Caso não consiga visualizar corretamente esta mensagem, clique aqui.
PublishNews 08/11/2018
A psi7 Printing Solutions & Internet 7 S.A. é uma empresa de tecnologia na gestão de conteúdos que ajuda as empresas, sejam editoras ou indústrias, a propagar o seu conteúdo nos formatos impresso, áudio, dados ou eletrônico.
Revisora, copidesque e produtora editorial há mais de dez anos com experiência em todas as etapas da produção editorial.
Com mais de 20 anos de experiência na diagramação de livros, Julio Fado oferece um trabalho profissional, de qualidade e rápido. Além da diagramação de livros para impressão, ele também diagrama livros em formato digital.
PublishNews, Redação, 07/11/2018

Diretores do Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL) reunidos na tarde desta quarta-feira (07) na sede da entidade no Rio de Janeiro traçaram uma proposta de curto prazo que será submetida aos CEOs das livrarias Saraiva e Cultura que enfrentam uma crise econômico-financeira. A entidade informou que não poderá dar detalhes da proposta até que ela seja apreciada pelas livrarias e que convocará as 540 editoras que compõem o quadro social do sindicato para uma assembleia geral extraordinária no próximo dia 22, quando será apresentado esse plano. A ideia, segundo explicou Marcos da Veiga Pereira, presidente do SNEL, é ganhar força na negociação com os varejistas. “Nenhuma decisão individual conseguirá salvar as empresas. Mais do que nunca, as editoras devem agir em conjunto para conseguir reverter esse quadro”, disse. Clique no Leia Mais e tenha acesso à íntegra desta nota.

PublishNews, Julio Silveira, 08/11/2018

Na matéria sobre a tensa situação das duas maiores redes, que, segundo o reticente título dado pelo PublishNews, estariam “dando os primeiros passos sobre como pretendem sair da crise”, chamou a atenção a promessa de interromper um modelo de negócios que “já não é interessante nem para a livraria, nem para os fornecedores”. A consignação. Para quem acompanha o mercado editorial brasileiro nas últimas décadas, contestar ou mesmo pôr em dúvida um sistema tão entranhado soa como uma blasfêmia. Foi preciso chegar ao extremo da crise, onde estão em risco talvez 40% do faturamento das editoras, para nos darmos conta de que o modelo não funciona mais. Como a maioria dos venenos, a consignação não passa de um remédio: o problema é a dosagem. Bem administrada, ela ajuda a viabilizar as livrarias e ampliar a bibliodiversidade. O modelo da consignação pode ter mesmo salvo o mercado brasileiro, à época em que foi implementado. Estávamos no começo dos anos 1990, tempos pré-Plano Real, quando mal se sabia qual era a moeda circulante (Cruzado novo? Cruzeiro?), quanto mais fazer planejamento financeiro. O importante era botar a bola para rolar (e o estoque a girar) e isso a consignação resolveu. Depois que o país foi minimamente estabilizado e mesmo quando o mercado editorial passou por (fugazes) momentos de euforia, a consignação manteve-se como a praxe de mercado, segundo um racional de “não vamos mexer no que está funcionando”. Porém quando o país parou de crescer e o mercado de funcionar, os problemas ficaram mais visíveis. Clique no Leia Mais e tenha acesso à íntegra desse artigo.

PublishNews, Redação, 08/11/2018

A Transpo Express, transportadora especializada em entregas e coletas para editoras e distribuidoras de livros, também pensou numa alternativa para os tempos de crise. Para ajudar as editoras que estão negociando novas entregas com as livrarias Saraiva e Cultura, a Transpo decidiu oferecer 25% de desconto para as mercadorias que vão ou saem dos centros de distribuição das duas livrarias. O desconto valerá por quatro meses a partir da data em que o Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL) e livrarias fecharem acordo com as redes. Segundo Mariana Martins, CEO da empresa, a ideia é estar junto com as editoras nesse momento de crise. “Queremos ajudar no que for possível para que elas possam se recuperar”, disse ao PN na manhã desta quinta-feira.

