Caso não consiga visualizar corretamente esta mensagem, clique aqui.
PublishNews 07/07/2020
Há 49 anos servindo a cultura e educação, é uma das maiores distribuidoras de livros para o ensino de idiomas, técnicos e científicos.
A Transpo Express é uma transportadora que já atua há 10 anos focada completamente no segmento editorial. Faz entregas e coletas em editoras, distribuidoras, livrarias, gráficas e grandes redes. A área de atuação atualmente engloba São Paulo (Capital), grande São Paulo, Jundiaí, Campinas e todo o estado do Rio de Janeiro.
A área de Soluções em Acessibilidade é uma divisão da Fundação Dorina Nowill para Cegos criada para oferecer o mais amplo portfólio de produtos e serviços acessíveis a empresas que desejam não apenas se adequar à lei, mas atender a todos os seus clientes com a mesma atenção e respeito!
PublishNews, Redação, 07/07/2020

A escritora canadense Margaret Atwood e a editora Caroline Fortin, responsável pela programação do Canadá em Frankfurt, na cerimônia de entrega do ‘Guest Scroll’, recebido das mãos dos representantes da Noruega, país homenageado na Feira de 2019 | © DivulgaçãoA Feira do Livro de Frankfurt anunciou nesta terça (07) que a apresentação do Canadá como convidado de honra da Feira deste ano, marcada para acontecer de 14 a 18 de outubro, foi adiada para 2021 por conta das condições causadas pela covid-19. Os países programados para serem convidados de honra nos anos seguintes – Espanha, Eslovênia e Itália – concordaram em adiar suas próprias apresentações por um ano para que o Canadá possa ter sua presença física na feira em 2021. Ainda assim, o país prepara sua presença virtual na feira deste ano. "Será uma amostra do que virá com o conjunto completo de programação planejada para 2021", garantiu Steven Guilbeault, ministro do Patrimônio Canadense. No comunicado, Caroline Fortin (na foto ao lado com Margaret Atwood), editora canadense e presidente da comissão de homenagem em Frankfurt, diz estar satisfeita com o adiamento e que, para 2021, o Canadá terá "o prazer de trabalhar com nossos parceiros para apoiar todas as iniciativas que ajudarão a promover nossos autores e ilustradores, a fim de garantir a venda de títulos canadenses na Alemanha e em todo o mundo”.

PublishNews, Redação, 07/07/2020

No começo do mês passado, houve uma debandada do Conselho de Administração da Saraiva, com a saída de quatro dos seus cinco membros. Na tarde desta segunda-feira (06), em assembleia geral ordinária, a Saraiva elegeu novos membros que farão parte do colegiado cuja função é proteger o patrimônio e os interesses da empresa. O Conselho agora passa a ser composto por: Olga Maria Barbosa Saraiva, que o preside; Jorge Saraiva Neto, filho de Olga e eleito vice-presidente; Olavo Fortes Campos Rodrigues Júnior, como membro independente do Conselho; Frederico Wickert e João Elek, este último compunha a lista de candidatos ao posto apresentada pela consultoria de head hunting contratada pela Saraiva no fim de 2019 para selecionar membros para o Conselho de Administração e para CEO da empresa.

PublishNews, Redação, 07/07/2020

Saraiva fecha maio com prejuízo líquido de R$ 9,9 milhões | © Humberto Sousa / DivulgaçãoA RV3, escritório responsável pela administração judicial da Saraiva, publicou ontem o relatório mensal de atividades (RMA) referente ao mês de maio. No período, a empresa apurou receita bruta de R$ 8,2 milhões, queda de 85,2% quando comparado com igual período de 2019, quando a varejista registrou faturamento bruto de R$ 55,7 milhões. As lojas físicas – a sua maioria fechada por conta da pandemia – totalizaram faturamento de R$ 622 mil, queda de 98% em relação ao ano passado. As vendas pelo e-commerce foram responsáveis por 92% do faturamento da empresa e totalizaram R$ 7,6 milhões, representando queda de 59% na mesma base de comparação. As despesas operacionais em maio de 2020 – incluindo o resultado financeiro – atingiram R$ 13,7 milhões, representando 165,9% da receita líquida do período, contra R$ 37,2 milhões em maio de 2019. A redução das despesas operacionais ano contra ano foi de 63,2%. O prejuízo consolidado da empresa foi de R$ 9,9 milhões, queda de 55,8% na comparação com maio de 2019. A margem bruta, resultado da divisão do lucro bruto pelas receitas líquidas, foi de 47%, 19 pontos percentuais acima daquela apurada em maio de 2019.

