Bienal: visitantes gastam mais do que na edição passada
PublishNews, Redação, 13/08/2018
Em média, o frequentador da Bienal gastou R$ 161,57. Isso representa crescimento 33% em relação à edição de 2016. Editoras também sentem crescimento nas vendas.

O público ficou abaixo do que o esperado. A Câmara Brasileira do Livro (CBL) estimava receber 700 mil pessoas nos dez dias da 25ª Bienal Internacional do Livro, que acabou neste domingo (12). Vieram 663 mil. Apesar disso, essa turma gastou mais do que na edição passada, de 2016. Pesquisa realizada durante os dias do evento apontou que o gasto médio por pessoa foi de R$ 161,57. Essa cifra é 33% maior do que a declarada em 2016. A mesma pesquisa mostrou que 97% do público presente ficou satisfeito com o evento e 98% pretende voltar na próxima edição.

Essa foi a Bienal das editoras. Sem um grande varejista (na edição passada a Saraiva tinha um estande de mil m²) instalada no pavilhão do Anhembi, elas nadaram de braçada. A Intrínseca, por exemplo, relata ter vendido 40 mil exemplares, o que redundou um faturamento 55% maior do que na edição de 2016. “Um resultado maravilhoso” nas palavras de Jorge Oakim, publisher da casa. A Sextante, que trouxe A.J. Finn, um dos destaques internacionais do evento, apurou crescimento de 50%. 

A Melhoramentos também apurou crescimento (40%). “Participo das bienais há 50 anos e fazia tempo que não via uma Bienal tão animada quanto essa, seja pelo público, seja pela participação de expositores. Quem veio seguramente está colhendo os resultados”, comentou Alfredo Weiszflog, presidente do conselho da Companhia Melhoramentos. A V&R e a editora Autêntica também apresentaram um resultado bastante positivo com vendas 27% e 20% maiores que em relação à Bienal 2016, respectivamente. O título mais vendido foi Mensageira da sorte, de Fernanda Nia, primeira autora nacional do selo Plataforma 21. Já a Record registrou um aumento de 10% no faturamento em relação à última Bienal e dos seus 10 livros mais vendidos, oito são escritos por mulheres. O campeão de vendas foi 13 segundos (Galera), de Bel Rodrigues.

Bienal em números

R$ 32 milhões investidos (estimativa)

663 mil visitantes

75 mil m² de área ocupada

197 expositores

14 espaços culturais

1.500 horas de programação

291 autores nacionais

22 autores internacionais

100 mil alunos e 15 mil escolas agendadas

R$ 161,57 foi o gasto médio por pessoa na Bienal

[13/08/2018 10:30:00]