Caso não consiga visualizar corretamente esta mensagem, clique aqui.
PublishNews 13/04/2018
A psi7 Printing Solutions & Internet 7 S.A. é uma empresa de tecnologia na gestão de conteúdos que ajuda as empresas, sejam editoras ou indústrias, a propagar o seu conteúdo nos formatos impresso, áudio, dados ou eletrônico.
Revisora, copidesque e produtora editorial há mais de dez anos com experiência em todas as etapas da produção editorial.
Com mais de 20 anos de experiência na diagramação de livros, Julio Fado oferece um trabalho profissional, de qualidade e rápido. Além da diagramação de livros para impressão, ele também diagrama livros em formato digital.
PublishNews, Leonardo Neto, 13/04/2018

Estoque da BookPartners | © Chico Audi / DivulgaçãoO juiz Bruno Cortina Campopiano, da 1ª Vara de Jandira (SP), aceitou o pedido de recuperação judicial apresentado pela BookPartners, distribuidora que já foi responsável por 18% do mercado de livros Científicos, Técnicos e Profissionais (CTP) no Brasil. Em sua decisão, o juiz indica que a empresa faz jus à recuperação judicial dada a sua “situação de periclitância financeira” e pelas “dificuldades para manter seus compromissos em dia”. Com o aceite do pedido de recuperação judicial, ficam suspensas todas as ações ou execuções contra a BookPartners. A empresa tem até o início de maio para apresentar um plano de recuperação judicial e, uma vez apresentado esse documento, tem mais 30 dias para convocar assembleia com seus credores para apresentar o plano a eles. O PublishNews conversou na manhã desta sexta-feira (13) com Carlos Henrique de Carvalho Filho, CEO da BookPartners. Ele confirmou as informações e declarou que se a empresa não tomasse essa medida, não teria como avançar. “Foi uma medida necessária para que a gente pudesse retomar nossas atividades. Estávamos com muitos títulos indo à cartório, o que estava drenando nosso caixa”, disse ao PN. Carlos procurou ainda tranquilizar o mercado. “Felizmente nossos credores estão confiantes conosco. De agora em diante, a empresa tem que honrar 100% dos seus compromissos. O que significa que se um fornecedor nos emitir uma fatura de R$ 100 que seja, teremos que pagá-la em dia sob pena de ser decretada a falência”, completou. Clique no Leia Mais e tenha acesso à íntegra desta nota.

PublishNews, Leonardo Neto, 13/04/2018

Marcelo Ubríaco deixa a Saraiva | © DivulgaçãoMarcelo Ubríaco (na foto ao lado), que por quatro anos esteve à frente da vice-presidência de Varejo da Saraiva, deixa a companhia. A notícia foi confirmada pela assessoria de imprensa da casa. A confirmação da saída de Ubríaco veio logo depois de um comunicado em que a Saraiva informava aos seus acionistas o desligamento de Luís Cláudio Villani, até então diretor de Tecnologia da Informação da varejista. Em menos de um mês, a Saraiva trocou três executivos do seu alto escalão. Em meados de março, Marcus Mingoni, diretor financeiro, foi substituído por Alan Infante. A Saraiva não informou ainda os substitutos de Ubríaco e de Villani. Essas mudanças acontecem praticamente no mesmo momento em que a varejista pediu aos seus principais fornecedores a ampliação do prazo para pagamento, justificando que isso se deve à demora nas ações de recuperação de créditos tributários e a renegociação em andamento com as instituições financeiras. 

PublishNews, Talita Facchini, 13/04/2017

Em outubro passado, Rodrigo Alvarez trocou a Globo Livros pela LeYa e anunciou o seu novo projeto: uma biografia em três volumes do “homem mais amado da história”. Pois bem, o primeiro tomo da série estreou na Lista de Mais vendidos na semana passada ocupando o "modesto" sétimo lugar em Não Ficção, com "apenas" 1.140 exemplares vendidos. Nessa semana, o Jesus - O homem mais amado da história (LeYa) deu um salto e veio parar no terceiro lugar da Lista Geral com 4.351 cópias vendidas. A sutil arte de ligar o foda-se (Intrínseca), ocupa o primeiro lugar da lista, com 9.250 cópias vendidas, e Combate Espiritual vem logo em seguida, com 6.389. Dos livros que subiram na lista merecem destaque Metanoia (Principium), do Padre Marcelo Rossi, que ocupa o quarto lugar na lista de Autoajuda e A verdade vencerá (Boitempo), do ex-presidente Lula, que pulou da 20ª posição na semana passada, para a sexta em Não Ficção. Foram 1.284 exemplares do livro do ex-presidente vendidos nessa semana. Dentre as novidades da semana, vale destaque o livro O sol na cabeça (Companhia das Letras), de Geovani Martins. No começo do mês, o escritor de 27 anos participou do Conversa com Bial e nessa semana estreou na lista na quinta posição na lista de Ficção com 2.038 exemplares vendidos. Clique no Leia Mais e veja outros destaques da lista.

