Caso não consiga visualizar corretamente esta mensagem, clique aqui.
PublishNews 15/07/2019
A BOOKPartners é uma distribuidora completa: atende toda a cadeia do livro e seus devidos processos. Em sua estrutura reúne cerca de 220 colaboradores, dois centros de distribuição, e-commerce e marcas voltadas a segmentos específicos de leitores.
Primavera Assessoria oferece serviço de revisão de textos em português, preparação de originais para editoras e autores, padronizações e outros serviços editoriais.
A Transpo Express é uma transportadora que já atua há 10 anos focada completamente no segmento editorial. Faz entregas e coletas em editoras, distribuidoras, livrarias, gráficas e grandes redes. A área de atuação atualmente engloba São Paulo (Capital), grande São Paulo, Jundiaí, Campinas e todo o estado do Rio de Janeiro.
PublishNews, Redação, 15/07/2019

Bruno Mendes, Marifé Boix Garcia e Maju Alves compuseram o júri do Prêmio Jovens Talentos | © André ArgoloO júri do Prêmio Jovens Talentos se reuniu em Paraty para decidir os cinco ganhadores da edição de 2019. O prêmio realizado pelo PublishNews em parceria com o Sindicato dos Editores de Livros (SNEL) e com a Feira do Livro de Frankfurt dá reconhecimento a profissionais de até 35 anos que estejam fazendo algo de inovador para a cadeia do livro. O anúncio dos cinco vencedores foi feito por Marifé Boix Garcia, vice-presidente da Feira do Livro de Frankfurt, no Podcast do PublishNews dessa semana que está especial já que foi gravado com a participação de plateia na Casa PublishNews em Paraty. Os cinco ganhadores já terão acesso ao Business Club, a área VIP da Feira de Frankfurt. No dia 30 de agosto, na abertura do Café Literário da Bienal Internacional do Rio de Janeiro, será anunciado o vencedor do Prêmio Especial. Ele ou ela viajará para Frankfurt com todas as despesas de passagens e hospedagens custeadas pelo prêmio e ainda uma ajuda de custo de 500 euros. O Podcast traz ainda um apanhadão daquilo que a nossa equipe mais gostou nessa Flip e ainda trechos de algumas mesas que fizeram parte da programação da Casa PublishNews. Na edição de amanhã, o PublishNews traz um perfil completo de cada um dos ganhadores. Por enquanto, se você está interessado em saber quem ganhou, clique no Leia Mais e ouça o programa dessa semana.

PublishNews, Redação, 15/07/2019

As Jornadas Literárias de Passo Fundo, evento modelo quando o assunto é formação de leitores no Brasil, não acontecerão em outubro de 2019 como estava previsto. Em comunicado, a Universidade de Passo Fundo, organizadora do evento, justificou: “a conjuntura econômica nacional impõe um cenário de contenção e exige restrições de investimentos em atividades nas mais diferentes áreas”. No mesmo comunicado, a Universidade diz que a ideia é realizar as Jornadas no primeiro semestre de 2020, provavelmente em março, de acordo com a apuração do PN. Isso se os recursos via Ministério da Cidadania forem liberados. Vale lembrar que a edição de 2015 também foi cancelada pelo mesmo motivo.

PublishNews, Redação, 15/07/2019

A Flip deste ano foi mesmo mais diversa e plural, quem esteve por Paraty pode conferir de perto e isso se refletiu nos livros mais vendidos nos quatro dias de evento. Segundo os números divulgados pela Travessa, a livraria oficial do evento, dos cinco primeiros colocados, quatro são negros e um deles é indígena. O primeiro lugar ficou com a portuguesa Grada Kilomba e o livro Memórias da plantação (Cobogó), que vendeu 723 exemplares. A prata ficou com Fique comigo (HarperCollins), de Ayòbámi Adébáyò, com 621 exemplares vendidos e o bronze com Ideias para adiar o fim do mundo (Companhia das Letras), do ambientalista e líder indígena, Ailton Krenak. O livro vendeu 437 cópias. O quarto lugar ficou com Também os brancos sabem dançar (Todavia), de Kalaf Epalanga, que vendeu 306 exemplares e o quinto, com Gaël Faye e a obra Meu pequeno país (Rádio Londres), com 296 cópias vendidas. A lista com os 20 títulos mais vendidos você confere clicando no Leia Mais.

