Caso não consiga visualizar corretamente esta mensagem, clique aqui.
PublishNews 02/12/2020
A Transpo Express é uma transportadora que já atua há 10 anos focada completamente no segmento editorial
A área de Soluções em Acessibilidade é uma divisão da Fundação Dorina Nowill para Cegos criada para oferecer o mais amplo portfólio de produtos e serviços acessíveis a empresas que desejam não apenas se adequar à lei
Há 14 anos no mercado, representa cerca de 400 editoras do comércio varejista de livros. Tem aproximadamente 820 mil títulos em estoque, e cerca de 400 novos títulos ao mês.
PublishNews, Leonardo Neto e Talita Facchini, 02/12/2020

Com a edição presencial da Bienal Internacional do Livro de São Paulo adiada para 2022, este ano a Câmara Brasileira do Livro (CBL) organizou a primeira edição da Bienal Virtual, marcada para acontecer na próxima semana - de 7 a 13 de dezembro. Com 120 expositores, o evento irá reunir em sua plataforma 330 autores em uma programação diversa e extensa dividida em três espaços: a Arena Virtual, o Salão de Ideias e o Papo de Mercado. O PublishNews selecionou alguns destaques dos três espaços que focam tanto no mercado quando no público final. A Arena Virtual, que teve a programação organizada pela Jovem Talento de 2018, Diana Passy, contará com nomes como Itamar Vieira Junior, Jarid Arraes e Tobias Carvalho - que participam no dia 7, às 17h, de uma mesa sobre a literatura contemporânea. Outros nomes importantes como Xuxa, Claudia Raia, Nélida Piñon, Monja Coen, Leandro Karnal, Raphael Montes, Clóvis de Barros Filho e Cristino Wapichana participam da programação. No Salão de Ideias, destaque para a diversidade de temas que serão abordados pelas editoras participantes. A publicação independente, literatura de cordel, meio ambiente, saúde e longevidade, democratização do acesso ao livro, criação literária e filosofia estão na pauta do evento, além de conversas com autores e lançamentos de livros. A Bienal terá ainda um espaço dedicado aos debates relacionados ao mercado do livro. É dentro do Papo de Mercado que está a programação do InterLivro, realizado pelo PublishNews e cuja programação foi divulgada nesta terça-feira (1º). Além do InterLivro, o Papo de Mercado receberá mesas sobre autopublicação, games, financiamento coletivo, tradução, acessibilidade e audiolivros. Clique no Leia Mais para conferir outros destaques da programação.

PublishNews, Redação, 02/12/2020

Nesta terça-feira (1º), o administrador judicial da Saraiva divulgou o relatório mensal de atividades (RMA) referente ao mês de outubro. O documento revela que a Saraiva possui um saldo em aberto com fornecedores, em créditos pós-concursais – ou seja, dívidas contraídas além do que foi declarado no pedido de recuperação judicial – no valor de R$ 60,7 milhões. O RMA aponta que no período, a varejista demitiu 213 colaboradores e fechou cinco lojas. Em outubro, a empresa apurou vendas brutas no valor de R$ 12 milhões, queda de 73,27% em relação a igual período de 2019, quando a companhia anotou R$ 44,9 milhões nesta linha. No mês, a empresa registrou prejuízo líquido de R$ 9,47 milhões. O documento calcula ainda o índice de liquidez geral – resultado da divisão do ativo circulante pelo passivo circulante. O resultado é 0,64, o que significa, na análise da própria administradora judicial, “dificuldades de cumprir as obrigações de curto prazo”. Clique no Leia Mais e confira a íntegra desta nota.

PublishNews, Redação, 02/12/2020

A Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo anunciou nesta terça (1º), os finalistas da 13ª edição do Prêmio São Paulo de Literatura, o maior do País em premiação individual para o gênero. São 10 finalistas na categoria Melhor romance de ficção e 10 na categoria Melhor romance de ficção de estreia. Ao todo, 200 livros foram cadastrados na premiação. Em Melhor romance de ficção de 2019 estão na disputa nomes como Paulo Scott (Marrom e amarelo), Maria Valéria Rezende (Carta à rainha louca), Julián Fuks (A ocupação), Milton Hatoum (Pontos de fuga), Joca Reiners Terron (A morte e o meteoro) e João Anzanello Carrascoza (Elegia do irmão). Em Melhor romance de ficção de estreia estão entre os finalistas Miguel del Castillo (Cancún); Gabriela Aguerre (O quarto branco); Natalia Borges Polesso, Controle) e Davi Boaventura (Mônica vai jantar). Cada ganhador receberá o prêmio de R$ 200 mil. Os vencedores serão revelados em breve e cerimônia está prevista para março de 2021. Clique no Leia Mais para conferir a lista completa dos finalistas.

