Caso não consiga visualizar corretamente esta mensagem, clique aqui.
PublishNews 17/10/2018
A psi7 Printing Solutions & Internet 7 S.A. é uma empresa de tecnologia na gestão de conteúdos que ajuda as empresas, sejam editoras ou indústrias, a propagar o seu conteúdo nos formatos impresso, áudio, dados ou eletrônico.
Revisora, copidesque e produtora editorial há mais de dez anos com experiência em todas as etapas da produção editorial.
Com mais de 20 anos de experiência na diagramação de livros, Julio Fado oferece um trabalho profissional, de qualidade e rápido. Além da diagramação de livros para impressão, ele também diagrama livros em formato digital.
PublishNews, Redação, 17/10/2018

Nesta terça-feira (16), uma manifestação de ex-funcionários da FNAC movimentou a loja da Livraria Cultura (que opera a marca francesa no Brasil) no Conjunto Nacional, em São Paulo. Os demitidos pediam, com cartazes, o acerto de rescisões do contrato de trabalho. O PublishNews procurou a empresa via sua assessoria de imprensa que respondeu dizendo que a livraria estava se inteirando das manifestações, mas que não ia se pronunciar sobre isso por enquanto. No mesmo e-mail, a rede confirma o fechamento da sua loja no Shopping Fashion Mall, a sua última unidade no Rio de Janeiro depois do fim das operações da loja Cine Vitória no fim da semana passada. A Cultura fechou também a última loja física da FNAC no Brasil. A do shopping Flamboyant, em Goiânia, baixou as suas portas na última segunda-feira. Segundo informou a assessoria de imprensa, o espeço receberá uma nova Cultura no primeiro semestre de 2019. Sobre o fechamento da unidade do Fashion Mall, a empresa repetiu as palavras que vem usando a cada fechamento: que essas movimentações estão em linha com a sua estratégia de manter unidades com boas performances e crescer nos canais digitais. 

PublishNews, Redação, 17/10/2018

Nesta terça-feira (16), o editor Luiz Schwarcz enviou, por e-mail a amigos e parceiros, uma mensagem declarando que a candidatura de Jair Bolsonaro (PSL) é “irmã de tempos tenebrosos de nossa vida política e cultural”. "Sugiro a todos os colegas editores que prezam a liberdade de expressão que votem em Fernando Haddad, se posicionando contra o discurso difusamente preconceituoso, contra o autoritarismo e a intolerância, símbolos do outro polo que se anuncia como alternativa no segundo turno desta eleição", escreveu o editor. A manifestação do presidente do Grupo Companhia das Letras não é solitária. Já está no Avaaz uma petição pública encabeçada por editores e livreiros que declara apoio a Fernando Haddad (PT), como forma de protesto contra “o risco de retrocessos que a candidatura opositora representa, ao apoiar projetos como o Escola sem Partido, que, a pretexto de instituir uma educação 'neutra' - ficção em qualquer país do mundo -, visa a doutrinar os alunos com o que há de mais retrógrado e a introduzir a delação na atividade docente”. Um segundo manifesto, este encabeçado por nomes como Felipe Lindoso e Galeno Amorim, está sendo articulado e já recolhendo assinaturas de editores e livreiros. O documento chama a atenção para o que a candidatura de Bolsonaro representa "restrição à liberdade de ensino, com o intuito de inculcar o ‘pensamento único’ em nossos jovens, em vez de reconhecer o contraditório e estimular experiências pedagógicas inovadoras, com diversidade de enfoques, que são a seiva na qual nos nutrimos”. O documento expressa também a preocupação com a censura de livros de literatura para jovens da Educação Básica e com a extinção do Ministério da Cultura. Ainda no primeiro turno, o PublishNews tomou posição contrária ao candidato Jair Bolsonaro e seu flerte ao totalitarismo e alertou que sem liberdade e democracia, o mercado editorial tende a definhar e a praticamente desaparecer. Clique no Leia Mais e confira a íntegra desta nota.