PublishNews, Redação, 07/07/2020

A editora Planeta lança, neste mês no Brasil, o selo Paidós, focado em discutir e buscar perguntas certeiras para algumas das principais questões da humanidade com base em obras de psicologia e outras áreas de ciências humanas para o público geral. Criado na Argentina há 75 anos, quando dois professores universitários decidiram publicar Carl Gustav Jung pela primeira vez no país, o selo passou a integrar o Grupo Planeta em 2003 e hoje conta com mais de dois mil títulos lançados na Espanha e em países da América Latina. O selo vai englobar, inicialmente, assuntos ligados à psicologia e à mente humana, trazendo nomes como Christian Dunker, Anahy D’Amico, Alexandre Coimbra, Jairo Bouer, Claudio Thebas e Daniel Siegel, além de revisitar obras de pensadores clássicos como Sigmund Freud, em edições especiais. Para tratar de temas como crise, depressão, relacionamentos abusivos, ansiedade e comunicação não violenta, a editora também trará autores conhecidos do grande público e respeitados no meio acadêmico, além de nomes que transitam por plataformas digitais. Os primeiros títulos da coleção serão Cartas de um terapeuta para seus momentos de crise, do psicólogo e terapeuta Alexandre Coimbra Amaral e O amor não dói, da psicoterapeuta e terapeuta sexual Anahy D'Amico. O lançamento do selo acontece no dia 15 de julho, às 18h, em um evento virtual gratuito como parte do projeto #ConectaPlaneta. Clique no Leia Mais para saber outros detalhes do selo e do lançamento virtual.

PublishNews, Redação, 07/07/2020

No fim de 2018, Eduardo Neto – que está no livro desde 1996, tendo já passado por diversos estágios, desde a fabricação do papel, passando pela impressão, desenvolvimento de conteúdo e até a venda – apresentou ao mercado editorial a Bok2, um hub de serviços que inclui uma solução de impressão por demanda que tem crescido em meio a essa crise. Neto é o convidado de uma live que será transmitida logo mais, às 14h, pela página do PublishNews no Facebook. Na conversa que terá com Maju Alves, responsável pelos projetos especiais do PN, Eduardo vai debater o futuro do mercado editorial brasileiro e qual a importância que a POD terá neste processo.

PublishNews, Redação, 07/07/2020

Depois e escrever para o PublishNews o artigo Sete propostas pro mercado editorial fazer diferente e seguir adiante, no qual analisa o mercado do livro brasileiro e sugere alguns pontos de discussão e alternativas para fortalecer esse negócio, Jaime Mendes participa de uma live nesta quarta-feira (8), às 16h para se aprofundar no tema. Realizado pela Editora da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), o bate-papo também terá a presença de Daniel Arruda Coronel, diretor da editora universitária, e será mediado pela professora Marilia de Araújo Barcellos. No centro da conversa, os pontos abordados por Jaime no artigo e uma análise sobre o mercado editorial brasileiro. A live será transmitida pelo Facebook da Editora UFSM.

PublishNews, Redação, 07/07/2020

Depois de A cidade de Ulisses, Teolinda Gersão, contista e romancista portuguesa, lança agora Alice e outras mulheres (Oficina Raquel, 172 pp, R$ 54,90) uma antologia de contos, organizada por Nilma Lacerda. Se, em A cidade de Ulisses, Teolinda coloca Lisboa no poema épico de Homero, em Alice in Thunderland, conto que fecha a nova antologia, a escritora portuguesa revisita a personagem de Lewis Carroll, registrando a sua versão da história: “Vou repor a verdade e contar eu mesma a história, tal como agora a contei, em pensamento”. A antologia conta com textos já publicados por Teolinda ao logo de seus 40 anos de trajetória literária, no entanto esta organização é inédita para o público brasileiro. Por trás da escolha dos contos que compõem a seleta está o objetivo de mostrar todo o poder do feminino, ainda que muitas vezes silenciado.