PublishNews, Redação, 13/04/2018

Frank Miller | © Niccolò CarantiA HarperCollins Brasil anunciou essa semana sua maior aposta feita na Feira de Bolonha. A editora comprou os direitos da obra Cursed, de Frank Miller (foto ao lado), autor de 300 e Sin City, e Thomas Wheeler. Enquanto isso, a Netflix anunciou a compra da adaptação do livro para uma série de 10 episódios em sua plataforma, transformando o leilão em uma corrida contra o tempo. Cursed traz uma releitura da lenda do Rei Arthur, através dos olhos de uma adolescente destinada a se tornar a futura Dama do Lago. O livro tem previsão de publicação para 2019. Já em Londres, a Harper comprou os direitos de The change code, do autor-promessa B. J. Fogg. O livro promete ser o próximo best-seller em Smart Thinking.

PublishNews, Marcio Coelho, 13/04/2018

Há pouco mais de oito anos, em março de 2010, aconteceu o I Congresso Internacional do Livro Digital. Uau, o que será que vão falar nesse congresso? Era a pergunta que o marcado editorial e livreiro se fazia com um medo danado de ouvir que o livro físico acabaria. Preocupação desimportante diante dos problemas reais enfrentados pela cultura do livro. Muitos players internacionais depois – falando coisas que não sabiam sobre o Brasil e dando prognósticos apocalípticos sobre o nosso mercado – foi a vez de Jorge Carneiro falar. O dono da Ediouro, com quem trabalhei na minha fase na Nova Fronteira, dirigiu-se à espécie de palco com um ar de derrotado. No final do seu discurso, porém, ele fez um pedido que, a mim, pareceu desesperado: “precisamos tomar cuidado com o que vai acontecer com as nossas editoras. O que vai acontecer agora, gente? É o futuro do nosso ganha-pão que está em jogo aqui” (Jorge, não me lembro bem das palavras, mas me marcou). Isso tudo pode soar como estranho, mas não era. A novidade chegava com ares de devastação. Era a bomba D jogada no mercado. D de digital. Lembro de sair daquele evento cheio de dúvidas. Mas depois houve mais alguns congressos como aquele, participei, aí dúvidas aumentaram. O livro físico acabou? Não. E o livro digital? Calma, Jorge, tem espaço para todo mundo. Como diz meu amigo Bruno Mendes, leitores não faltam, basta publicar para eles. Clique no Leia Mais e tenha acesso à íntegra desta coluna.

PublishNews, Larissa Caldin*, 13/04/2018

O terceiro dia da feira de Londres já tem um gostinho de “até logo”. Os corredores já não estão tão cheios como no primeiro e segundo dia, mas ainda há muita negociação rolando na área de direitos, no segundo andar. Com esse final de feira, a agenda do terceiro dia estava mais livre, o que me fez ter tempo de conhecer algumas das programações desta quinta-feira. Em 2004 começou o chamado “Market Focus”, que tem como objetivo abrir um leque de parcerias, comunicação e conexão entre o país homenageado e o resto da indústria mundial. Esse ano o holofote foi para os países Bálticos – Estônia, Letônia e Lituânia –, que comemoram um século de independência. Inga Ãbele, escritora da Letônia, em uma conversa com a mediadora e também escritora Nicolette Jones, contava sobre a importância de se ter feiras como essa, gerar conexões que parecem tão distantes e aproximar a indústria. Contou sobre qual a importância de se trazer livros dos países Bálticos para Europa e para todo o resto do mundo. Larissa, a nossa marinheira de primeira viagem na Feira de Londres, acompanhou ainda uma sessão de pitching entre autores e agentes literários e conta um pouco mais como foi seus últimos minutos no evento.