PublishNews, Redação, 15/07/2019

Uma novidade desse ano na Casa PublishNews em Paraty foi a presença da Livraria do Comendador que desceu a serra pela primeira vez para marcar presença na Flip. De lá, a equipe da livraria mandou a sua lista dos títulos mais vendidos nos quatro dias de festa. Faces do sexual (Aller), organizado por Rafael Kalaf Cossi, foi o campeão de vendas. Na sequência, apareceu Das terras bárbaras (Tordesilhas), de Ricardo da Costa Aguiar, e em terceiro, Escute o que ela diz (Primavera Editorial), de Joanne Lipman. Os três títulos foram lançados na Casa. Em quarto lugar, apareceu Ricardo e Vânia (Todavia), de Chico Felitti; em quinto, Lugar de fala (Polen), de Djamila Ribeiro; em sexto, O profeta (Planeta), de Khalil Gibran; em sétimo Outono (Outubro), de Lucília Garcez (também lançado na Casa); em oitavo, Pesado demais para a ventania (Todavia), de Ricardo Aleixo; em nono, A teta racional (Grua), de Giovana Madalosso, e em décimo, 21 lições para o século 21 (Companhia das Letras), de Yuval Noah Harari.

PublishNews, Redação, 15/07/2019

No sábado foi ao ar mais uma edição especial do Podcast do PublishNews especial Paraty. O editor Marcos da Veiga Pereira, da Sextante e presidente do Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL), e a agente literária alemã Nicole Witt participaram da mesa. Ele falou sobre os investimentos da Sextante em audiolivros (junto com a Intrínseca e a Record, a Sextante lançou recentemente a Autibooks) e ainda sobre a situação atual do setor editorial brasileiro. Já Nicole Witt comentou sobre a importância do Programa de Apoio à Tradução da Fundação Biblioteca Nacional. Ela contou que esteve com Fábio Lima, coordenador do programa e ele confirmou a continuação da bolsa que é fundamental para a internacionalização do livro brasileiro. Clique no Leia Mais para ouvir o programa.

PublishNews, Redação, 15/07/2019

O destaque das notícias desse final de semana foi a 17ª edição da Festa Literária Internacional de Paraty que acabou neste domingo. A Folha, por exemplo, falou sobre a importância da feira para os autores. Um deles largou o emprego para participar da festa literária e investiu no curso de quatro dias oferecido pela Casa Paratodxs com o intuito de conseguir ser publicado, já outros citados na matéria carregaram seus manuscritos debaixo do braço pela cidade a procura de editores. Já o Estadão trouxe uma matéria com Liz Calder. A idealizadora da Flip festejou uma maior presença feminina, falou sobre a dificuldade de levar autores para o evento e até sugeriu nomes à curadoria da Flip. Ainda sobre o evento, a Época selecionou 11 frases dos convidados e autores que passaram pela festa literária. Estão na seleção nomes como Jarid Arraes, Marilene Felinto, Sidarta Ribeiro, Xico Sá, Ismail Xavier e Cristina Serra. O Painel das Letras confirmou a notícia de que o Prêmio Paraná de Literatura será cancelado este ano e a coluna da Babel, destaque para o novo clube de assinaturas, o Bux Club. Clique no Leia Mais para ter acesso à íntegra desta nota.

