojista de porta de loja, que está com seu negócio na rua e que em decorrência dessa pandemia, teve que fechar as portas e ainda não arrumou uma solução para trazer receita para o seu negócio. “O Parceiro Magalu Empresa nada mais é do que uma plataforma de gestão simplificada da loja. Ele tem milhares de facilidades dentro dessa plataforma”, contou. Uma dessas facilidades é a possibilidade de fazer o inventário do estoque, subir os produtos com o código de barras e monitorar os clientes. Clique no Leia Mais para ouvir o programa e saber mais detalhes das novas plataformas.

PublishNews, Redação, 06/04/2020

Criada em 2011 como uma solução de biblioteca digital para instituições de ensino superior, a Minha Biblioteca está sob nova direção. Richardt Feller, à frente da empresa desde a sua fundação, passa o comando para Mauro Azevedo (foto ao lado), que assume o cargo de diretor-executivo da plataforma. Mauro acumula 20 anos de experiência no mercado, tendo passado ela Thomson Reuters/Revista dos Tribunais e BookPartners. Hoje, o acervo digital da Minha Biblioteca é composto por 11 mil títulos das principais editoras de CTP do Brasil. A ferramenta é utilizada por mais de 800 universidades e atende a aproximadamente três milhões de usuários.

PublishNews, Redação, 06/04/2020

A indústria gráfica brasileira é outra que sofre com a pandemia do novo coronavírus. Segundo o Valor, a falta de capital de giro já começou a fechar empresas. O setor estima ainda um impacto negativo de R$ 20 milhões e enviou ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), ao Ministério da Economia e à Presidência da República, ofícios pedindo acesso imediato a linhas de crédito para capital de giro e suspensão das amortizações de dívidas por até seis meses. Segundo Levi Ceregato, da Abigraf Nacional, o quadro ainda é mais preocupante entre as empresas que não se encaixam no perfil de quem poderá ser socorrido pelo governo. Do total de gráficas cadastradas, mais de 80% fatura menos de R$ 300 mil por ano. O Valor também chamou novamente a atenção para o fato de Saraiva e Cultura suspenderem os pagamentos a editores e fornecedores por tempo indeterminado. Segundo o jornal, a atitude das varejistas não agradou os editores. Diego Drumond, diretor da Faro, foi um dos articuladores do acordo que firmou a retomada dos negócios entre editoras e a Saraiva, que se encontrava inadimplente. “Essa postura unilateral fecha as portas para um possível diálogo futuro”, disse à coluna do Caldeira. Para Vitor Tavares, presidente da CBL, “O mercado tem fôlego próprio para sobreviver por mais cerca de 20 dias”. O grupo Juntos Pelo Livro, que já havia publicado uma carta cobrando pagamento das livrarias, se reuniu para escrever um outro documento com demandas, desta vez a ser enviado ao governo e a entidades setoriais. Clique no Leia Mais para conferir a íntegra desta nota.

PublishNews, Redação, 06/04/2020

Durante anos, João de Deus desfrutou das bênçãos do establishment. Frequentava festas de políticos, recebia artistas brasileiros e estrangeiros, via formarem filas quilométricas em frente à casa onde atendia, na pequena cidade de Abadiânia, no interior de Goiás. No fim de 2018, veio a público uma onda de acusações de assédio sexual contra o líder espiritual. Dezenas de mulheres saíram da sombra para contar experiências de abuso e estupro. Em seguida surgiram as denúncias na Justiça. A casa (Todavia, 264 pp, R$ 59,90) mergulha nessa história e mostra que ela é ainda mais assustadora. Atores foram contratados para fingir serem doentes. Uma escritora estrangeira pagou para acobertar abusos do líder no exterior. Mortes e assassinatos ficaram sem explicação. Durante o processo de apuração, ao longo do ano de 2019, o jornalista Chico Felitti visitou a cidade meia dúzia de vezes. Passou uma semana dentro da seita. Saiu de lá com uma reportagem capaz de revelar as entranhas de um líder à brasileira: corrupto e empreendedor, criminoso e carismático, sedutor e profundamente cruel.