PublishNews, Redação, 08/11/2018

Uma das consequências da atual crise do mercado livreiro é o desabastecimento. Muitas vezes, a Cultura e a Saraiva, que estão inadimplentes, deixam de receber os últimos lançamentos das editoras. Para contornar esse problema, a Companhia das Letras acaba de lançar um novo canal de atendimento ao cliente, o Socorro, Companhia. Voltado para os leitores que estiverem com dificuldade de encontrar algum produto da editora nas livrarias, o novo serviço direciona para as lojas (físicas ou on-line) onde o título está disponível. Os atendentes ainda informarão sobre a previsão de recebimento dos livros em loja e sobre os e-books e audiolivros disponíveis caso a caso. O serviço funcionará de segunda a sexta, das 8h às 18h, pelo e-mail socorro@companhiadasletras.com.br ou pelo WhatsApp (11) 9.4292-7189.

PublishNews, Redação, 08/11/2018

Na próxima segunda-feira (12), a Saraiva divulga relatório com os resultados do terceiro trimestre de 2018. Os números poderão indicar a situação da saúde financeira da empresa líder no segmento livreiro no Brasil. No dia seguinte, às 10h30, a direção da empresa faz teleconferência com investidores e acionistas.

PublishNews, Redação, 08/11/2018

Mais de 150 projetos de fomento à leitura, de 24 estados brasileiros, foram inscritos na Plataforma Pró-Livro. Desses, foram selecionados 40 projetos de 11 estados que são finalistas da edição de 2018 do Prêmio IPL – Retratos da Leitura, que busca iniciativas exitosas no campo de formação de leitores e desenvolvimento da leitura em todas as regiões do País. São dez projetos em cada uma das quatro categorias do prêmio: Cadeia Produtiva, Organizações da Sociedade Civil (OSCs), Mídia e Bibliotecas. Os projetos foram avaliados por um time de especialistas que levaram em conta critérios como a relevância de cada projeto, o seu reconhecimento, a coerência entre objetivos e ações realizadas, os resultados alcançados, a sua abrangência e o seu potencial de sustentabilidade e de "replicabilidade". “Ficamos orgulhosos com a qualidade dos projetos inscritos na Plataforma Pró-Livro. Com o Prêmio, conseguimos identificar e criar soluções para ampliar o número de leitores no Brasil”, disse Zoara Failla, gerente de projetos do Instituto Pró-Livro. Agora, um corpo de jurados reavaliará os projetos finalistas e escolherá três ganhadores em cada uma das quatro categorias. Os ganhadores serão conhecidos no dia 10 de dezembro em cerimônia na Unibes Cultural (Rua Oscar Freire, 2.500 – São Paulo / SP). Clique no Leia Mais para conhecer os finalistas.

PublishNews, Redação, 08/11/2018

Dois dos mais antigos prêmios de literatura infantil do Reino Unido, o Cilip Carnegie e o Kate Greenaway Medals divulgaram os livros indicados para sua edição de 2019. Concedido pela CILIP: Instituto Chartered de Profissionais de Biblioteconomia e Informação, o prêmio é dado ao melhor livro escrito ou traduzido para o inglês e ao melhor livro ilustrado destinado às crianças e jovens. Dentre os nomes que aparecem na lista está a obra My sweet orange tree (Pushkin Chlidren's Books) (Meu pé de laranja lima – Melhoramentos), livro de José Mauro de Vasconcelos e que foi traduzido por Alison Entrekin. Em março serão anunciados os finalistas do prêmio e logo depois, as obras serão lidas por crianças e jovens através de grupos de leitura em escolas e bibliotecas públicas. Os ganhadores serão anunciados no dia 17 de junho. A lista completa com os selecionados você encontra clicando aqui.

PublishNews, Redação, 08/11/2018

Morreu nesta quarta-feira (7), Servando Panizo Vigal. Em 1967, ao lado de Ênio Matheus Guazzelli, Reynaldo Bluhm e Carlos Cohn, o espanhol naturalizado brasileiro formou a primeira diretoria fundadora da Disal Distribuidora. Servando estava com 93 e morreu por conta de um Acidente Vascular Cerebral (AVC) segundo informou a empresa. Em comunicado, a Disal prestou condolências aos seus familiares, amigos e admiradores e acrescentou: “O que ficará para sempre na nossa memória é de um homem íntegro e competente, que ao cuidar das finanças da empresa precisava apenas de papel e uma caneta, deixando de lado a calculadora”. Na foto ao lado, Servando Vigal é o segundo da esquerda para a direita junto aos demais sócios fundadores da Disal.

