Caso não consiga visualizar corretamente esta mensagem, clique aqui.
PublishNews 08/04/2020
Há 49 anos servindo a cultura e educação, é uma das maiores distribuidoras de livros para o ensino de idiomas, técnicos e científicos.
A Transpo Express é uma transportadora que já atua há 10 anos focada completamente no segmento editorial. Faz entregas e coletas em editoras, distribuidoras, livrarias, gráficas e grandes redes. A área de atuação atualmente engloba São Paulo (Capital), grande São Paulo, Jundiaí, Campinas e todo o estado do Rio de Janeiro.
A área de Soluções em Acessibilidade é uma divisão da Fundação Dorina Nowill para Cegos criada para oferecer o mais amplo portfólio de produtos e serviços acessíveis a empresas que desejam não apenas se adequar à lei, mas atender a todos os seus clientes com a mesma atenção e respeito!
PublishNews, Julio Silveira, 08/04/2020

Livraria independente Não vai ter Páscoa, neste país tão católico. Ninguém poderá sair de seu concelho (município) para celebrar com a família em torno de um bacalhau. Aliás, há guardas na rua “estimulando” as pessoas a ficarem em casa e celebrarem a paixão de Cristo on-line. Eis uma ilustração de Portugal em estado de emergência. Ainda que os casos não tenham explodido, as notícias da vizinha Espanha não deixam os lusitanos, em geral já pragmáticos e recolhidos, relaxarem. A resposta portuguesa foi rápida, mas também vêm rápidos os efeitos sobre a economia: ruas desertas e comércio fechado, à exceção dos supermercados e farmácias, onde só podem entrar cinco compradores por vez. As livrarias — tanto as de shopping quanto as de rua — estão (quase) proibidas de abrir, embora a ministra da cultura (sim, aqui ainda há) tenha ressaltado que elas podem funcionar se recorrerem a um postigo (um balcão/janela para a rua, como a das farmácias brasileiras em áreas de risco). Ver como os editores e livreiros portugueses reagem a este pouso forçado e quais soluções vislumbram pode servir de referência, ou consolo, para seus colegas da margem esquerda do Atlântico. Mas antes de encontrar semelhanças, é preciso estabelecer as diferenças. Clique no Leia Mais para conferir a íntegra desta coluna, onde Julio Silveira analisa como o mercado livreiro português está lidando com a pandemia do novo coronavírus.

PublishNews, Lorenzo Herrero, 08/04/2020

Jesús Trueba, da La Buena Vida, livraria de Madrid | © DivulgaçãoA livraria La Buena Vida, de Madri, foi reconhecida como livraria cultural em 2018. Por conta da crise do coronavírus, está com as suas portas fechadas, mas não deixou de atender seus clientes. Jesús Trueba, proprietário e livreiro da La Buena Vida, falou com o PublishNews em Espanhol para contar como está a sua rotina de trabalho nesse período de isolamento social. A conversa com Jesús dá início à série Papo do Confinamento, que vai traduzir entrevistas publicadas pelo nosso colega Lorenzo Herrero, editor do PublishNews em Espanhol. Clique no Leia Mais e confira a íntegra da entrevista.

PublishNews, Redação, 08/04/2020

Há duas semanas, a Amazon anunciou que iria priorizar pedidos de itens básicos e suprimentos médicos feitos por seus clientes nos EUA e na Europa. Agora, a varejista passou a classificar “produtos de alta prioridade” como aqueles que as pessoas mais “precisam e querem”, passando a incluir nessa lista os livros infantis e didáticos. "Estamos focados em fornecer os produtos de alta prioridade que as pessoas mais precisam e desejam, e estamos vendo uma forte demanda dos clientes por livros, principalmente livros infantis e títulos educacionais", informou um porta-voz da empresa. As obras estão sendo encomendados às editoras, estão passando pelos armazéns da Amazon e sendo entregues aos clientes, de acordo com as editoras ouvidas pelo The Bookseller. A Amazon, no entanto, se recusou a confirmar se o status de determinadas categorias havia sido elevado. A medida não serve para o Brasil.

