Mais um livro no radar da censura
PublishNews, Redação, 03/10/2018
Livro de Luiz Puntel foi suspenso a pedido dos pais em colégio carioca. Motivo? A história de uma família exilada durante a ditadura militar 'doutrinaria crianças com a ideologia comunista'

Depois de polêmicas envolvendo as obras Aparelho sexual & cia (Companhia das Letras), de Hélène Bruller, e O menino que espiava pra dentro (Global), de Ana Maria Machado, mais um livro entrou na lista de obras vitimadas por uma onda conservadora. A obra Meninos sem pátria (Ática / Somos), de Luiz Puntel, lançado em 1981, foi suspensa do Colégio Santo Agostinho Leblon, no Rio de Janeiro, a pedido dos pais. Eles alegam que o livro, objeto de estudo de alunos do 6º ano, “doutrina crianças com ideologia comunista” e que promove um “discurso esquerdopata”. O livro acompanha a história de uma família obrigada a se exilar durante o período de vigência da ditadura militar no Brasil. A’O Globo, Puntel contou que o livro foi escrito dois anos após a anistia, evento histórico que lhe serviu de inspiração e que a obra se baseia no drama da volta dos exilados, e não em uma apologia ao comunismo. “Lamento a existência da censura quando vemos como o país precisa da democracia. Quero pensar um pouco e ver com a editora se alguma coisa precisa ser feita”. Procurada, a editora não se manifestou até o fechamento desta edição.

Tags: Ática
[03/10/2018 06:00:00]