Prêmio Oceanos anuncia os seus finalistas de 2021
PublishNews, Redação, 18/11/2021
Pela primeira vez, a lista de finalistas conta com um romance do Timor-Leste. Nomes como Maria José Silveira, Jeferson Tenório, Mia Couto, Gonçalo M. Tavares e Cristovão Tezza também continuam na disputa.

Santiago Nazarian, Cristovão Tezza, Maria José, Jeferson Tenório, Gonçalo Tavares e Mia Couto estão entre os finalistas do Oceanos 2021
Santiago Nazarian, Cristovão Tezza, Maria José, Jeferson Tenório, Gonçalo Tavares e Mia Couto estão entre os finalistas do Oceanos 2021

O Oceanos – Prêmio de Literatura em Língua Portuguesa, anunciou nesta quinta (18) os finalistas da sua edição de 2021. Na primeira etapa do prêmio, 1.835 livros foram lidos e avaliados por um júri de 95 profissionais que selecionou 54 semifinalistas. Na segunda, sete jurados eleitos pelo primeiro júri escolheram os 10 finalistas apresentados agora.

Integram a lista oito romances, um livro de contos e um livro de poemas, escritos por autores do Brasil, Moçambique, Portugal e Timor-Leste.

Entre os finalistas estão Maria Altamira (Instante), oitavo romance de Maria José Silveira e que trata da luta dos povos indígenas pela sobrevivência; O avesso da pele (Companhia das Letras), de Jeferson Tenório, que aborda as violências sofridas por homens negros no país; e Fé no inferno (Companhia das Letras), 12º romance de Santiago Nazarian e que aborda o genocídio armênio. Os três romances também são finalistas outros prêmios literários como o Jabuti e o São Paulo de Literatura.

O mapeador de ausências (Companhia das Letras), de Mia Couto, obra que conta em dois tempos a história do poeta Diogo Santiago e do seu pai Adriano numa Moçambique pré e pós independência; e O osso do meio (Relógio D’Água), de Gonçalo M. Tavares, que se passa num pós guerra e fala sobre medo e violência também estão na lista.

Os outros romances brasileiros selecionados foram A tensão superficial do tempo (Todavia), de Cristovão Tezza, que já venceu o Oceanos em 2008 com O filho eterno; e O ausente (Relicário), romance de estreia de Edmilson de Almeida Pereira. Ele foi semifinalistas do Oceanos 2021 com dois livros – o outro foi O corpo à deriva, segundo livro da trilogia Náusea, cujo primeiro é justamente O ausente.

Ainda entre os romances, O plantador de abóboras (abysmo), de Luís Cardoso também foi selecionado. Luís é o primeiro autor do Timor-Leste a figurar entre os finalistas na história do prêmio.

A única obra de poesia que continua na disputa é Inferno (Assírio & Alvim), do português Pedro Eiras; e terminando a lista está o conto Pessoas promíscuas de águas e pedras (Patuá), da brasileira Thais Lancman.

Os vencedores serão conhecidos em dezembro. O valor total da premiação é de 250 mil reais, sendo R$ 120 mil para o primeiro colocado, R$ 80 mil para o segundo e R$ 50 mil para o terceiro.

Confira a lista completa:

A tensão superficial do tempo (Todavia), de Cristovão Tezza – romance brasileiro
Fé no inferno (Companhia das Letras), de Santiago Nazarian – romance brasileiro
Inferno (Assírio & Alvim), de Pedro Eiras – poesia portuguesa
Maria Altamira (Instante), de Maria José Silveira – romance brasileiro
O ausente (Relicário), de Edimilson de Almeida Pereira – romance brasileiro
O avesso da pele (Companhia das Letras / Portugal), de Jeferson Tenório – romance brasileiro
O mapeador de ausências (Caminho, Companhia das Letras e Fundação Fernando Leite Couto), de Mia Couto – romance moçambicano
O osso do meio (Relógio D’Água), de Gonçalo M. Tavares – romance português
O plantador de abóboras (abysmo), de Luís Cardoso – romance timorense
Pessoas promíscuas de águas e pedras (Patuá), de Thais Lancman – contos brasileiros

[18/11/2021 10:40:00]