Caso não consiga visualizar corretamente esta mensagem, clique aqui.
PublishNews 31/05/2021
A Transpo Express é uma transportadora que já atua há 10 anos focada completamente no segmento editorial
A Catavento atua no mercado de distribuição de livros para todo o país.
Um agregador digital como a Bookwire, com tecnologia de ponta, informações ágeis e um painel de controle completo é fundamental para o sucesso de sua editora e de seus e-books. E agora toda esta tecnologia está disponível no Brasil.
PublishNews, Redação, 31/05/2021

Crescimento acima da média se explica pelo cenário pandêmico registrado entre o fim de março e início de abril de 2020, quando o comércio ficou fechado. No acumulado do ano, crescimento é de 33%. | © Rosália MeirellesA GfK e a Associação Nacional de Livrarias (ANL) divulgaram os resultados do seu relatório mensal que monitora o varejo de livros no Brasil referente ao período de 05 de abril a 2 de maio. No intervalo, os estabelecimentos monitorados pelo instituto de pesquisa venderam 4,5 milhões de unidades e apuraram faturamento de R$ 180 milhões. Quando confrontados com os números apurados em igual período de 2020, o desempenho ficou positivo em 37% em número de exemplares e 76% em valor. O início da pandemia no Brasil, entre o fim de março e o início de abril de 2020, explica o elevação vultosa registrada agora em 2021. Em abril do ano passado, o comércio estava fechado em praticamente todo o Brasil e o comércio se rearranjava para fazer seus produtos chegarem aos consumidores. No acumulado do ano, a GfK registra a venda de 845 milhões de exemplares e faturamento de R$ 19 milhões. Em relação a 2019, isso significa crescimento de 33% em volume e de 22% em valor. Nessa mesma base de comparação, o preço médio do livro ficou 8% mais baixo. O patamar de descontos sofreu aumento e chegou a 23%, acima dos 15,1% registrados no ano passado. Clique no Leia Mais e confira a íntegra desta nota.

PublishNews, Redação, 31/05/2021

A 63ª edição do Prêmio Jabuti foi lançada com uma promessa: ser mais digital e plural. Mas o que isso pode significar? Ninguém melhor para responder essa pergunta do que Marcos Marcionilo, escolhido para coordenar o conselho curador e o convidado do Podcast do PublishNews dessa semana. Marcionilo é editor, tradutor, sócio da Parábola Editorial e o primeiro negro a ocupar o posto no Prêmio que é o mais tradicional do mercado editorial brasileiro. Na conversa, Marcionilo falou um pouco dos seus planos para o Jabuti, apontou mudanças registradas no regulamento do prêmio, como a preocupação com as questões de raça e gênero; defendeu a escolha de Ignácio de Loyola Brandão como o grande homenageado do ano e falou sobre como pretende fazer uma “Ocupação Jabuti” até novembro, quando deverá acontecer a cerimônia, que novamente será virtual. E já que o assunto é o Jabuti, nunca é demais lembrar que as inscrições seguem abertas até o dia 1º de julho e têm desconto especial de 10% para aquelas realizadas até as 23h59 da próxima sexta-feira (04). As inscrições podem ser feitas pelo Portal de Serviços da CBL. Autores e editores que já possuem cadastro podem efetuar o login com o usuário preexistente, ou adicionar um novo, e selecionar “Prêmio Jabuti”. Já os novos usuários precisarão efetuar um cadastro, criar um login e uma senha antes de selecionar “Prêmio Jabuti” e dar sequência à inscrição. O Podcast do PublishNews é um oferecimento da MVB, a mais completa e moderna plataforma de metadados para o mercado editorial brasileiro e da UmLivro, novo modelo de negócios para o mercado editorial: mais livros e mais vendas. Você também pode ouvir o programa pelo Spotify, iTunes, Google Podcasts, Overcast e YouTube. Clique no Leia Mais para ouvir o programa.

