Livros que tentam explicar o cenário político atual chegam à lista dos mais vendidos
PublishNews, Leonardo Neto, 28/09/2018
Neste sentido, destaque para ‘Como as democracias morrem’, dos professores de Harvard Daniel Ziblatt e Steven Levitsky, que fazem uma análise crua e perturbadora do fim das democracias em todo o mundo

Daniel Ziblatt e Steven Levitsky são autores do livro 'Como as democracias morrem' (Zahar) que estreia nessa semana na Lista dos Mais Vendidos | © Divulgação / Zahar
Daniel Ziblatt e Steven Levitsky são autores do livro 'Como as democracias morrem' (Zahar) que estreia nessa semana na Lista dos Mais Vendidos | © Divulgação / Zahar

“Assustadoramente oportuno”, assim o jornal The New York Times adjetivou o livro Como as democracias morrem (Zahar), de Daniel Ziblatt e Steven Levitsky, ambos professores da Universidade de Harvard, sendo este último especialista na América Latina. Eles compararam a chegada de Trump ao poder nos EUA com exemplos históricos de rompimento da democracia nos últimos 100 anos: da ascensão de Hitler e Mussolini nos anos 1930 à atual onda populista de extrema-direita na Europa, passando pelas ditaduras militares da América Latina dos anos 1970. E alertam: a democracia atualmente não termina com uma ruptura violenta nos moldes de uma revolução ou de um golpe militar. Agora, a escalada do autoritarismo se dá com o enfraquecimento lento e constante de instituições críticas - como o judiciário e a imprensa - e a erosão gradual de normas políticas de longa data. Necessário para entender a conjuntura mundial, o livro acaba de chegar à Lista dos Mais Vendidos ocupando a posição de número 15 da categoria Não Ficção. Foram 603 exemplares vendidos na sua semana de estreia.

O livro chega à lista ao lado de outro que analisa, por outro prisma, o mesmo cenário atual. O imbecil coletivo (Record), de Olavo de Carvalho, chegou fazendo barulho e ocupando a posição de número 4 da Lista de Não Ficção. Foram 1.409 exemplares vendidos na semana e o livro faz companhia para outro velho conhecido da lista, O mínimo que você precisa saber para não ser um idiota (Record), do mesmo autor, que fechou o período na posição de número 16, com 602 cópias vendidas.

O Ranking Geral segue liderado por A sutil arte de ligar o foda-se (Intrínseca), com 8.553 exemplares vendidos. Na sequência aparecem As aventuras na Netoland com Luccas Neto (Pixel / Ediouro), com 8.332 e O milagre da manhã (BestSeller / Record), com 5.046.

Novidades também nas listas de Ficção, onde estreou O buraco da agulha (Arqueiro / Sextante), de Ken Follet; e de Autoajuda, com Pare de se odiar (BestSeller / Record).

O Ranking Geral das Editoras continua liderado pela Sextante, que emplacou 18 títulos na semana. Em segundo lugar, aparece o Grupo Editorial Record, com 11, e a Planeta completa o pódio, em terceiro, com 10.

[28/09/2018 10:34:00]