Caso não consiga visualizar corretamente esta mensagem, clique aqui.
PublishNews 29/04/2021
A Transpo Express é uma transportadora que já atua há 10 anos focada completamente no segmento editorial
A Catavento atua no mercado de distribuição de livros para todo o país.
Um agregador digital como a Bookwire, com tecnologia de ponta, informações ágeis e um painel de controle completo é fundamental para o sucesso de sua editora e de seus e-books. E agora toda esta tecnologia está disponível no Brasil.
PublishNews, Redação, 29/04/2021

Desde o ano passado, o Prêmio PublishNews abriu espaço para dar reconhecimento a editoras e livrarias que se destacam na gestão de seus metadados, com o Prêmio Metabooks. Quem levou os troféus em 2020 foram o Grupo A, na categoria Editora, e Submarino, em Livraria. A plataforma de gestão de metadados acaba de anunciar os finalistas desse ano. Em Editora, concorrem (em ordem alfabética): Difusão Editora, Edições Sesc e, novamente, o Grupo A. Em Livraria, os finalistas são: Leitura, Magazine Luiza e Martins Fontes Paulista. A escolha das empresas vencedoras é feita a partir da pontuação gerada automaticamente pelo sistema da plataforma de gestão de metadados. Além de conhecer os vencedores do Prêmio Metabooks, os presentes na cerimônia conhecerão o ganhador do Prêmio Profissional do Ano de Vendas e de Marketing. E importante: acaba nesta sexta-feira (30) o prazo para inscrições ou indicações para a categoria. Podem concorrer profissionais das áreas que tenham desenvolvido algo inovador ou que tenham conseguido resultados de relevo ao longo do ano pandêmico de 2020. O Prêmio PublishNews tem o apoio da Câmara Brasileira do Livro (CBL). Clique no Leia Mais para saber como se inscrever para o Prêmio Profissional do Ano.

PublishNews, Talita Facchini, 29/04/2021

Com o objetivo de dar mais espaço e reconhecimento aos livros de ficção escritos por mulheres, o Women’s Prize anunciou as seis finalistas do galardão deste ano. Continuam na disputa Piranesi, romance de Susanna Clarke que apresenta um universo fantástico ao contar de um personagem solitário. Por aqui, quem detém os direitos da obra é a editora Morro Branco. Outra obra finalista que sairá no próximo mês pela Intrínseca é A metade perdida, de Brit Bennett. O livro aborda questões raciais ao contar a história das irmãs gêmeas Vignes. Dez anos depois de fugirem de casa - uma comunidade negra no sul dos EUA obcecada por novas gerações de pele cada vez mais clara - uma delas volta para a cidade com uma criança de pele muito escura. E enquanto uma se casa com um homem negro e é obrigada a retornar ao lugar de onde escapou tantos anos antes, a outra é vista como branca, e o marido branco não faz ideia de seu passado. Também com personagens gêmeos, Unsettled ground, de Claire Fuller, é a terceira finalista. Na obra, Jeanie e Julius, de 50 anos, ainda vivem isolados com a mãe e são obrigados a lidar com sua morte inesperada. Clique no Leia Mais para conferir a íntegra desta nota.

PublishNews, Redação, 29/04/2021

A B2W e a Lojas Americanas, dois importantes players do varejo brasileiro (inclusive para o mercado do livro), anunciaram, nesta quarta-feira (28), a sua fusão. A B2W (que reúne as marcas Americanas.com., Submarino, Shoptime e Sou Barato) será rebatizada de Americanas S.A. e vai incorporar as lojas físicas das Americanas no Brasil. Além disso, Jorge Paulo Lemann, Marcel Telles e Beto Sicupira – o trio que conduz as marcas (e outras tantas) – vão abrir o capital da controladora no mercado americano. Juntas, B2W e Americanas somam capital de R$ 77 bilhões na bolsa brasileira. A Americanas S.A. nasce com números superlativos: 46 milhões de clientes ativos, 1.707 lojas físicas em 705 cidades brasileiras, além de plataforma digital, de logística e uma fintech, a Ame. Clique no Leia Mais e confira a íntegra desta nota.

PublishNews+, 29/04/2021

Saber o que vem por aí e se adiantar é um dos grandes desafios para os livreiros. Poder saber, antes da concorrência, o que estará disponível para compras e já adiantar os pedidos pode ser determinante no sucesso ou não das vendas. Por isso, o PublishNews+, área exclusiva para assinantes do PN, fechou parceria com a MVB / Metabooks para criar o Próximo Capítulo, serviço semanal em que vamos apresentar livros que estão no prelo das editoras e que chegarão às livrarias só daqui a 45 dias. Clique aqui e confira os títulos que serão estreias nas livrarias entre os dias 13 e 19 de junho. Por enquanto, o Próximo Capítulo está aberto para todos os que se cadastrarem na plataforma, mas em breve, o serviço ficará exclusivo para os assinantes do PN+. A nova seção se soma a outros serviços oferecidos aos assinantes do PN+, como o Radar de Licitações e o Apanhadão Diário. Clique aqui para saber como ser um assinante do PN+. [Nota do editor: a partir dessa semana, o serviço Próximo Capítulo apresentará os livros que estão em pré-venda daqui a 45 dias e não mais dois meses como estava acontecendo. Por conta dessa mudança na metodologia, alguns títulos se repetirão nesse recomeço].

