Caso não consiga visualizar corretamente esta mensagem, clique aqui.
PublishNews 13/04/2018
Gráfica digital para pequenas tiragens e POD (Print On demand). Pronta para atender às necessidades de prazos curtos, possui estrutura de impressão digital e logística com qualidade e preços.
A Bookmarks é uma empresa que oferece soluções editoriais para autores e editoras. Desenvolve projetos gráficos de capas de livros, artes para brindes, marcadores, criamos e desenvolve sites e faz diagramação de livros impressos e digitais.
Capista de livros. Há mais de 20 anos desenvolve trabalhos gráficos para os mais variados setores. Só paga se for usar a capa.
PublishNews, Leonardo Neto, 13/04/2018

Estoque da BookPartners | © Chico Audi / DivulgaçãoO juiz Bruno Cortina Campopiano, da 1ª Vara de Jandira (SP), aceitou o pedido de recuperação judicial apresentado pela BookPartners, distribuidora que já foi responsável por 18% do mercado de livros Científicos, Técnicos e Profissionais (CTP) no Brasil. Em sua decisão, o juiz indica que a empresa faz jus à recuperação judicial dada a sua “situação de periclitância financeira” e pelas “dificuldades para manter seus compromissos em dia”. Com o aceite do pedido de recuperação judicial, ficam suspensas todas as ações ou execuções contra a BookPartners. A empresa tem até o início de maio para apresentar um plano de recuperação judicial e, uma vez apresentado esse documento, tem mais 30 dias para convocar assembleia com seus credores para apresentar o plano a eles. O PublishNews conversou na manhã desta sexta-feira (13) com Carlos Henrique de Carvalho Filho, CEO da BookPartners. Ele confirmou as informações e declarou que se a empresa não tomasse essa medida, não teria como avançar. “Foi uma medida necessária para que a gente pudesse retomar nossas atividades. Estávamos com muitos títulos indo à cartório, o que estava drenando nosso caixa”, disse ao PN. Carlos procurou ainda tranquilizar o mercado. “Felizmente nossos credores estão confiantes conosco. De agora em diante, a empresa tem que honrar 100% dos seus compromissos. O que significa que se um fornecedor nos emitir uma fatura de R$ 100 que seja, teremos que pagá-la em dia sob pena de ser decretada a falência”, completou. Clique no Leia Mais e tenha acesso à íntegra desta nota.

PublishNews, Leonardo Neto, 13/04/2018

Marcelo Ubríaco deixa a Saraiva | © DivulgaçãoMarcelo Ubríaco (na foto ao lado), que por quatro anos esteve à frente da vice-presidência de Varejo da Saraiva, deixa a companhia. A notícia foi confirmada pela assessoria de imprensa da casa. A confirmação da saída de Ubríaco veio logo depois de um comunicado em que a Saraiva informava aos seus acionistas o desligamento de Luís Cláudio Villani, até então diretor de Tecnologia da Informação da varejista. Em menos de um mês, a Saraiva trocou três executivos do seu alto escalão. Em meados de março, Marcus Mingoni, diretor financeiro, foi substituído por Alan Infante. A Saraiva não informou ainda os substitutos de Ubríaco e de Villani. Essas mudanças acontecem praticamente no mesmo momento em que a varejista pediu aos seus principais fornecedores a ampliação do prazo para pagamento, justificando que isso se deve à demora nas ações de recuperação de créditos tributários e a renegociação em andamento com as instituições financeiras. 

PublishNews, Talita Facchini, 13/04/2017

Em outubro passado, Rodrigo Alvarez trocou a Globo Livros pela LeYa e anunciou o seu novo projeto: uma biografia em três volumes do “homem mais amado da história”. Pois bem, o primeiro tomo da série estreou na Lista de Mais vendidos na semana passada ocupando o "modesto" sétimo lugar em Não Ficção, com "apenas" 1.140 exemplares vendidos. Nessa semana, o Jesus - O homem mais amado da história (LeYa) deu um salto e veio parar no terceiro lugar da Lista Geral com 4.351 cópias vendidas. A sutil arte de ligar o foda-se (Intrínseca), ocupa o primeiro lugar da lista, com 9.250 cópias vendidas, e Combate Espiritual vem logo em seguida, com 6.389. Dos livros que subiram na lista merecem destaque Metanoia (Principium), do Padre Marcelo Rossi, que ocupa o quarto lugar na lista de Autoajuda e A verdade vencerá (Boitempo), do ex-presidente Lula, que pulou da 20ª posição na semana passada, para a sexta em Não Ficção. Foram 1.284 exemplares do livro do ex-presidente vendidos nessa semana. Dentre as novidades da semana, vale destaque o livro O sol na cabeça (Companhia das Letras), de Geovani Martins. No começo do mês, o escritor de 27 anos participou do Conversa com Bial e nessa semana estreou na lista na quinta posição na lista de Ficção com 2.038 exemplares vendidos. Clique no Leia Mais e veja outros destaques da lista.

