Publicidade
Publicidade
Uma cartografia do Brasil profundo
PublishNews, Chico Lopes*, 17/01/2024
Otto Leopoldo Winck nos conta a saga de uma família de polacos residente no mundo rural paranaense com muita habilidade nas descrições da natureza

A força do romance regionalista, como o premiadíssimo Torto arado, de Itamar Vieira Junior, pode ser constatada também em Forte como a morte (Aboio), de Otto Leopoldo Winck. Este, aliás, é um tema complexo, já que os regionalismos, no atual quadro da literatura brasileira, são ampliados e complicados por questões mais universais, sofrendo hibridismos interessantes. Winck nos conta a saga de uma família de polacos residente no mundo rural paranaense com muita habilidade nas descrições da natureza, dos hábitos e da fala das personagens, abordando um tema que é usual no cristianismo – a questão dos estigmas, ou seja, do que popularmente ficou conhecido como “chagas de Cristo”, que seriam privilégios concedidos a criaturas muito puras e especiais, santos ou quase. Uma jovem, Rosália, torna-se portadora desses sinais, que só podem ser considerados privilegiados por quem é complacente com o sadismo das duvidosas dádivas ao ser humano impetradas pelas divindades. Naturalmente, atrairá devotos, os habituais e vorazes populares ingênuos à espera de milagres e providências especiais de um Deus que sempre foi tido por insondável e ainda assim é considerado, de maneira paradoxal, providente, refletindo nada mais que projeções e desejos humanos. A narrativa segue um ritmo linear de saga de família, com desdobramentos de gerações, e vai nos levar desse catolicismo ingênuo e submisso do mundo rural à atitude mais politizada, ainda no mundo rural, dos acampamentos de Sem-Terra. Ela é interrompida constantemente por fluxos de narração introspectiva de um padre em crise de fé e por apartes que abordam aspectos teológicos sofisticadíssimos como o de um eventual “apagamento” de Deus. Por todos os poros, a narrativa nos mostra o que há de doloroso e humano nessa questão e não espanta que as chagas de Cristo tenham uma destinação insólita no final. O mundo rural popular e a erudição extrema (com citações de Wittengenstein e Kierkegaard) convivem nesse romance incomum, comprovando o talento (de resto já comprovado por Que fim levaram todas as flores) do prosador e poeta Otto Leopoldo Winck.

*Chico Lopes é poeta, tradutor, romancista e contista, ganhador em 2012 do Prêmio Jabuti de melhor romance com a novela O estranho no corredor, lançada pela Editora 34.

Forte como a morte

Autor: Otto Leopoldo Winck

Editora: Aboio

Páginas: 256

Preço: 64,90

Onde comprar: https://bit.ly/ForteComoAMorte

A Área Indie é um publieditorial que reúne mensalmente lançamentos, com informações sobre livros lançados de forma independente ou autopublicados. Para saber como participar da seção, escreva para o comercial do site no e-mail comercial@publishnews.com.br.

Publicidade

A Alta Novel é um selo novo que transita entre vários segmentos e busca unir diferentes gêneros com publicações que inspirem leitores de diferentes idades, mostrando um compromisso com qualidade e diversidade. Conheça nossos livros clicando aqui!

Leia também
Obra escrita por Paula Carminatti faz parte da duologia 'Ária de Yu'
Escrita por Juily Manghirmalani, 'Vivências asiático-brasileiras: raça, identidade e gênero' aborda questões como identidade cultural, autorreconhecimento, conflitos geracionais e construção de mitos sobre os povos asiáticos
Publicado pela Giostri, 'Brancos não sabem pedalar', de Vanderson Castilho Munhoz, se passa em 2035, em um Brasil governador por um ditador que apoia o domínio no futebol brasileiro do Clube de Regatas Flamengo
Seção publieditorial do PublishNews traz lançamentos das editoras Mandaçaia, Giostri e Insight
Seção publieditorial do PublishNews traz lançamentos da Editora Vista Chinesa, Uiclap e um livro independente
Publicidade

Mais de 13 mil pessoas recebem todos os dias a newsletter do PublishNews em suas caixas postais. Desta forma, elas estão sempre atualizadas com as últimas notícias do mercado editorial. Disparamos o informativo sempre antes do meio-dia e, graças ao nosso trabalho de edição e curadoria, você não precisa mais do que 10 minutos para ficar por dentro das novidades. E o melhor: É gratuito! Não perca tempo, clique aqui e assine agora mesmo a newsletter do PublishNews.

Outras colunas
As ruas foram tomadas por um público leitor majoritariamente jovem que me deu esperança de um futuro urgente
Publicado pela Giostri, 'Brancos não sabem pedalar', de Vanderson Castilho Munhoz, se passa em 2035, em um Brasil governador por um ditador que apoia o domínio no futebol brasileiro do Clube de Regatas Flamengo
Obra escrita por Paula Carminatti faz parte da duologia 'Ária de Yu'
Escrita por Juily Manghirmalani, 'Vivências asiático-brasileiras: raça, identidade e gênero' aborda questões como identidade cultural, autorreconhecimento, conflitos geracionais e construção de mitos sobre os povos asiáticos
Seção publieditorial do PublishNews traz lançamentos das editoras Mandaçaia, Giostri e Insight
Poesia, literatura, é melhor ler num lugar tranqüilo, com janela, se possível com paisagem, para as pausas meditativas.
Ivan Angelo
Escritor brasileiro
Publicidade

Você está buscando um emprego no mercado editorial? O PublishNews oferece um banco de vagas abertas em diversas empresas da cadeia do livro. E se você quiser anunciar uma vaga em sua empresa, entre em contato.

Procurar

Precisando de um capista, de um diagramador ou de uma gráfica? Ou de um conversor de e-books? Seja o que for, você poderá encontrar no nosso Guia de Fornecedores. E para anunciar sua empresa, entre em contato.

Procurar

O PublishNews nasceu como uma newsletter. E esta continua sendo nossa principal ferramenta de comunicação. Quer receber diariamente todas as notícias do mundo do livro resumidas em um parágrafo?

Assinar