Caso não consiga visualizar corretamente esta mensagem, clique aqui.
PublishNews 14/10/2021
A área de Soluções em Acessibilidade é uma divisão da Fundação Dorina Nowill para Cegos criada para oferecer o mais amplo portfólio de produtos e serviços acessíveis a empresas que desejam não apenas se adequar à lei
Há mais de 50 anos servindo a cultura e educação, é uma das maiores distribuidoras de livros para o ensino de idiomas, técnicos e científicos.
A Catavento atua no mercado de distribuição de livros para todo o país.
PublishNews+, Talita Facchini, 14/10/2021

Livraria da Travessa de Niterói | © DivulgaçãoHá 40 anos, foi aprovada na França a Lei Lang, que regulamentou o preço do livro no país. Com uma grande mobilização da sociedade e ainda uma campanha de massa para a formação da opinião pública, os profissionais do livro se viram unidos em uma única pauta. Aprovada em 10 de agosto de 1981, desde então, a Lei Lang tem inspirado iniciativas similares em diversos países. No Brasil, o PL 49/2015, que quer instituir a política nacional de fixação do preço do livro, ainda está estacionado no Senado, mas os debates sobre o assunto continuam. Pensando em construir um diálogo relevante sobre o projeto e tendo como inspiração os 40 anos da Lei Lang, o Instituto de Estudos Avançados da USP organizou o simpósio virtual Por uma lei da bibliodiversidade, que até sexta (15), reunirá importantes nomes da cadeia nacional e internacional do livro para falar sobre o tema. Com curadoria de Livia Kalil (IdA-Sorbonne Nouvelle), Marisa Midore Deaecto (ECA e IEA/USP) e Patrícia Sorel (Université Paris-Nanterre, Pôle Métiers du Livre) o simpósio pretende discutir todos os aspectos da Lei do Preço Fixo (ou Lei do Preço Comum), seus benefícios na França, sua abrangência, seu papel na formação dos leitores e ainda sua aplicação no Brasil. Em sua abertura, nesta quarta (13), o evento contou com a participação do ex-Ministro da Cultura da França, Jack Lang, responsável pela implementação da Lei no país. Em sua fala, Jack frisou que é preciso insistir para que se adote um texto que possa contribuir para salvar a literatura, as edições e os leitores brasileiros. Ele lembrou ainda, que quando o debate ocorreu na França, também encontrou resistência por parte do governo e do povo, mas que 40 anos depois, o que se vê é que a lei salvou os livreiros franceses. "Hoje temos quatro mil livreiros independentes na França e esses livreiros constituem a base a partir da qual uma variedade editorial pode se multiplicar", disse. E insistiu: "A grande maioria dos países que não adotaram essa lei estão com problemas, então me permito dizer aos amigos brasileiros: aguentem, aguentem firme". A matéria completa com todos os detalhes do primeiro dia do simpósio pode ser lida no PublishNews+, a área exclusiva para assinantes do PN. Lá você encontra o panorama histórico da Lei, as discussões sobre o papel do livreiro, a importância da opinião pública, entre outros temas de destaque. Os artigos estão disponíveis gratuitamente na plataforma e para acessá-los é preciso fazer um cadastro prévio clicando aqui. Com o cadastro feito e logado na plataforma, você poderá ler a matéria clicando aqui.