PublishNews, Redação, 13/04/2018

Frank Miller | © Niccolò CarantiA HarperCollins Brasil anunciou essa semana sua maior aposta feita na Feira de Bolonha. A editora comprou os direitos da obra Cursed, de Frank Miller (foto ao lado), autor de 300 e Sin City, e Thomas Wheeler. Enquanto isso, a Netflix anunciou a compra da adaptação do livro para uma série de 10 episódios em sua plataforma, transformando o leilão em uma corrida contra o tempo. Cursed traz uma releitura da lenda do Rei Arthur, através dos olhos de uma adolescente destinada a se tornar a futura Dama do Lago. O livro tem previsão de publicação para 2019. Já em Londres, a Harper comprou os direitos de The change code, do autor-promessa B. J. Fogg. O livro promete ser o próximo best-seller em Smart Thinking.

PublishNews, Marcio Coelho, 13/04/2018

Há pouco mais de oito anos, em março de 2010, aconteceu o I Congresso Internacional do Livro Digital. Uau, o que será que vão falar nesse congresso? Era a pergunta que o marcado editorial e livreiro se fazia com um medo danado de ouvir que o livro físico acabaria. Preocupação desimportante diante dos problemas reais enfrentados pela cultura do livro. Muitos players internacionais depois – falando coisas que não sabiam sobre o Brasil e dando prognósticos apocalípticos sobre o nosso mercado – foi a vez de Jorge Carneiro falar. O dono da Ediouro, com quem trabalhei na minha fase na Nova Fronteira, dirigiu-se à espécie de palco com um ar de derrotado. No final do seu discurso, porém, ele fez um pedido que, a mim, pareceu desesperado: “precisamos tomar cuidado com o que vai acontecer com as nossas editoras. O que vai acontecer agora, gente? É o futuro do nosso ganha-pão que está em jogo aqui” (Jorge, não me lembro bem das palavras, mas me marcou). Isso tudo pode soar como estranho, mas não era. A novidade chegava com ares de devastação. Era a bomba D jogada no mercado. D de digital. Lembro de sair daquele evento cheio de dúvidas. Mas depois houve mais alguns congressos como aquele, participei, aí dúvidas aumentaram. O livro físico acabou? Não. E o livro digital? Calma, Jorge, tem espaço para todo mundo. Como diz meu amigo Bruno Mendes, leitores não faltam, basta publicar para eles. Clique no Leia Mais e tenha acesso à íntegra desta coluna.

PublishNews, Larissa Caldin*, 13/04/2018

O terceiro dia da feira de Londres já tem um gostinho de “até logo”. Os corredores já não estão tão cheios como no primeiro e segundo dia, mas ainda há muita negociação rolando na área de direitos, no segundo andar. Com esse final de feira, a agenda do terceiro dia estava mais livre, o que me fez ter tempo de conhecer algumas das programações desta quinta-feira. Em 2004 começou o chamado “Market Focus”, que tem como objetivo abrir um leque de parcerias, comunicação e conexão entre o país homenageado e o resto da indústria mundial. Esse ano o holofote foi para os países Bálticos – Estônia, Letônia e Lituânia –, que comemoram um século de independência. Inga Ãbele, escritora da Letônia, em uma conversa com a mediadora e também escritora Nicolette Jones, contava sobre a importância de se ter feiras como essa, gerar conexões que parecem tão distantes e aproximar a indústria. Contou sobre qual a importância de se trazer livros dos países Bálticos para Europa e para todo o resto do mundo. Larissa, a nossa marinheira de primeira viagem na Feira de Londres, acompanhou ainda uma sessão de pitching entre autores e agentes literários e conta um pouco mais como foi seus últimos minutos no evento.

