Caso não consiga visualizar corretamente esta mensagem, clique aqui.
PublishNews 19/07/2021
A área de Soluções em Acessibilidade é uma divisão da Fundação Dorina Nowill para Cegos criada para oferecer o mais amplo portfólio de produtos e serviços acessíveis a empresas que desejam não apenas se adequar à lei
Há mais de 50 anos servindo a cultura e educação, é uma das maiores distribuidoras de livros para o ensino de idiomas, técnicos e científicos.
A Catavento atua no mercado de distribuição de livros para todo o país.
PublishNews, Lorenzo Herrero, 19/07/2021

Na última semana, o PublishNews em Espanhol entrevistou Jürgen Boos, diretor da Feira do Livro de Frankfurt, em sua recente visita a Madrid. O encontro aconteceu na última quarta-feira (14), após uma reunião com o novo ministro da Cultura e Esportes da Espanha, Miquel Iceta. Em 2022, o país será o homenageado pela Feira. Jürgen estava acompanhado por Marifé Boix Garcia, vice-presidente de desenvolvimento de negócios no sul da Europa e América Latina da feira, e na conversa, ambos falaram sobre diversos assuntos relacionados ao evento deste ano. As preocupações com a pandemia, os programas que serão oferecidos pelo evento este ano, as medidas sanitárias que serão tomadas para quem comparecer presencialmente nesta edição, o que pensam sobre eventos 100% digitais e ainda suas visões sobre o futuro da indústria do livro fazem parte dessa entrevista. "Nossa indústria é totalmente experimental, está mudando muito. Vimos o crescimento da venda de livros e livrarias, de megalojas de quatro mil ou cinco mil metros quadrados. Agora gostamos de livrarias independentes, adoramos livrarias comunitárias", disse ao ser perguntado sobre as mudanças da indústria do livro, e sobre a feira, resumiu: "Vai ser uma feira menor, diferente e mais concentrada". Clique no Leia Mais para conferir a íntegra desta nota.

PublishNews, Redação, 19/07/2021

Nesta terça-feira (20), o PublishNews completa seu 20º aniversário e o Podcast entra no clima da festa ao receber Ricardo Costa, Cassia Carrenho e Luciana Sousa, três pessoas que construíram as bases do PN. Eles foram convidados para contar histórias dos bastidores do portal. Hoje CEO da Metabooks Brasil, Ricardo foi gerente do PN em um momento importante nessas duas décadas de existência. Cassia, hoje sócia da LabPub, começou fazendo a Lista dos Mais Vendidos e depois assumiu o comercial e inventou os eventos do PublishNews. Já Luciana está no PN desde 2004 e hoje responde pelo financeiro e administrativo. As histórias dos três somadas às da equipe atual formam uma verdadeira memória viva do PublishNews. E foram muitas histórias: da festa “clandestina” na Flip à Casa PublishNews em Paraty; dos perrengues dos primeiros anos ao reconhecimento internacional; dos primeiros cursos aos projetos especiais; de um quarto de hotel inundado a um cinto perdido no meio duma festa. Foram muitas histórias e todas contadas (mais ou menos) sem filtros. Para celebrar os 20 anos do PN, o portal dá 20% de desconto para quem quiser assinar o PublishNews+ área exclusiva para assinantes, que traz uma série de serviços, como um monitoramento semanal de editais de licitação para compra ou produção de livros; um clipping diário que os nossos assinantes recebem diretamente no seu e-mail nas primeiras horas da manhã, e o Próximo Capítulo, que apresenta os livros que só chegarão às livrarias daqui a 45 dias. Para assinar, clique aqui e use o cupom PN20ANOS. O Podcast do PublishNews é um oferecimento da MVB, a empresa que torna os seus livros visíveis com serviços como Metabooks e Pubnet, e da UmLivro, novo modelo de negócios para o mercado editorial: mais livros e mais vendas. Clique no Leia Mais para ouvir o episódio.

