Caso não consiga visualizar corretamente esta mensagem, clique aqui.
PublishNews 22/09/2020
Há 49 anos servindo a cultura e educação, é uma das maiores distribuidoras de livros para o ensino de idiomas, técnicos e científicos.
A Transpo Express é uma transportadora que já atua há 10 anos focada completamente no segmento editorial. Faz entregas e coletas em editoras, distribuidoras, livrarias, gráficas e grandes redes. A área de atuação atualmente engloba São Paulo (Capital), grande São Paulo, Jundiaí, Campinas e todo o estado do Rio de Janeiro.
A área de Soluções em Acessibilidade é uma divisão da Fundação Dorina Nowill para Cegos criada para oferecer o mais amplo portfólio de produtos e serviços acessíveis a empresas que desejam não apenas se adequar à lei, mas atender a todos os seus clientes com a mesma atenção e respeito!
PublishNews, Leonardo Neto, 22/09/2020

André Fonseca, Anna Luiza Cardoso, Kim Doria, Taty Leite, e Verena Alice Borelli são os Jovens Talentos 20/21Todo os anos, desde 2015, a redação do PublishNews tem um encontro certo com a emoção. É a hora de anunciar os finalistas do Prêmio Jovens Talentos da Indústria Editorial cuja missão é apresentar profissionais que não só representam a renovação do mercado, mas também o futuro da indústria. São histórias recheadas de conquistas que fazem nossa equipe realmente se emocionar. E neste ano, claro, não foi diferente. O anúncio dos finalistas estava previsto para a próxima sexta-feira (25), mas o júri já realizou o seu trabalho e nós resolvemos antecipar a divulgação até mesmo porque a Feira do Livro de Frankfurt deve anunciar, em breve, a sua programação e os nomes dos cinco finalistas estarão lá, representando o Brasil. Nesta edição, o júri – composto por Carolina Rocha, vencedora da última edição do Prêmio, Lu Magalhães, sócia do PublishNews, e Marifé Boix Garcia, vice-presidente da Feira de Frankfurt – recebeu 38 inscrições. Dessas foram escolhidos cinco finalistas: André Fonseca, editor da Citadel; Anna Luiza Cardoso, sócia da Agência Villas-Boas & Moss; Taty Leite, booktuber e coordenadora do Vá Ler um Livro; Kim Doria, gerente de comunicação da Boitempo, e Verena Alice Borelli, consultora administrativa da Belas Letras. Além de figurarem na programação oficial da Feira do Livro de Frankfurt, cuja edição de 2020 será on-line por conta da pandemia, os cinco participarão de uma série de encontros e eventos com o PublishNews ao longo do primeiro semestre de 2021. Em julho do ano que vem, eles participarão de um pitching em que defenderão a sua candidatura e um júri composto por especialistas e nomes consagrados do mercado editorial brasileiro elegerá o vencedor que acompanhará a edição da Feira de Frankfurt em 2021, com as despesas de passagens e hospedagem pagas, além de uma ajuda de custo no valor de 500 euros. O Jovens Talentos é realizado pelo PublishNews, com o patrocínio do Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL) e apoio da Feira do Livro de Frankfurt. Clique no Leia Mais para conferir o perfil de cada um dos finalistas.

