Caso não consiga visualizar corretamente esta mensagem, clique aqui.
PublishNews 06/08/2020
A Fino Verbo é uma empresa de revisão, redação e preparação de textos para diversos segmentos, ou seja, se tem texto, nós podemos ajudar.
A BOOKPartners é uma distribuidora completa: atende toda a cadeia do livro e seus devidos processos. Em sua estrutura reúne cerca de 220 colaboradores, dois centros de distribuição, e-commerce e marcas voltadas a segmentos específicos de leitores.
A área de Soluções em Acessibilidade é uma divisão da Fundação Dorina Nowill para Cegos criada para oferecer o mais amplo portfólio de produtos e serviços acessíveis a empresas que desejam não apenas se adequar à lei, mas atender a todos os seus clientes com a mesma atenção e respeito!
PublishNews, Leonardo Neto, 06/08/2020

Conceição Evaristo estreia na Lista Nielsen PublishNews | © Divulgação Prêmio JabutiNo mês passado, quando saiu a Lista Nielsen PublishNews, a nossa redação destacou o protagonismo negro na lista que apura os autores nacionais mais vendidos em livrarias, supermercados e lojas de autoatendimento brasileiros de todo o país. O destaque ia, naquela ocasião, para Ana Maria Gonçalves, Djamila Ribeiro, Emicida e Machado de Assis que brilharam no mês passado. O título usado no mês passado poderia ser aplicado novamente nesta edição que apura o período de 15 de junho a 12 de julho. A presença de autores negros continua sendo um fato. Mas o destaque desta vez vai para Conceição Evaristo, que estreia na lista do PublishNews com Olhos d´água (Pallas), ocupando a posição de número seis de Ficção, coladinho com Amoras (Companhia das Letras), de Emicida, que fechou o mês na quinta posição. Não Ficção é liderada por Pequeno manual antirracista (Companhia das Letras), de Djamila Ribeiro, e conta ainda com Quarto de despejo (Ática), de Carolina Maria de Jesus, na lanterninha. Além de Olhos d’água, a lista trouxe outras duas novidades nesse mês. Em Não Ficção, apareceu pela primeira vez Projeto Nacional: o dever da esperança (LeYa), de Ciro Gomes e, em Ficção, estreou Um anjo de mochila azul (Novo Século), do comediante Diogo Almeida. Clique no Leia Mais para conferir outros destaques da Lista Nielsen PublishNews deste mês.

PublishNews, Redação, 06/08/2020

Ivo Camargo | © André ArgoloA Rua Barão de Itapetininga, no centro histórico de São Paulo é, ainda hoje, um local para onde muita gente que está em busca de empregos vai. E foi lá que começou a história de um dos grandes nomes do comércio de livros no Brasil: Ivo Camargo, o convidado desta semana do PublishNews Entrevista, programa que quer compor um arquivo da memória editorial brasileira. Ele trabalhava em um supermercado e o salário modesto o levou até a Barão de Itapetininga atrás de uma vaga de vendedor de livros. Não chegou nem a fazer a entrevista, quando soube de uma outra vaga: para divulgador na Atual Editora. “O salário era três vezes o do supermercado”, conta. O jovem paulistano da Mooca assina com a nova editora e ali fica por oito anos, até que é chamado por José Henrique Grossi para fazer parte do time da BestSeller, na época ligada à Nova Cultural. O livro, objeto que tinha lugar garantido na sua casa desde a infância, passa a ser o seu ganha pão. “Eu acho que fui picado por esse bichinho do livro”, disse na entrevista à André Argolo. Depois da BestSeller, Ivo ajudou a transformar o mercado editorial. Esteve já nos primeiros tempos da Companhia das Letras, fundada por Luiz Schwarcz, um revolucionário na opinião de Ivo. Para ele, o livro se modificou com o editor. “A Companhia mexeu demais com o mercado”, disse. Uma dessas mexidas foi com a implantação de sistemas de consignação, hoje reinante na relação entre editoras e livrarias. Na entrevista, que pode ser assistida clicando no Leia Mais, Ivo conta os bastidores da criação deste modelo. O PublishNews Entrevista é um oferecimento do #coisadelivreiro, consultoria em marketing e inteligência de negócios para o mercado editorial. Além de estar disponível no canal do PublishNews no YouTube, este episódio está disponível em áudio também pelas plataformas digitais: Spotify, iTunes, Google Podcasts e Overcast.

