Caso não consiga visualizar corretamente esta mensagem, clique aqui.
PublishNews 08/04/2019
Aldeia dos Livros oferece serviços que vão desde a revisão de textos em geral; tradução do inglês e espanhol; copydesk; pareceres; contatos com editoras; eventos nacionais e internacionais; criação de capas de livros, branding e coaching criativo para autores.
HiDesign Estúdio é um estúdio editorial focado em design. Entre os trabalhos oferecidos pelo estúdio estão: capas, projetos gráficos, diagramação e ilustração para projetos de editoras e autores independentes.
A Beluga Editorial presta diversos serviços de produção do livro, incluindo revisão, copidesque, diagramação, capa e projeto gráfico. Atendemos tanto editoras quanto autores.
PublishNews, Redação, 08/04/2019

Biblioteca Villa-Lobos, reconhecida internacionalmente, está ameaçada pelos cortes no orçamento da Cultura | © DivulgaçãoO governador de São Paulo, João Dória, determinou o contingenciamento de 23% do orçamento da pasta da Cultura. Isso afeta em cheio projetos exitosos na área de literatura mantidos pelo estado. Exemplos disso são as bibliotecas de São Paulo e Parque Villa-Lobos, o Prêmio São Paulo de Literatura, o Sistema Estadual de Bibliotecas (SisEB) e a Rede de Museus-Casas Literários de São Paulo (Casa das Rosas, Casa Guilherme de Almeida e Casa Mário de Andrade). Em nota enviada à redação, a SP Leituras, responsável pelo gerenciamento das duas bibliotecas que foram finalistas nos últimos 12 meses de prêmios internacionais como o Excellence Awards (Feira do Livro de Londres) e da Federação Internacional de Bibliotecas (IFLA) disse que vê a medida com preocupação. Quem também se manifestou foi a Federação Brasileira de Associações de Bibliotecários, Cientistas da Informação e Instituições (Febab) que vê a situação com "enorme apreensão". A Poiesis, que gerencia a Rede de Museus-Casas Literários, disse que está em negociação com a pasta para saber como ficarão os projetos depois do corte. Nesta segunda-feira (08), acontece uma reunião em que estarão na mesma mesa a Secretaria de Cultura e Economia Criativa e a Associação Brasileira de Organizações Sociais de Cultura (Abraosc) para tratar do tema. A entidade estima corte de R$ 127 milhões nos orçamentos das OSs o que acarretará em demissões, suspensão de atividades e baixa de 25% no número de pessoas impactadas por esses equipamentos, afetando inclusive o turismo no Estado. O orçamento da pasta da Cultura e Economia Criativa representa 0,35% do orçamento do Estado e tem previsão orçamentária de R$ 647,2 milhões. Com os cortes, o orçamento foi reduzido para R$ 498,7 milhões.

PublishNews, Redação, 08/04/2019

O Podcast do PublishNews dessa semana recebeu Rafael Ferreira, responsável na Amazon pelo Marketplace de livros. Na conversa que teve com a nossa redação, ele falou um pouco sobre a situação desse canal que completa dois anos agora em abril e tem se tornado bastante relevante tanto para editores quanto para livreiros. Ele disse que a ideia da Amazon ao trazer o seu modelo de markeplace foi ampliar ao máximo o sortimento de produtos para o seu consumidor final. Ele teve a chance ainda de responder perguntas específicas enviadas por Gustavo Barbosa, da Agrega, distribuidora que se especializou na lida com os marketplaces, e Eduardo Oliveira da F1, que desenvolve programas que permitem a integração entre os sistemas das editoras, livrarias ou distribuidoras com os marketplaces. Clique no Leia Mais e ouça o programa.