PublishNews, Redação, 02/12/2020

Eduardo Lourenço morreu aos 97 anos | © Site da Companhia das LetrasMorreu, nesta terça-feira (1º), o ensaísta e crítico literário português Eduardo Lourenço. Ele tinha 97 anos e a causa da morte não foi divulgada. Seu livro Pessoa revisitado (Tinta da China), de 1973, tornou-se a grande referência para estudiosos de Fernando Pessoa mundo afora. Lourenço se consagrou como um analista de grandes cânones da literatura portuguesa – além de Pessoa, esteve na sua mira Luís de Camões e Eça de Queiroz. A partir destes ícones da cultura lusitana, ele passou a analisar a imagem que seus conterrâneos fazem de sim mesmo. No Brasil, além de Pessoa revisitado, está disponível O labirinto da saudade (Tinta da China). A Companhia das Letras publicou também Mitologia da saudade seguido de Portugal como destino e A nau de Ícaro e imagem e miragem da lusofonia, mas os títulos aparecem como indisponíveis no site da editora. Lourenço foi tema de um documentário – O labirinto da saudade – dirigido por Miguel Gonçalves Mendes, o mesmo de José e Pilar, que retrata a relação de Saramago com a sua mulher, a espanhola Pilar del Río.

PublishNews, Redação, 02/12/2020

A Associação Estadual de Livrarias do Estado do Rio de Janeiro (AEL-RJ) endereçou uma carta a editoras de grande porte e ainda às principais entidades de classe representativas do livro em que alerta: “No dia em que esse elo mais fraco do mercado do livro, as livrarias, for quebrado toda a corrente sentirá os efeitos”. Em mais um capítulo da história epistolar do mercado editorial – e as cartas têm sido muitas –, a entidade apela pela igualdade de condições para todos e não o favorecimento de alguns e cita nominalmente editoras como Arqueiro, Intrínseca, Nova Fronteira, Record, Rocco e Sextante que tem feito o direcionamento de seus seguidores em redes sociais para a compra de seus produtos em varejistas como Amazon e Submarino. “O normal é que a indústria faça publicidade de seus produtos e não dos revendedores. A Ambev não induz seus seguidores a comprar cerveja no supermercado Mundial ou no Guanabara; a Samsung também não sugere aos seus seguidores as Casas Bahia ou Lojas Americanas para a compra de seus eletrônicos”, diz o documento. “Com essa campanha de favorecimento aos gigantes do mercado sobram as migalhas para as livrarias e tais editoras mais parecem agências de publicidade dos grandes marketplaces”, segue a carta que pede ainda um posicionamento de pares como a Associação Nacional de Livrarias (ANL), a Câmara Brasileira do Livro (CBL) e o Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL). Clique no Leia Mais para acessar a íntegra da carta.

PublishNews, Redação, 1º/12/2020

A Saíra Editorial, sediada no bairro da Saúde, em São Paulo, está procurando um profissional do mercado editorial voltado para o trabalho comercial de vendas com distribuidoras e livrarias. As funções do cargo incluem fazer e manter contato com livrarias e distribuidoras; gerenciar vendas e prestar contas sobre o comercial. Embora experiência nas funções seja bem-vinda, não é um requisito para a vaga. Preferencialmente, oferece-se um pagamento por comissão das vendas realizadas, mas é possível combinar um salário fixo também. Os interessados podem escrever para Felipe Augusto pelo e-mail felipe@logopoiese.com.br.

PublishNews, Redação, 02/12/2020

Você sabe com quem está falando? (Rocco, 208 pp, R$ 39,90) é composto por três ensaios em que Roberto DaMatta aborda aspectos complementares do autoritarismo no Brasil. As mais diversas “autoridades”, pessoas abastadas ou celebridades têm oferecido um espetáculo deprimente de racismo, machismo, ignorância, arrogância e injustiça por se considerarem superiores aos demais e, portanto, dispensados de obedecer às leis e às normas da boa convivência social. Assim, ao examinar o fenômeno do “Você sabe com quem está falando?”, o antropólogo confronta o leitor com um incômodo espelho que projeta uma imagem tanto mais repulsiva quanto verdadeira e precisa.

