Caso não consiga visualizar corretamente esta mensagem, clique aqui.
PublishNews 27/08/2021
A área de Soluções em Acessibilidade é uma divisão da Fundação Dorina Nowill para Cegos criada para oferecer o mais amplo portfólio de produtos e serviços acessíveis a empresas que desejam não apenas se adequar à lei
Há mais de 50 anos servindo a cultura e educação, é uma das maiores distribuidoras de livros para o ensino de idiomas, técnicos e científicos.
A Catavento atua no mercado de distribuição de livros para todo o país.
PublishNews, Leonardo Neto, 27/08/2021

Lucinda Riley nasceu na Irlanda e, após uma carreira inicial como atriz de cinema, teatro e televisão, escreveu seu primeiro livro aos 24 anos. Acabou se tornando uma best-seller internacional e conquistando uma legião de fãs no Brasil. Ela morreu em junho passado, aos 55 anos, vítima de um câncer. Em uma de suas passagens pelo Brasil, visitando a Bienal do Livro de São Paulo de 2016, ela disse ter vivido o seu “momento Madonna”, uma referência aos fãs enlouquecidos que gritavam seu nome. “Viajo o mundo todo, vejo muitos lugares, mas normalmente não sinto o que o Brasil despertou em mim”, disse ao Estadão na época. A sua série mais popular é As sete irmãs, aqui no Brasil publicada pela Arqueiro. Fenômeno global, os livros da franquia já venderam mais de 15 milhões de exemplares e está sendo adaptada para a TV. A irmã desaparecida é o sétimo título da série. Recém-lançado no Brasil, o título conquistou o segundo lugar do Ranking Geral da Lista dos Livros Mais Vendidos do PublishNews. Foram 3.311 exemplares vendidos. Ao longo da série, cada uma das seis irmãs D’Aplièse seguiu uma jornada para descobrir sua ascendência, mas elas ainda têm uma pergunta sem resposta: quem é e onde está a sétima irmã? Essa busca vai levá-las numa viagem pelo mundo – Nova Zelândia, Canadá, Inglaterra, França e Irlanda –, unindo-as em sua missão de finalmente completar a família. O livro ficou atrás apenas de As 9 leis inegociáveis da vida (Gente), de Marcel Scalcko, que estreou na semana passada, ocupando o primeiro lugar do Ranking Geral. Essa semana, repetiu a dose e somou mais 3.970 exemplares vendidos (nas duas semanas, foram 8.304). A terceira posição do Ranking Geral é ocupado por outro título da Gente, o estreante Máquina de aquisição de clientes, de André Siqueira, com 2.988. Clique no Leia Mais e confira outros destaques da Lista dos Livros Mais Vendidos do PublishNews dessa semana.

PublishNews, Redação, 27/08/2021

Esta semana, O Globo noticiou que Carlos Drummond de Andrade não será mais publicado pela Companhia das Letras. Justificando a decisão, a editora – que publica as obras do poeta há dez anos – disse “não ver possibilidade de aceitar os termos de renovação do contrato", sem especificar exatamente quais seriam esses termos. Segundo apuração do jornal, a decisão teria partido da editora, por conta das exigências feitas pela família. Por sua vez, Pedro Drummond, neto do poeta e representante da família nas questões de direitos autorais, preferiu não comentar o assunto e apenas agradeceu ao "pessoal da Companhia pelo trabalho que realizaram nestes anos". Desde 2011, a editora publicou 54 títulos de Drummond, entre poesia, crônica, diários, antologias e livros infantis. Agora, após o rompimento, Pedro disse ao Globo que precisa de tempo para “pensar com a cabeça fria" e decidir o destino da obra do avô. Além disso, após 20 anos, a Agência Riff também deixou de representar a obra do poeta. Em nota pública, a agência disse que “os assuntos relativos à obra e aos diretos autorais de Carlos Drummond de Andrade devem sem tratados, a partir de agora, diretamente com eles [os netos de Drummond, Pedro e Luis Maurício]".

