Caso não consiga visualizar corretamente esta mensagem, clique aqui.
PublishNews 03/02/2021
A Transpo Express é uma transportadora que já atua há 10 anos focada completamente no segmento editorial
A área de Soluções em Acessibilidade é uma divisão da Fundação Dorina Nowill para Cegos criada para oferecer o mais amplo portfólio de produtos e serviços acessíveis a empresas que desejam não apenas se adequar à lei
Um agregador digital como a Bookwire, com tecnologia de ponta, informações ágeis e um painel de controle completo é fundamental para o sucesso de sua editora e de seus e-books. E agora toda esta tecnologia está disponível no Brasil.
PublishNews, Redação, 03/02/2021

Ao anunciar os resultados do quarto trimestre de 2020, a Amazon aproveitou para contar que Jeff Bezos deixará o comando da empresa que ele criou em meados dos anos 1990. Andy Jassy, que atualmente comanda a Amazon Web Services, assumirá a direção da gigante de Seattle no terceiro trimestre desse ano. Jassy está na Amazon desde 1997, quando a empresa tinha apenas três anos. Bezos seguirá na empresa, como presidente-executivo do conselho de administração da Amazon. No comunicado, a empresa informa que as vendas líquidas aumentaram 38% em 2020, chegando a US$ 386,1 bilhões (no ano anterior, essa cifra era de US$ 280,5 bilhões). No ano, o lucro líquido da empresa foi de US$ 21,3 bilhões.

PublishNews, Redação, 03/02/2021

Nesta terça-feira (02), o juiz Marcelo Barbosa Sacramone homologou o pedido de desistência da Editora Globo, que foi à Justiça pedir a falência da Livraria Cultura, que já enfrenta um processo de recuperação judicial (RJ). O pedido foi feito em outubro e, na época, a editora alegava uma dívida extraconcursal – que não faz parte do pedido de RJ da varejista – no valor de R$ 544 mil. Com a desistência, o processo foi arquivado.

PublishNews, Equipe do Instituto Pró-Livro, 03/02/2021

Mesmo durante a pandemia, o projeto Parnamirim, um rio que flui para o mar da leitura conseguiu criar novas ações para fazer o livro chegar aos seus públicos | © Facebook do projetoNo ano em que o PublishNews comemora seus 20 anos, abre-se uma janela para que o mercado do livro conheça iniciativas que desempenham papel fundamental, o da promoção e incentivo da leitura. Desde 2017, a Plataforma Pró-Livro aglutina, num só lugar, projetos, experiências e ações de fomento à leitura que são realizadas em todo o Brasil. A ferramenta colaborativa reúne ainda estudos, pesquisas e ideias sobre a formação de leitores e sobre a promoção da leitura e do acesso ao livro. Por isso, a nossa redação convidou o Instituto Pró-Livro para assumir uma coluna, que apresentará, ao longo de 2021 projetos exitosos nesse campo. Para começar, dois projetos - Parnamirim, um rio que flui para o mar da leitura e o Fazia Poesia - contam como, apesar da pandemia, conseguiram desenvolver novos modos de apresentar livros aos seus seguidores. A ideia da nova coluna é apresentar uma colaboração por mês. Para março, a equipe do Instituto Pró-Livro apresenta os resultados de uma enquete realizada entre os projetos cadastrados na Plataforma Pró-Livro que faz um panorama de como projetos têm conseguido sobreviver à pandemia. Clique no Leia Mais e confira a íntegra desta primeira coluna.

PublishNews, Lorenzo Herrero, 03/02/2021

Em uma coletiva de imprensa virtual realizada nesta terça (2), Trini Vergara, editora e empresária com mais de 30 anos de experiência no setor e bastante conhecida no Brasil desde o tempo que foi sócia da Vergara & Riba (hoje VR), anunciou o seu novo projeto, a criação da Trini Vergara Edições. A nova editora desembarcará no mercado espanhol em março focando na literatura de entretenimento com dois selos, Motus (thriller/novela noir) e Gamon (literatura fantástica). Além disso, a editora contará com sede em três países, Argentina, Espanha e México e terá seus livros vendidos também no Chile. A Trini Vergara Edições tem como missão seduzir leitores e leitores em espanhol dos quatro países que inicialmente estará presente. “Nós somos o que você quer ler” é o lema com o qual ela deseja atrair a atenção da comunidade leitora e de novos públicos. Já o catálogo foi elaborado com base na convicção de que os livros são uma das melhores formas de aproveitar os momentos de lazer. A partir daí, com esse projeto editorial, Trini Vergara quer atingir um público amplo e ávido pelo entretenimento. “Estamos inscritos na literatura do entretenimento, mas isso não significa deixar de lado os cuidados na edição”, explicou. Clique no Leia Mais para conferir a íntegra desta nota.