PublishNews+, Redação, 14/10/2021

O PublishNews+, área exclusiva para assinantes do PN, tem adiantado, semanalmente, os livros que só chegarão às livrarias daí a 45 dias. O serviço, chamado de Próximo Capítulo, é realizado graças a uma parceria com a MVB / Metabooks e tem por objetivo municiar livreiros de informações do que está no prelo das editoras. Nessa semana, o Próximo Capítulo traz as novidades que chegarão às livrarias entre os dias 28 de novembro a 04 de dezembro. Entre elas, estão seis livros da DarkSide como Porco de caça, de Bruno Ribeiro; Inventário de predadores domésticos, de Verena Cavalcante e BTK: Meu pai, de Kerri Rawson, filha do famoso serial killer que fez diversas vítimas no estado do Kansas (EUA), entre 1974 e 1991; e ainda a ficção Os reis de Wyld (Trama / Nova Fronteira), de Nicholas Eames. No total, o Próximo Capítulo dessa semana traz 36 novidades. Clique aqui para conferir todas elas. Por enquanto, o Próximo Capítulo está aberto para todos os que se cadastrarem na plataforma, mas em breve, o serviço ficará exclusivo para os assinantes do PN+. A nova seção se soma a outros serviços oferecidos aos assinantes do PN+, como o Radar de Licitações e o Apanhadão Diário. Clique aqui para saber como ser um assinante do PN+.

PublishNews, Redação, 14/10/2021

A editora Novo Século abriu uma vaga para gerente geral. O contratado deverá traçar estratégias, planejar, organizar, controlar e assessorar a área de recursos humanos e operacional da empresa. Além disso, está entre suas funções acompanhar o mercado e suas melhores práticas; elaborar e apresentar os resultados e relatórios gerenciais; avaliar e aperfeiçoar continuamente os processos; e gerenciar os bens, as metas, os custos e os índices e produções da editora. São requisitos ter capacidade de tomar decisões; ter sensibilidade para lidar com pessoas; saber liderar e apresentar-se como um mentor. Os interessados devem enviar currículos para o e-mail rh@gruponovoseculo.com.br.

PublishNews, Redação, 14/10/2021

Terminou no último dia 12, a XIII edição da Bienal Internacional do Livro de Pernambuco, que aconteceu de forma presencial sob o tema Só existe uma vacina contra a Ignorância. Leia. A programação híbrida teve duração de 12 dias e, segundo os organizadores, gerou cerca de R$ 12 milhões em negócios, movimentando a economia do Estado no período. A Bienal contou com 89 livrarias e editoras que estiveram espalhadas em 320 estandes, distribuídos em nove mil m² do pavilhão interno do Centro de Convenções de Pernambuco. Além disso, cerca de 350 mil pessoas visitaram o evento entre a sua forma virtual e presencial. Na programação, foram realizadas 20 oficinas presenciais, mais de 60 lançamentos literários, 50 palestras presenciais e outras 30 virtuais, além de apresentações artísticas e muito mais, totalizando 220 atividades. Em relação às vendas, também houve aumento. No estande da Livraria Leitura, por exemplo, as vendas ficaram 40% acima da edição anterior já no nono dia de evento. Com livros de diversos gêneros a partir de R$ 10, as editoras e livrarias participantes adotaram descontos progressivos e preços especiais para recuperar o tempo perdido durante a pandemia da Covid-19. Clique no Leia Mais para conferir a íntegra desta nota.

PublishNews, Redação, 14/10/2021

Começa nesta quinta (14) e segue até domingo (17), a segunda edição da Feira Literária de Tiradentes (Fliti). No ano passado, a feira foi palco da comemoração dos 40 anos do Menino Maluquinho. Desta vez, os homenageados serão a escritora Paula Pimenta e o ilustrador Roger Mello, que participarão do evento junto com outros 50 convidados. Na programação, estão previstos espaços para autógrafos, lançamentos de livros, encontros com autores, oficinas de leitura, ciclos de palestras, contação de histórias, apresentações culturais e eventos artísticos. Paula Pimenta, estará na Feira para um bate-papo sobre sua trajetória como escritora infantojuvenil e seus livros já publicados. Já Roger Mello, apresentará seu último livro Enreduana (Companhia das Letras). Destaque também para a programação especial, em homenagem ao mês das crianças, com atividades voltadas para o público infantojuvenil no domingo (17). Serão convidados autores jovens e adolescentes para compor essa programação diferenciada. No ano passado, a primeira edição da Fliti realizou uma edição presencial e recebeu 3,6 mil visitantes, seguindo todos os protocolos do Programa Minas Consciente. Esse ano não será diferente: máscaras e álcool em gel serão distribuídos durante toda a programação. Realizada novamente no Gramado do Santíssimo Resort, a feira dobrará de tamanho, ocupando também o Largo das Mercês e o Museu da Liturgia no Centro Histórico. A programação completa, que contará ainda com nomes como Volnei Canônica, Thalita Rebouças (presença on-line), Luciana Savaget, Mariana Massarani e Fabricio Carpinejar, você confere clicando aqui.

