Caso não consiga visualizar corretamente esta mensagem, clique aqui.
PublishNews 16/12/2020
A Transpo Express é uma transportadora que já atua há 10 anos focada completamente no segmento editorial
A área de Soluções em Acessibilidade é uma divisão da Fundação Dorina Nowill para Cegos criada para oferecer o mais amplo portfólio de produtos e serviços acessíveis a empresas que desejam não apenas se adequar à lei
Há 14 anos no mercado, representa cerca de 400 editoras do comércio varejista de livros. Tem aproximadamente 820 mil títulos em estoque, e cerca de 400 novos títulos ao mês.
PublishNews, Redação, 16/12/2020

O PublishNews nasceu em julho de 2001, como uma newsletter enviada para um mailing de 30 pessoas ligadas ao mundo do livro. No ano que vem, portanto, completamos 20 anos. E isso será motivo de comemorações. O ano que vem será de grandes novidades para os assinantes do PublishNews. Projetos, seções e eventos novos marcarão um passo importante na maturidade do canal que se consolidou como a principal fonte de notícias e de informações do setor editorial brasileiro. Nesta terça-feira (16), ao apresentar o EdTech Meeting, Leonardo Neto, editor do PublishNews, anunciou duas mudanças que já indicam o que está por vir. Primeiro, a marca do PublishNews foi modernizada. A remodelação do desenho pelo qual o PN ficou conhecido no mercado dá mais dinamismo ao logo, pontuando o que está por vir. Mudança também no endereço do PublishNews, que deixa a Rua Fidalga e começa 2021 na Avenida Henrique Schaumann, 1108-A, na Zona Oeste de São Paulo. Além de servir de QG para a nossa equipe, a Casa PublishNews passará a oferecer uma série de serviços à comunidade editorial, como um coworking, estúdios para gravações em áudio e vídeo e locais para encontros e reuniões. Tão logo a pandemia nos permita, a Casa deverá receber happy hours, mantendo a tradição do PublishNews. Clique no Leia Mais e confira a íntegra desta nota.

PublishNews, Redação, 16/12/2020

Aconteceu nesta terça-feira (15), o EdTech Meeting, encontro que reuniu especialistas para debater o futuro do setor educacional da indústria do livro. Responsável por R$ 2,85 bilhões na soma do PIB da indústria editorial, o setor educacional tem passado por profundas transformações e startups da educação – as EdTechs – querem dar respostas rápidas a essas mudanças. Representantes de duas delas – João Leal, fundador da Árvore e Mauris Henrique Poggio dos Santos, coordenador de produtos digitais da FTD Educação – conversaram com Gabriela Dias, colunista do PublishNews e especialista no tema, neste primeiro EdTech Meeting. A personalização de conteúdos e a gamificação foram duas das importantes tendências apontadas pelos participantes do encontro. Mauris apontou que vê uma permanente ameaça ao negócio do livro físico por ele não atender a estes dois quesitos. “O conteúdo [dos livros físicos] é muito rico, é curado, tem autores renomados, tem toda uma inteligência por trás, mas ele não é adaptável, não oferece aprendizado personalizado, não tem big data. É algo realmente complicado de você sustentar”, comentou dizendo ainda que a estratégia da FTD é adaptar às necessidades dos clientes. “As plataformas precisam se adequar cada vez mais ao estudantes e não o contrário", arrematou. A pandemia se impôs como um grande desafio que exigiu agilidade das empresas. “Foi um grande desafio”, ressaltou Mauris. João apontou que o relacionamento com as escolas ao longo da história da Árvore e as necessidades surtiram um efeito importante na operação da plataforma de leitura digital. Ele revelou que, no início do ano letivo de 2020, a Árvore contava com 200 mil alunos de 500 escolas. Finaliza o ano com 1,7 milhão de alunos de três mil escolas. Na FTD, Mauris revelou que o número de acessos quadriplicou em 2020. Apesar dos números positivos, os dois foram unânimes ao apontar que a conectividade e o acesso ainda são barreiras para que os conteúdos digitais cheguem aos alunos. O EdTech Meeting teve o patrocínio da Posigraf. Clique no Leia Mais para assistir ao EdTech Meeting.