PublishNews, Redação, 26/08/2021

Há quase dez anos no mercado, a editora DarkSide Books se consolidou no mercado com seus livros de terror e fantasia sempre muito bem-acabados. Com um público já fiel, o grupo editorial comandado por Christiano Menezes, Chico de Assis e Marcel Souto Maior, decidiu abrir uma nova editora: a Somos Livros, que chega com um propósito diferente, o de provocar nos leitores novas visões de mundo, publicando obras que trazem pensamentos clássicos e contemporâneos e que possam inspirar o público. Entre os títulos do catálogo, há autores nacionais e internacionais, clássicos modernos e relatos pessoais. Além disso, as obras serão sempre lançadas em ciclos temáticos, acompanhadas de discussões on-line. A ideia é construir um catálogo com pelo menos 80% de títulos de não ficção. O primeiro ciclo de lançamento será dedicado aos filósofos estoicos, como Marco Aurélio e Sêneca, que trazem respostas práticas e objetivas para perguntas eternas: onde mora a felicidade? Como ser resiliente? Como enfrentar nossos medos? Como lidar com a certeza da morte? E como encontrar poesia e serenidade nos dias de hoje? Fazem parte desse ciclo as obras O pequeno manual estoico, de Jonas Salzgeber e Ser estoico: Eterno aprendiz, de Ward Farnsworth. Além delas, a editora também prepara A casa amarela, romance biográfico de Sarah M. Broom; Amanhã hoje é ontem, relato de superação da jornalista Daniella Zupo; Luz no caminho, clássico da filosofia esotérica oriental escrito por Mabel Collins, com tradução de Fernando Pessoa; TAB: Transtorno Afetivo Bipolar, da psiquiatra e pesquisadora Kay Redfield; e Luto sem medo, livro em tom de fábula de Max Porter, editor da revista Granta.

PublishNews, Gustavo Martins de Almeida, 27/08/2021

Decreto de Abertura dos Portos do BrasilHá exatos dois séculos, em 28 de agosto de 1821, era publicado no Rio de Janeiro o Aviso nº 51 (os Avisos tinham força legislativa) do Império, decretando fim da censura as tipografias no Brasil. Foi assinado por Pedro Alvares Diniz, Secretário de Estado dos Negócios do Reino, assim como outros. O teor é altamente significativo pois estipulou o fim da necessidade de autorização real para “a publicação dos escriptos que se pretenderem imprimir”. Para que se tenha uma ideia do significado dessa ordem, vale a pena breve resumo histórico. Clique no Leia Mais para conferir a íntegra deste artigo.

PublishNews, Paulo Tedesco, 27/08/2021

A privatização dos serviços públicos foi assunto que infernizou minha juventude. O arauto da coisa toda, Antônio Britto, assumia o governo do estado do Rio Grande do Sul e prometia liquidar o que pudesse do bem público. Ele era o "querido" das grandes mídias e tido como salvador das finanças públicas gaúchas. Em seu único governo de quatro anos conseguiu pedagiar quase todas as estradas e privatizar muita coisa boa. Só não se reelegeu graças à aparição de um cheque de milhares de reais para, justamente, uma empresa ganhadora de um dos processos de privatização. Tinha eu meus 25 anos e, recordo com clareza, do absurdo ao ver um pedágio caríssimo na divisa de Caxias do Sul e Farroupilha. Como eram os primeiros tempos de vendedor de livros na Livraria do Jurista, isso pesou nos custos de viagem entre a minha cidade, Caxias, e todas as demais cidades da região, como Bento Gonçalves e Garibaldi, onde vendia e atendia advogados e todo o pessoal do meio jurídico com regularidade, sempre carregando minha mala de seus 30 quilos. Mas eram outros tempos, talvez mais tolerantes, e pela idade, a mim tudo parecia maior e mais dificultoso. No fim, aguentei o aumento, claro, com boa revolta, mas os espertos cidadãos caxienses não demoraram a criar uma rota alternativa, que chegou a ser calçada com paralelepípedos pela própria prefeitura, aumentando um pouco o percurso e dispensando totalmente o tal pedágio, que chegou a ficar vazio nos primeiros dias da rota nova. Hoje, numa situação diferente daquela época, com família e tudo aquilo que o cidadão brasileiro sabe da vida neste país, é que surgem as perguntas, inarredáveis: será que conseguiremos criar uma rota alternativa ao nosso querido, muito estimado e muito lucrativo Correios, depois de privatizado? Clique no Leia Mais para conferir a íntegra desta coluna.

PublishNews, Redação, 25/08/2021

A Livraria Leitura de São Bernardo do Campo (SP) abriu uma vaga para supervisor de loja. É necessário ter ensino médio completo e a formação em áreas administrativa ou comercial e experiência em lojas do varejo são considerados diferenciais. É preciso também ter disponibilidade de horário para trabalhar em shopping. As funções do cargo incluem a negociação, consignação, troca e devolução de mercadorias da área junto a fornecedores; negociar e comprar produtos das áreas de acordo com a política adotada pela empresa; fiscalizar e conferir mercadorias e toda nota de compra; precificar as mercadorias para entrada no sistema; treinar e coordenar a equipe de atendentes da loja; criar estratégias de vendas, acompanhar a sua implantação e avaliar resultados; e ainda avaliar e motivar a equipe. Os interessados devem enviar currículos para o e-mail sb.curriculos@leitura.com.br até 15 de setembro.