PublishNews, Redação, 31/05/2021

Em sua coluna n’O Globo, Ancelmo Gois adiantou que a exemplo do que ocorreu em 2020, por causa da covid-19, a edição deste ano da Flip, por ora, será híbrida e deverá acontecer entre outubro e dezembro. A Revista Veja informou que com novo plano de recuperação, a Livraria Cultura sonha com retomada e procura uma nova história para escrever. Após escapar de ter sua falência decretada pela Justiça, a empresa conseguiu aprovar um novo aditamento ao seu plano de recuperação judicial na última quarta-feira (26). Em entrevista, Sergio Herz, CEO da rede, disse que aditivo dá fôlego para voltar ao lucro. Taxa de visitas às lojas caiu 50% com a pandemia. Segundo o Valor, o Dia dos Namorados deve movimentar R$ 1,8 bi em vendas. O valor é 29,4% acima do observado em faturamento do setor ligado à data em igual período no ano passado – ano em que se iniciou a crise global causada por covid-19. Os aumentos mais intensos de preços esse ano, para itens ligados ao Dia dos Namorados, são flores (+18,8%), joias e bijuterias (+17,6%) e relógios de pulso (+10,3%). Em contrapartida, deverão estar mais baratos, do que no mesmo período do ano passado, serviços de hospedagem (-7,6%), livros (-5,8%) e artigos de maquiagem (-3,9%). A coluna Painel das Letras adiantou que a poesia do chileno Roberto Bolaño será editada pela primeira vez no Brasil em agosto. A Companhia das Letras vai publicar A universidade desconhecia. Clique no Leia Mais para conferir a íntegra desta nota.

PublishNews, Redação, 31/05/2021

Em dezembro do ano passado, o Podcast do PublishNews recebeu Ivan Errante Costa, sócio da Casa da Árvore, livraria instalada na Pedra do Sal, um lugar histórico no centro do Rio de Janeiro, berço do samba e importante sítio que reconta a triste história dos escravizados trazidos para o Brasil. Não à toa, a livraria é especializada na cultura negra e traz um acervo que dialoga com questões como racismo, feminismo e representatividade das religiões de matriz africana. A notícia agora é que a Casa da Árvore abriu uma nova unidade, desta vez na Tijuca, bairro da Zona Norte da capital fluminense. A nova loja, que tem 18m² e mantém o mesmo foco da loja da Pedra do Sal, fica na Rua Almirante Gavião, 6 - Loja C.

PublishNews, Redação, 31/05/2021

A Ediouro, que abriga as marcas Ediouro Educação, Nova Fronteira, Petra, Pixel, Agir e Coquetel, está à procura de um analista de comunicação júnior. É necessário ter formação superior completa em Comunicação Social / Jornalismo, domínio do Pacote Office, experiência anterior em assessoria de imprensa ou redação e ter conhecimento da língua inglesa. Conhecimento do Photoshop e outros programas de edição de imagem, bem como experiência anterior no mercado editorial são considerados diferenciais. As funções do cargo incluem redigir releases e notas sobre os lançamentos dos diversos selos do grupo Ediouro; elaborar planos de comunicação para divulgar os livros da casa; mapear contatos de jornalistas, produtores e influenciadores, preparar sugestões de pautas para veículos de todo o país; conhecer o catálogo da editora, acompanhar futuramente autores em lançamentos e feiras literárias e organizar clipping e apresentações de resultados. Os interessados devem enviar currículos para o e-mail rh10jorge@gmail.com, colocando no assunto o nome da vaga.

PublishNews, Redação, 31/05/2021

Nos últimos meses, a Feira do Livro de Frankfurt organizou workshops digitais para editores da América Latina, países de língua árabe, África e Sudeste Asiático para apoiar os participantes na venda de direitos internacionais – especialmente em tempos de pandemia global. Uma das participantes desses workshops foi a editora Raquel Menezes, sócia da Oficina Raquel, ex-presidente da Liga Brasileira de Editoras (Libre) e finalista do Prêmio Jovens Talentos 2019. Em entrevista ao site da feira, ela compartilhou alguns aprendizados e deu sua opinião sobre o mercado editorial brasileiro. “Infelizmente, ele já estava em crise antes de ser atingido pela pandemia. O pouco investimento em educação faz de nós um país com baixo número de leitores. Em muitas áreas, pudemos observar que muitas coisas estavam piorando ainda mais. Por outro lado, porém, as pessoas em casa começaram a ler mais, inclusive e-books e audiolivros. Isso é um efeito positivo”, disse. Nos últimos anos, Raquel expandiu o catálogo da editora e fez mudanças significativas no negócio. “Fizemos várias adaptações: investimentos em redes sociais e marketing digital, e passamos a olhar ainda mais de perto todas as oportunidades digitais”, disse, acrescentando ainda que o plano em dezembro de 2020 era publicar 25 livros em 2021, mas que em fevereiro deste ano, resolveu diminuir para 17 livros. Na entrevista que pode ser lida íntegra clicando aqui, ela ainda fala sobre como é ter uma editora independente, as mudanças ocasionadas pela pandemia e ainda falou sobre a importância dos workshops oferecidos pela Feira e suas expectativas para participar do Frankfurt Rights. A mexicana Genoveva Muñoz, da editora La Cifra Editorial, foi a primeira editora a ser entrevistada pela feira.

