Caso não consiga visualizar corretamente esta mensagem, clique aqui.
PublishNews 30/04/2020
Somos especialistas em criação de projeto gráficos, diagramação de grandes materiais, tratamento de imagens e tradução e revisão de laudas.
Voltada ao segmento de bibliotecas, atende Bibliotecas de Instituições Públicas e Privadas, Colégios, e Empresas, buscando a satisfação das necessidades de seus clientes.
A FMZ está há 17 anos no mercado livreiro/editorial desenvolvendo o HORUS, sistema de gestão específico do segmento
PublishNews, Leonardo Neto, 30/04/2020

A simpática livraria Espaço Sophia, localizada na Zona Leste da capital, é uma das livrarias elegíveis para o programa | Facebook da livrariaO Sebrae São Paulo se associou à Catavento Distribuidora para lançar um programa de enfrentamento da crise pensado especialmente para livreiros. Apelidado de Enfrente, o programa vai apresentar aos participantes soluções práticas, ferramentas e alternativas para minimizar os impactos da crise provocada pelo coronavírus. Ao todo, serão seis encontros virtuais e coletivos ao longo do mês de maio que serão intercalados por consultorias individuais prestadas pelas equipes do Sebrae. Os encontros coletivos acontecem nos dias 4, 6, 11, 13, 18 e 20 de maio, sempre das 9h às 11h. As consultorias individuais devem ser agendadas. O programa é gratuito, mas com limitação a 40 livrarias. No primeiro momento, serão admitidas empresas instaladas nas zonas Leste e Oeste da capital paulista. Os estabelecimentos localizados em outras regiões poderão submeter a sua inscrição, mas ficará numa fila de espera. Havendo vaga, poderão participar. Clique no Leia Mais, saiba mais sobre o programa e acesse o link de inscrição.

PublishNews, Leonardo Neto, 30/04/2020

Ao longo do mês de abril, a Liga Brasileira de Editores (Libre) procurou editoras independentes para uma pesquisa que pretende medir o impacto da pandemia nas suas finanças. Além disso, a pesquisa buscou identificar as estratégias que estas casas editoriais estão adotando no atual cenário e ainda observar a capacidade de o livro digital minimizar os efeitos da pandemia. A pesquisa observou que 81,3% das editoras pesquisadas declararam que enfrentam algum tipo de atraso nos pagamentos, sendo que 18,7% informaram que estão com mais de 50% de suas receitas em atraso. Apesar disso, a maioria (64%) respondeu que está conseguindo manter seus pagamentos em dia. A maior parte (53,3%) dos departamentos editoriais das empresas que participaram da pesquisa decidiu adiar seus lançamentos em até seis meses. Uma parte menor, mas ainda significativa (22,7%), tomou a decisão de adiar em até um ano a colocação de novos livros no mercado. Quase 40% da amostra decidiu incluir novos títulos ao seu catálogo de livros digitais enquanto que 37,4% dos respondentes informaram que vão antecipar o lançamento de títulos, antes previstos no formato físico, somente no digital. Clique no Leia Mais para ter acesso a outros dados apurados pela pesquisa

PublishNews, Redação, 30/04/2020

O plano do PublishNews Entrevista é criar uma memória do mercado editorial brasileiro, e assim tem sido desde o primeiro programa. Cada pessoa é única, tem sua história, sua carreira e sua relevância, mas todas tem algo em comum: os caminhos inesperados, já que nem tudo acontece do jeito que a gente espera. No quarto episódio especial do PN Entrevista – que adotou um novo formato por conta do isolamento social –, André Argolo reuniu trechos completamente variados e que mostram curiosidades sobre alguns dos entrevistados que passaram pelo programa. Participam deste especial nomes como o escritor Ignácio de Loyola Brandão, que contou sobre a única vez que chorou; Costanza Pascolato, falando sobre energia e paixão; José Xavier Cortez, contando a história de um acidente que poderia ter acontecido com ele; Bernardo Gurbanov, que lembrou sobre o sequestro e desaparecimento de uma livreira amiga na época da ditadura; Henderson Fürst explicando sobre a doença rara que superou na infância; Leonardo Neto, nosso editor, falando sobre sua outra vida em Goiânia, sua cidade natal e Eduardo Lacerda, que fez um paralelo entre o bordado e o livro. Clique no Leia Mais para assistir o programa e saber quem mais participa do episódio.