PublishNews, Redação, 08/04/2020

A Câmara Brasileira do Livro (CBL) se associou ao PublishNews e ao projeto Vá Ler Um Livro para lançar o Arena Virtual, uma série de lives que tem recebido autores e personalidades para falarem da sua relação com o livro, a leitura e a literatura. O primeiro episódio foi ao ar na última segunda e foi uma conversa de Leonardo Neto, editor do PN, com o ator Antônio Fagundes. Logo mais, às 16h, a convidada será a Monja Coen, que vai bater um papo ao vivo com Tatiany Leite, uma das idealizadoras do Vá Ler Um Livro. A conversa será transmitida pela página da CBL no Facebook. A programação das próximas lives terá nomes muito especiais como Lázaro Ramos, Marcus Barcelos, Carlos Ruas, Daniel Munduruku e muito mais. Acompanhe a divulgação pelo PublishNews, pelos canais do Vá Ler um Livro e pelas redes sociais da CBL e da Bienal do Livro SP.

PublishNews, Redação, 08/04/2020

A Minha Biblioteca, biblioteca digital criada para instituições de ensino superior, abriu uma vaga para gerente comercial. A empresa procura um profissional sênior para prospecção, captação e retenção de clientes B2B. Ele também será responsável pelo atendimento às demandas dos clientes, pela negociação de contratos e por gerir a equipe comercial. É necessário ter cinco anos de experiência na área, foco em resultados e metas de faturamento, visão estratégica, conhecimentos avançados do Pacote Office e disponibilidade para viagens. Os interessados deverão enviar currículos para o e-mail gestao@minhabiblioteca.com.br até 20 de abril, colocando no assunto “Vaga Gerente Comercial”.

PublishNews, Redação, 08/04/2020

Nesta quinta (9), às 19h, a Câmara Brasileira do Livro (CBL - @cbloficial) transmite uma live com Pedro Ferreira de Souza, autor do livro Uma história da desigualdade, publicado pela Hucitec Editora (@hucitec). Vencedora da categoria Humanidades, do Eixo Ensaio, a obra também foi escolhida como Livro do Ano do Prêmio Jabuti 2019. O livro de Pedro encaixa uma peça importante no quebra-cabeças da história econômica brasileira e disserta sobre quem ganhou mais e quem ganhou menos em quase um século de desenvolvimento. O bate-papo será conduzido por Pedro Almeida, curador do prêmio e colunista do PublishNews.

PublishNews, Redação, 08/04/2020

Em O impostor (Todavia, 80 pp, R$ 39,90), Edgard Telles Ribeiro combina suspense com investigação psicológica. Na trama, um casal mais velho parte em viagem. O plano é dar um giro pela Itália, e a jornada começa justamente em Nápoles, a poucos quilômetros do Vesúvio. O vulcão tem uma simbologia especial para o narrador, ligada a uma lembrança de infância que nunca o largou. Quando era criança, no Rio de Janeiro, ele ouviu de sua mãe contar que um tio dela teria caído no Vesúvio décadas antes. O mistério dessa queda persegue o narrador até a velhice. Ele caiu? Se jogou? Como alguém morre num vulcão? O fato de estarem agora em Nápoles propicia a ele a oportunidade de uma sorrateira investigação. A viagem correria tranquilamente não fosse uma pergunta feita ao protagonista por sua mulher. A indagação, simples em sua natureza, desorienta o narrador, tirando seu chão. De repente, ele não está mais na Itália, e sim de volta ao Rio de Janeiro com seu neto. Afinal, a viagem ocorreu? Está ocorrendo ainda? Em que momento do passado (ou do futuro) ele se encontra? Quem é o impostor?