PublishNews, André Palme, 06/08/2020

Os últimos artigos foram sobre cases e projetos de áudio. Agora, podemos abstrair um pouco e falar de algo mais amplo: o áudio como formato de transmissão de conhecimento e entretenimento. Pra mim, um pouco de abstração tem sido uma boa fuga nessa quarentena! Ouvir é algo que está presente na raça humana há alguns milhares de anos (historiadores me perdoem, mas não sei a data exata). Ou seja, o conhecimento – e o entretenimento - foram transmitidos pelo áudio antes de qualquer outro formato. Passamos então para outras etapas: começamos a fazer registros na escrita, milhares de anos depois imprimindo, veio o vídeo e a internet. Mas nesse meio do caminho o áudio sempre esteve lá, como um disseminador de conhecimento e entretenimento, em qualquer língua, em todos os lugares. O que me faz pensar que o áudio talvez seja o mais visceral dos formatos. Com certeza, o mais antigo. Vamos então falar de algo muito próximo do audiobook, a radionovela. Clique no Leia Mais para ler a íntegra desta coluna.

PublishNews, Redação, 06/08/2020

A Bienal Mineira do Livro anunciou que adiará a sua edição presencial, antes prevista para setembro, para 2021. O local continuará sendo o BH Shopping e a data será de 20 a 29 de agosto do ano que vem. Desde a determinação das medidas de isolamento social, o Grupo Asas e a Câmara Mineira do Livro, realizadores do evento, colocaram “na rua” o projeto Bienal na Sua Casa, que já teve quatro edições: em abril, maio, junho e julho e deverá ter uma quinta agora em agosto. Ao todo, já foram 40 encontros virtuais através dos quais já foram distribuídos 6.570 exemplares em parceria com o programa Eu Faço Cultura. Além disso, em parceria com o projeto Ar.te Salva, da Secretaria de Estado da Cultura e Turismo, já foram distribuídos outros mil exemplares doados pela Livraria Leitura. Para acompanhar a programação da Bienal em Sua Casa, basta acessar o perfil do evento no Instagram (@bienalmineiradolivro).

PublishNews, Redação, 06/08/2020

A cidade mexicana de Guadalajara oficializou a sua intenção de ser a Capital Mundial do Livro em 2022 e se tornar a terceira cidade latino-americana – depois de Bogotá (2007) e Buenos Aires (2011) – na obtenção desse reconhecimento concedido pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) desde 2001. A Secretária de Cultura de Jalisco, Giovana Jaspersen García, acompanhou o prefeito de Guadalajara, Ismael Del Toro Castro, no evento virtual em que o presidente e o diretor da Feira Internacional do Livro, Raúl Padilla López e Marisol Schultz, respectivamente, também estiveram presentes. Guadalajara, sede da mais importante Feira Internacional do Livro de língua espanhola e a segunda mais importante do mundo, aparece como a principal candidata para suceder Tbilisi, capital da Geórgia e a escolhida como Capital Mundial do Livro de 2021. Ser escolhida é um reconhecimento da qualidade dos programas de divulgação de livros, promovendo a leitura e a indústria editorial de uma cidade em particular. Em 2019, a Capital Mundial da Leitura foi Sharjah (EAU) e em 2020, Kuala Lumpur (Malásia).

PublishNews, Redação, 06/08/2020

Alexandre Rampazo | © Redes SociaisA obra Esse é o lobo, do autor e ilustrador Alexandre Rampazo, ganhará uma nova edição, em novo formato e capa dura, pela Pequena Zahar, selo infantil do Grupo Companhia das Letras. O livro, lançado originalmente em 2016 pela DCL, foi finalista do Prêmio Jabuti em 2017, e foi selecionado para a 26ª Bienal de Ilustração de Bratislava, um dos eventos mais renomados do mundo no segmento. Na obra, Alexandre propõe uma brincadeira com as crianças, convidando-as a treinar novas perspectivas de olhar sobre o personagem do Lobo Mau que habita o imaginário das histórias infantis. Uma fábula universal e atemporal que pode ser usada para discutir temas como identidade, alteridade, padrões sociais e laços afetivos. O lançamento da obra está previsto para 15 de setembro.

PublishNews, Redação, 06/08/2020

A Editora Escuta, especializada na publicação de livros de psicanálise, está à procura de um freelancer de TI para desenvolvimento de site. A editora pede que os interessados enviem currículos com pretensão salarial para o e-mail escuta@uol.com.br até 18 de agosto.