PublishNews, Henrique Rodrigues, 30/04/2020

Há pouco mais de um mês, quando se iniciou a quarentena no Brasil, escritores e artistas em geral pensaram que, apesar da situação geral, encontrariam algumas condições para produzir. Se as atividades ordinárias estavam interrompidas, a clausura forçada traria à mão o tempo necessário para que todos mergulhassem no extraordinário. Não foi nada disso. Por um lado, houve uma adesão imediata sem preparo ao home office, prática ainda não tão comum no Brasil, cuja dinâmica disputa com as tarefas domésticas, gerando situações tragicômicas como os filhos que invadem as reuniões on-line. Pais e mães, especialmente elas, sabem que essa é só a ponta do titânico iceberg. Por outro, o estado de espírito que a pandemia nos trouxe não tem favorecido a criação. Naturalmente, as lives pipocam sobre todos os assuntos, e o setor de marketing está fazendo a festa com apresentações ao vivo. (Em tempo: nada contra o modelo Teleton de ação social. E tudo contra a ideia de que esse seja o melhor modelo de ação cultural). Mas o que tenho percebido entre os profissionais da literatura é a urgência em sobreviver, antes de qualquer outra coisa. Para muitos, falta concentração até para ler. Desse modo, o tempo livre de muita gente tem sido dedicado a atividades que proporcionem algum tipo de escapismo, entre as quais os videogames são, sem dúvida, o melhor caminho. E esse caminho que leva a outras realidades pode conduzir para outras experiências simbólicas, como várias formas de expressão artística. Clique no Leia Mais para ler a íntegra deste artigo.

PublishNews, Redação, 30/04/2020

Lançada no início de março pelo Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL), Câmara Brasileira do Livro (CBL) e Nielsen, a Pesquisa Conteúdo Digital do Setor Editorial Brasileiro, visa analisar o que as editoras estão produzindo e comercializando de forma digital. Desde então, diversas empresas já responderam o questionário, mas as entidades decidiram prorrogar mais uma vez as inscrições para que a pesquisa fique ainda mais completa. Dessa forma, o dia 18 de maio passa a ser a nova data limite. A pesquisa tem como ano-base 2019 e irá cobrir tanto e-books quanto audiolivros e suas diferentes formas de comercialização. O link é exclusivo para cada editora. Basta clicar para abrir e começar o preenchimento. Cabe destacar que o questionário não precisa ser respondido de uma única vez, os dados já inseridos são salvos automaticamente e o usuário pode retomar de onde parou. Qualquer dúvida é só entrar em contato com Mariana Bueno pelo e-mail producao.vendas@nielsen.com.

PublishNews, Redação, 30/04/2020

Em tempos de pandemia, isolamento social e incertezas, o que acontece com os espaços que se estruturam em cima dos encontros pessoais? Partindo deste pensamento, Morgana Kretzmann, escritora, atriz e produtora cultural da Ria Livraria da Merça; Ian Uviedo, escritor e livreiro; e Marcos Benuthe, dono da Ria Livraria e da Mercearia São Pedro se uniram para criar a Revistaria. Partindo do princípio do pensamento livre, a Revistaria será uma revista literária, cultural e boêmia, que será lançada virtualmente no dia 1º de maio com textos inéditos de escritoras e escritores, além de entrevistas e ilustrações. “Uma revista que seja o equivalente eletrônico de uma conversa de bar: espaço de experimentação, afeto e criação”, explicam os organizadores. Assim que a pandemia passar, e a Ria Livraria voltar as suas atividades normais, a revista, com todas as suas edições, será impressa e estará disponível no local. A partir desta sexta-feira (1º), a revista estará disponível pelo site www.revistaria.net.

PublishNews, Redação, 30/04/2020

Em uma escola privada na Suíça, um mistério envolve a identidade da linda menina de cabelos pretos que chega todas as manhãs acompanhada por carros dignos de um chefe de Estado. Alguns dizem que ela é filha de um rico homem de negócios, mas, na verdade, seu pai é Khalid bin Mohammed, o impiedoso príncipe da Arábia Saudita. No passado, o monarca foi celebrado por suas reformas sociais e religiosas, mas, agora, é detestado por seu papel no assassinato de um jornalista. Quando sua filha é sequestrada, ele se volta para o único homem capaz de encontrá-la antes que seja tarde demais. Gabriel Allon, o lendário chefe da inteligência israelense, passou a maior parte da vida lutando contra terroristas, incluindo assassinos jihadistas financiados pela Arábia Saudita. No entanto, o príncipe Khalid está empenhado em quebrar o laço entre seu país e o islamismo radical. Apenas por essa razão, Gabriel o tem como um parceiro valioso, apesar de longe do ideal. Com a vida de uma criança e o trono da Arábia Saudita em risco, eles se tornarão aliados improváveis em uma guerra pelo controle do Oriente Médio. A herdeira (HarperCollins, 448 pp, R$ 54,90 – Trad.: Laura Folgueira), novo livro de Daniel Silva, é um sofisticado estudo sobre alianças políticas e a rivalidade de grandes poderes em um mundo perigoso.