PublishNews, Redação, 13/04/2018

Acontece neste sábado (14), às 11h, a inauguração da livraria da Editora Bambolê. Localizada em Copacabana (Av. Nossa Senhora de Copacabana, 1072, loja 2 – São Paulo / SP), perto do metrô Cantagalo, a loja priorizará, em seu acervo, livros infantis, juvenis e para jovem adulto, dando maior destaque para a literatura nacional. Com o slogan Ler é se encantar com o mundo, a livraria ainda busca títulos nos catálogos das editoras que tenham a chancela de prêmios e que combinem com a propaganda. As editoras que tiverem interesse em apresentar seus catálogos ou marcar lançamentos devem enviar e-mail para livraria@editorabambole.com.br.

PublishNews, Redação, 12/04/2018

Morreu na última quarta-feira (11), aos 90 anos, o Professor Massaud Moisés. Autor da Editora Cultrix (Pensamento), por mais de 50 anos, Moisés foi vítima de um Acidente Vascular Cerebral. Professor titular da Universidade de São Paulo (1973-1995) e um dos mestres de Alfredo Bosi, ele foi professor visitante nas universidades de Wisconsin, Indiana, Vanderbilt, Texas, Califórnia e Santigo de Compostela. Moisés iniciou sua carreira literária na Cultrix em 1956, com o lançamento do Pequeno dicionário de literatura brasileira, e ao longo de cinco décadas, publicou mais de 20 títulos. Alguns dos seus livros, consagrados à teoria literária, como a História da Literatura Brasileira, em três volumes, constituem referência obrigatória para estudantes e estudiosos de Letras.

“Deixo o rio levar-me e as personagens surpreenderem-me”
Pepetela
Escritor angolano
1.
A sutil arte de ligar o foda-se
2.
Combate espiritual
3.
Jesus - O homem mais amado da história
4.
O milagre da manhã
5.
Metanoia
6.
O poder do hábito
7.
Seja foda!
8.
A parte que falta
9.
Ainda sou eu
10.
A hora extraordinária
 
PublishNews, Redação, 13/04/2018

Numa pequena cidade litorânea, todos estavam entusiasmados com a expectativa de progresso: um grande hotel seria construído em cima do morro, local privilegiado. Porém, com uma desencarnada que há anos ali estava e assombrava a região, quem se arriscava a ir lá? Para se livrarem dessa situação complicada, alguns moradores pediram ajuda a um grupo de estudiosos espíritas, que foi auxiliá-los. Com a leitura, nos depararemos não só com a incrível história de Carmélia, a Moça de Branco, que aterrorizava a todos em Morro dos Ventos (Planeta / Academia, 224 pp, R$ 34,90), como também seremos levados à reflexão do porquê, após terem o corpo físico morto, certas pessoas continuam em lugares que viveram encarnadas, assombrando o local. Antônio Carlos, mais uma vez talentosamente, nos traz uma história de amor entre dois jovens e dramas sofridos por pessoas que procuraram por orientação. No desenrolar dos acontecimentos, esclarece e ensina não somente os envolvidos na história, mas todos os que lerem esta obra. Morro dos ventos é da mesma autora médium de Violetas na Janela, Vera Lúcia Marinzeck de Carvalho.

PublishNews, Redação, 12/04/2018

O prisioneiro (Sextante, 112 pp, R$ 29,90), de Arnand Dílvar, é uma história sobre libertação e renascimento, esperança e recomeços. E é um lembrete de que, para abrir as correntes que nos prendem à infelicidade, é necessário, antes, destrancar nosso próprio coração. Na obra, o protagonista sofre um terrível acidente que o deixa preso a uma cama de hospital, imóvel, porém consciente, ao contrário do que imaginam todos que o observam. Sem esperanças de se recuperar e sentindo-se profundamente solitário, ele é surpreendido por uma sábia voz interior que começa a lhe explicar como suas escolhas erradas o levaram a essa situação. Nessa situação, ele inicia uma intensa viagem interior na tentativa de se livrar do pesado fardo de ressentimentos, medos e culpas do passado que o tornaram escravo de si mesmo.

PublishNews, Estevão Ribeiro, 13/04/2018

 
©2001-2018 por Carrenho Editorial Ltda. Todos os direitos reservados.
Rua Fidalga 471, Conjunto 3 | Vila Madalena | São Paulo | SP | Brasil | 05432-070
O conteúdo deste site não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.