PublishNews, Redação, 13/04/2018

Acontece neste sábado (14), às 11h, a inauguração da livraria da Editora Bambolê. Localizada em Copacabana (Av. Nossa Senhora de Copacabana, 1072, loja 2 – São Paulo / SP), perto do metrô Cantagalo, a loja priorizará, em seu acervo, livros infantis, juvenis e para jovem adulto, dando maior destaque para a literatura nacional. Com o slogan Ler é se encantar com o mundo, a livraria ainda busca títulos nos catálogos das editoras que tenham a chancela de prêmios e que combinem com a propaganda. As editoras que tiverem interesse em apresentar seus catálogos ou marcar lançamentos devem enviar e-mail para livraria@editorabambole.com.br.

PublishNews, Redação, 12/04/2018

Morreu na última quarta-feira (11), aos 90 anos, o Professor Massaud Moisés. Autor da Editora Cultrix (Pensamento), por mais de 50 anos, Moisés foi vítima de um Acidente Vascular Cerebral. Professor titular da Universidade de São Paulo (1973-1995) e um dos mestres de Alfredo Bosi, ele foi professor visitante nas universidades de Wisconsin, Indiana, Vanderbilt, Texas, Califórnia e Santigo de Compostela. Moisés iniciou sua carreira literária na Cultrix em 1956, com o lançamento do Pequeno dicionário de literatura brasileira, e ao longo de cinco décadas, publicou mais de 20 títulos. Alguns dos seus livros, consagrados à teoria literária, como a História da Literatura Brasileira, em três volumes, constituem referência obrigatória para estudantes e estudiosos de Letras.

“Deixo o rio levar-me e as personagens surpreenderem-me”
Pepetela
Escritor angolano
1.
A sutil arte de ligar o foda-se
2.
Combate espiritual
3.
Jesus - O homem mais amado da história
4.
O milagre da manhã
5.
Metanoia
6.
O poder do hábito
7.
Seja foda!
8.
A parte que falta
9.
Ainda sou eu
10.
A hora extraordinária
 
PublishNews, Redação, 13/04/2018

Numa pequena cidade litorânea, todos estavam entusiasmados com a expectativa de progresso: um grande hotel seria construído em cima do morro, local privilegiado. Porém, com uma desencarnada que há anos ali estava e assombrava a região, quem se arriscava a ir lá? Para se livrarem dessa situação complicada, alguns moradores pediram ajuda a um grupo de estudiosos espíritas, que foi auxiliá-los. Com a leitura, nos depararemos não só com a incrível história de Carmélia, a Moça de Branco, que aterrorizava a todos em Morro dos Ventos (Planeta / Academia, 224 pp, R$ 34,90), como também seremos levados à reflexão do porquê, após terem o corpo físico morto, certas pessoas continuam em lugares que viveram encarnadas, assombrando o local. Antônio Carlos, mais uma vez talentosamente, nos traz uma história de amor entre dois jovens e dramas sofridos por pessoas que procuraram por orientação. No desenrolar dos acontecimentos, esclarece e ensina não somente os envolvidos na história, mas todos os que lerem esta obra. Morro dos ventos é da mesma autora médium de Violetas na Janela, Vera Lúcia Marinzeck de Carvalho.

PublishNews, Redação, 12/04/2018

O prisioneiro (Sextante, 112 pp, R$ 29,90), de Arnand Dílvar, é uma história sobre libertação e renascimento, esperança e recomeços. E é um lembrete de que, para abrir as correntes que nos prendem à infelicidade, é necessário, antes, destrancar nosso próprio coração. Na obra, o protagonista sofre um terrível acidente que o deixa preso a uma cama de hospital, imóvel, porém consciente, ao contrário do que imaginam todos que o observam. Sem esperanças de se recuperar e sentindo-se profundamente solitário, ele é surpreendido por uma sábia voz interior que começa a lhe explicar como suas escolhas erradas o levaram a essa situação. Nessa situação, ele inicia uma intensa viagem interior na tentativa de se livrar do pesado fardo de ressentimentos, medos e culpas do passado que o tornaram escravo de si mesmo.

PublishNews, Estevão Ribeiro, 13/04/2018

 
©2001-2018 por Carrenho Editorial Ltda. Todos os direitos reservados.
Rua Fidalga 471, Conjunto 3 | Vila Madalena | São Paulo | SP | Brasil | 05432-070
O conteúdo deste site não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.