PublishNews, Redação, 19/07/2021

A coluna da Babel anunciou que, em agosto, a Planeta começa a reeditar a obra de Rubem Alves, que passará para o catálogo do selo Paidós. Os dois primeiros lançamentos são Ao professor, com o meu carinho e Ostra feliz não faz pérola. Ainda na coluna, a notícia de que este mês, a Todavia está com desconto em todos os livros de J.D. Salinger. A ação é uma referência aos 70º aniversário de lançamento de O apanhador no campo de centeio. Além disso, a editora lança um box com os quatro títulos e prepara para agosto um ciclo de lives sobre o autor. E no prelo das editoras: a 11 Editora prepara O dedo médio do pé direito e outros contos, organizado por Léa Prado e traduzido por Ana Paula Dohert. Sai em agosto, pela Boitatá, O que você vê, livro de Alexandre Rampazo que explora o ponto de vista de quem observa, mas não pode ser observado. Mais prelo na coluna Painel das Letras. Considerada a grande dama da literatura holandesa, Hella Haasse será enfim publicada no Brasil. A editora Rua do Sabão lança em agosto O amigo perdido. A Âyiné lança em setembro Duas vidas, de Emanuele Trevi, vencedor, na semana passada, do prêmio Strega, um dos mais importantes da literatura italiana. Em 2022, a Fósforo publica Judoka, de Thierry Frémaux, diretor do Festival de Cannes. O casseta Reinaldo Figueiredo lança no fim do mês o livro Paradas musicais, pela editora Mórula. A Folha noticiou que o antropólogo Antonio Risério discute trajetórias singulares em ensaio histórico sobre os períodos colonial e imperial no livro As sinhás pretas da Bahia: suas escravas, suas joias. A obra que chega às livrarias neste mês. E Djamila Ribeiro escancara traumas e lições em seu livro mais íntimo até o momento. Cartas para minha avó detalha dores e delícias da juventude da ativista, um dos principais nomes do movimento negro. O livro será lançado em 30 de julho. Clique no Leia Mais para conferir a íntegra desta nota.

PublishNews, Redação, 19/07/2021

A Casa Tombada, espaço de arte, cultura e educação que nasceu no bairro de Perdizes, zona Oeste de São Paulo, em frente ao Parque da Água Branca, completou seis anos no último domingo (18) e anunciou seu novo endereço. A partir de agora, A Casa está na cidade de Bragança Paulista, no interior do estado. A mudança, segundo os sócios, se deu em meio à pandemia: os cursos e eventos, que eram 100% presenciais, priorizando a troca de experiências corpo a corpo, com a pandemia inevitavelmente migraram para o virtual, e desde então, A Casa segue reinventando caminhos de possibilidades de estudo e de troca de saberes. "A cidade de Bragança Paulista é muito intensa culturalmente. Queremos chegar na cidade com delicadeza e abrir as portas d’A Casa para as histórias e memórias locais, descobrir junto das pessoas da cidade e região o que precisamos fazer para fortalecer a oralidade e a escrita de cada uma, de cada um”, adianta Ângela, sócia-fundadora do espaço. Além dos cursos e eventos voltados à Arte, Cultura e Educação, A Casa Tombada terá agregada em sua nova sede uma livraria.

PublishNews, Redação, 19/07/2021

Em 2020, no ano em que completaria 30 anos de história, o tradicional Festival de Inverno de Garanhuns (FIG), em Pernambuco, não aconteceu por conta da pandemia. Para não deixar mais uma edição passar em branco, a editora Vacatussa resolveu ocupar o espaço e organizar o seu próprio festival. Com a colaboração de escritoras e escritores de Garanhuns e de outros estados, o Ocupa FIG saiu do papel e até domingo (25) reunirá poetas, romancistas, contistas, pesquisadores, editores e autores de livros infantis na sua programação, numa série de conversas para falar sobre livros, cultura, literatura e compartilhar lembranças e saudades do FIG. Nesta segunda (19), às 19h, o Ocupa FIG reunirá os autores Tadeu Sarmento, Camilla Inojosa, Helder Herik para falar sobre literatura infantil. Amanhã, no mesmo horário, o tema será o gênero conto e terá a participação de Nivaldo Tenório e Renata Santana. A programação completa do evento você confere clicando aqui e todas as conversas serão transmitidas pelo Instagram da Vacatussa.

PublishNews, Redação, 19/07/2021

“As pessoas vão embora, e isso é uma realidade.” Assim começa A extinção das abelhas (Companhia das Letras, 312 pp, R$ 69,90), novo livro de Natalia Borges Polesso. Nele, o leitor conhece a história de Regina: depois de ser abandonada pela mãe, ela foi criada apenas pelo pai, que faleceu quando a garota começava a entrar na vida adulta. Eugênia e Denise, suas vizinhas, cuidam dela como podem oferecendo afeto, dinheiro e uma vida em família que lhe faz falta. O círculo se completa com Aline, filha do casal e amiga-irmã de Regina. Sua perspectiva de mudar de vida é diminuta. Ao ver um anúncio na internet sobre "camgirls", Regina decide tentar a sorte. Então cobre a cabeça com uma máscara de gorila e encarna um lado seu que não conhecia. Ao se expor para desconhecidos na câmera e revolver os desejos e vergonhas desses homens, ela se defronta com os próprios sentimentos, fantasmas há muito enterrados em seu inconsciente. Ao criar um universo que é tão distópico quanto real, com uma galeria de personagens que vão da tragicômica velhinha dona Norma à corajosa Aline, Polesso confirma seu domínio narrativo e constrói uma história sobre o colapso, mas também sobre salvação.