PublishNews, Rafael Cleante*, 08/04/2019

Nos últimos anos, acompanhamos de perto diversas mudanças no formato de atuação das livrarias e editoras no país. Especialmente no último semestre, com o crescimento do modelo de marketplaces, o cenário se modificou ainda mais, principalmente na área de logística, com os players passando a oferecer serviços de armazenamento e entrega para os sellers, além de alterações na forma de repasse financeiro e nas regras determinadas pelo Banco Central. A evolução do marketplace é reflexo positivo do crescimento das vendas virtuais como um todo, sendo que este formato deu condições a centenas de livrarias a vender virtualmente de igual para igual com players maiores, sem os mesmos custos operacionais. Este é um dos maiores benefícios. Por outro lado, o principal desafio é conseguir fidelizar o cliente e possibilitar uma boa experiência para que sua loja seja uma opção de compra direta, ou mesmo uma recompra dentro do marketplace. Visualizo ainda dois principais fatores preocupantes no modelo em que o marketplace vem sendo desenhado. Um é a concorrência de preços, de forma desnecessária em determinados nichos de produtos, reduzindo a rentabilidade e qualidade de todos os envolvidos no processo. Outro fator é que editoras têm buscado a venda direta através destes canais, o que, mais uma vez, contribui para o encolhimento do setor de livros, retirando oportunidades de livrarias e distribuidoras realizarem este trabalho. Clique no Leia Mais e tenha acesso à íntegra do artigo assinado por Rafael Cleante, gerente de TI da Disal Editora e Distribuidora.

PublishNews, Redação, 08/04/2019

No final do ano passado, a Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), aprovou o Plano Estadual do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas (PELLLB / RJ), mas na sanção do então governador Francisco Dornelles (Progressistas), sofreu vetos que poderiam prejudicar a sua execução. Entre os artigos vetados estavam aquele que diz respeito às despesas decorrentes de sua implementação e o que previa um órgão estadual (que poderia ser Secretaria de Estado de Cultura ou Secretaria de Estado de Educação) como competente para dar suporte técnico-operacional necessário ao gerenciamento do PELLLB / RJ. No fim do mês passado, no entanto, a Alerj conseguiu derrubar os vetos do governador e aprovou a integralidade da lei conforme tinha saído da Assembleia Legislativa. De autoria dos deputados André Ceciliano (PT/RJ) e André Lazaroni (MBD/RJ), a Lei prevê que a leitura, como direito humano cultural inalienável, será garantida a todo cidadão do estado do Rio de Janeiro, inclusive às pessoas com deficiência e pessoas em cumprimento de pena privativa de liberdade. Prevê também que as bibliotecas públicas, comunitárias e aquelas consideradas de relevante serviço público, deverão ser incluídas no Plano. A lei ainda estabelece um Prêmio Literário com foco no fomento à literatura fluminense.

PublishNews, Redação, 08/04/2019

O El País chamou a atenção para um movimento atípico tomou conta de ao menos quatro grandes editoras de livros didáticos do país durante as eleições de 2018. É que autores de História, muitos conceituados e com longa carreira na educação, pediam para fazer modificações na última versão dos livros de história que iriam disputar a licitação do PNLD 2020. Os pedidos incluíam, por exemplo, substituir a palavra "ditadura" por "regime", e "golpe de 64" por "movimento". Os próprios autores, antecipando o posicionamento ideológico do governo Bolsonaro prestes a ser eleito, optaram pela autocensura para não perder espaço potencial num mercado milionário. Editoras como Somos Educação (grupo Kroton), FTD e IBEP negam que tenham alguma mudança em seus livros. Ainda neste campo, o Estadão selecionou seis livros que desmentem Bolsonaro e mostram que o nazismo não foi um partido de esquerda. Os livros explicam desde o aspecto ideológico até a trajetória histórica, da aliança dos empresários (e do partido do centro católico) com Hitler contra o comunismo. A obra Jorge Amado, a biografia (Todavia), escrita pela jornalista Josélia Aguiar será, em breve, lançada no exterior. Segundo a Época, a editora de Barcelona, Navona, comprou os direitos mundiais para o castelhano. E na coluna da Babel, destaque para os livros de Gabriel García Márquez que finalmente serão publicados na versão digital. Clique no Leia Mais para ter acesso à íntegra desta nota.