PublishNews, Redação, 07/07/2020

Até que ponto o ser humano pode confiar em sua própria mente? Até que ponto aquilo que só a gente parece ver é real? Beny Beneli (Chiado, 118 pp, R$ 33), primeira obra do pintor e agora escritor Ariel Busquila, traz a história de um menino que tinha tudo para ter uma vida perfeita, não fossem perturbações que aparecem em seu caminho e a sensação de que vive uma realidade paralela. A história deste romance começa no nascimento do protagonista, conturbado e repleto de mistério. Que segredo escondem dele? Existe um segredo? O que é loucura ou criação em meio à realidade dos jovens, cercada por festas, drogas e bebidas? A história ainda aborda a relevância que os adolescentes dão ao julgamento alheio e traz o dilema de uma mãe, que não quer desistir de um filho que parece já ter desistido de si próprio.

“O escritor é, por sua própria natureza, um contestador. Pelo menos deveria ser.”
Fernando Sabino
Escritor brasileiro (1923-2004)
1.
DNA da cocriação
2.
Decida vencer
3.
Mais esperto que o diabo
4.
Box Harry Potter
5.
Textos cruéis demais para serem lidos rapidamente
6.
Textos cruéis demais para serem lidos rapidamente: Onde dorme o amor
7.
O fim em doses homeopáticas
8.
Pequeno manual antirracista
9.
Mulheres que correm com os lobos (capa dura)
10.
A sutil arte de ligar o foda-se
 
PublishNews, Redação, 07/07/2020

Autor do clássico Fahrenheit 451, Ray Bradbury tinha 15 anos quando Hitler mandava queimar livros em praça pública, na Alemanha. Foi ali que ele percebeu que os livros que tanto amava estavam em perigo. Anos depois, este luto se transformou em uma ideia: escrever sobre uma sociedade em que os livros fossem proibidos, e os bombeiros, em vez de apagar o fogo, recebessem a missão de queimá-los. Prazer em queimar: histórias de Fahrenheit 451 (Biblioteca Azul, 416 pp, R$ 49,90 – Trad.: Bruno Mattos e Antônio Xerxenesky) é leitura obrigatória para os fãs da clássica distopia. Neste livro estão reunidos 16 contos: 13 que foram escritos antes de Fahrenheit 451 e mais três histórias escritas depois. Observador sagaz dos tempos obscuros que sucederam a Segunda Guerra Mundial, Bradbury canalizava sua criatividade escrevendo contos críticos a tudo que via e sentia. Há contos sobre queima de livros, morte, liberdade, arte, policiamento nas ruas etc.

PublishNews, Redação, 07/07/2020

Mulheres normais (Lura, 84 pp, R$ 39,90) é uma reunião de crônicas da escritora curitibana Izabella de Macedo que retratam as mulheres do jeito que são. Uma obra que faz ecoar pensamentos e sentimentos comuns do universo feminino, expostos como quem está de coração aberto para sorrir, chorar, se apaixonar. As crônicas são escritas em primeira pessoa, e retratam personagens em diferentes estados emocionais: entusiasmadas, felizes e desestruturadas por seus dilemas cotidianos e conflitos internos. Os acontecimentos narrados são fictícios, porém inspirados em relatos reais vividos por diferentes mulheres. Com a delicadeza e força próprias de suas protagonistas, Mulheres normais aborda, em suma, o desejo latente de ser feliz.

 
©2001-2020 por Carrenho Editorial Ltda. Todos os direitos reservados.
Rua Fidalga 471, Conjunto 3 | Vila Madalena | São Paulo | SP | Brasil | 05432-070
O conteúdo deste site não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.