PublishNews, Redação, 14/10/2021

Casa das Rosas | © André HoffA Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura, ponto turístico e de preservação da memória da capital paulista, será restaurada. As obras no casarão terão início no dia 18 de outubro e terão como objetivo a recuperação das características originais do imóvel concluído em 1935, a atualização do sistema elétrico e hidráulico, ampliação da acessibilidade de pessoas com mobilidade reduzida e aprimoramento da funcionalidade do espaço para o acolhimento de visitantes e participantes de suas atividades culturais e educativas. Aprovado pelo Condephaat (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo), o projeto de restauro tem duração prevista de dois anos. Já o investimento total da obra é de R$ 4,2 milhões, sendo 80% do valor custeados por recursos do Fundo de Defesa de Direitos Difusos do Ministério da Justiça e os outros 20% custeados pelo Governo do Estado de São Paulo. Durante as obras, os objetos abrigados no museu, inclusive seu acervo museológico, serão acondicionados na sede da Poiesis, Organização Social responsável pela gestão do museu e as atividades educativas e culturais da Casa não serão interrompidas. Além da programação on-line, serão realizadas atividades presenciais no jardim do museu, como exposições, recitais, feiras e lançamentos de livros, entre outras. Clique no Leia Mais para conferir a íntegra desta nota.

PublishNews, Redação, 14/10/2021

Antara nunca escondeu o ressentimento que nutre pela mãe, que abandonou o marido para morar em uma comunidade mística e chegou a viver na rua, deixando a filha sempre à própria sorte. Agora que a mãe começa a sofrer de demência e ter episódios de esquecimento, Antara se vê diante da indesejada responsabilidade de cuidar de quem jamais cuidou dela. É nesse momento que ela refaz a trajetória das suas lembranças para contar a história de duas mulheres unidas por uma relação dolorosa, mas impossível de abandonar. Escrito por Avni Doshi, Açúcar queimado (Dublinense, 272 pp, R$ 69,90 – Trad.: Adriana Lisboa) foi finalista do Booker Prize 2020, semifinalista do Women's Prize 2021 e descrita pelo The Washington Post como “uma obra de extraordinária percepção, coragem e sofisticação”.

PublishNews, Redação, 14/10/2021

Em Mundo real (Fósforo, 296 pp, R$ 74,90 – Trad.: Alexandre Vidal Porto), seu romance de estreia e finalista do Booker Prize de 2020, Brandon Taylor narra um final de semana na vida de um homem jovem, negro e queer que saiu do Alabama para estudar no norte do país com uma prestigiosa bolsa de estudos. Wallace perdeu o pai há semanas e nenhum de seus amigos da pós-graduação sabe disso. Sem história e identidade como só aqueles que rejeitam o próprio passado podem viver, ele mal se move pelos laboratórios da universidade e sente-se incapaz de criar vínculos com os colegas. Desde que recebeu uma bolsa, Wallace enxerga nos estudos uma oportunidade de escapar do ciclo de pobreza e violência de sua família. No entanto, na universidade, as pessoas mais próximas são também aquelas que mais o fazem sentir ódio e tédio. Ele não entende quando Emma, uma das poucas amigas que tem, emociona-se ao saber da morte de seu pai e os colegas o abordam com condolências, pressupondo um sofrimento que ele próprio acredita não sentir. O luto, no entanto, desencadeia um desconforto novo em Wallace — como se a infelicidade fosse expurgada por uma força interna incontrolável, prestes a romper tudo o que foi conquistado. E do desassossego surge o medo: se deixar para trás o pouco que construiu para si, o que fica? Se não pode ter um passado, se não suporta seu presente, o que resta é ter um futuro, que não pode abandonar. Mundo real é escrito a partir do olhar de um personagem que, dessensibilizado pela dor, julga-se frio, avesso à vida, ainda que seja profundamente sensível.