PublishNews, Redação, 17/10/2018

Anna Burns | © Eleni StefanouChamada pelo júri de “voz completamente distinta” e incrivelmente original, a autora da Irlanda do Norte, Anna Burns venceu o Man Booker Prize 2018 com o livro The Milkman. Anunciado na tarde de ontem, em Londres, os juízes elogiaram a narrativa em primeira pessoa de Burns e o presidente dos juízes Kwame Anthony Appiah disse que o romance é poderoso, que nunca ninguém do júri tinha lido nada como ele. “Eu acho que este romance vai ajudar as pessoas a pensar sobre [o movimento ] #MeToo. É para ser elogiado por nos dar uma imagem profunda e sutil, moral e intelectualmente desafiadora do que o movimento representa", disse em seu discurso. The Milkman, “um conto de fofocas e boatos, silêncio e surdez deliberada”, fala sobre assédio sexual e é escrito da perspectiva de uma jovem que luta para evitar os avanços indesejados do “leiteiro”, um predador paramilitar que se aproveita de seu poder em uma sociedade dividida. Ainda segundo os juízes, a decisão foi unânime e que surgiu naturalmente sem a necessidade de uma votação. Burns leva para casa o prêmio no valor de 50 mil libras esterlinas.

PublishNews, Redação, 17/10/2018

Arto Paasilinna | © Veikko SomerpuroO escritor finlandês Arto Paasilinna morreu na última segunda-feira (15) aos 76 anos. Apontado como um dos autores europeus mais importantes na atualidade, Arto teve seus livros publicados em mais de 40 idiomas, inclusive em português. No Brasil, a Bertrand publicou, em 2016, O ano da lebre e está no prelo da Âyiné O bosque das raposas enforcadas, que está sendo traduzido pelo casal Lilia e Pasi Loman. Na Finlândia, Paasilinna, além de ser um dos autores mais vendidos, foi um dos autores mais amados; tanto graças aos seus livros quanto à sua personalidade carismática. “O humor dele é tão universal que ele até fez sucesso na Suécia, que apesar de ser vizinha da Finlândia, é um dos mercados mais difíceis para escritores finlandeses”, comentou Pasi, que lidera a Vikings of Brazil, agência literária especializada na construção de pontes entre a literatura nórdica e o Brasil. Paasilinna sofreu um derrame em 2009 e nunca mais conseguiu voltar a trabalhar. Viveu resto da sua vida numa casa de repouso, onde morreu dormindo, informou o agente literário.

PublishNews, Redação, 17/10/2018

O Manifesto Antropofágico, escrito por Oswald de Andrade em 1928, foi o início de um movimento de vanguarda que marcou a primeira fase modernista no Brasil, com o objetivo de estruturar uma cultura de caráter nacional. Em 2018, o Manifesto completa 90 de publicação e, para celebrar, a Rede de Museus-Casas Literários de São Paulo, em parceria com a Oficina Cultural Oswald de Andrade, realiza o Devorando Oswald, projeto que acontece entre outubro e dezembro e reúne shows, recitais, filmes, palestras, cursos e muito mais. A proposta é colocar em evidência a obra crítica-literária de Oswald de Andrade, criando diálogos com a música, o cinema, o teatro e outras linguagens. No ciclo de palestras Antropofagia e tradução, Álvaro Faleiros, Edgar Filho, Izabela Leal e Marcelo Tápia partem do conceito de antropofagia de Oswald de Andrade e avaliam a sua relevância para os estudos da tradução literária, abordando o tema de diferentes perspectivas. Os encontros acontecem 18, 19, 25 e 26 de outubro, quinta e sexta-feira às 19h na Casa Guilherme de Almeida. No curso Tropicália hoje, Luciano Garcez aborda os contextos históricos e as características estéticas da Bossa Nova e da Tropicália, bem como seus protagonistas e sua influência na cultura musical brasileira, a partir da análise de poesias e músicas. A atividade acontece 10 de novembro e 1 de dezembro, sábado às 16h. A programação completa do projeto você confere aqui.