PublishNews, Redação, 06/08/2020

Autor de diversos livros e ganhador do Prêmio Nobel da Paz, Dalai Lama se dirige pela primeira vez ao público infantil no livro A semente da paz (Caminho Suave / Mantra, 32 pp, R$ 41,90 – Trad.: Priscila Catão | Ilustração: Bao Luu). Com um texto simples e de fácil entendimento, a obra conta como foi a infância de Dalai Lama e compartilha com as crianças lições valiosas de compaixão que lhe foram dadas por sua mãe quando ele ainda era pequeno. Ao mostrar o cotidiano da sua juventude, o religioso budista conta as histórias de quando ainda era Lhamo Thondup, uma criança cheia de curiosidade que vivia numa pequena vila do Tibete. Além de cultivar a compaixão, Dalai Lama fala sobre como cultivar o amor, respeito, gentileza e tolerância dentro de cada um.

“Quando você olha o mundo de outra forma a sua escrita muda; quando sua escrita muda, você olha o mundo de outra forma.”
Thiago Camelo
Escritor brasileiro
1.
DNA da cocriação
2.
Mais esperto que o diabo
3.
Do mil ao milhão
4.
Decida vencer
5.
O milagre da manhã
6.
Pai rico, pai pobre - Edição de 20 anos
7.
Box Harry Potter
8.
Os segredos da mente milionária
9.
A sutil arte de ligar o foda-se
10.
O poder do hábito
 
PublishNews, Redação, 06/08/2020

Sempre fomos acostumados à figura de um narrador onisciente nos contando desventuras dos personagens nos contos de fadas. Conforme o tempo passou, porém, apareceram versões diferentes para os episódios da vida de cada um. Mas e se, pelo menos uma vez, esses personagens tivessem a chance de falar sobre eles mesmos e esclarecer alguns equívocos passados de geração em geração? É isso que a autora Carolina Moreyra e o autor e ilustrador Odilon Moraes trazem no livro Entrevistas - Contos de fadas (Moderna, 88 pp, R$ 50). Na obra, figuras conhecidas como Rapunzel, os três porquinhos, o lobo mau, vovozinha, a bruxa, o gato de botas, o príncipe da Branca de Neve, entre outros, respondem a perguntas sobre o que realmente ocorreu em cada história. São 12 entrevistas, contando os diferentes olhares de cada narrativa.

PublishNews, Redação, 06/08/2020

A poesia pode ter muitas fontes de inspiração. Mas nenhuma fonte é tão constante e atemporal quanto a Lua iluminada, silenciosa, misteriosa e, ainda assim, capaz de despertar sentimentos e instigar muita sabedoria. Na obra Com a lua nos olhos (Editora do Brasil, 40 pp, R$ 48,90), a autora Roseana Murray presenteia o leitor com poemas inspirados por aquela que sempre nos acompanha, mesmo quando não podemos vê-la: a lua. O livro ainda conta com ilustrações de Regina Rennó.

PublishNews, Redação, 06/08/2020

Um dia, um enorme dragão pisou e destruiu um formigueiro. Indignada, uma corajosa formiguinha decide ir até ele para exigir que peça desculpas e ajude a reconstruir sua casa. Esse é o enredo do livro O dragão e a formiguinha corajosa (Ilustre, 34 pp, R$ 35), do autor e editor Pedro de Luna. A ideia do livro surgiu a partir de uma história inventada pelo autor para fazer uma de suas filhas dormir. A obra conta com ilustrações em preto e branco para que as crianças possam colorir e ainda atividades no final. O dragão e a formiguinha corajosa faz parte da coleção Conte uma história, que reúne ainda com os livros Acampando com os Animais, Jogos Animais, ambos escritos por Pedro de Luna em parceria com suas filhas Julia e Livia.

PublishNews, Redação, 06/08/2020

Quem nunca teve medo de dormir quando as luzes se apagaram? Quem nunca conferiu embaixo da cama para checar se não tinha nada assustador por lá, além de poeira? O livro Sono (Saíra, 40 pp, R$ 19,90), da paulistana Luciana Romão, dialoga com esse e outros medos que muitas crianças têm. O enredo narra a dificuldade para dormir de uma garotinha, que passa a imaginar monstros na escuridão depois do beijo de boa noite da sua mãe. Ela precisa encontrar, dentro de si, uma forma de transpor a noite sem que o medo seja mais forte que a vontade de descansar e ter uma boa noite de sono e de sonhos.

 
©2001-2020 por Carrenho Editorial Ltda. Todos os direitos reservados.
Rua Fidalga 471, Conjunto 3 | Vila Madalena | São Paulo | SP | Brasil | 05432-070
O conteúdo deste site não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.