PublishNews, Redação, 29/04/2021

Logo mais, às 15h, acontece mais uma edição do Conexão Metabooks, projeto da plataforma de gestão de metadados alemã que convida importantes nomes da indústria do livro para falar sobre esse mercado. Dessa vez, a conversa mergulhará no universo das livrarias. Com mediação de Leonardo Neto, editor do PublishNews, a live discutirá o tema Do autor ao leitor: as livrarias como ponto de conexão com Elisabete Lovatel, da Livraria Vanguarda, Gustavo Faraon, da Dublinense e Monica Carvalho, da Livraria da Tarde. A conversa será transmitida pelo Facebook do PublishNews e da Metabooks Brasil.

PublishNews, Redação, 29/04/2021

Durante o mês de maio, a Casa Guilherme de Almeida terá atividades dedicadas à literatura e à tradução. A primeira delas é o curso A especificidade da tradução de cartas, que abordará as singularidades da tradução do tipo textual epistolar do ponto de vista teórico e prático. Após uma aula teórica, pesquisadores e tradutores de recortes das correspondências de Giuseppe Ungaretti, Sigmund Freud e Virginia Woolf falarão de suas experiências com a tradução deste gênero. Serão quatro encontros às quartas-feiras, dias 5, 12, 19 e 26 de maio, das 19h às 21h. As inscrições estão abertas até o dia 3 de maio clicando aqui. Já o curso A tradução da literatura ameríndia clássica: glifos e letras se propõe a discutir como esse texto milenar foi registrado ao longo do tempo, desde a escrita hieroglífica nativa até a escrita alfabética, introduzida pelo conquistador europeu. Aulas às quintas, de 6 a 27 de maio. E, por ocasião do lançamento de Poema dos árabes, de Chânfara, obra pertencente ao conjunto de literatura árabe pré-islâmica e de Onze astros, de Mahmud Darwich, o tradutor Michel Sleiman apresentará ambas as edições e comentará os desafios de traduzir dicções poéticas do passado e do presente e diferentes tradições da literatura de língua árabe. A atividade Poesia de língua árabe de antes e de agora acontecerá pelo YouTube da Casa Guilherme de Almeida no dia 24 de maio às 19h.

PublishNews, Redação, 29/04/2021

Projeto Charanga Literária - Diálogos Lítero-musicais | © Acervo OxeIniciativa do Coletivo Oxe, formado por estudantes de universidades baianas, o projeto Percursos da leitura na Bahia visa a mapear e reunir variados projetos, atividades e atuações de formação, fruição e difusão leitora em todo o estado. Todos os dados coletados foram disponibilizados esta semana no portal do projeto. A pesquisa já alcançou 89 iniciativas de 21 territórios baianos, incluindo desde academias de letras, escolas, bibliotecas e editoras, a griôs, professores, artistas e contadores de estórias, secretarias municipais e ações como saraus, feiras, clubes de leitura e podcasts. O projeto prevê ainda o mapeamento contínuo de ações leitoras com vistas a alcançar todos os Territórios de Identidade do Estado. Inclusive, por meio de um formulário on-line, cada pessoa, grupo ou instituição pode inscrever quantos projetos desejar, desde que sejam realizados na Bahia. O intuito é também promover discussões e ações formativas voltadas ao fomento da cadeia produtiva do livro e da literatura nos mais diversos formatos. Enquanto isso, para dar mais visibilidade ao projeto, acontece até esta sexta-feira (30), o Festival Percursos da Leitura na Bahia. Logo mais, às 18h, acontece a mesa temática Espaço para o Leitor: um desafio a ser discutido, com Maria da Conceição e Primo Maldonado.

PublishNews, Redação, 29/04/2021

Na antologia Precisamos falar sobre abuso (Globo Livros, 296 pp, R$ 49,90 – Trad.: Fal Azevedo), Roxane Gay, escritora best-seller e uma das mais relevantes vozes feministas dos nossos tempos, reúne relatos, memórias, quadrinhos, contos, autoficção e ensaios escritos por mulheres das mais diferentes origens, raças e áreas de formação sobre o que significa viver em um mundo onde desde crianças precisam conviver com ameaças constantes de assédio, violência e agressões dos mais diferentes tipos simplesmente por serem mulheres. Os textos presentes nesta coletânea são assinados por escritoras, acadêmicas, ativistas, atrizes e artistas plásticas e tratam de uma série de diferentes experiências que são compartilhadas por mulheres em praticamente todas as partes do mundo. O que esses textos têm em comum são seu tom profundamente pessoal. As autoras convidam à reflexão e mostram que, mais do que nunca, as vítimas de abuso não precisam - nem devem - se calar.