PublishNews, Redação, 17/10/2018

A Biblioteca Pública do Paraná (Rua Candido Lopes, 133 – Curitiba / PR) abriu as inscrições para o Curso de Narrativas com Carola Saavedra e Joca Terron. Dividido em duas partes, o curso será ministrado por Carola Saavedra nos dias 22 e 23 de outubro. Neste módulo, a escritora vai falar aos alunos sobre narrador e personagem, explicando de que maneira esses elementos funcionam na elaboração de uma narrativa. Nos dias 24 e 25, Joca Terron assume a turma e apresenta uma versão da oficina que costuma ministrar, chamada Literatura-Liberdade, em que propõe exercícios de escrita automática e estilo, associação livre, registros de sonhos, entre outras possibilidades narrativas. O curso acontecerá durante a Flibi 2018, das 14h às 17h. Para participar, é necessário enviar uma breve narrativa ficcional, de no máximo duas páginas, por meio de um formulário disponível em nosso site da BPP. Serão selecionadas 20 pessoas maiores de 18 anos. A inscrição é gratuita e segue aberta até o dia 19 de outubro.

PublishNews, Redação, 17/10/2018

No próximo sábado (20), a partir das 16h, a Patuscada Livraria & Café (Rua Luís Murat, 40, Pinheiros, São Paulo / SP) recebe o lançamento do livro Marketing para autores – técnicas simples para divulgar e vender seu livro (SGDZ Editorial, 224 pp, R$ 31), de Sidney Guerra e Laura Bacellar. O livro é especialmente voltado para aqueles escritores que perceberam que muito mais difícil do que escrever um livro é vendê-lo. A obra reúne dicas e apresenta estratégias para que o site de um escritor seja visitado, para enviar e-mails que sejam vistos com simpatia por quem os recebe, para organizar eventos presenciais voltados para a divulgação de literatura e outras técnicas de contato amigável e produtivo com potenciais leitores.

PublishNews, Redação, 17/10/2018

O Centro Cultural e de Estudos Superiores Authos Paganos (Rua Thomé de Souza, 997 – São Paulo / SP) realiza nos dias 24 e 25 de outubro a oficina Brincando com a Literatura, a Matemática e a Ficção, ministrada por Jacques Fux. Nas aulas que acontecem das 14h30 às 18h30, os alunos serão convidados a refletir e a compor textos – com base em livros e teorias apresentadas por Fux – que brinquem com os conceitos da lógica e da matemática utilizados pelos escritores Jorge Luís Borges, George Perec, Italo Calvino e Lewis Carroll, ampliando assim os conhecimentos teóricos e as ferramentas dos participantes no momento de escrever. As inscrições gratuitas podem ser feitas pelo e-mail agenda@centroculturalauthospagano.org.br.

“Talvez a poesia de hoje necessite mais da cooperação do leitor.”
Helena Kolody
Escritor brasileiro
1.
A sutil arte de ligar o foda-se
2.
As aventuras na Netoland com Luccas Neto
3.
O milagre da manhã
4.
Seja foda!
5.
O poder da autorresponsabilidade
6.
Me poupe!
7.
Poesia que transforma
8.
Crença Inabalável
9.
Felipe Neto - A vida por trás das câmeras
10.
O poder da ação
 
PublishNews, Redação, 17/10/2018

Desde o fim da Segunda Guerra, o triunfo da democracia parecia incontornável. Hoje, contudo, ela se vê ameaçada, mesmo nos países onde é mais estável. Como chegamos a essa situação? Em Como a democracia chega ao fim (Todavia, 272 pp, R$ 64,90 - Trad.: Sergio Flaksman), o professor da Universidade de Cambridge David Runciman argumenta que estamos presos ao passado. Ao nos concentrarmos no fascismo e nos golpes de Estado como as principais ameaças, miramos os alvos errados. Nossas sociedades são complexas demais para colapsar da mesma maneira. Precisamos de novos modos de pensar o impensável – uma visão do século XXI sobre o fim da democracia, e se sua derrocada nos permitirá avançar em direção a um modelo melhor. 