PublishNews, Redação, 03/02/2021

A Editora do Brasil abriu processo seletivo para consultor comercial para atuar em Curitiba (PR). É preciso ter ensino superior completo experiência anterior na área, possuir CNH e ter disponibilidade para viagens. Os benefícios incluem vale refeição e alimentação, seguro de vida, plano de saúde, odontológico e PLR. Os interessados devem enviar currículos para o e-mail selecao.rh@editoradobrasil.com.br.

PublishNews, Gustavo Martins de Almeida, 02/02/2021

No mundo dos negócios, após a venda direta de ações de companhias, o chamado mercado primário, esses títulos passam a ser negociados no forte mercado secundário, negociado por investidores. Comparando com o mercado editorial, parece que a pandemia cria condições para fortalecer o mercado secundário de livros. Nesse artigo, trato do encolhimento de escritórios e bibliotecas, circulação de livros usados e medição de empréstimos de livros eletrônicos, como novo índice de leitura. A ignição desse artigo começa com a notória redução de tamanho dos escritórios de advocacia, pelo fenômeno do home office, decorrente da pandemia, e dificuldade de manutenção das grandes bibliotecas, pelo grande espaço ocupado pelos livros. A redução do tamanho dos apartamentos e escritórios empurra os livros antigos para fora dos imóveis. Eu mesmo acomodo como posso meus livros, que já eles quase me expulsam do meu escritório, mais assemelhado a um “Gabinete de Curiosidades”. Veio à mente, então, a ratio da economia contemporânea. O Airbnb não tem imóveis, mas faz a união dos interessados, a Uber não tem carros, mas liga passageiros a motoristas, o Facebook não produz conteúdo, mas expõe a produção de “autores” aos leitores virtuais. Além do comércio/escoamento dos livros físicos antigos, o mercado procura seus caminhos e surgem novos parâmetros para medir o consumo de livros. Em novo conceito, a lista dos e-books mais emprestados (most borrowed) já ganha destaque no mundo. Em Toronto, por exemplo já existe essa lista de “mais emprestados”. Artigo publicado no site Goodereader informa que 366 milhões de e-books e audiobooks foram emprestados em 2020. Aqui mais um exemplo da substituição da sociedade da propriedade pela de compartilhamento, ou utilização temporários. O mercado muda muito rápido, mas há espaço para livros novos e usados; essencial o investimento na formação de leitores, num país com mais de 200 milhões de habitantes. Clique no Leia Mais e confira a íntegra da 80ª contribuição de Gustavo Martins de Almeida no PublishNews.

PublishNews, Redação, 03/02/2021

Ondjaki, Afonso Cruz e Cida Pedrosa | © Kaio Elias / Divulgação / Andrea Rego BarrosEm parceria com o Bichinho do Conto (Portugal), e a Kacimbo Produção Cultural (Angola), o Instituto de Leitura Quindim realiza uma nova edição do projeto Quintal da Língua Portuguesa, criado em 2011 para reunir escritores, editores, especialistas, estudiosos e leitores para conversar sobre a relação de cada convidado com a Língua Portuguesa. Em encontros on-line, os convidados irão pensar e discutir as interfaces culturais e artísticas do universo das obras dos países falantes deste idioma. As conversas acontecerão via Zoom, no segundo sábado de cada mês, ao longo de 2021. Os três primeiros convidados a participar dos bate-papos serão o escritor angolano Ondjaki (13/02), o autor português Afonso Cruz (13/03) e a poeta brasileira Cida Pedrosa (10/04), autora de Solo para vialejo (Cepe), Livro do Ano do Jabuti 2020. Os encontros acontecem sempre às 14h (horário de Brasília), 17h (Lisboa) e 18h (Luanda). As inscrições podem ser feitas no site do Instituto de Leitura Quindim e o investimento para cada encontro é de R$ 50 para o público geral e R$ 25 para conveniados das entidades parceiras.