PublishNews, Redação, 22/09/2020

Na última sexta (18), o juiz Marcelo Barbosa Sacramone, responsável pela condução do processo de recuperação judicial da Livraria Cultura, anunciou sua decisão em relação à não aprovação do novo plano de recuperação judicial da varejista pelos seus credores e deu cinco dias para a varejista comprovar o cumprimento do plano de recuperação já homologado. Em mensagem enviada ao PublishNews, Sergio Herz, CEO da rede de livrarias, disse que a decisão “surpreendeu a todos nós”. “Tivemos maioria dos votos em todas as classes no quesito valor e no quesito cabeças perdemos por causa de dois votos que foram, segundo as próprias empresas, registrados de maneira contrária àquilo que elas desejavam. Estas duas instituições corrigiram o erro durante a própria assembleia e se manifestaram também nos autos do processo”, explicou Herz. Inicialmente, 53% dos credores da classe IV votaram contra a aprovação do plano, e antes mesmo da assembleia acabar, dois credores informaram à administradora da RJ o erro ao proferir os votos – o que resultaria na aprovação do plano com 51,11% dos votos, mas o magistrado não aceitou o pedido. Ao Valor, Sacramone disse que permitir a alteração do voto pode se configurar num incentivo para que em outros casos isso aconteça. Em sua mensagem, Herz afirma ainda que existem várias ações alternativas no judiciário, em instâncias superiores, que serão tomadas para tentarem aprovar o plano apresentado. “Nossa operação está no caminho correto e temos muita confiança com relação ao nosso futuro”. E afirma: “A Cultura não deixará de existir em cinco dias. Se depender da gente, teremos pelo menos mais 70 anos pela frente”. Clique no Leia Mais para conferir a íntegra desta nota.

PublishNews, Redação, 22/09/2020

Nesta quinta-feira (24), às 10h, a Folha de S.Paulo, em parceria com a Câmara Brasileira do Livro (CBL), Abrelivros e o Sindicado Nacional dos Editores de livros (SNEL) realiza mais um Seminário Folha, desta vez para discutir os impactos da proposta de reforma tributária no livro e leitura. Na ocasião, especialistas e convidados debaterão como a reforma tributária, que acabaria com a isenção fiscal de livros, pode impactar a disseminação da literatura no país. No primeiro debate, o deputado federal Baleia Rossi (MDB-SP); Heleno Torres, advogado tributarista; Luiz Carlos Hauly, ex-deputado federal e autor da PEC 110; e Marcos da Veiga Pereira, presidente do SNEL, darão suas visões sobre a taxação do livro. No segundo debate, o lugar do livro na economia da cultura será discutido por Ana Paula Carneiro, coordenadora de leitura da Biblioteca comunitária Sete de Abril, e João Leiva, diretor da consultoria JLeiva Cultura & Esporte e pesquisador da área cultural. O evento gratuito será transmitido ao vivo pelo site da Folha e as perguntas poderão ser enviadas para o WhatsApp (11) 99648-3478.

PublishNews, Redação, 22/09/2020

Em breve, a Livraria Paulus irá abrir sua segunda loja no estado do Paraná. Localizada na cidade de Guarapuava, que conta com mais de 172 mil habitantes, a loja será a quinta na região Sul do país e a 31ª da rede no país. Segundo a livraria, o novo espaço terá uma proposta diferenciada no segmento editorial, será uma loja com um conceito de formação humana, intelectual e religiosa para todos os frequentadores: sacerdotes, seminaristas, religiosos e o público em geral. Oferecendo mais de três mil títulos, a Livraria Paulus está na sua fase final de instalação e será localizada na Rua XV de novembro, 7466, loja 1.

PublishNews, Redação, 22/09/2020

A sétima edição da Feira Miolo(s), realizada pela Lote 42, e marcada para acontecer nos dias 5 e 6 de dezembro, será virtual. Ao todo serão 100 editoras participantes, que montarão estandes virtuais por meio de lives no Instagram para apresentar seus trabalhos. Para que o público possa conhecer o máximo de editoras e artistas, os participantes serão divididos em dias e faixas de horários específicos. As inscrições para participar estão abertas até o dia 7 de outubro por meio de um formulário on-line. A seleção de editoras e artistas será divulgada no final de outubro. A Feira Miolo(s) é um encontro de cultura gráfica que tem como objetivo estimular a produção e divulgação de editores e artistas contemporâneos independentes.