PublishNews, Redação, 19/07/2021

Um pai e um filho cruzam a Argentina de carro, de Buenos Aires até as Cataratas do Iguaçu, na fronteira com o Brasil. São os anos da ditadura militar argentina, soldados armados estão no controle e o ambiente é de tensão. O pai tenta sozinho proteger Gaspar, seu filho, do destino que lhe é designado. A mãe do garoto morreu em circunstâncias obscuras, em um suposto acidente. Como o pai, Gaspar recebeu o chamado para ser médium em uma sociedade secreta, a Ordem, que se relaciona com a Escuridão em busca da vida eterna por meio de rituais atrozes. Para tais rituais, é imprescindível a presença de um médium, mas o destino desses detentores de poderes especiais é cruel, já que o desgaste, físico e mental, é rápido e implacável. As origens da Ordem, comandada pela família da mãe de Gaspar, remontam a séculos, quando o conhecimento da Escuridão foi trazido da África para a Inglaterra e dali se estendeu à Argentina. Em Nossa parte de noite (Intrínseca, 544 pp, R$ 79,90 - Trad.: Elisa Menezes), livro de Mariana Enriquesz, o terror sobrenatural se mistura com terrores bem reais. Um romance que amedronta e envolve na mesma medida.

PublishNews, Redação, 19/07/2021

Roger Brown é o melhor headhunter da Noruega. As maiores empresas do país contam com seu faro na hora de escolher os executivos que ocuparão os cargos de liderança. Roger é casado com uma mulher deslumbrante, dona de uma badalada galeria de arte, e mora em uma mansão construída por um renomado arquiteto. Ele tem a vida perfeita, mas é cada vez mais difícil pagar por ela. E Roger só consegue pagá-la roubando obras de arte e vendendo-nos para o mercado paralelo. Até que surge em seu caminho Clas Greve, um executivo holandês de alto gabarito. Greve é um duplo achado: o candidato perfeito para um cargo altíssimo que, além disso, possui um quadro do pintor flamengo Rubens que se acreditava estar perdido desde a Segunda Guerra Mundial. Se conseguir colocar as mãos em sua presa, Roger finalmente poderá dar fim a seu papel no mercado paralelo da arte e assumir por completo a vida perfeita que sempre sonhou. Mas há outro caçador nesse jogo, e os riscos que Roger corre podem levá-lo para um terrível pesadelo. Headhunters (Record, 238 pp, R$ 49,90 – Trad.: Kristin Lie Garrubo) é um thriller repleto de reviravoltas no qual Jo Nesbø transporta os leitores da alta cúpula financeira e industrial norueguesa ao submundo de mercenários e vigaristas.

“Para mim, a literatura é um território de liberdade, que não está sujeito às demandas do mercado.”
Diamela Eltit
Autora chilena
1.
Mentirosos
2.
Vermelho, branco e sangue azul
3.
Torto arado
4.
Escravidão -Vol 2
5.
Mais esperto que o diabo
6.
Mulheres que correm com os lobos (capa dura)
7.
Do mil ao milhão
8.
Desobedeça
9.
Devocionário do sangue de Jesus
10.
Corte de espinhos e rosas
 
PublishNews, Redação, 19/07/2021

Um grupo – formado por um aventureiro inglês, um aristocrata britânico, um oficial da Marinha e um misterioso zulu que aparenta saber mais do que diz – parte em busca de uma mítica cidade bíblica, perdida no coração da África. Seu caminho será pontuado por encontros com animais selvagens, a travessia de um deserto escaldante, uma civilização oculta governada por um rei tirânico, uma feiticeira ancestral e o confronto épico entre exércitos rivais. Muito antes de Indiana Jones ou Lara Croft explorarem cidades perdidas e escaparem de armadilhas mortais, a aventura teve um nome, e seu nome era Allan Quatermain. Contadas em inúmeros livros e contos, as peripécias do grande caçador inglês criado pelo escritor Henry Rider Haggard, e iniciadas em 1885 neste As minas do rei Salomão (Todavia, 320 pp, R$ 69,90 – Trad.: Samir Machado de Machado), lançaram as bases das modernas narrativas de aventuras que até hoje sustentam uma infinidade de livros, filmes, quadrinhos e videogames. Nesta edição, o texto original, alterado, editado (e resumido) pela notória tradução de Eça de Queirós, é trazido de volta na íntegra, restaurando trechos antes suprimidos, que vão desde os pormenores de uma caçada a uma grandiosa batalha final. Acrescida de notas que contextualizam o processo de colonização da África durante o século XIX, esta edição traz ainda um prefácio que aborda o impacto da obra de Haggard e das narrativas de aventura imperial inglesas sobre o entretenimento popular do século XX.

 
©2001-2021 por Carrenho Editorial Ltda. Todos os direitos reservados.
Rua Henrique Schaumann, 1108 A, CEP 05413-011 Pinheiros, São Paulo -SP
O conteúdo deste site não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.