Liberdade, a razão de ser
PublishNews, Redação, 30/01/2019
Levando em conta as ideias de Hannah Arendt, livro analisa a experiência das revoluções e a importância da liberdade

É bem conhecida a sentença de Hannah Arendt segundo a qual a liberdade é a razão de ser da política. Raras vezes, contudo, ela falou de forma tão sintética e penetrante a esse respeito quanto na palestra Liberdade para ser livre, redigida em meados dos anos 1960.No livro de mesmo nome, mais uma vez, a experiência das revoluções é tomada como ponto de partida da análise da pensadora alemã. Mesmo que as revoluções tenham deixado de ser frequentes entre nós, a reflexão de Arendt sobre elas é permeada de comentários que não envelheceram. Deve-se notar sua condenação das intervenções militares, que, até quando bem-sucedidas, em casos isolados, teriam sido incapazes de preencher o vácuo de poder, uma vez que nem mesmo a vitória substituiria o caos pela estabilidade, a corrupção pela honestidade, ou a desintegração pela confiança no governo. Nada legitima o poder, a não ser a política. Os textos sobre eles incluídos em Liberdade para ser livre (Bazar do Tempo, 76 pp, R$ 40) dão testemunho dessa visão. Ambos inéditos no Brasil, assim como a atualíssima análise sobre a liberdade. Uma reflexão essencial para momento em que buscamos entender os sentidos da política.

[30/01/2019 07:00:00]