PublishNews, Redação, 22/09/2020

Realizado pelo Goethe-Institut São Paulo, o Passaporte Literatura terá um novo formato este mês. Marcado para esta sexta (25), às 19h, dessa vez, o evento convidou o poeta, editor e professor Fabiano Calixto para falar de poetas do Expressionismo alemão e estimular a escrita do público. Durante o bate-papo, além da leitura e comentário de poemas de autores como Georg Trakl e August Stramm, Calixto trará um exercício de criação para ser feito ao vivo, cada um na sua casa. O Instituto ainda convida os participantes da oficina aberta a publicarem os poemas escritos durante o evento em suas redes marcando a hashtag #OficinaLiterariaDoGoethe. A conversa será transmitida pelo Facebook do Goethe-Institut.

PublishNews, Redação, 22/09/2020

Publicado pela Rosa dos Tempos desde 1991, O martelo das feiticeiras (700 pp, R$ 94,90 - Trad.: Paulo Froes) ganha nova edição, desta vez com introdução de Rose Marie Muraro – a Patrona do Feminismo Brasileiro – e prefácio do médico psiquiatra e analista junguiano Carlos Amadeu B. Byington. A obra é o mais célebre manual redigido durante o período de “caça às bruxas” da Idade Média. A inflamada epidemia que perseguiu e condenou mulheres, fosse por seus conhecimentos ou comportamentos que fugissem aos padrões morais e religiosos da época, fosse por pura vingança e misoginia, é uma mancha na história da humanidade. Escrito no século XV, o livro beneficiou-se da invenção da imprensa para sua difusão, tendo diversas reedições pelo continente europeu e, apesar de inúmeras polêmicas e dúvidas quanto à validade de seus ensinamentos, chegou aos séculos XVI e XVII com prestígio entre os perseguidores de hereges. Amplamente utilizado pelos tribunais seculares, o manual pode ser responsabilizado pelas mais de 100 mil execuções, em sua maioria de mulheres, realizadas pela Inquisição durante pelo menos quatro séculos, como apontam historiadores. Como identificar bruxas? Como agem bruxas? Como julgar bruxas? Essas são as questões centrais respondidas neste tratado pelos inquisidores Herinrich Kraemer e James Sprenger, que, entre outras afirmações fantasiosas. Nesta edição Rose Maire Muraro analisa os alicerces presentes no manual, que permitiram a opressão e a violência institucional, por séculos, ao corpo das mulheres.

PublishNews, Redação, 22/09/2020

Com apoio da iniciativa Documenta Pantanal e depois de dez viagens realizadas em um período de cinco anos à região, João Farkas lança Pantanal (Edições Sesc SP, 160 pp, R$ 150). Com 80 imagens acompanhadas de pequenos textos, a obra desnuda a alma pantaneira a partir de um desafio ao tradicional estilo de documentação do fotógrafo. “Por ser muito fotogênico, esse ecossistema já foi objeto de muitos ensaios fotográficos. Não valeria a pena fazer um livro com os mesmos aspectos ou com a mesma visão. Trata-se de um olhar autoral com imagens que fogem do simplesmente documental e trazem uma visão pessoal, por vezes idílica, por vezes dramática”, explica o autor. Ao mesmo tempo em que instiga mistério e distanciamento, o livro remete a um assunto amplamente discutido e em evidência: as profundas ameaças e transformações do Pantanal por conta do assoreamento de seus rios e da mudança climática. Minérios, fogo e poeira, plantio e pasto. Tudo isso está no retrato que João Farkas faz do Pantanal, bioma que também vem sofrendo com a escalada das agressões humanas ao meio ambiente.