PublishNews, Redação, 06/04/2020

A memória e o guardião (Civilização Brasileira, 380 pp, R$ 59,90) revela a correspondência do então presidente João Goulart, iniciada em 1961 e interrompida em 1964, quando, ao conclamar o país a reformas de base, foi deposto por um golpe cívico-militar. Por quase 40 anos, o guardião desse arquivo foi o oficial de gabinete Wamba Guimarães, que dois dias depois do golpe, a pedido de Jango, partiu com duas malas repletas de correspondências – e as manteve em segurança até sua morte, em 2003. Neste livro, Juremir Machado da Silva – vencedor do Prêmio Açorianos e APCA por Raízes do conservadorismo brasileiro – busca outros significados nas palavras de gentileza, conselho e rapapé ao presidente, reunidas em 927 itens, como cartas, telegramas, relatórios, informes, cartões de Natal, de aniversário, de Ano-Novo, entre outras congratulações. Organizando as tramas de uma intrincada rede de interesses, o autor reconstrói o complexo contexto do governo de João Goulart e descortina os bastidores do poder e da elite no Brasil.

“Um livro se prova quando enfrenta o grande desafio de chegar aos leitores.”
Jotabê Medeiros
Escritor brasileiro em entrevista ao Jornal Cândido
1.
Luluca - No mundo dos desafios
2.
Mais esperto que o diabo
3.
Os quatro segredos sagrados para o amor e a prosperidade
4.
As armas da persuasão
5.
Alcançando excelência em vendas spin selling
6.
Como fazer amigos e influenciar pessoas
7.
Quem pensa enriquece: o legado
8.
Atitude mental positiva
9.
Mais esperto que o diabo (edição de bolso)
10.
Como fazer amigos e Influenciar pessoas - Edição comemorativa 80 anos
 
PublishNews, Redação, 06/04/2020

O livro Os sentidos do mundo (Boitempo, 416 pp, R$ 83 – Trad.: Artur Renzo) reúne ensaios escolhidos pelo professor David Harvey, da Universidade da Cidade de Nova York, oferecendo uma síntese retrospectiva de suas mais importantes contribuições teóricas. A coletânea abarca um imenso leque de temas – da ecologia à pós-modernidade, passando por imperialismo, geopolítica, história urbana, crises financeiras e as dinâmicas de urbanização – e ao mesmo tempo revela um fio condutor comum e uma coerência articulada no trabalho de edição. Harvey é um dos mais notáveis intelectuais marxistas da última metade do século e um dos autores mais citados do mundo nas ciências sociais. Além de reunir artigos clássicos, a obra traz ensaios inéditos em língua portuguesa, todos acompanhados de comentários do autor, explicando o contexto da publicação original e refletindo sobre sua atualidade e sua relevância para a contemporaneidade.

PublishNews, Redação, 06/04/2020

Tendemos a deixar os assuntos filosóficos para os filósofos, como deixamos a ciência para os cientistas: coisas muito complicadas, inalcançáveis. Na opinião de Scott Samuelson, isso é trágico tanto para nossas vidas quanto para a filosofia. Em A filosofia da vida cotidiana (Zahar, 272 pp, R$ 69,90 – Trad.: Maria Luiza X. de A. Borges), ele toma a filosofia de volta dos especialistas e a recoloca em seu devido lugar: no centro de nossa humanidade, como nosso esforço mais profundo em direção à compreensão e como um modo de vida que qualquer pessoa pode adotar. Professor de um curso universitário comunitário, Samuelson explora as obras de alguns dos mais importantes pensadores no contexto das lutas cotidianas de seus alunos. Através das obras de Sócrates, Epicuro e Kant entre outros, o autor guia o leitor pelas perplexidades de nossa existência, mostrando como pode ser enriquecedor refletirmos sobre a vida.

 
©2001-2020 por Carrenho Editorial Ltda. Todos os direitos reservados.
Rua Fidalga 471, Conjunto 3 | Vila Madalena | São Paulo | SP | Brasil | 05432-070
O conteúdo deste site não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.