“Apesar de as crianças de hoje serem muito tecnológicas, acredito que os livros sempre serão importantes, têm um valor único para cada momento e época da vida.”
Ziraldo
Escritor brasileiro em entrevista ao Estadão
1.
DNA revelado das emoções
2.
Mais esperto que o diabo
3.
Vermelho, branco e sangue azul
4.
Mentirosos
5.
Mulheres que correm com os lobos (capa dura)
6.
Amor & gelato
7.
Viva a sua real identidade
8.
Torto arado
9.
Os sete maridos de Evelyn Hugo
10.
Se a casa 8 falasse
 
PublishNews, Redação, 14/10/2021

Alice conhece Felix pelo Tinder. Ela é romancista, ele trabalha num armazém nos subúrbios de uma pequena cidade costeira da Irlanda. No primeiro encontro, enquanto os dois tentam impressionar, a fagulha de algo mais aparece. Em Dublin, Eileen está tentando superar o término de seu último relacionamento enquanto precisa lidar com a falta da melhor amiga, que se mudou para o litoral. Ela acaba voltando a flertar com Simon, um homem mais velho que acompanha sua vida há tempos. Alice, Felix, Eileen e Simon ainda são jovens, mas sentem cada vez mais a pressão do passar dos anos. Eles se desejam, se iludem, se amam e se separam. Eles se preocupam com sexo, com amizade, com os rumos do planeta e com o próprio futuro. Seriam eles as últimas testemunhas do ocaso? Eles vão conseguir encontrar uma forma de viver mais uma vez em um belo mundo? Em Belo mundo, onde você está? (Companhia das Letras, 336 pp, R$ 54,90 - Trad.: Débora Landsberg), Sally Rooney – autora de Pessoas normais – constrói um romance sobre o que significa amadurecer sem deixar a si mesmo para trás.

PublishNews, Redação, 14/10/2021

Aos nove anos, Juan Salvatierra ficou mudo após um acidente quando andava a cavalo. Aos 20, ele começou a pintar em segredo uma série de longos rolos de tela nos quais descreveu minuciosamente seis décadas de vida em sua aldeia na fronteira fluvial da Argentina com o Uruguai. Após sua morte, seus filhos voltam para a aldeia para lidar com sua herança: um galpão cheio de rolos de tela pintados, que se estendem por mais de três quilômetros de comprimento. Miguel, o filho mais novo, é o principal encarregado de tomar algumas providências em relação à inusitada obra: resgatá-la do armazém onde estava guardada (ou abandonada) e providenciar sua transferência para um museu holandês. Começa então o trabalho de decifrar a obra. Ele se vê retratado em um dos pergaminhos quando pequeno, circunstância que lhe traz uma pequena – porém marcante – surpresa emocional, por não esperar tanta atenção do pai. E percebe que falta uma parte da obra, cuidadosamente datada. Decide assim ir em busca do que falta e, junto com o irmão Luis, descobre cenas reveladoras de um homem diferente daquele que os mais próximos julgavam conhecer. Publicado originalmente em 2008, Salvatierra (Todavia, 112 pp, R$ 54,90 - Trad.: Mariana Sanchez) é um dos romances mais admirados do argentino Pedro Mairal. Com precisão, o autor explora as ligações entre o passado e o presente, entre pais e filhos e entre vida e arte.

 
©2001-2021 por Carrenho Editorial Ltda. Todos os direitos reservados.
Rua Henrique Schaumann, 1108 A, CEP 05413-011 Pinheiros, São Paulo -SP
O conteúdo deste site não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.