Alan Querry, um investidor imobiliário bem-sucedido do Norte da Inglaterra, tem duas filhas: Vanessa, uma filósofa que vive e leciona em Saratoga Springs, NY, e Helen, executiva de uma gravadora com sede em Londres. As irmãs nunca se recuperaram do divórcio amargo dos pais e da morte precoce da mãe – particularmente Vanessa, que desde a adolescência era atormentada por crises de depressão. Quando sofre uma nova crise, Alan e Helen viajam para Saratoga Springs. Ao longo de seis dias de inverno no norte de Nova York, a família Querry começa a enfrentar os problemas que impulsionam a história de Upstate (Sesi-SP, 248 pp, R$ 69,90 – Trad.: Leonardo Froes). Por que algumas pessoas consideram a vida muito mais difícil do que outras? A felicidade é uma habilidade que pode ser desenvolvida, ou é um feliz acaso do nascimento? A reflexão é útil à felicidade, ou dificulta a sua conquista? Se, como diz o filósofo favorito de Vanessa, "o único empreendimento sério é viver", como devemos viver? Com uma visão humana rica e sutil, repleto de retratos pungentes e muitas vezes engraçados, Upstate, obra do crítico literário James Wood, é um romance perspicaz e intensamente comovente.

PublishNews, Redação, 31/05/2021

Aos 60 anos de idade, quatro décadas depois de estrear como poeta e inconformada com a tímida recepção de sua obra, Hilda Hilst tomou uma atitude radical. Em 1990, com O caderno rosa de Lori Lamby (Companhia das Letras, 80 pp, R$ R$ 39,90), resolveu se despedir da “literatura séria” e se dedicar a escrever “adoráveis bandalheiras”. A narradora, Lori, é uma menina de oito anos que decide se prostituir, com o consentimento dos pais, e registrar tudo — tudo mesmo — em seu diário. Com humor ácido e autoconsciência brutal, ela relata os desenlaces da sedução e o prazer que o dinheiro lhe traz. Não à toa, a premissa escandalosa rendeu as mais diversas e enfáticas interpretações dos críticos e continua despertando a ávida curiosidade dos leitores. No posfácio a esta edição, a psicanalista Vera Iaconelli destaca como Hilda Hilst, ao questionar nossas certezas e ultrapassar o limite da razão, escreveu uma obra que impressiona pela ousadia e atualidade.

“Cada grande livro redefine a função da literatura.”
Jérôme Ferrari
Escritor francês
1.
Torto arado
2.
Mais esperto que o diabo
3.
Mentirosos
4.
A rainha vermelha
5.
Mulheres que correm com os lobos (capa dura)
6.
Vermelho, branco e sangue azul
7.
Corte de espinhos e rosas
8.
Box Harry Potter
9.
A nova batalha
10.
O milagre da manhã
 
PublishNews, Redação, 31/05/2021

Quem não conhece o senhor Sommer? Na Vila de Baixo como na Vila de Cima, às margens do lago ou pelos campos ao redor, todos já viram a figura magra que, sempre de mochila às costas e cajado em punho, anda por toda parte, o tempo todo, sem descanso – e sem propósito aparente. Qual o segredo por trás dessas andanças sem fim do velho esquisitão? Ninguém sabe, talvez ninguém mais se importe – ninguém, a não ser o jovem narrador de A história do senhor Sommer (Editora 34, 96 pp, R$ 58 – Trad.: Samuel Titan Junior | Ilustração: Jean-Jacques Sempé). Ambientada na Alemanha dos anos seguintes à II Guerra Mundial, esta novela de Patrick Süskind acompanha com humor e delicadeza os anos de formação do rapaz, marcados pelas aparições acidentais – e decisivas – do enigmático andarilho. Aos poucos, vai se revelando para o jovem algo do segredo do senhor Sommer — e também alguma coisa das maravilhas e das agruras que a vida reserva para cada um de nós.

PublishNews, Redação, 31/05/2021

Em meio a protestos, conflitos e bombardeios durante a guerra civil de 2011 na Síria, a jovem Nur é forçada a deixar o país em busca de segurança. Quase mil anos antes, Rawiya, aprendiz de cartografia, traça exatamente a mesma rota, numa saga épica por terras desconhecidas. As duas jornadas de amadurecimento se intercalam, enquanto que as protagonistas, embora separadas por séculos de história, espelham as diferentes faces de milhões de refugiados do Oriente Médio e norte da África. O mapa de sal e estrelas (Dublinense, 368 pp, R$ 64,90 – Trad.: Carol Chiovatto), de Zeyn Joukhadar, escritor nova yorkino de origem Síria, mostra como dois mundos supostamente opostos podem ser interconectados.

 
©2001-2021 por Carrenho Editorial Ltda. Todos os direitos reservados.
Rua Henrique Schaumann, 1108 A, CEP 05413-011 Pinheiros, São Paulo -SP
O conteúdo deste site não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.