PublishNews, Redação, 08/04/2019

A editora jurídica Juspodivm está à procura de um profissional de marketing para o cargo de Analista de CRM Jr. A editora pede que os candidatos tenham formação em marketing ou comunicação e experiência com CRM. Inglês intermediário, experiência com livro ou mercado editorial e familiaridade com HTML serão considerados diferenciais. O contratado será responsável por gerenciar segmentações e informações dos clientes, analisar dados e indicadores, monitorar campanhas, realizar disparos e gerenciar calendário e fluxos de e-mail. Os benefícios incluem vale refeição, vale transporte, cesta básica e assistência médica e odontológica. Os interessados devem enviar e-mail para rh@editorajuspodivm.com.br com o assunto Vaga Analista de CRM Jr.

PublishNews, Redação, 08/04/2019

Depois do sucesso do método Sprint, do Google Ventures, e da experiência de design em produtos tecnológicos que estão por toda parte — do Gmail ao YouTube —, Jake Knapp e John Zeratsky passaram anos buscando maneiras de ajudar as pessoas a otimizar energia, concentração e tempo. O resultado está no livro Faça tempo (Intrínseca, 304 pp, R$ 44,90 – Trad.: Jaime Biaggio), que foi pensando naquelas pessoas que vivem pensando “E se meu dia tivesse pelo menos algumas horas a mais?”. Nele, estão reunidas táticas eficientes em uma estrutura diária de quatro passos, para que qualquer pessoa seja capaz de esquematizar o próprio dia de maneira mais sistemática. Os autores dizem que não se trata de uma fórmula-padrão sobre produtividade. Tampouco propões soluções irreais, como jogar fora seu celular ou sair de todas as redes sociais ao mesmo tempo. Em vez disso, é um guia que proporciona pequenas mudanças na sua vida para que você se liberte da ocupação e da distração constantes e priorize o que é realmente importante na sua vida.

PublishNews, Redação, 08/04/2019

Muitos culpam o livre mercado pela atual desigualdade econômica, a estagnação e a instabilidade política. A solução seria controlá-lo, certo? Mercados radicais (Portfólio Penguin, 336 pp, R$ 89,90 – Trad.: Denise Bottmann) vira essa lógica de cabeça para baixo — e praticamente todo o pensamento convencional sobre o assunto. O livro revela formas novas e ousadas de organizar os mercados para chegar ao bem comum. Mostra como a força emancipatória de mercados genuinamente abertos, livres e competitivos pode despertar o espírito adormecido de reforma liberal do século XIX e levar a maior igualdade, prosperidade e cooperação. Eric Posner e Glen Weyl argumentam que somente expandindo radicalmente o escopo dos mercados podemos reduzir a desigualdade, restaurar o crescimento econômico real e resolver muitos conflitos políticos. Mas, para isso, devemos substituir nossas instituições mais sagradas por uma concorrência verdadeiramente livre e aberta — e este livro mostra como fazer isso.

“Um clássico é um livro que nunca terminou de dizer aquilo que tinha para dizer.”
Ítalo Calvino
Escritor italiano (1923-1985)
1.
A sutil arte de ligar o foda-se
2.
O milagre da manhã
3.
O poder oculto
4.
Seja foda!
5.
A cinco passos de você
6.
Me poupe!
7.
Do mil ao milhão
8.
As aventuras na Netoland com Luccas Neto
9.
O poder da ação
10.
Pai rico, pai pobre
 
 
©2001-2019 por Carrenho Editorial Ltda. Todos os direitos reservados.
Rua Fidalga 471, Conjunto 3 | Vila Madalena | São Paulo | SP | Brasil | 05432-070
O conteúdo deste site não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.