Global 50: Duas brasileiras se mantêm entre as maiores editoras do mundo
PublishNews, Redação, 21/10/2021
Somos e FTD estão entre as maiores empresas editoriais do mundo, ocupando as posições de número 47 e 55, respectivamente. A RELX Group (Reed Elsevier) lidera o ranking, sendo seguida pela Tomsons Reuters e Berstelsmann.

Todos os anos, o consultor austríaco Ruediger Wischenbart, em parceria com os principais veículos da cobertura da indústria editorial mundo afora, lança o Global 50 - The ranking of the publishing industy, estudo que apresenta dados e análises fundamentais sobre as maiores empresas editoriais do mundo.

Pela metodologia, o estudo mapeia as 55 editoras que tiveram faturamento superior a 150 milhões de euros no ano anterior, analisa as tendências da indústria e apresenta perfis detalhados das empresas resumindo seu recente histórico. A pesquisa desse ano, contém os resultados do ano fiscal de 2020.

Mais uma vez, a RELX Group (Reed Elsevier) lidera o ranking com faturamento de 4,7 bilhões de euros. A Thomson Reuters aparece em segundo lugar com um faturamento de 4,17 bilhões e a Bertelsmann em terceiro, com 4,1 bilhões.

O estudo destaca ainda algumas mudanças na lista entre as dez primeiras empresas colocadas. A Bertelsmann - dona da Penguin Random House e que está no processo de adquirir a Simon & Schuster – subiu da 4ª para a 3ª posição. A British Person, editora educacional, ficou com a 4ª posição e a chinesa Phoenix subiu para o nono lugar. Em 2019 ela estava na posição de numero 11.

Além disso, duas editoras brasileiras continuam na lista. A Somos Educação (parte da Cogna Educação), aparece na 47ª posição, com faturamento de 236 milhões de euros e a FTD, no 55º lugar, com faturamento de 139 milhões em 2020.

O estudo tem ainda um espaço reservado para falar sobre a Cogna Educação. Em 2018, a companhia - até então conhecida como Kroton Educação – assumiu o controle da Somos Educação e é hoje, a maior empresa privada de educação do Brasil. Já sobre a FTD, o estudo destaca o investimento da empresa em soluções de aprendizagem digital.

Competição e consolidação

O Global 50 destaca ainda que as mudanças globais e novas alianças, estão além do núcleo da indústria do livro. A reestruturação atual inclui várias linhas de ação: as fusões e aquisições que – segundo o estudo – não estão limitadas somente aos grandes líderes globais; as fusões também nos grupos de publicações educacionais e no setor de distribuição; e ainda o reposicionamento e globalização de novos participantes, como plataformas de autopublicação e crossmedia.

O estudo completo, feito em parceria com o Bookdao (China), buchreport (Alemanha), Livres Hebdo (França) e Publishers Weekly (EUA), pode ser baixado clicando aqui.

[21/10/2021 10:00:00]