“A Cultura não deixará de existir em cinco dias. Se depender da gente, teremos pelo menos mais 70 anos pela frente.”
Sergio Herz
CEO Livraria Cultura
1.
Ora ação
2.
A era da integridade
3.
Box Harry Potter
4.
Decida vencer
5.
Ensina-me a fazer tua vontade
6.
Sol da meia-noite
7.
As muralhas vão cair
8.
A sutil arte de ligar o foda-se
9.
Mais esperto que o diabo
10.
Bora varejo
 
PublishNews, Redação, 22/09/2020

Fotógrafo, professor, pesquisador, arquiteto, historiador, sociólogo, artista. Em alguma medida, todas essas facetas transdisciplinares podem ser percebidas pelo leitor de O encanto de Narciso (Ateliê Editorial, 240 pp, R$ 68), novo livro de Boris Kossoy. Para além de registrar as imagens, ele se debruça sobre seus significados e desdobramentos, “em busca de sua natureza e essência”, como ressalta o autor. A narrativa é estruturada a partir de uma centena de textos-síntese de leitura independente, porém articulados direta ou indiretamente. Ao final, percebe-se como todos se remetem entre si, na sua essência, não obstante a diversidade temática das seis partes que compõem o livro. Kossoy percorre a natureza própria e ilimitada da fotografia enquanto forma de expressão, produto social e cultural, cujo constructo abriga em si um ambíguo processo de criação de realidades, que repercute além do próprio fato e do registro. Um constructo a ser desmontado.

PublishNews, Redação, 22/09/2020

Mais de 300 anos de escravidão lega­ram ao Brasil uma sociedade em que o racismo se infiltra no cotidiano das maneiras mais perversas. Do lápis de pintar usado na es­cola aos termos com os quais as pessoas se autodefinem, resultante da gama de tons que a mestiçagem – reconhecida ou não – produz, a beleza da cor e da diversidade só agora começa a ser notada. O livro De cor da pele (Jandaíra, 88 pp, R$ 30) traz um traba­lho artístico construído ao longo de mais de 15 anos. Uma instalação, uma performan­ce, uma exposição de fotos – o que come­çou com a indignação de uma mãe-artista se transformou em um projeto muito além das palavras e das imagens. A situação se colocou para a artista visual Denise Camargo com seu filho, que a des­pertou para o racismo estrutural que ela mesma ainda só intuíra. E do questionamento inicial de um lápis de cor surgiu De cor da pele, projeto artístico multilinguagem, exposto e exibido no SESC Presidente Dutra e no Museu Nacional em Brasília, e em vários outros espaços pelo Distrito Federal, em novembro e dezembro de 2019. Não à toa, são mães as mulheres re­tratadas na obra – mães que se abrem à fotógrafa e assumem um protagonismo ao qual muitas não estão acostumadas – pelo menos diante do público.

PublishNews, Redação, 22/09/2020

Em agosto de 1944, membros do Sonderkommando de Auschwitz-Birkenau, auxiliados pela Resistência Polonesa, conseguiram fotografar de forma clandestina parte do processo de gaseamento a que eram submetidos os judeus, operação de extermínio que levou à morte milhões de pessoas. Trazidas à luz numa grande exposição sobre a memória dos campos em 2001, essas quatro imagens tornaram-se o centro de uma acirrada polêmica que opôs, de um lado, aqueles que eram radicalmente contra qualquer tipo de representação do Holocausto e, de outro, os que defendiam a importância vital de todo registro, entre eles, o autor deste livro. Em Imagens apesar de tudo (Editora 34, 272 pp, R$ 61 - Trad.: Vanessa Brito e João Pedro Cachopo), Georges Didi-Huberman faz uma defesa lúcida e apaixonada da imagem como forma de resistência. Dialogando com Benjamin, Bataille, Godard e outros, este livro ilumina um nó de questões fundamentais que envolvem a noção de testemunho, o uso dos arquivos, o estatuto do documento visual, a montagem, os múltiplos regimes da imagem e da palavra, e conecta de modo exemplar a ética, a estética e a política.

 
©2001-2020 por Carrenho Editorial Ltda. Todos os direitos reservados.
Rua Fidalga 471, Conjunto 3 | Vila Madalena | São Paulo | SP | Brasil | 05432-070
O conteúdo deste site não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.