Itatiaia-Garnier, a fênix que ressurge entre os mais vendidos
PublishNews, Leonardo Neto, 05/04/2021
Editora cujo embrião aparece no século 19 desponta na Lista dos Mais Vendidos, emplacando sete clássicos de Dimitri Merejkovsky, Mario de Andrade, Voltaire, Machado de Assis, Kafka e Balzac

Em 24 de janeiro de 1844, o navio Stanislas aportou no Rio de Janeiro trazendo uma leva de europeus esperançosos por tentar uma vida nova no Brasil. Nessa viagem, o navio trouxe Baptiste Louis Garnier (1823-1893), filho de uma família tradicional de livreiros de Paris, que veio para o Novo Mundo revolucionar o mercado de livros por aqui. Tão logo chegou, Garnier se estabeleceu na Rua do Ouvidor, no centro da cidade do Rio de Janeiro e encontro um Brasil em expansão. Relativas prosperidade e estabilidade política serviram de combustível para os negócios do livreiro por aqui. Fez história. Machado de Assis, José de Alencar, Joaquim Manuel de Macedo e Bernardo Guimarães foram alguns dos autores que cresceram nas mãos de Garnier.

Depois da sua morte, em 1893, o negócio vai para as mãos do irmão, François-Hyppolyte e mais tarde, em 1934, é vendido para Ferdinand Briguiet. Na década de 1950, é comprada pela Difel e, mais tarde, em 1973, a Garnier vai para as mãos da mineira Itatiaia, que é comprada pelos irmãos Teles, os mesmos donos da Rede Leitura, em 2018.

Franz Kafka, Honoré de Balzac, Machado de Assis, Mario de Andrade, Dimitri Merejkovsky e Voltaire
Franz Kafka, Honoré de Balzac, Machado de Assis, Mario de Andrade, Dimitri Merejkovsky e Voltaire

Essa história toda para chegar em abril de 2021, quando a Itatiaia – Garnier ganha destaque na Lista dos Mais Vendidos do PublishNews ao emplacar sete títulos – todos clássicos em domínio público – no Ranking. Em Não Ficção, a editora colocou Napoleão, de Dimitri Merejkovsky, em oitavo lugar, com 194; Os cocos, de Mario de Andrade, em décimo, com 181, e Zadig ou o destino, de Voltaire, em 18º, com 150.

Os outros quatro aparecem em Ficção: Contos novos, de Mario de Andrade, em 13º, com 227; Papeis avulsos, de Machado de Assis, em 14º, com 225; O castelo, de Franz Kafka, em 15º, com 224 e Contos picarescos, de Honoré de Balzac, em 18º, com 205.

Na série da Netflix, o ator Omar Sy vive Assane Diop, que se inspira em Lupin para cometer crimes | © Divulgação
Na série da Netflix, o ator Omar Sy vive Assane Diop, que se inspira em Lupin para cometer crimes | © Divulgação
E por falar em clássico e em Ficção, outro estreante na categoria foi Arsène Lupin, o ladrão de casaca (Pandorga), de Maurice Leblanc, traduzido direto do francês por Regina Nowaski. O título que inspira a série de sucesso na Netflix, Lupin, ficou em quarto lugar, com 704 cópias vendidas. O título garantiu também a 14ª posição do Ranking Geral.

E por falar nele, o Geral é liderado por Faça o amor ser fácil (Opala) de Thamires Hauch, com 2.680. Mais esperto que o diabo (Citadel), de Napoleon Hill, ficou em segundo, com 1.634, e o box com as obras de George Orwell da Pandorga completa o pódio, com 1.626.

Além do sucesso do Ladrão de Casaca e dos títulos da fênix Itatiaia, a lista trouxe outras sete novidades, cinco delas em Negócios. Indo do fim pro começo, na 18ª posição da categoria, apareceu Inventar & vagar (Alta Books), que reúne textos escritos por Jeff Bezos, o fundador da Amazon. A coletânea reúne algumas das famosas cartas que Bezos escreve para seus acionistas, além de transcrições de palestras e de entrevistas que revelam seus antecedentes, trabalho e a evolução e suas ideias. Empatado com Bezos, na 18ª posição, apareceu pela primeira vez Ideias rebeldes (Alta Life), de Matthew Syed. Na 17ª, estreou Atravessando o abismo (Alta Books), de Geoffrey A. Moore, com 301; na 11ª, apareceu pela primeira vez Indispensável imbatível e invencível (Gente), de Marcos Scaldelai, com 402 e, em terceiro lugar de Negócios, estreou A arte de manipular a sorte (Citadel), de Francisco Sosa, com 721, número suficiente para garantir a posição de número 13 do Ranking Geral.

As outras duas novidades estão em Autoajuda: O lado bom das bactérias (Gente), de Alessandro Silveira, em terceiro lugar, com 1.085 – sexto lugar do Ranking Geral – e Cartas de um diabo a seu aprendiz (Thomas Nelson Brasil), de C.S. Lewis, em 12º, com 388.

O Ranking Geral das Editoras é liderado pelo Grupo Companhia das Letras, que emplacou 14 títulos na lista. A Sextante ficou em segundo, com nove e a Alta Books completa o pódio, com oito.

[05/04/2021 11:50:00]