PublishNews, Redação, 30/04/2020

Em Vertigem do chão (Moinhos, 300 pp, R$ 50), o autor Cezar Tridapalli narra as vidas de dois homens em busca de suas identidades e faz uma investigação dos males do nosso século, criando um espelho partido com as esperanças e os medos dos protagonistas, o brasileiro Leonel e o holandês Stefan. Leonel, um bailarino desencantado com a sua arte, abandona Curitiba para viver uma utopia em Utrecht, a mesma cidade que Stefan, um sujeito atlético e na corda bamba moral diante do pensamento conservador do pai, troca pela capital das araucárias após o namorado ser assassinado por um fanático religioso. Tratando de temas delicados e urgentes – como a desterritorialização, a imigração, as questões de gênero, a incomunicabilidade e o radicalismo –, Tridapalli faz em Vertigem do Chão um retrato de um momento singular e cínico da história, em que o negacionismo e o revisionismo tomam a frente no debate.

“Se lhe é absolutamente necessário escrever, então persista. Não escreva para ser famoso ou rico (se acontecer, ótimo, parabéns).”
João Almino
Escritor brasileiro
1.
Tamo junto
2.
Decida vencer
3.
Mais esperto que o diabo
4.
21 lições para o século 21
5.
Box - Alice no país das maravilhas
6.
Sapiens ( edição de bolso)
7.
Como fazer amigos e Influenciar pessoas - Edição comemorativa 80 anos
8.
Drácula
9.
Pai rico, pai pobre - Edição de 20 anos
10.
Box Nórdicos
 
PublishNews, Redação, 30/04/2020

Para sustentar o vício em cocaína ou simplesmente pela emoção, Pedro Dom passou a roubar. Nascido em 1981 numa família carioca de classe média, aos 20 anos ele já era um assaltante procurado. No romance Dom (Companhia das Letras, 344 pp, R$ 74,90), Tony Bellotto conta não apenas a trajetória de um jovem fora da lei – desde a adolescência até sua morte em 2005, aos 23 anos, quando foi baleado pela polícia –, mas a história de um país marcado por profundas desigualdades sociais, de uma guerra às drogas que parece infinita, de uma máquina estatal cujos agentes corruptos rivalizam com aqueles que já perderam ou estão prestes a perder as esperanças. À medida que descortina o panorama dramático da vida de Pedro, em especial sua relação com o pai – um agente da polícia aposentado que durante anos trabalhou no combate ao tráfico e fez parte do Esquadrão da Morte na ditadura –, a narrativa de Bellotto alcança um ritmo vertiginoso, de impacto profundo.

PublishNews, Redação, 30/04/2020

Jack e Faye começaram a namorar na faculdade: um garoto criado em berço de ouro e uma jovem que se esforçou para enterrar um passado sombrio. Quando ele decide criar uma empresa, ela deixa os estudos e passa a trabalhar de dia, dedicando as noites para traçar a estratégia do novo negócio. A companhia se torna um sucesso bilionário, mas Faye se sente como um pássaro preso numa gaiola, apenas cuidando da filha em casa e sendo exibida pelo marido, que toma todas as decisões da empresa. Jack agora despreza sua inteligência, esquecendo tudo o que ela sacrificou por ele. Quando Faye descobre que ele tem um caso, a bela fachada de sua vida desmorona. De uma hora para outra, ela está sozinha, emocionalmente abalada e sem nenhum centavo – porém nada pode se comparar à fúria de uma mulher com um passado violento determinada a se vingar Jack está prestes a receber o que merece, e muito mais. Com uma história que envolve traição e segredos, A gaiola de ouro (Arqueiro, 320 pp, R$ 49,90 – Trad.: Fernanda Akesson) é o novo suspense de Camilla Läckberg.

 
©2001-2020 por Carrenho Editorial Ltda. Todos os direitos reservados.
Rua Fidalga 471, Conjunto 3 | Vila Madalena | São Paulo | SP | Brasil | 05432-070
O conteúdo deste site não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.