“Só conseguimos deitar no papel os nossos sentimentos, a nossa vida.”
Graciliano Ramos
Escritor brasileiro (1892 – 1953)
1.
Cientista do marketing
2.
Mais esperto que o diabo
3.
Faça o amor ser fácil
4.
Torto arado
5.
A arte de manipular a sorte
6.
Pai rico, pai pobre - Edição de 20 anos
7.
Corte de espinhos e rosas
8.
A garota do lago
9.
Box Harry Potter
10.
Mulheres que correm com os lobos (capa dura)
 
PublishNews, Redação, 29/04/2021

Marco referencial no campo dos estudos de gênero, A invenção das mulheres (Bazar do Tempo, 324 pp, R$ 69,90 – Trad.: Wanderson Flor do Nascimento), da socióloga nigeriana Oyèrónkẹ́ Oyěwùmí oferece uma nova maneira de compreender o papel social da mulher a partir de referências africanas, especificamente da cultura iorubá. A pesquisa, resultado de sua tese de doutorado, revela como a ideologia do determinismo biológico está no cerne das categorias sociais ocidentais – a ideia de que a biologia fornece a base lógica para organizar o mundo social. Em oposição, a autora mostra como conceitos baseados no corpo não eram centrais na organização das sociedades iorubás antes da colonização. Dessa maneira, sua análise destaca a natureza contraditória de dois pressupostos fundamentais da teoria feminista: que o gênero é socialmente construído e que a subordinação das mulheres é universal. Na recuperação dos conceitos africanos, apagados pela experiência colonial, A invenção das mulheres apresenta uma crítica da tradição ocidental que alterou o modo como os estudos de gênero se articulam, expandindo significativamente o seu campo de análise.

PublishNews, Redação, 29/04/2021

O livro de memórias de Chanel Miller, Eu tenho um nome (Intrínseca, 336 pp, R$ 59,90 - Trad.: Carolina Selvatici), reverbera a dor de tantas mulheres que buscam o caminho da justiça para reparar o trauma do abuso e se veem muitas vezes presas em uma armadilha de humilhações, vergonha e sofrimento. Ela ainda não era conhecida pelo próprio nome quando surpreendeu milhões de pessoas com uma carta relatando o estupro que havia sofrido no campus da Universidade de Stanford. Publicada no BuzzFeed, a declaração da vítima foi vista por 11 milhões de pessoas em apenas quatro dias, traduzida para diversos idiomas e lida no plenário do Congresso americano, inspirando mudanças na lei da Califórnia e a demissão do juiz do caso. Brock Turner, o acusado, foi condenado em 2016 a apenas seis meses de prisão depois de ser flagrado agredindo-a sexualmente. Agora Chanel Miller reivindica a própria identidade para contar sua história. Embora tudo apontasse para a condenação de Turner ― havia testemunhas, ele fugiu, provas físicas foram imediatamente coletadas ―, restou para Chanel apenas a luta contra o isolamento e a vergonha. Sua história lança luz a uma cultura que protege os agressores e expõe um sistema de justiça criminal falho com os mais vulneráveis, mas mostra também a coragem necessária para lutar contra a opressão e atravessar o sofrimento.

PublishNews, Redação, 29/04/2021

Sobre ela (Gryphus, 160 pp, R$ 44,90) tem como tema a violência contra a mulher, especialmente a violência doméstica perpetrada pelo companheiro ou ex. Revoltante pela sua natureza, o assunto, que diz respeito a toda a sociedade, é analisado pelo desembargador Wagner Cinelli. Ao contextualizar a violência de gênero na rede de proteção dos direitos humanos fundamentais, Cinelli leva o leitor a conhecer e compreender a tessitura delicada de tais direitos, os longos percursos percorridos até a promulgação da Lei Maria da Penha, uma lei, segundo ele, voltada para uma realidade complexa e “permeada por valores culturais, sendo um desses elementos o machismo e a assimetria de poder que de forma geral ocorre na questão de gênero”. O tema proposto é o da violência doméstica contra a mulher, com foco naquela perpetrada por aquele que com ela mantém ou manteve vínculo afetivo, partindo de uma perspectiva histórica e procurando convocar, ainda que de forma fragmentária, diversos ramos do conhecimento social. O objetivo não é o aprofundamento dos temas, mas a reunião de diferentes olhares para que, complementando-se, permitam uma compreensão mais global do assunto.

 
©2001-2021 por Carrenho Editorial Ltda. Todos os direitos reservados.
Rua Henrique Schaumann, 1108 A, CEP 05413-011 Pinheiros, São Paulo -SP
O conteúdo deste site não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.