PublishNews, Redação, 15/07/2019

A Flip acabou. Quem foi, agora, está se recuperando do cansaço. Quem não foi poderá ter um gostinho da programação do evento que lotou a cidade de Paraty. É que alguns dos convidados estarão no Rio de Janeiro e em São Paulo para uma série de encontros com leitores. Logo mais, às 19h30, a nigeriana Ayòbámi Adébáyò (na foto ao lado) participa de um bate papo no Centro de Pesquisa e Formação do Sesc SP (Rua Dr. Plínio Barreto, 285) onde lança o livro Fique comigo (HarperCollins). Ainda hoje, às 19h, as jornalistas Mariana Enriquez (Argentina) e Karina Sainz Borgo (Venezuela) participam de uma conversa com Antônio Xerxenesky sobre a América Latina. Mariana é autora dos livros Este é o mar e As coisas que perdemos no fogo, e Karina escreveu Noite em Caracas. O encontro acontece na Livraria da Vila da Lorena (Al. Lorena, 1.731 - São Paulo / SP). Também hoje, só que no Museu de Arte do Rio (MAR - Praça Mauá, 5 - Rio de Janeiro / RJ) e às 14h, o angolano Kalaf Epalanga, autor de Também os brancos sabem dançar (Todavia), participa de bate papo com Hermano Vieira e Quito Ribeiro. Nesta terça (16), às 19h30, o autor participa ainda de um novo encontro na Livraria da Travessa de Ipanema (Rua Visconde de Pirajá, 572) ao lado de Quito e Omar Salomão. Na sequência, ele vai para São Paulo para encontros no Sesc Pinheiros (Rua Paes Leme, 195), na próxima quarta-feira (17), às 20h, e na Biblioteca Mário de Andrade (Rua da Consolação, 94), na quinta (18), a partir das 18h30.

PublishNews, Redação, 15/07/2019

Memórias da plantação (Cobogó, 248 pp, R$ 48 – Trad.: Jess Oliveira) é uma compilação de episódios cotidianos de racismo, escritos sob a forma de pequenas histórias psicanalíticas. Das políticas de espaço e exclusão às políticas do corpo e do cabelo, passando pelos insultos raciais, Grada Kilomba desmonta, de modo incisivo, a normalidade do racismo, expondo a violência e o trauma de se ser colocada/o como Outra/o. Publicado originalmente em inglês, em 2008, Memórias da Plantação tornou-se uma importante contribuição para o discurso acadêmico internacional. Obra interdisciplinar, que combina teoria pós-colonial, estudos da branquitude, psicanálise, estudos de gênero, feminismo negro e narrativa poética, esta é uma reflexão essencial e inovadora para as práticas descoloniais.

“Não há país industrializado sem uma expressiva produção editorial.”
Sérgio Machado
Editor brasileiro
1.
A sutil arte de ligar o foda-se
2.
O milagre da manhã
3.
Seja foda!
4.
Do mil ao milhão
5.
A garota do lago
6.
F*deu geral
7.
Mais esperto que o diabo
8.
Os segredos da mente milionária
9.
O poder da autorresponsabilidade
10.
O poder oculto
 
PublishNews, Redação, 15/07/2019

Pensamento feminista negro (Boitempo, 480 pp, R$ 73 – Trad.: Jamille Pinheiro Dias), escrito pela socióloga Patricia Hill Collins em 1990, faz parte do cânone bibliográfico dos estudos de gênero e raça nos EUA. A autora mapeia os principais temas e ideias tratados por intelectuais e ativistas negras estadunidenses como Angela Davis, Bell Hooks, Alice Walker e Audre Lorde, e assim constrói um panorama do feminismo negro com referências de dentro e de fora da academia. Collins contempla tradições teóricas diversas, como a filosofia afrocêntrica, a teoria feminista, o pensamento social marxista, a teoria crítica e o pós-modernismo e propõe importantes conceitos para compreender não apenas os mecanismos de opressão das mulheres negras, mas também como essas mulheres desenvolveram conhecimentos e estratégias para enfrentá-los. Sua escrita de fácil compreensão faz da obra uma referência obrigatória tanto para especialistas quanto para leitoras e leitores leigos. O texto de orelha é assinado por Nubia Regina Moreira e a quarta capa, por Djamila Ribeiro.

 
©2001-2019 por Carrenho Editorial Ltda. Todos os direitos reservados.
Rua Fidalga 471, Conjunto 3 | Vila Madalena | São Paulo | SP | Brasil | 05432-070
O conteúdo deste site não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.