PublishNews, Redação, 08/04/2020

Um mar de segredos (Record, 378 pp, R$ 49,90 – Trad.: Clóvis Marques), obra da atriz e escritora Catherine Steadman, conta a história do casal Erin e Mark. Erin é uma documentarista, e está numa fase ótima no trabalho. Mark é um investidor com um futuro brilhante pela frente. Eles são o casal ideal, e tudo em sua vida parece perfeito. Certa manhã, durante a lua de mel deles na ilha tropical de Bora Bora, os dois saem para mergulhar e acabam encontrando uma bolsa batendo no casco da lancha. Não há vestígio de outra lancha por perto nem de nenhuma embarcação. Então eles levam a bolsa para o hotel e, tomada pela curiosidade, Erin pega uma tesoura e começa a cortá-la. O que encontra lá dentro, porém, não é nada do que imaginava. Seria essa bolsa a maior sorte da vida deles? Ou seu maior pesadelo? Agora, os recém-casados precisam fazer uma escolha difícil: dizer a verdade ou proteger seu segredo. E a decisão que tomarem naquele momento pode mudar a vida deles para sempre.

“Aprender a ler é o que de mais importante me aconteceu na vida. Agora que, por culpa do isolamento, leio do amanhecer ao anoitecer, aqueles dias voltam à minha memória com os fantasmas desvanecidos.”
Mario Vargas Llosa
Escritor peruano
1.
Luluca - No mundo dos desafios
2.
Mais esperto que o diabo
3.
Os quatro segredos sagrados para o amor e a prosperidade
4.
As armas da persuasão
5.
Alcançando excelência em vendas spin selling
6.
Como fazer amigos e influenciar pessoas
7.
Quem pensa enriquece: o legado
8.
Atitude mental positiva
9.
Mais esperto que o diabo (edição de bolso)
10.
Como fazer amigos e Influenciar pessoas - Edição comemorativa 80 anos
 
PublishNews, Redação, 08/04/2020

Partindo de um contexto real e expondo o racismo estrutural dos EUA da década de 1950, Território Lovecraft (Intrínseca, 352 pp, R$ 59,90 – Trad.: Thais Paiva), obra de Matt Ruff, une ficção histórica, fantasia e pulpnoir. Nos EUA segregados da década de 1950, Atticus é um rapaz negro, veterano da Guerra da Coreia, fã de H. P. Lovecraft e outros escritores de pulpfiction. Ao descobrir que o pai desapareceu, ele volta à cidade natal para, com o tio e a amiga, partir em uma missão de resgate. Na viagem até a mansão do herdeiro da propriedade que mantinha um dos ancestrais de Atticus escravizado, o grupo enfrentará sociedades secretas, rituais sanguinolentos e o preconceito de todos os dias. Ao chegar, Atticus encontra seu pai acorrentado, mantido prisioneiro por uma confraria secreta, que orquestra um ritual cujo personagem principal é o próprio Atticus. A única esperança de salvação do jovem, no entanto, pode ser a semente de sua destruição — e de toda a sua família. Estruturado ao mesmo tempo como uma coletânea de contos e um romance, Território Lovecraft apresenta elementos sobrenaturais como casas assombradas e portais para outras realidades, objetos enfeitiçados e livros mágicos, além de explorar os terrores da época de segregação racial nos EUA. Livro será adaptado para série na HBO.

PublishNews, Redação, 08/04/2020

O pacto (Globo Livros, 464 pp, R$ 59,90 – Trad.: Celina Portocarrero), romance psicológico da autora Michelle Richmond, conta a história dos recém-casados Alice, ex-vocalista de uma famosa banda de rock e uma advogada de sucesso, e Jake, sócio de uma promissora clínica de psicologia, Como um presente de casamento de um dos clientes mais importantes de Alice, eles recebem um convite para se juntar ao Pacto, um misterioso grupo que reúne casais bem-sucedidos. O objetivo do Pacto parece simples: manter os casamentos felizes e fazê-los durarem por meio de um estrito código de comportamento. O que a princípio parece ser o ambiente perfeito para o início da vida a dois logo se mostra uma experiência perigosa, onde nada é exatamente o que parece e que fará com que ambos questionem o verdadeiro significado do “felizes para sempre”.

 
©2001-2020 por Carrenho Editorial Ltda. Todos os direitos reservados.
Rua Fidalga 471, Conjunto 3 | Vila Madalena | São Paulo | SP | Brasil | 05432-070
O conteúdo deste site não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.