PublishNews, Redação, 02/12/2020

No canal Tese Onze, Sabrina Fernandes se inspira em uma proposição de Karl Marx para ensinar conceitos fundamentais sobre política. O nome do canal é uma referência à 11ª tese de Feuerbach, escrita por Marx em 1845: "Os filósofos têm apenas interpretado o mundo de maneiras diferentes; a questão, porém, é transformá-lo". Para Sabrina, o enunciado serve também como ponto de partida para quem quer transformar profundamente a realidade de desigualdade e exploração capitalista. Inspirado nisso, ela escreveu o livro Se quiser mudar o mundo (Planeta, 192 pp, R$ 44,90). No volume, Sabrina apresenta um guia didático e introdutório dos principais conceitos de política. O livro é um convite para se pensar alternativas, encarar dificuldades políticas e instigar os que sonham com um futuro melhor para si e para os outros. Pois, afinal de contas, como Fernandes lembra, a situação está complicada e, mais do que nunca, o mundo está precisando de gente que se importa.

“Nenhum autor escreve com a certeza de que será lido. Quer maior valentia do que essa? Não há. Você escreve para talvez nunca ser lido.”
Fabricio Carpinejar
Escritor brasileiro em entrevista ao Cândido
1.
Uma terra prometida
2.
Box Harry Potter
3.
Mais esperto que o diabo
4.
A sutil arte de ligar o foda-se
5.
Viva a sua melhor versão
6.
Do mil ao milhão
7.
Mulheres que correm com os lobos (capa dura)
8.
O poder da ação ( edição de luxo)
9.
Pai rico, pai pobre - Edição de 20 anos
10.
Pequeno manual antirracista
 
PublishNews, Redação, 02/12/2020

Como preservar o que nos torna humanos em uma época de incerteza? Fomos reduzidos a meros consumidores moldados pelas forças do mercado? Uma sequência de DNA? Uma coleção de instintos básicos? Ou isso não faz mais diferença, porque em breve seremos suplantados por algoritmos e inteligência artificial? Para confrontar essas questões, Paul Mason propõe, no livro Em defesa do futuro (Zahar, 408 pp, R$ 94,90 – Trad.: Berilo Vargas), um humanismo radical. Para ele, a economia de livre mercado foi a porta de entrada para a cultura anti-humanista e fatalista que domina este início de século XXI. Por isso, a revolução que precisamos promover deve ser menos um evento político e mais a redescoberta da filosofia moral. Tendo por base suas reportagens sobre rebeliões e grandes protestos em massa — como em Istambul e Washington —, além de sua infância numa comunidade inglesa de mineiros, o jornalista e escritor atravessa temas variados que vão da economia ao Big Data, passando pela neurociência e as guerras culturais, para mostrar como a noção de humanidade tornou-se deteriorada como nunca antes.

PublishNews, Redação, 02/12/2020

Cerca de 100 anos após a eclosão da gripe espanhola e do surgimento do fascismo na Itália, o mundo assiste a história ressoar. Uma pandemia se alastra pelo mundo deixando um rastro de doentes e mortos, mas tão chocante quanto o impacto biológico, é o impacto social. Surge uma desordem coletiva psíquica, que tem vários componentes de uma infecção: o alastramento da infecciosa ideologia do ódio. Em Fascismo pandêmico (Autografia, 82 pp, R$ 31), Alexandre Gossn parte da ambivalência das ideologias: direitistas, esquerdistas, liberais e conservadores julgam-se tão diferentes, quando em verdade, especialmente quando extremados, são todos muito similares. No entanto, uma das muitas ideologias surgidas nos últimos 350 anos merece um ensaio à parte: o fascismo e as suas vertentes. O autor defende que o termo anda sendo demasiado utilizado e com isso, corre-se o risco de se perder de vista seu efetivo significado. Nem todo autoritário é fascista, mas todo fascista é autoritário. Nem todo idealista é fascista, mas todo fascista é idealista. Nem toda violência deriva do fascismo, mas não há fascismo sem pregação da violência e prevalência de um dos poderes sobre os demais.

 
©2001-2021 por Carrenho Editorial Ltda. Todos os direitos reservados.
Rua Henrique Schaumann, 1108 A, CEP 05413-011 Pinheiros, São Paulo -SP
O conteúdo deste site não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.