PublishNews, Redação, 16/12/2020

Primeiro título a ser publicado nessa nova fase da obra de Nelson Rodrigues será ‘Asfalto selvagem’. Outros nove títulos sairão ao longo dos próximos dois anos. | © Arquivo NacionalA obra teatral deixada por Nelson Rodrigues (1912-1980) está reunida na Nova Fronteira. Já os romances e folhetins deixados pelo “Anjo Pornográfico” estavam espalhados. Agora, todos eles estarão reunidos na HarperCollins que anunciou que republicará integralmente todos os escritos nesses gêneros. O primeiro título a ganhar as ruas é Asfalto selvagem: Engraçadinha, seus amores e seus pecados, até então publicado pela Companhia das Letras. Dividido em duas partes, Asfalto selvagem conta a trajetória de Engraçadinha a partir de dois momentos de sua vida: dos 12 aos 18, uma história trágica; e depois dos 30, uma narrativa com nuances cômicas. A obra já teve duas adaptações para o cinema e para a TV – a mais recente, de 1995, com Alessandra Negrini e Claudia Raia no papel principal, foi reprisada com sucesso neste ano pelo Canal Viva. Nos próximos dois anos, a HarperCollins publicará outros nove títulos, muitos deles fora de catálogo há anos. Também prepara o lançamento de Nelson Rodrigues por ele mesmo, criado a partir de depoimentos e entrevistas do autor, com organização da filha Sonia Rodrigues.

PublishNews, Redação, 15/12/2020

Vivi Maurey, que por dois anos trabalhou na Ubook, chegando a ser gerente de aquisições da plataforma de audiolivros, é a nova contratada da Melhoramentos. Ela assume como gerente editorial. Ainda falando de Melhoramentos, Adriana Michellete deixou a empresa depois de 20 anos. Lá, ela cuidava das vendas diretas e dos canais de porta a porta da companhia. No primeiro semestre desse ano, a Melhoramentos trocou o seu comando, colocando Fernanda Saboya como diretora geral. No início de novembro, ela participou do Podcast do PublishNews e contou alguns detalhes dos seus planos para a empresa. Clique aqui para ouvir novamente.

PublishNews, Redação, 16/12/2020

A Rede Nacional de Bibliotecas Comunitárias (RNBC) criou uma ferramenta para conectar os leitores com bibliotecas comunitárias: o aplicativo Mapa da Leitura. Lançado no final de novembro, o aplicativo permite que leitores encontrem as bibliotecas comunitárias que estão espalhadas pelo Brasil. Os interessados podem se cadastrar e encontrar bibliotecas próximas a sua localização, conhecer e manter contato virtualmente com espaços de leitura dos mais diversos cantos do país, além de ter a possibilidade de acessar o fórum do mapa e trocar experiências com as bibliotecas. Já as bibliotecas comunitárias podem ingressar no aplicativo, cadastrar seu endereço, suas informações e suas atividades. Para cadastrar sua biblioteca ou se inscrever como leitor é só clicar aqui.

PublishNews, Redação, 16/12/2020

A Blooks Livraria colocou no ar a campanha de doação Livros pra Babilônia, com o objetivo de arrecadar 200 livros para jovens leitores da Comunidade Babilônia, no Rio de Janeiro. A campanha, alinhada ao Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 4 (ONU), tem como objetivo assegurar a educação inclusiva, equitativa e de qualidade, incentivar a leitura desde cedo e fomentar novos leitores. “Um investimento futuro para o nosso país e também para o próprio mercado, pois é a valorização do livro”, acredita. Já confirmaram participação as editoras: Cobogó, Edições Cândido, Editora Martin Claret, Globo Livros, Grupo Editorial Record, Grupo Ediouro, HarperCollins Brasil, Melhoramentos, Rocco, Todavia Livros e WMF Martins Fontes. Até 18 de dezembro, o cliente que doar livros ganhará 20% de desconto na compra de qualquer outro livro da loja e ainda concorre ao sorteio de uma cesta de livros. As doações podem ser feitas na Blooks Praia de Botafogo (Praia de Botafogo, 316, lojas D/E, no Espaço Itaú de Cinema / RJ).