PublishNews, Redação, 03/02/2021

Publicado originalmente em 2012, Contágio (Companhia das Letras, 544 pp, R$ 99,90 – Trad.: Fernanda Abreu, Isa Mara Lando, Laura Teixeira Motta e Pedro Maia Soares), livro de David Quammen, demonstra que havia consenso entre os especialistas sobre as características de uma próxima pandemia: o causador seria um vírus novo aos humanos, atingiria primeiro algum tipo de animal selvagem, como um primata ou um morcego, e seria altamente mutável, ao estilo de um vírus influenza ou de um… coronavírus. O livro investiga os patógenos responsáveis pelas grandes epidemias da história – entre elas, a da gripe espanhola, a da aids, a do ebola e a da Sars – e os desafios que elas representam para os seres humanos. Quammen antecipa vários dos embates que enfrentamos hoje, indicando que temos muito o que aprender com os surtos pregressos para combater a atual pandemia. Como afirmou em uma entrevista recente: "Seja uma catástrofe ou algo que consigamos controlar, uma coisa que sabemos sobre essa nova pandemia é que não será a última". Esta edição inclui um texto de Quammen publicado em 2020 no New York Times sobre o novo coronavírus.

“A escrita e a arte são as formas mais profundas de aprendermos a morrer, a aceitar o envelhecimento e a compreender a perda. Não para nos deprimirmos, mas para nos conscientizarmos do privilégio que é estar vivo.”
Andrés Neuman
Escritor argentino
1.
Mais esperto que o diabo
2.
Pai rico, pai pobre - Edição de 20 anos
3.
Do mil ao milhão
4.
O duque e eu
5.
A sutil arte de ligar o foda-se
6.
O visconde que me amava
7.
O poder da autorresponsabilidade
8.
O milagre da manhã
9.
Atitude positiva diária
10.
A revolução dos bichos
 
PublishNews, Redação, 03/02/2021

Após o lançamento do ensaio A cruel pedagogia do vírus, o sociólogo português Boaventura de Sousa Santos traz ao leitor uma obra que propõe pensar a sociedade pós-pandemia, sua complexidade, os problemas que a antecedem e possíveis futuros. Como um diagnóstico crítico do presente, Boaventura aponta, em O futuro começa agora (Boitempo, 432 pp, R$ 77), que as desigualdades e discriminações sociais, já tão presentes nas sociedades contemporâneas, se intensificaram ainda mais em um contexto pandêmico. Com atenção especial ao modelo econômico-social, ao papel da ciência e do Estado na proteção dos mais necessitados, o autor traz um profícuo debate para se pensar em alternativas econômicas, políticas, culturais e sociais que apontem para um novo modelo civilizatório de sociedade.

PublishNews, Redação, 03/02/2021

Vivemos num mundo cada vez mais tecnológico e em mutação rápida, em que se exige das pessoas eficácia, rapidez e racionalidade. Ingressamos na era digital, com a entronização da máquina, que tem a velocidade como sua marca registrada. Assim, estabelece-se um paradoxo: quanto mais tecnologia incorporada mais o homem tem que correr para cumprir suas tarefas. A ciência persegue o conhecimento, enquanto a tecnologia persegue a eficiência. E o casamento da ciência com a técnica, tira a ciência do seu estágio amadorista. Em A inteligência artificial (Editora dos Editores, 184 pp, R$ 40), Wilson Luiz Sanvito analisa como a IA impacta a vida em nosso planeta. Traçando uma linha do tempo, o autor explica como a ciência e a tecnologia foram ganhando importância com o passar dos anos e elenca seus objetivos, benefícios e desafios.

PublishNews, Redação, 03/02/2021

Em Vida 3.0 (Benvirá, 360 pp, R$ 59,90 – Trad.: Petê Rissatti), Max Tegmark, professor do MIT, descreve os mais recentes avanços na inteligência artificial (IA) e mostra como ela está pronta para superar a inteligência humana. De que forma a IA afetará os crimes, as guerras, a justiça, o trabalho, a sociedade e nossa própria noção de sermos humanos? Como podemos aumentar nossa prosperidade por meio da automação sem deixar as pessoas desprovidas de renda ou de propósito? Que conselhos sobre carreira deveríamos dar às crianças hoje em dia, para que evitem empregos que em breve serão automatizados? Será que as máquinas se tornarão mais espertas do que nós em todas as tarefas, substituindo os humanos no mercado de trabalho e talvez em todo o restante? Será que a IA ajudará a vida a florescer como nunca antes ou nos dará mais poder do que podemos encarar? Vida 3.0 responde essas e outras perguntas levando em conta os mais variados pontos de vista e os assuntos mais polêmicos, de superinteligência a consciência e os últimos limites físicos da vida no Universo.

 
©2001-2021 por Carrenho Editorial Ltda. Todos os direitos reservados.
Rua Henrique Schaumann, 1108 A, CEP 05413-011 Pinheiros, São Paulo -SP
O conteúdo deste site não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.