“Parto do princípio de que o escritor tem o dever, como parte da sua dignidade pessoal, de conhecer a própria língua.”
Fernando Sabino
Escritor brasileiro (1923-2004)- 'Um escritor na biblioteca'
1.
A sutil arte de ligar o foda-se
2.
Crença Inabalável
3.
As aventuras na Netoland com Luccas Neto
4.
Seja foda!
5.
Combate espiritual
6.
O milagre da manhã
7.
Me poupe!
8.
O poder da ação
9.
O poder da autorresponsabilidade
10.
Para todos os garotos que já amei
 
PublishNews, Redação, 08/11/2018

Tramita no Congresso Nacional um projeto de lei (PL) que quer alterar Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) para vedar a divulgação de produtos, serviços, marcas ou empresas nos estabelecimentos de ensino de todo o Brasil. No relatório apresentado pelo senador Cristovam Buarque (PPS/DF), em março passado, ficaria de fora inclusive a realização de feiras de livros, prejudicando, portanto, a divulgação escolar. Depois de pressão por parte de setores da indústria editorial, o senador voltou atrás e liberou as feiras de livros desde que essas não façam “apelo ao consumo” de qualquer marca ou produto. O projeto foi aprovado nesta quarta-feira (07) na Comissão de Transparência, Governança, Fiscalização e Controle e Defesa do Consumidor (CTFC) do Senado. O novo relatório foi apresentado pelo senador José Serra (PSDB / SP), que preservou a exclusão das feiras de livros das proibições de divulgação escolar. A matéria segue agora para a Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE).

PublishNews, Redação, 08/11/2018

Em Um mundo sem guerras (Editora Unesp, 434 pp, R$ 89), o filósofo e historiador italiano Domenico Losurdo traça a história da ideia de paz, desde a Revolução Francesa até os dias atuais, e problematiza, em 13 capítulos, questões dramáticas de nosso tempo: é possível construir um mundo sem guerras? Devemos confiar na não violência? A democracia é garantia real de paz ou pode transformar-se em ideologia de guerra? Refletir sobre as promessas, as decepções, as voltas e reviravoltas da história da ideia de paz perpétua é essencial para compreender nosso passado e dar novo impulso à luta contra o crescente perigo de novas guerras. No livro, o autor defende que “estamos diante de batalhas ideológicas e políticas e de conflitos sanguinários que marcam a história do ideal de um mundo sem guerras. Meu livro tratará da reconstrução da gênese e do desenvolvimento dessa trama e de sua análise nos planos político e filosófico”.

PublishNews, Redação, 08/11/2018

Sétimo livro da coleção Para quem tem pressa, a obra A história do universo para quem tem pressa (Valentina, 216 pp, R$ 39,90 – Trad.: Milton Chaves) faz uma viagem de 93 bilhões de anos-luz por estrelas, sistema solar e planetas, cometas, galáxias e distantes regiões do espaço sideral, a partir de descobertas fascinantes sobre o universo feitas por cientistas como Galileu Galilei, Isaac Newton, Albert Einstein e Stephen Hawking. O que é matéria escura? Estamos sozinhos no universo? É possível viajar no tempo? Essas são só algumas perguntas que o livro escrito pelo jornalista Colin Stuart, especializado em astronomia, tenta responder. De fácil compreensão o livro leva o leitor para uma viagem através de todas as descobertas astronômicas fundamentais, desde as resultantes de crenças de civilizações antigas até as oriundas de pioneiras e recentes observações das ondas gravitacionais, previstas por Einstein mais de 100 anos atrás.

 
©2001-2018 por Carrenho Editorial Ltda. Todos os direitos reservados.
Rua Fidalga 471, Conjunto 3 | Vila Madalena | São Paulo | SP | Brasil | 05432-070
O conteúdo deste site não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.