Concluída a integração entre Companhia das Letras e Objetiva
PublishNews, Leonardo Neto, 01/04/2015
Com isso, o grupo Companhia das Letras passa a ter 19 selos que devem lançar 45 livros por mês

Em 2005, ninguém seria capaz de imaginar que a Companhia das Letras a Objetiva se fundiriam dez anos depois. Pois foi em 2005 que esse processo começou. Naquele ano, o Grupo Santillana conquistou o controle acionário da Objetiva. Em março do ano passado, os selos de interesse geral da Santillana, incluindo a Objetiva, foram vendidos à Penguin Random House que já tinha parte das ações da Companhia das Letras, selando o destino das duas casas editoriais. Agora, em abril de 2015, as duas editoras finalizaram o processo de integração e está consolidada a união que resultou em um dos maiores grupos do mercado editorial brasileiro, com 19 selos que colocam em média 45 novos títulos nas prateleiras das livrarias em todo o País. A gestão do grupo fica por conta da Editora Schwarcz, que controla 55% das ações do grupo, tendo a Penguin Random House como sócia, com 45% de participação. Em 2014, juntas, Companhia e Objetiva venderam 7,5 milhões de exemplares e terminaram o ano com 59 títulos na lista de mais vendidos do PublishNews. 

O processo de integração iniciou no ano passado, com a reestruturação do departamento editorial. Em janeiro de 2015, a reestruturação alcançou o departamento de vendas e ainda para o primeiro semestre desse ano, estão previstas a integração de sistemas e das áreas administrativas e ainda a mudança para um novo depósito.

O grupo é comandado por Luiz Schwarcz, fundador da Companhia em 1986 e a diretoria é composta por Sergio Windholz (administrativo e financeiro), Lilia Moritz Schwarcz (educação, infantil & juvenil e publicações acadêmicas), Elisa Braga (produção) e Matinas Suzuki Jr. (divulgação, marketing e vendas). Roberto Feith, que deixa o comando do dia a dia da Objetiva, passa a ser consultor da diretoria, editor especial e representante nas entidades de classe do Grupo Companhia das Letras, como já noticiado pelo PublishNews.

Na área editorial, Marcelo Ferroni, que está na Objetiva há nove anos, passa a ser publisher do selo Alfaguara, que já vinha editando, e dos livros de autores estrangeiros do selo Objetiva. Otávio Marques da Costa, publisher da Companhia das Letras, passa a ser responsável também pelos livros nacionais do selo Objetiva. Júlia Moritz Schwarcz, publisher dos selos Companhia das Letrinhas, Boa Companhia, Claro Enigma e Seguinte, assumirá o selo Alfaguara Infantil. Os selos Fontanar e Suma de Letras ficarão sob o comando do publisher Bruno Porto, já responsável pelos selos Paralela e Portfolio-Penguin. Os publishers reportam diretamente ao presidente do Grupo Companhia das Letras, Luiz Schwarcz, que coordena a reestruturação na área editorial.

Com a união, o Grupo Companhia das Letras passa a ter um expressivo plantel de escritores brasileiros que inclui nomes como Ana Maria Machado, Bernardo Carvalho, Carlos Drummond de Andrade, Chico Buarque, Daniel Galera, Erico Verissimo, Fernando Pessoa, João cabral de Melo Neto, Jô Soares, João Ubaldo Ribeiro, Jorge Amado, José J. Veiga, José Luiz Passos, Luis Fernando Verissimo, Lygia Fagundes Telles, Manoel de Barros, Mario Quintana, Michel Laub, Milton Hatoum, Otto Lara Resende, Paulo Leminski, Paulo Mendes Campos, Raduan Nassar, Vinicius de Morais e Waly Salomão. Entre os autores estrangeiros do grupo estão Amós Oz, Colm Tóibín, David Foster Wallace, Donna Tartt, Fernando Pessoa, George Orwell, Haruki Murakami, Ian McEwan, Italo Calvino, J. M. Coetzee, Jonathan Franzen, Jorge Luis Borges, José Saramago, Kazuo Ishiguro, Mario Vargas Llosa, Mia Couto, Oliver Sacks, Orhan Pamuk, Philip Roth, Salman Rushdie, Stephen King e Vassili Grossman.

[01/04/2015 00:00:00]