PublishNews, Redação, 16/12/2020

Anna esperava por aquele dia com ansiedade. Guardava as moedas que ganhava da mãe para tomar sorvete e comprar doces. Depois de alguns meses, quando juntou o suficiente, acordou cedo no dia seguinte, colocou três maçãs na mochila e saiu de casa. A razão? Um passeio de balão pelos céus de São Paulo. Mas esse não seria um passeio qualquer. Anna queria chegar perto das nuvens. Queria reencontrar o pai. Anna e o balão (Caveirinha, 36 pp, R$ 54,90) reúne o texto de Ferréz com a arte de Fernando Vilela – autores premiados e com olhar crítico em todas as manifestações artísticas – para contar uma história de luto e saudade, mas também de companheirismo, aprendizado e amor. Durante o passeio com o sr. Jacob, dono e condutor do balão, Anna rememora e homenageia o pai, narrando os bons momentos que passaram juntos, lembrando do que ele lhe ensinou, tentando abrandar a dor que sente. Através da palavra, da arte e da lembrança, Anna nos mostra que é possível, sim, apesar de toda a dor que se tenha, seguir em frente.

PublishNews, Redação, 16/12/2020

Escrito por Sonia Rosa e ilustrado por Anabella López, O Dragão do Mar (Pallas Míni, 36 pp, R$ 56) rebobina os feitos em vida de Francisco José do Nascimento, o Chico da Matilde – nome de sua mãe rendeira. Nascido em Canoa Quebrada, Chico ganhou este apelido de Dragão do Mar já adulto, por ser um feroz defensor da causa abolicionista. Chico foi líder da greve dos jangadeiros em 1881, evento que impulsionou o fim do comércio de negros escravizados no porto do Ceará em 1884 – portanto, quatro anos antes da assinatura da Lei Áurea pela Princesa Isabel, garantindo a abolição no Brasil. Profissional do mar, foi pioneiro a se recusar a levar, nas jangadas, os negros prisioneiros para os navios negreiros na costa, que os transportaria até os novos donos de suas forças.

“Numa biblioteca bem organizada dá para encontrar coisas incríveis simplesmente olhando os arredores daquele título inicial que você achou pertinente.”
Julián Fuks
Escritor brasileiro em live da BPP
1.
Mais esperto que o diabo
2.
Box Harry Potter
3.
Atitude positiva diária
4.
A sutil arte de ligar o foda-se
5.
Uma terra prometida
6.
Soft skills
7.
Assuma o comando da sua vida
8.
O poder da autorresponsabilidade
9.
As aventuras de Mike - O bebê chegou
10.
Mulheres que correm com os lobos (capa dura)
 
PublishNews, Redação, 16/12/2020

Em Tudo bem não ser igual (Saíra, 40 pp, R$ 26) a escritora e psicopedagoga Roselaine Pontes de Almeida e a ilustradora Michelle Duarte ajudam a responder a uma questão comum a muitas crianças: o que acontece quando eu me percebo diferente dos meus colegas e amigos? A história parte de um dos seres mais emblemáticos das águas, a arraia. O peixe de cauda longa sai a passear e depara-se, na vasta imensidão, com uma enguia, um caracol, águas-vivas, anêmonas, uma tartaruga-marinha e os cardumes de peixes coloridos. O semblante da protagonista logo denuncia o sentimento de tristeza e desânimo. Os amigos, então, percebem e vêm ao encontro dela para procurar entender seus motivos.

PublishNews, Redação, 16/12/2020

A história real do menino Gabriel, diagnosticado com anemia falciforme inspirou a obra Os mil tsurus (Trilha Educacional, 28 pp, R$ 25,90 - Ilustração: Regina Perez), escrita pela jornalista e autora Nalu Saad. O livro conta como um garoto que não podia ir para a escola nem brincar com outras crianças por conta da sua doença, encontra esperança na lenda famosa do Japão dos ‘mil tsurus’. Tornando-se amigo do Michi, o Biel conhece a lenda do tsuru, uma ave japonesa mágica que tem o poder de realizar um desejo e da garota Sadako Sasaki que dobrou mil tsurus em origami e conseguiu ter seu desejo realizado. A partir daí, os dois meninos passam os dias fazendo os tsurus de origami para que Biel possa pedir a cura da sua doença para ave mágica. Mas nem tudo acontece do jeito que esperamos e no meio dessa história, Biel descobre algo que pode fazê-lo duvidar de si mesmo e da famosa lenda japonesa.

 
©2001-2021 por Carrenho Editorial Ltda. Todos os direitos reservados.
Rua Henrique Schaumann, 1108 A, CEP 05413-011 Pinheiros, São Paulo -SP
O conteúdo deste site não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.