Caso não consiga visualizar corretamente esta mensagem, clique aqui.
PublishNews 12/03/2019
A Samara Lopez Design e Editoração fornece serviços editoriais para autores independentes e editoras. Disponibilidade para parcerias e grandes demandas fill time.
Editorando birô oferece prestação de serviços editoriais como tradução, preparação e revisão de texto, diagramação, capa, conversão em e-book e intermédio com a gráfica.
A Futura Editoração é especializada em Diagramação e design editorial
PublishNews, Leonardo Neto, 12/03/2019

A Feira do Livro de Londres foi aberta oficialmente nesta terça-feira (12), mas, antecedendo a programação oficial, aconteceu, nesta segunda, a Quantum Conference. A programação foi dividida em três grandes temas: audiolivros, livros de não ficção e infantis. E isso não foi por acaso. Os audiolivros, pra início de conversa, continuam em alta na Terra da Rainha. Segundo dados apresentados por Oliver Beldham, gerente de pesquisa da Nielsen Book, entre 2017 e 2018, as vendas desse formato cresceram 13% e se comparar com quatro anos atrás, o crescimento é de 128%. Convidado para abrir a Quantum Conference, Stephen Page, CEO da Faber & Faber, questionou o papel do editor no mundo. Ele resgatou uma palestra de 1934 feita por Jeffery Faber, fundador da Faber & Faber. “Editar hoje pode parecer muito diferente do que era anos atrás, mas algumas verdades se mantêm aplicáveis”, disse. Page observou que o momento atual é “assustadoramente familiar” àquele no qual vivia o fundador da empresa. Ele, então estimulou os editores presentes a pensarem além dos resultados financeiros de suas empresas. “O individualismo enfraquece o poder da indústria editorial de resistir a certas tendências viciosas e perigosas”, disse. “Precisamos ter a coragem de lutar pelos valores em que acreditamos: liberdade de expressão, respeito às ideias e à vida intelectual e pelos direitos autorais”, concluiu. Clique no Leia Mais e confira como foi a Quantum.

PublishNews, Redação, 12/03/2019

George R. R. Martin | © Henry SöderlundGeorge R. R. Martin de casa nova. A Editora Suma, selo do Grupo Companhia das Letras, anunciou que adquiriu os direitos de publicação da obra do autor no Brasil. George, que desde 2010 era publicado pela Leya, terá 19 títulos comercializados pela Suma já a partir de abril, mês em que a série Game of thrones, inspirada nos livros do autor, estreia sua última temporada. Os três livros iniciais de As Crônicas de Gelo e FogoA guerra dos tronos, A fúria dos reis e A tormenta de espadas - serão os primeiros a chegar às livrarias com alterações pontuais no projeto gráfico e nas capas. Em novembro passado, a Suma já havia lançado no Brasil Fogo & sangue que se mantém desde a semana de estreia na lista dos mais vendidos do país. Em suas redes sociais, a editora comemorou a aquisição “É um orgulho pra Suma poder dar continuidade ao trabalho maravilhoso da Editora Leya e cuidar da obra de um dos maiores gênios da literatura fantástica”.

PublishNews, Leonardo Neto, 12/03/2019

Sempre que há brasileiros em grandes feiras internacionais, o PublishNews dá um jeitinho de convencer algum estreante a fazer uma série diária com as suas impressões sobre o evento. Dessa vez, eu resolvi eu mesmo encarar essa missão. Não só porque essa é a minha primeira vez na Feira do Livro de Londres (a minha primeira vez em Londres, pra ser exato), mas sobretudo porque a decisão sobre a minha vinda foi tomada tão em cima do laço e por uma razão tão especial que não me ocorreu escalar alguém. Nem a mim mesmo pra ser sincero. Acabei de chegar no hotel e tomar essa decisão (rs). Bom... Londres é aquilo que você, mesmo nunca tendo pisado aqui, sabe: uma cidade frenética, um sistema metroviário exemplar, muita gente nas ruas, muitas atrações pra ver, muitas histórias sobre a família real pra conhecer, a London Eye, o Big Ben, a Tower Bridge, o fish and chips etc etc etc... E estou tentando entrar no clima dessa (boa) confusão toda. Hoje, depois do Quantum Conference, saí pra passear um pouco. Passei por alguns dos lugares que cito acima e, pasme, tive a chance de ver a comitiva real com a rainha e o seu filho, o príncipe Andrew. No fim, fiquei sem bateria (a minha e a do celular) e tive que voltar pra “casa” sozinho, sem a muleta do GPS. E cheguei. Se tem um orgulho nessa vida é de ter conseguido fazer isso... Clique no Leia Mais e confira como foi o primeiro dia do nosso editor em Londres.