PublishNews, Redação, 27/08/2021

Um menino é o único em sua família com um superpoder: ele consegue ver os invisíveis. Mas por que as outras pessoas não os enxergam? Nesta reedição de Os invisíveis (Companhia das Letrinhas, 56 pp, R$ 59,90), publicado pela primeira vez em 2013, a narrativa ganha novos contornos e camadas de leitura a partir da parceria entre o escritor Tino Freitas com o escritor, ilustrador e pesquisador Odilon Moraes. A obra traz homenagens a um clássico da literatura mundial, A árvore generosa, de Shel Silverstein, e convida o leitor a refletir sobre personagens cotidianas muitas vezes ignoradas pelas pessoas adultas. Um idoso sentado em um banco de praça, a multidão do centro da cidade, pessoas em situação de rua, uma mulher no mercado de trabalho... Assim, palavras e imagens se juntam para fazer o público refletir sobre como observa a realidade. O lançamento do livro acontece no dia 02 de setembro, às 17h, com participação dos autores e mediação de Gabriela Tonelli (editora da Companhia das Letrinhas), no canal LetrinhaZ no YouTube.

PublishNews, Redação, 27/08/2021

Leuk, a lebre, tem fome. Muita fome. E há semanas, está cruzando a savana em busca de algo para comer. Ao chegar numa aldeia, bate à primeira porta que encontra e se depara frente a frente com a pouco amistosa hiena Buki. Leuk, que tem sempre um truque na cachola, convence a hiena a emprestar-lhe seu caldeirão nem muito sujo nem muito limpo para preparar uma deliciosa sopa de pedra mole. Muito conhecido na Europa e na Ásia em suas diversas versões, o conto popular A sopa de pedra mole (VR, 32 pp, R$ 52,15 – Ilustração: Irene Schoch), escrito por Alain Serge Dzotap e aqui cozido à moda africana, fala da solidariedade em tempos difíceis.

“Um bom livro pode atrair leitores de todas idades.”
Miriam Delefrate Guedes
Escritora brasileira, na Feira Internacional do Livro de Ribeirão Preto (FIL)
1.
As 9 leis inegociáveis da vida
2.
A irmã desaparecida
3.
Máquina de aquisição de clientes
4.
Muito além da expectativas
5.
Mentirosos
6.
Vermelho, branco e sangue azul
7.
Os sete maridos de Evelyn Hugo
8.
Mais esperto que o diabo
9.
Torto arado
10.
Amor & gelato
 
PublishNews, Redação, 27/08/2021

Dizem que o tempo se deposita em todos os lugares: na ferrugem das latas, no amarelar das fotos e nas memórias que enchem os corações das pessoas. Vovó Crisálida, como diversas outras avós por aí, carrega muitas lembranças de outros tempos, antigos amores e grandes momentos dentro de seu coração. Ela diz que o tempo é parte importante da vida e se deposita em vários lugares, como em nossas memórias, corações e em sua misteriosa caixa de fotografias. Até que um belo dia, um de seus netos vai visitá-la e percebe que algo está acontecendo. Em Vovó Crisálida e o mistério da caixa de fotografias (Elementar, 36 pp, R$ 49,90 - Ilustração Romont Willy), obra de Liduina Bartholo de Oliveira, o leitor irá descobrir o paradeiro da avó em uma história sensível sobre a passagem do tempo em nossas vidas.

PublishNews, Redação, 27/08/2021

Além do mar (Elo Editora, 40 pp, R$ 66,50), obra escrita por Ana Rapha Nunes e ilustrada por Rafa Antón, traz a história de Najib, um menino sírio que vê sua vida virar do avesso desde o começo da guerra. Perdas e medos passam a fazer parte do cotidiano da família, que busca encontrar o futuro em outro país: o Brasil. Cheios de esperança, eles viajam para esse país distante, do outro lado do mar, sabendo que enfrentarão muitos desafios, dentre eles o preconceito. A obra mostra para o público infantil a dor de quem vê a guerra de perto e revela que a esperança de uma nova vida pode deixar as tragédias no passado.

PublishNews, Estevão Ribeiro, 27/08/2021

 
©2001-2021 por Carrenho Editorial Ltda. Todos os direitos reservados.
Rua Henrique Schaumann, 1108 A, CEP 05413-011 Pinheiros, São Paulo -SP
O conteúdo deste site não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.