PublishNews, Redação, 17/10/2018

Quando deixou o The New York Times em julho de 2017, Michiko Kakutani, a temida crítica literária do jornal, encerrou uma era. Ter um livro resenhado por ela, ou simplesmente ter merecido sua leitura — mesmo que a mais cruel e ácida delas —, sempre fora motivo de honra para escritores do mundo inteiro. E a comunidade literária se perguntou o que ela faria após 34 anos escrutinando obras no Times. Kakutani, então, decidiu se debruçar sobre a verdade. Ou melhor, a ausência dela. E escreveu A morte da verdade (Intrínseca, 272 pp, R$ 39,90 – R$ 24,90 o e-book – Trad.: André Czarnobai e Marcela Duarte). Na obra, ela faz uma profunda análise sobre a manipulação das informações na famigerada era das fake news. Mais especificamente, destrincha discursos, posicionamentos e ações do governo Trump nos EUA com a ajuda de minuciosa pesquisa histórica e, é claro, de sua riquíssima bagagem cultural e intelectual.

PublishNews, Redação, 17/10/2018

Em Presidencialismo de coalizão (Companhia das Letras, 440 pp, R$ 69,90 - R$ 39,90 o e-book), o sociólogo Sérgio Abranches radiografa as entranhas da política na ainda frágil democracia brasileira, formulando soluções renovadoras para a correção de suas falhas estruturais. Mais de 70 anos depois do fim do Estado Novo, com outra longa ditadura de entremeio, o que deu certo e o que tem dado errado no sistema político arquitetado pelos construtores da República? Rastreando as origens da combinação entre democracia e poder oligárquico desde a “política dos governadores” de Campos Sales, o autor revisita os momentos críticos da história do Brasil republicano. Desde 1945, excetuado o período autoritário da ditadura militar (1964-85), os presidentes brasileiros têm dependido de coalizões para governar, tornando-se reféns dos humores das oligarquias congressuais e estaduais. Nesse quadro volátil, a implementação de políticas públicas fica aquém das necessidades do país. Clientelismo, corrupção e judicialização da política são facetas negativas de um sistema democrático que, se permitiu avanços significativos, está à mercê dos partidários do atraso em momentos decisivos.

PublishNews, Redação, 17/10/2018

O sonho de muito jovem brasileiro é estudar no exterior. Mais de 65 mil estudantes brasileiros fazem faculdades em universidades estrangeiras atualmente, segundo dados compilados pelo professor Emilio Costa, autor do livro Como ingressar numa universidade americana (Faro, 240 pp, R$ 39,90). Ele defende que pode parecer impossível, mas com empenho e conhecer bem o processo de admissão, esse sonho pode se tornar realidade. A partir da sua própria experiência – Emilio estudou nos EUA e escreveu o livro durante o processo de admissão do seu filho, aceito em oito universidades lá --, o autor dá dicas e explica o passo a passo para conseguir uma vaga numa universidade na Terra do Tio Sam.

PublishNews, Redação, 17/10/2018

Em 1998, o Mossad, o serviço secreto de Israel, convocou o brasileiro Daniel Schnaider para resolver uma questão complexa de um projeto ultrassecreto e urgente. Schnaider, como membro das forças especiais do exército israelense, foi treinado para resolver os desafios mais complexos e mais urgentes de uma nação em constante perigo existencial. Foi a partir da maturação dessa sua metodologia e a sua adaptação para o mundo corporativo que ele escreveu Pense com calma, aja rápido (BestSeller / Record, 210 pp, R$ 34,90). O autor defende que não se trata de algo de outro planeta, mas de uma forma diferente de raciocinar e executar. O livro se molda bem às empresas que precisam crescer de forma acelerada em uma realidade cada vez mais incerta e complexa. Por fim, o autor defende que, se o leitor aplicar essas técnicas, conseguirá resolver o desafio de equacionar qualidade, agilidade e preço competitivo.

 
©2001-2018 por Carrenho Editorial Ltda. Todos os direitos reservados.
Rua Fidalga 471, Conjunto 3 | Vila Madalena | São Paulo | SP | Brasil | 05432-070
O conteúdo deste site não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.