PublishNews, Redação, 12/03/2019

Com apenas sete anos no mercado, a Penalux vem crescendo a cada ano e pensando em ideias para se renovar. Pelo menos uma vez na semana os editores da casa se reúnem para traçar ações e definir estratégias para melhorar o desempenho da editora. Nessas reuniões, a divulgação, ou seja, a promoção de conteúdo relacionado aos títulos da Penalux encontra sempre atenção especial, e como resposta a essa demanda, a editora vem ampliando suas parcerias e participação nas redes sociais. Mas, pensando em criar um espaço para além dos blogs e sites parceiros, e com o objetivo de garantir uma permanência maior de consulta e releituras do seu conteúdo a editora decidiu criar a Revista Penalux. Digital e gratuita, a revista, ao menos por enquanto, terá uma periodicidade bimestral e já na primeira edição traz conteúdos relacionados exclusivamente a seu catálogo vigente. Entrevistas, resenhas, matérias, lançamentos, textos literários em prosa & verso e até mesmo uma seção com fotos de suas publicações clicadas pelas câmeras dos leitores compõem as páginas do periódico que pretende ampliar a divulgação dos seus livros e autores da casa e aumentar a troca de experiências com os leitores.

PublishNews, Redação, 12/03/2019

Nos últimos anos, as plataformas de autopublicação foram responsáveis pelo aumento de autores publicados e leitores. É um nicho que cresce e traz muitas possibilidades de negócio. Muitas editoras criaram selos para autores "escolhidos" nas plataformas e os autores independentes têm se profissionalizado, já que os leitores estão mais críticos. Pensando nisso, a LabPub realiza amanhã, o webinar gratuito Autopublicação: conheça mercado e a plataforma Kobo Writing Life (KWL), com Camila Cabete, Senior publisher relations manager da Kobo e colunista do PublishNews. Na aula, Camila falará sobre as oportunidades, as necessidades e a plataforma de autopublicação da Kobo. A mediação ficará por conta de Cassia Carrenho. O webinar começa às 19h30 e para se inscrever é só clicar aqui.

PublishNews, Redação, 12/03/2019

Nesta sexta (15), às 19h, a biblioteca do Goethe-Institut (Rua Lisboa, 974 – São Paulo / SP) recebe o primeiro encontro de 2019 da série Passaporte: Literatura. O evento proporciona aos participantes uma viagem pelo universo afetivo e criativo em que os autores e as obras se encontram e multiplicam. Poetas e escritores são, antes de tudo, grandes leitores e são também um ótimo instrumento para guiar os leitores dentro do mundo a ser explorado dentro de uma biblioteca. No primeiro encontro, participam o tradutor Douglas Pompeu e o escritor e tradutor luso-alemão Mário Gomes, para um bate-papo sobre a literatura contemporânea e a relação deles com autores de língua alemã, lendo e comentando obras que foram importantes na sua formação. A ênfase desse encontro será o lançamento da tradução Variações sobre tonéis de chuva (Edições Jabuticaba) do reconhecido e premiado poeta alemão da atualidade, Jan Wagner. O encontro é gratuito e aberto ao público.

PublishNews, Redação, 12/03/2019

Em homenagem ao Dia do Bibliotecário, comemorado hoje (12), o Conselho Regional de Biblioteconomia 8ª região vai realizar alguns eventos em São Paulo (capital) e nas cidades de Lorena, Campinas, São Carlos e Ribeirão Preto. Na capital paulista, o Sesc 24 de Maio (Rua 24 de Maio, 109), recebe às 18h45, a palestra O Bibliotecário na era da informação de dados, do Prof. Dr. Adilson Luiz Pinto, professor da UFSC. Também será realizada a XIII edição do Prêmio Laura Russo da Biblioteconomia Paulista, uma homenagem à bibliotecária Laura Russo, falecida em 2001 e uma das responsáveis pela regularização da profissão na década de 1950. O prêmio tem como objetivo homenagear profissionais e instituições que tenham se destacado em ações de promoção, divulgação e inovação nas bibliotecas paulistas. O tema deste ano da premiação - Biblioteca Escolar para Todos - destaca o papel da biblioteca escolar como instituição educadora com impacto na formação global do indivíduo. Para encerrar as comemorações, no dia 16, o Auditório do Museu da Cidade de SP (Rua Roberto Simonsen, 136) recebe uma oficina sobre gestão do conhecimento, com o bibliotecário Leonardo Souto, do BNDES, às 9h.

PublishNews, Redação, 12/03/2019

Quando a humanidade faz o primeiro contato com uma raça extraterrestre, um movimento hostil causa o início de uma guerra espacial que durará séculos. William Mandella, um jovem norte-americano, está entre os primeiros soldados convocados no alistamento obrigatório. Na guerra, ele aprenderá a manusear as máquinas mortíferas mais modernas e a sobreviver ao ambiente inóspito de mundos alienígenas. Além da resistência física, Mandella precisa lutar para sobreviver aos horrores da guerra. A possibilidade de voltar para casa não é uma esperança, nem um alento: devido à dilatação temporal envolvida nas viagens espaciais, soldados que passaram poucos meses no espaço descobrem, ao retornar à Terra, que a passagem de tempo no planeta foi de décadas ou até de séculos. Inspirado na experiência do autor, Joe Haldeman, na Guerra do Vietnã, Guerra sem fim (Aleph, 354 pp, R$ 59,90 – Trad.: Luisa Geisler) se tornou um clássico da ficção científica militar. Além de registrar, em uma metáfora cruel, a realidade de uma geração que vivenciou a guerra nos anos 60, Haldeman também abordou temas universais e atemporais, como ufanismo, solidão e a futilidade da guerra.

“Editar é um ato político. Precisamos ter a coragem de lutar pelos valores em que acreditamos: liberdade de expressão, respeito às ideias e à vida intelectual e pelos direitos autorais”
Stephen Page
CEO da Faber & Faber
1.
O milagre da manhã
2.
A sutil arte de ligar o foda-se
3.
Me poupe!
4.
Seja foda!
5.
O poder da ação
6.
Tamo junto
7.
O poder da autorresponsabilidade
8.
Mais esperto que o diabo
9.
As aventuras na Netoland com Luccas Neto
10.
O poder do hábito
 
PublishNews, Redação, 12/03/2019

Romance de estreia de H. G. Wells, A máquina do tempo (Zahar, 200 pp, R$ 59,90 – Trad.: Adriano Scandolara), publicado em 1895, é considerado uma das primeiras obras de ficção científica e a fundadora do subgênero "viagem no tempo". Em meio a um jantar, o Viajante do Tempo retorna para contar a um grupo de amigos sua extraordinária experiência no ano 802701... Nas ruínas do que um dia fora Londres, ele esteve entre duas raças degeneradas de descendentes da humanidade: os Elói, criaturas frívolas e infantis cuja existência parece se dar sem lutas, e os Morlocks, habitantes do mundo subterrâneo que, antes subservientes aos Elói, passaram a persegui-los quando a noite cai. Essa edição comentada dos Clássicos Zahar traz texto integral, seguindo a primeira edição do livro; mais de 100 notas; apresentação contextualizando a escrita do romance; e cronologia de vida e obra de Wells. Além disso, inclui também dois textos extras: Os Argonautas Crônicos, conto que deu origem ao livro, e a versão estendida do capítulo A visão distante".

 
©2001-2019 por Carrenho Editorial Ltda. Todos os direitos reservados.
Rua Fidalga 471, Conjunto 3 | Vila Madalena | São Paulo | SP | Brasil | 05432-070
O conteúdo deste site não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.